O Ciclo Cósmico


Pressuposto

O Um é, foi e sempre será o ser, a substância, a inteligência, a consciência, que permeia, penetra e envolve tudo o que existiu, existe e virá a existir.

Separação

article-1051070-01AFBD460000044D-887_468x327Se do Um veio tudo, então tudo partiu de sua própria “substância”.
Essa substância, para que fosse diferenciada, dividiu-se em infinitas partes, de formas diversas e proporções diversas, em n dimensões e em n vibrações ou frequências, semeando o Cosmos com sua diversidade.
Cada semente/partícula/”coisa”, apesar de diferenciada do Um, continuava sendo uma diminuta parte do Um, contendo a sua essência [1].

Re-união

Quando essa divisão e essa disseminação alcançou seu ápice, o que aconteceu? O que acontece quando um pêndulo alcança a altura máxima? O que acontece quando uma pedra é atirada para cima e chega ao ponto mais alto? Ora, pela observação, deduz-se, como já se deduziu, que toda ação gera uma reação, de mesmo módulo e direção, porém, em sentidos opostos. E essa Lei, se é Natural, haveria de funcionar desde o primeiro momento da Natureza. Então, respondendo à primeira questão: quando a divisão alcançou seu ápice, houve um breve momento de pausa. Seria esse o momento de “descanso” do Criador mencionado na Bíblia? Talvez. (mais…)

Continuar lendo O Ciclo Cósmico

O Aikido por Morihei Ueshiba – Palavras do Fundador

Como ai (harmonia) é comum com ai (amor), eu decidi nomear meu budo único (no sentido de diferenciado) de “Aikido“, embora a palavra “aiki” seja uma palavra antiga. A palavra como foi usada pelos guerreiros no passado é fundamentalmente diferente da minha.

Aiki não é uma técnica para lutar com ou derrotar o inimigo. É o caminho para reconciliar o mundo e fazer dos seres humanos uma só família.

O segredo do Aikido é nos harmonizar com o movimento do Universo e trazer-nos em unidade com o próprio Universo. Aquele que obteve o segredo do Aikido tem o Universo em si mesmo e pode dizer: “Eu sou o Universo.”

Eu nunca sou derrotado, por mais rápido que o inimigo possa atacar. Não é porque minha técnica é mais rápida do que a do inimigo. Não é uma questão de velocidade. A luta é finalizada antes mesmo de já ter começado. (mais…)

Continuar lendo O Aikido por Morihei Ueshiba – Palavras do Fundador

A Escolha do Caminho


Temos tantas filosofias e sistemas de crenças e de pensamentos que às vezes ficamos um tanto quanto perdidos. Não sabemos ao certo qual é o “melhor”, o “mais certo”, ou ainda qual é o “mais adequado”, ou quais se encaixam ao nosso jeito de ser… à nossa individualidade.

Não há realmente uma fórmula para se descobrir qual é o sistema filosófico/religioso mais indicado para cada um de nós. Cabe a cada um experimentar aquilo que mais lhe atrai, verificando se lhe convém ou não.

Vendo por esse lado, parece assombroso o tempo e o esforço necessários para descobrir o caminho ideal.

Mas será mesmo que existe um caminho ideal previamente traçado, no qual possamos nos engajar e nos realizar como seres humanos plenos e felizes?

Podemos partir do princípio de que cada pessoa é única. Partindo desse pressuposto, é possível traçar um caminho religioso “genérico”, ao qual se aplicaria a todas as pessoas (ou pelo menos a uma grande maioria delas)? Parece extremamente improvável que isso pudesse ocorrer. Mas isso ocorre. Talvez não com o grau de sucesso esperado, mas, mesmo assim, todos os dias muitos adentram os templos, igrejas e seitas religiosas, buscando respostas para suas aflições e conforto para suas dores emocionais e psíquicas.
(mais…)

Continuar lendo A Escolha do Caminho

Abençoados e Malditos


Estava lendo Sandman, quando vi do que Morpheus era capaz – ele aniquilou uma Terra do seu Universo, o Sonhar. A forma na qual ele a aniquila, com um encantamento profundo, antigo, oculto, que abriga a si mesmo, transformando a sua criação e a reabsorvendo em seu manto, para dentro do seu abdômen… poético, belo e triste se misturam. Como ele mesmo diz: “Finais são tão abençoados quanto malditos”. Hmm. Abençoados e malditos. Isso me remeteu ao princípio hermético de polaridade, no qual os opostos são, na verdade, a mesma coisa, e andam juntos, de “mãos dadas”. (mais…)

Continuar lendo Abençoados e Malditos

Hábitos


Sabe, acho que me desviei um pouco da proposta inicial. Achei que eu deveria tratar de assuntos complexos, de grandes questões filosóficas e tentar resolvê-las. Isso foi um equívoco. O erro foi julgar que só havia grandiosidade nessas questões. Pensando melhor, a grandiosidade está também nos pequenos atos. Talvez, PRINCIPALMENTE nos pequenos atos. No que fazemos momento a momento. Na atitude interna, nas decisões que tomamos e em que nos baseamos para tomá-las. Então, observando-me esses dias, vi como estava cometendo erros com minha vida e como fui joguete de distrações e de indulgências com meus desejos, satisfazendo-os de pronto, assim, na hora que vinham. Pensei em como deve haver pessoas na mesma situação que eu, que dá atenção e energia para distrações e entretenimento. (mais…)

Continuar lendo Hábitos

Um Bambu Oco

Tilopa disse: Como um bambu oco relaxe seu corpo.

Esse é um dos métodos especiais de Tilopa. Todo Mestre tem seu próprio método especial através do qual ele alcançou e através do qual ele gostaria de ajudar os outros. Essa é a especialidade de Tilopa:
Como um bambu oco relaxe seu corpo.

Um bambu, completamente oco por dentro… Quando você descansa, você apenas sente que você é como um bambu: completamente oco e vazio por dentro. E, de fato, esse é o caso: seu corpo é exatamente como um bambu, e por dentro ele é oco. Sua pele, seus ossos, seu sangue, é tudo parte do bambu, e dentro há espaço, vacuidade. (mais…)

Continuar lendo Um Bambu Oco

Batalha Interna

Eu gostaria que o anel nunca tivesse vindo a mim. Eu gostaria que nada disso tivesse acontecido.

Gandalf: Assim como todos que vivem para ver esses tempos. Mas não cabe a eles decidir. Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado. Há outras forças trabalhando nesse mundo, Frodo, além da vontade do mal. Bilbo estava destinado a encontrar o Anel. Nesse caso, você também estava destinado a tê-lo. E esse é um pensamento encorajador.
Quando é que saberemos o que fazer com nosso tempo?

Por tanto tempo também estive empacado nesse lamaçal.

Por que, Tiago?

Nesse meu mundo de teorias e probabilidades… de coisas que eu posso ser mas que nunca sou. Nunca faço. Nunca atuo.

De repente, tudo fica enevoado, indistinto. O que está na minha mente desaparece. Perde significado. Tão rápido, é como se minha memória estivesse falhando.

Às vezes não sei o que é real e o que é da minha mente. Quais possibilidades, quais ações são reais? Tento com todas as minhas forças discernir o que é do que não é. Mas parece que somente a mente não é suficiente.

Será que estou perdendo meu tempo, minha vida, jogando xadrez com as possibilidades da vida?

Por que estou aqui?

Tirando todos os livros e filosofias que li. Lidando com os fatos.

A carne degenera e morre. Eu sinto o mundo através dela. O que sou, então? A carne? O cérebro? Ou algo mais?

Por que eu escolheria uma existência como essa? Viver brevemente num corpo capaz de prazer e de dor. Num corpo que tem vida curta. Uma vida cheia de possibilidades, de beleza e de feiúra, de tristeza e de alegria. Por que?
(mais…)

Continuar lendo Batalha Interna

Apoteose Humana


Bem acima do chão da Rotunda do Capitólio, Robert Langdon avançava com nervosismo pela passarela circular situada logo abaixo do teto da cúpula. Ele espiou hesitante por sobre o parapeito, tonto por causa da altura. (…)
Agora, de onde Langdon estava, o Arquiteto do Capitólio não passava de um minúsculo pontinho, movendo-se com passos firmes 55 metros abaixo e depois sumindo de vista. (…)
(…) e correu os olhos pelo imenso espaço vazio à sua frente até a outra ponta da galeria. Katherine tinha seguido adiante sem medo, aparentemente insensível à altura. Ela já havia cruzado metade da circunferência, admirando cada centímetro de A Apoteose de Washington, de Brumidi, que pairava acima de suas cabeças. Daquela perspectiva rara, os personagens de 4,5m de altura que enfeitavam os 433 metros quadrados do domo do Capitólio podiam ser vistos em um nível de detalhe surpreendente.

(clique para ampliar)
(mais…)

Continuar lendo Apoteose Humana

A Coragem para Viver Conscientemente

Segurança é em grande parte uma superstição. Ela não existe na natureza, nem os filhos dos homens como um todo a experimentam.
Evitar o perigo nao é mais seguro a longo prazo do que se expor totalmente a ele.
Ou a vida é uma grande aventura, ou nada.
Manter nossas faces voltadas para as mudanças e comportarmo-nos como espíritos livres na presença do destino é força invencível.
-Helen Keller

Nas nossas vidas do dia-a-dia, a virtude da coragem não recebe muita atenção. Coragem é uma qualidade reservada para soldados, bombeiros e ativistas. Segurança é o que mais importa hoje em dia. Talvez você foi ensinado a evitar ser ousado demais ou destemido demais. É muito perigoso. Não assuma riscos desnecessários. Não atraia atenção para si mesmo em público. Siga tradições familiares. Não fale com estranhos. Fique de olho em pessoas suspeitas. Mantenha-se seguro. (mais…)

Continuar lendo A Coragem para Viver Conscientemente