Abençoados e Malditos


Estava lendo Sandman, quando vi do que Morpheus era capaz – ele aniquilou uma Terra do seu Universo, o Sonhar. A forma na qual ele a aniquila, com um encantamento profundo, antigo, oculto, que abriga a si mesmo, transformando a sua criação e a reabsorvendo em seu manto, para dentro do seu abdômen… poético, belo e triste se misturam. Como ele mesmo diz: “Finais são tão abençoados quanto malditos”. Hmm. Abençoados e malditos. Isso me remeteu ao princípio hermético de polaridade, no qual os opostos são, na verdade, a mesma coisa, e andam juntos, de “mãos dadas”.

(Segundo esse princípio, o calor e o frio são nomes, graus, de uma só coisa, apenas designando os extremos dessa coisa. Assim se dá também com tudo o que parece oposto entre si: são extremos de algo. O forte e o fraco são extremos da força física. O amor e o ódio são extremos de uma mesma energia ou força. Sendo uma graduação de uma só coisa, pode-se então subir ou descer nessa graduação, aumentando-se ou diminuindo-se a quantidade da “coisa” relacionada. Assim se dá, também, com os temperamentos e disposições humanas.)

Quando li esse princípio hermético, tive diversas inspirações. Ora, se um extremo é ligado ao outro extremo, então, imagine o que Hitler teria sido capaz de fazer pelo Bem e não o fez? Ele possuía o mesmo potencial para o Bem, só que o usou na outra polaridade, do outro lado da “gangorra”. E Jesus? Imagine o Mal que teria causado se fosse pelo outro lado… o potencial que ele exibiu, direcionado para a malignidade. Seria terrível…

Da mesma forma, imaginei como cada um nós tem um potencial determinado e a faculdade de escolher como utilizá-lo.

Analisei o que tenho feito com meu potencial, pensei como seria se eu revertesse as más atitudes em boas… o quão diferente seria minha vida? E o quão fácil/difícil é fazer isso? Dúvidas e mais dúvidas surgem, como uma enxurrada. Porém, se o Princípio Hermético existe e já foi testado durante milhares de anos, ele não nos deixa mentir. De fato, como dizem em minha terra, “temos a faca e o queijo na mão” para mudarmos. E a chave para isso é uma Vontade profunda, verdadeira, brilhante, inquebrável, invencível! Como adquirir essa Vontade? Ora, usando o próprio princípio da polaridade, pode-se transmutar a Preguiça em Ação, pois são pólos opostos de uma mesma força ou energia. Deve-se elevar os graus dessa energia, até que seja tão alta, a ponto de gerar Ação por si mesma.

Como fazer isso? Ora, como estudiosos de ocultismo, temos à disposição ferramentas que, embora básicas, são fundamentais para todos os degraus da escada. Veja a visualização, por exemplo: ela é a pedra-base para a maioria das operações que iremos realizar na nossa jornada. Eu começaria assim: visualizando meu objetivo. Vendo-me naquela situação, com o máximo de detalhes, de sensações. Tantos detalhes, tão “reais” que é como se eu estivesse lá. Isso geraria em mim uma Força que me faria querer concretizar isso o mais rápido possível. Essa Força pode ser chamada de Empolgação, Entusiasmo. Desse ponto para a Vontade, é simples: continue acumulando essa Força até chegar a tal ponto que não consiga mais ficar parado. Pronto! Você acumulou tanta energia que ela transbordou e se transformou em Ação. Ação pela Vontade! É só continuar nesse fluxo, surfando nessa onda energética, aproveitando cada momento e dando o melhor que puder. Em algum momento, é claro, a energia cessará. Porém, agora você sabe como proceder. É só repetir o processo. Você ficará cada vez mais treinado e o tempo necessário para o “carregamento” será cada vez mais curto.

Não há por que não praticar isso. Se algo ou alguém lhe impedir de fazer isso, seja uma outra pessoa ou você mesmo (como é na maioria dos casos – nós somos nossos maiores inimigos), busque ajuda. Abra-se. Não tenha medo, nem orgulho. Procure alguém de sua máxima confiança e peça ajuda. Ou, se não estiver preparado ou se não quiser pedir ajuda, procure equilibrar-se. Cada pessoa têm uma forma de fazer isso. Eu, por exemplo, gosto de meditar. Gosto de escrever. Esclarecer as idéias, mudar de ambiente, ouvir música, entrar em contato com a natureza. Enfim, temos inúmeras ferramentas à nossa disposição. Lembre-se que, querer melhorar é Vontade também. E se você quer melhorar, você já está no Caminho.
——————————————————————————–

>> Ver todos os artigos do Labirinto da Mente no TdC

>> Página no Facebook

Este post tem 12 comentários

  1. Eckz

    Excelente Tiago!
    Obrigado pelo insight.

  2. Leo Quintum

    Você realmente soube me prender a atenção citando Sandman.

    Já faz uns 3 ou 4 anos que eu não releio, preciso reavivar essas hístorias.

    Obrigado pelo texto Tiago, veio em ótima hora.

  3. Alisson

    O seu texto foi empolgante o suficiente para elevar a minha vontade de boas mudanças!!!

    Talvez as palavras de incentivo de alguém ainda sejam uma das melhores formas de nos fazer ir atrás de algo, da ação dita.

  4. umqualquer

    Parabéns pelo texto! Realmente, a escada está aí e subimos e descemos todo o tempo, em vários aspectos. O difícil é se mover do devir ao ser, transformar energia potencial em cinética, mas superada a inércia de nossos receios, é possível caminhar, mesmo que lentamente, na subida…

  5. Zé da Silva

    Valeu cara! É um assunto difícil de ser abordado e qnd é abordado muitas vezes fica muito complexo.

    Acho q foi a primeira vez qconsegui entender um pouco.

    PS: Vc já assistiu o seriado Twin Peaks? Acho q esse seria trata esse assunto, sobretudo no capítulo final onde a experiência espiritual ou em outra dimensão fica evidente.

  6. Renan Rodrigues

    Sensacional!!!

  7. Manoel M. M. Portelinha

    Dizer que Hitler foi mau e Jesus bom é limitação, visão reducionista da realidade e notadamente das consequências dos atos perpretados.
    Não há nada que seja desprezível e mau em si, tudo depende do acervo valorativo que alicerça o Espírito.
    De uma perspectiva inversa, e necessariamente equivalente a todos os prismas de síntese, Hitler foi bom e Jesus mau.

    1. Mirtão

      Certamente o holocausto foi bom para alguém…

      1. lionel hutz

        pros judeus que com essa última manobra conseguiram ganhar o controle da terra santa com certeza foi. pra alemanha que teve que pagar indenização astronômica por gente que não existia com certeza não.

  8. Wagner Martins da Silva

    Thiago seu texto me levou a seguinte reflexão:
    O amor e o ódio são extremos de uma mesma energia…
    Como a água, que tem no gelo e no vapor as variações de sua manifestação física.
    O agente de transformação do estado físico da água é o calor, neste caso sua maior intensidade provoca a ebulição, sua maior ausência provoca a solidificação.
    Quanto ao amor e o ódio?
    Nesse caso o agente de transformação é a empatia.
    Nesse processo de relação do individuo com o outro, estes estão sob influencia de uma lei natural, a lei da afinidade. Essa lei natural aproxima os semelhantes e afasta os diferentes.
    No caso dos animais menos complexos o processo é mais simples o individuo anda no bando da sua espécie e evita contato com os indivíduos de outra espécies… claro que relações harmônicas de espécies diferentes existe, mas são mais raras no geral esse contato é evitado para evitar conflito e prejuízo.
    Nos seres humanos, animais mais complexos com processos mentais também mais complexos, o individuo pode se singularizar tanto a ponto de não se identificar com mais nenhum grupo, nem ninguém se isolando completamente.
    Dentro desta lei, esta o funcionamento irracional do ego, onde ele aproxima de si e ama todos com quem se identifica, ou se satisfaz, ou usufruí algum proveito. Ou seja só ama a si mesmo.
    E afasta de si tudo que lhe é diferente, não lhe proporciona vantagem, não lhe satisfaz etc…
    No Amor e no ódio, em ambos há um gasto de energia pessoal, direcionada a algo ou alguém especifico. Você não pode exercer o amor/ódio sem pensar, falar, agir em relação a algo ou alguém, e sentir como resultado disso, revirar os seus humores, as vezes ondas de calor percorrendo o corpo, e varias reações quimicas como, adrenalina, noradrenalina, feniletilamina, dopamina, oxitocina, a serotonina e as endorfinas, resultando em varias reações físicas, o processo mental vai da reflexão racional, a reatividade instintiva irracional, ou seja sai o homem, fica o animal pronto para a briga ou para o coito.
    Principio da ressonância:
    Um exemplo: Essa mesma reação em cadeia citada a cima gera no outro uma atitude agressiva com relação a você. E em você o sentimento de ódio.
    Na racionalização, usando a mente consciente, fazemos o exercício da empatia:
    Primeiramente deixando o eu de lado, fora da equação, imagine o outro, ele agora é você.
    Numa visualização meditativa, deve, “ si “ ver como o outro e refazer todo o seu trajeto, entender o contexto causal que o envolveu e suas ações reativas diante disso, suas decisões e motivos, as limitações de sua percepção da realidade e sua visão particular.
    Nessa troca de papeis, o seu ego, como ferramenta instintiva da mente, passa a “aliviar a barra“ e justificar as ações e atitudes do outro da mesma forma que o faria se tivesse sido você.
    Isso não significa aceitar as atitudes ou reações do outro, e sim o entendimento racional que move o individuo a ponto de poder até ajudá-lo a entender a si mesmo, e os processos causais que o levam a suas ações.
    E isso ainda não é o amor… mas quando você já não mais odeia, pode caminhar em direção a amar.
    Num nível mais profundo desta pratica se torna possível cumprir o ensinamento, “Amem aos seus inimigos“.

  9. Franco-Atirador

    Primeira parte do post bastante relacionada com este outro aqui, do mapa astral de Charles Manson:

    http://www.deldebbio.com.br/2013/11/12/mapa-astral-de-charles-manson/

    “Ele poderia ter sido um político e grande fonte de inspiração para as pessoas, e, de certo modo, acabou se tornando uma espécie de ídolo qliphotico, completamente à mercê das energias involutivas. Não deixou de se tornar um “ídolo” para desequilibrados que vibram na mesma sintonia… O que nos mostra que, à medida em que as pessoas possuem e desenvolvem seus potenciais, elas são “tentadas” a se corromper para a escória da Árvore da Vida (ou a Árvore da Morte, como se costuma chamar).”

  10. Juliano

    Ótimo texto Tiagão 🙂
    Conseguiu passar uma prática simples e poderosa, tentarei absorver ela e usar no meu dia-a-dia.
    Mas quando falou de seu potencial me lembrei de seus desenhos, e imagino que seriam agora com suas meditações… mas ao final me dei conta do ótimo texto que você produziu, parabéns e muito obrigado 🙂

Deixe uma resposta