Karma e Linearidade

Um dos problemas centrais na busca espiritualista é a conciliação entre a crença intuitiva em uma Criação perfeita e o oceano de dúvida e dor que existe em nossa realidade cotidiana. Filosoficamente isso resulta em dezenas de especulações e interpretações que chegam até mesmo a negar a relação direta entre Criador e Criação (supondo que exista tal diferenciação) através de um personagem intermediário, o demiurgo gnóstico, que teria gerado o mundo corrupto que observamos.

Outra maneira de tentar conciliar essas percepções opostas é a concepção de um processo de causa e efeito tão natural e impessoal quanto a gravidade, que ajusta essas realidades aparentemente díspares. Enquanto a tradição ocidental, de raízes egípcias, fala em um julgamento final da alma humana, o oriente imagina um processo dinâmico e cotidiano, que dispensa júri e juiz (embora algumas linhas, como a teosofia, citem a figura dos Senhores do carma, essa personificação da lei não é a mais comum, mantendo seu caráter natural).

O quanto desse conceito é útil e o quanto é apenas uma fantasia egóica? Dando um passo atrás, pensemos a reencarnação e veremos o mesmo comportamento. De uma hipótese sistêmica muito interessante, ela passa a ser uma simples maneira de afagar o ego. Quantas princesas e generais não se redescobrem em centros espíritas e terapias de vidas passadas? Nunca a humanidade foi tão nobre quanto em suas pretensões…

Em sua interpretação tradicional, todo o mecanismo reencarnatório/cármico é tradicionalmente respaldado por um interpretação linear do tempo. Mas essa interpretação faz sentido de um ponto de vista do Self (vamos chamar assim uma possível dimensão maior do Ser) ou é apenas um ponto de vista raso do ego? A argentina Zulma Reyo, em seu livro Karma e Sexualidade faz uma representação interessante entre o que ela chama de tempo linear e o tempo concêntrico, a realidade vivida pelo Self. Ela considera a existência egóica, linear, como uma experiência do Self projetado na tridimensionalidade, a partir de condições absolutamente aleatórias. O mecanismo cármico existe apenas como elemento de aprendizagem dentro dessa única existência linear, não atuando como elemento de ajuste entre consecutivas experiências lineares. Do ponto de vista de uma Criação una, essa visão é absolutamente harmônica. Mas do ponto de vista do ego individualizado, a perspectiva de uma vida iniciada em condições aleatórias não difere em nada de uma visão absolutamente materialista.

A autora também define como elemento chave para entender o processo cármico aquilo que chamamos de forma-pensamento. É através dessas estruturas mentais/emocionais geradas e mantidas por nossos pensamentos e ações que se dá a atração das condições externas que caracterizam a relação de causa e efeito. E essas formas-pensamento seriam visíveis a médiuns treinados como aderências no campo causal. É praticamente a mesma interpretação, dita em termos atuais, do processo cármico tal como compreendido no Jainismo, uma das religiões mais antigas da India. Os janistas crêem que o carma é uma substância que se adere à alma, e essa quantidade e qualidade de substância aderida que define as condições atuais da vida do individuo. Essa substância pode ser eliminada através de jejuns e meditações.

Fica então a questão. É possível conciliar reencarnação, causa e efeito e uma existência não linear?

Texto fantástico do Andrei, do Anoitan.

Este post tem 38 comentários

  1. alessandro

    MDD!
    Está bem claro pra mim que existe um bloqueio físico que tem a função de não recordarmos das vidas passadas, bloqueio esse que é “furado” com a regressão ou terapias de vidas passadas. O que não entendo ainda qual a finalidade desse tal bloqueio! E ao que parece algumas crianças como se ignorassem esse bloqueio derrepente começam a demonstrar habilidades alem do normal para a maioria dos humanos, como tocar piano, habilidades matemáticas, enfim.. Poderia falar algo à respeito?

    @MDD – Essa resposta é fácil… imagina se tirarmos todos os bloqueios hoje e você descobre que seu pai foi o cara que era amante da sua esposa na encarnação anterior e que juntos eles envenenaram você pra ficar com o seu dinheiro… que o seu irmão era seu filho que fugiu de casa e deixou toda a sua família desesperada, e que sua irmã era sua esposa pervertida na vida anterior… adeus família… e apesar dos exemplos, é mais ou menos isso que acontece… quem mais tem karma para ser resgatado encarna mais próximo da gente. Se SEM SABER do passado pais ja matam filhos, irmãos brigam com irmãos, etc etc etc (pode reparar que todo irmão que briga o faz inconscientemente… as vezes nem sabe por que de tanto conflito… sao pequenos flashes de vidas passadas)

  2. ALM

    Caríssimo Marcelo,

    um amigo do blog disse algo que eu também trabalhava aqui na caixola:

    “Talvez, tais efeitos sejam causados como uma reafirmativa da lei hermética “a mente cria a realidade”.

    Parabéns pelo post MDD… aprendi bastante com ele!

    @MDD – você está certíssimo, mas é difícil chegar até esta linha de raciocínio. E eu não posso ajudar, cada um tem de chegar até onde você chegou sozinho.”
    ——

    Então, Marcelo, é como se a “realidade” em que achamos que vivemos fosse uma “reverberação” do Desejo de cada um, certo?

    Então há quem tenha interesse e FAÇA com que esses Desejos individuais sejam inuzidos por outro(s) – Conspiração?- com finalidades pré determinadas, condicionando um pensamento coletivo induzido, formador de uma “ignorância real”?

    Estamos causando, então, neste exato momento de reflexão, uma interferência neste “Desejo coletivo induzido”. Sofreremos, portanto, uma reação a nossa “ação desestabilizadora”, certo? E, como “tudo o que está em cima é igual (…) “, esta reação pode ser hostil?

    Hummm…

    Se for… pronto para o combate, meu Capitão!!! – se é que ele já não é diuturno há muito…

    Esclareça minha insapiência por favor.

    Amplexos rotundos,

    ALM.

    @MDD – mas a reação da Mente Coletiva É hostil… quando vocês começarem a despertar para valer, a Mente Coletiva vai atacar vocês para tentar forçar vocês a voltar para a mesmisse do status quo. Eu to preparando um texto sobre isso, que é um tópico importante!

  3. Eric

    Se o sistema de reencarnação é alinear, eu “poderei” ser alguém que conheço, e também existe a possibilidade de eu “ter sido” alguém que conheço. Existe até mesmo a possiblidade de eu ser todo mundo, e todo mundo ser eu.

    Sinto estranheza (talvez medo) de pensar nestas duas coisas:
    – não lembrar o que se deu antes de eu nascer,
    – esquecer tudo que vivi e aprendi, após a morte.

    @MDD – Isso nãoa contece. Senão todo o processo seria inútil. Eu já disse uma vez pro Kentaro que se ele conseguir me provar que não há reencarnações ou aprendizado ou karma, eu vou virar serial killer, porque não vai fazer diferença nenhuma, já que “karma não existe” heheheh.

  4. Eric

    Um parâmetro que complica mais esta especulação é a estrutura do tempo-espaço.

    O tempo é um construto mental, derivado da perceção linear do hemisfério esquerdo do cérebro? Neste caso, como fica o sistema de reencarnação alinear?

    Ou as dimensões estão armazenadas em uma dimensão superior de tempo, como se fosse um vídeo/filme? Neste caso, como fica o livre arbítrio?

    Ou ainda, existe alguma estrutura que armazena a permutação de todas as possiblidades de todas as dimensões?

    @MDD – Minha opinião pessoal é que existe uma estrutura nesse sentido, sim, em uma dimensão que corre paralela a esta. É a que hackeamos de um jeito muito primitivo através dos mapas astrais, oráculos e arquivos akashicos.

    1. Antônio

      Eu entendo que todos os nossos esforços são bem. Isso, pequenos riscos numa estrutura gigantesca, tentamos através de técnicas rudimentares acessar algo que não temos a menor noção do que seja, pela grandiosidade desse todo. Porém a beleza de tudo isso é que é possível acessar esse todo, e com as chaves corretas ter entendimento, ser esse entendimento, comungar com o primordial.
      Faça o que tu queres pois é td da lei. MDD, na minha análise do que seja evolução, quando a gente toma consciência que pode ser um serial. Killer que nada vai acontecer de errado, a pessoa já não consegue ser esse tipo de energia, sua vibração é tão elevada, seu sentimento de compaixão é tão infinitamente doce, suave amoroso, que nem. Mesmo arrancar uma flor seria possível para quem entendeu o sentido da vida, porque estamos aqui, e porque não existe a menor condição de um ser em harmonia fazer qq coisa que não seja manifestação de amor.

  5. Astraeus

    Nada a ver com o post, mas estive reparando que o símbolo do compasso e do esquadro lembram um pentagrama e também meio hexagrama unicursal do Crowley… algo a ver?

    Já vi o compasso aberto em vários ângulos diferentes, alguns encaixam nos símbolos que falei, mas outros não…

    Saudações fraternais

  6. Astraeus

    Agora minha viagem sobre o post:

    Cara, acho que a teoria atual da causalidade precisa de umas reforminhas hehehe

    Primeiramente, acredito que essa coisa simplista causa->efeito não existe. Talvez só a causa primeira e olhe lá. A partir daí, os efeitos podem retroalimentar as causas, várias causas que criam um único efeito, padrões gerados, padrões destruídos, efeitos interagindo com a própria causa, gatilhos kármicos (efeito borboleta), etc, formando uma verdadeira teia kármica onde tudo está conectado, tudo influencia tudo.
    Lógico que padrões emergem (elementos, gunas, árvore da vida, etc), mas no fundo talvez sejamos os nós dessa teia, e os liames kármicos as conexões que nos permitem a interação. Alguns liames podem ser cortados na morte, outros duram mais… As formas-pensamento definiriam então quais ligações são ampliadas e reforçadas (facilitando o fluxo de eventos) e quais definharão…

    Dae gosto de imaginar as interações entre dois nós gerando ondas que se propagam pela teia e retornam ao emissor (como um meteorito atingindo um planeta totalmente oceânico: as ondas viajariam até o ponto diametralmente oposto ao do impacto e voltariam a ele com a fase invertia. Ação e reação. Agora é só abstrair para uma esfera 4D rs)

    Também acho que a questão da linearidade temporal está intimamento ligada à entropia (“a flecha do tempo”) e portanto à alegoria de Leviatã que se levanta das Qliphoth e morde as Sephiroth abaixo do Véu de Paroketh (ou do abismo?). Nesse caso o Self ficaria por cima da degradação toda e experimentaria as encarnações como estados de fase…
    Putz, no fim das contas acabei concordando com o autor.

    Oq acham?

  7. José

    Muito bom mesmo…

    Se a “Magia” se dá quando algo que lemos nos deixa confusos e propensos a rever nossas posições. Bem. Aconteceu.

    Sempre questionei minhas convicções a respeito da reencarnação: eu ACREDITO mas acho que não é tão simples como lemos em muitos estudos.

    Vou tentar ilustrar minha confusão:

    Como podemos entender esse lance de que nós éramos tal pessoa em 1804 e hj somos “nós” em 2008?

    Ora, partindo da premissa de linearidade, apenas conforme o raciocínio de “tempo linear”.

    Uma noção de tempo, a meu ver: ” humano, demasiado humano”.

    “Hoje” – em 2008 – “eu” sou José? Alguém que habita uma orbe existencial que vibra na minha frequência?

    Alguém que há “x” milhares de anos atrás era fulano, que aprendeu algumas coisinhas, e fez outras caquinhas, em vida no seu planetinha pra hj ser “Eu”?

    Dessa forma dá pra dizer que “Nós” demoraremos “x” anos para sairmos da “Roda de Samsara” ou qq outra coisa que transmita essa noção de escapar da linearidade. Cada um no “seu tempo”.

    Assim, do ponto-de-vista espiritual do “Self” o tempo linear deixaria de existir, todas as encarnações seriam simultâneas.

    E tal assertiva me remete a um marco da minha adolesência:

    “E se o raciocínio do Dr. Manhattan – AINDA NÃO VI O FILME!!!! – é o certo? ”

    Me refiro à sua definição de tempo apresentada no volume 4 da saga: na minha opinião, o melhor.

    ” A fotografia ESTÁ na minha mão.”

    ” Ela ainda ESTÁ lá, 27 horas no passado.”

    “Eu ainda ESTOU lá olhando pra ela.”

    “Só o que vemos das estrelas são suas velhas fotografias.”

    “Alguns blocos de mármore trazemestátuas encrustadas no futuro.”

    “Mas É tarde demais, SEMPRE FOI, SEMPRE SERÁ TARDE DEMAIS.”

    Algo meio Neo-entrando-na-sala-do-Arquiteto? Com tudo acontecendo?

    O “passado” condiciona que “presente”?
    E o “futuro”?
    Pode condicionar algo denominado por nós de “meu presente”?
    Pode condicionar algo denominado por nós de “meu” “passado”?

    É…

    Acho que “atualmente”,estou tendendo mais pra essa noção da mandala do Dr. Manhattan…

    Abraço!

  8. Félix"

    É Tio Del Debbio… só consigo entender seus textos mesmo!!!
    AHIUahaUIOHaiuhAIUhaiu

  9. Raul

    Fora do contexto mas… insistindo …
    Marcelo, já que acabou o concurso explique o porquê do “Jesus Big Brother”, e além do concurso qual o outro objetivo das fotos ??? Vc disse que ao término do concurso falaria …
    Vlw

    Perguntei no post dos ganhadores do concurso e vc não respondeu… tem mais pessoas querendo saber …

  10. Aleff

    O pessoal do CIH (de Fr. Goya) diz, a grosso modo, o seguinte:
    1. Existe o Oceano Espiritual Uno (Deus, por assim dizer);
    Todos os espíritos vêm de lá e retornam pralá após a morte carnal. De lá se misturam com toda a água daquele oceano. Assim, lembranças de vidas passadas não passariam de fragmentos da memória de ancestrais e contemporâneos.
    Todos são um, e só adquirem status de indivíduo quando encarnados, ou seja, os mortos não poderiam falar com os vivos.
    Os espíritos, quando desencarnados, não têm personalidade individual.
    A explicação para os contatos mediúnicos seria a história dos cascões astrais, nunca o espírito, pela razão acima.
    2. O carma existe, mas como aprendizado individual e como ajustamento sustentador da harmonia necessária para o funcionamento do sistema; (esse ponto achei meio confuso);
    3. Não existe “contas a pagar” de existências passadas, nem recompensas de encarnações anteriores. A missão de cada um é fazer o melhor com o que tem hoje e pronto. Como diria o R. Russo :”A primeira vez é sempre a última chance”.

    Achei essa visão um pouco simplista, mas interessante.
    Na verdade, não sei se alguém conhece mesmo essa realidade (o que é realidade?).

  11. Cramer

    segundo essa versão dos janistas, poderia então o succubus ser um tipo de energia que adere na gente, se sim, como fazer para prevení-lo ou se livrar do mesmo?

    @MDD – A succubi é criada por você mesmo. Para se livrar dela, basta parar de alimentá-la energeticamente por pelo menos 28 dias.

  12. ALM

    Marcelo,

    Se neste momento, refletindo sobre a *realidade* e tomando conhecimento de que ela é criada a partir e constructos e desejos *coletivos* induzidos, teria eu causado um processo de interferência no Astral. Então:

    1) esta imensa construção de ignorância a qual achamos estar presos pode entrar em colisão vibracional com a certeza de não existência deste mundo?

    2) Como isso poderia interferir no meu próprio pensamento diante destes *novos fatos*, uma vez que eu também *existo* no Astral enquanto aqui me ludibrio, simultaneamente?

    Obrigado,

    amplexos rotundos,

    ALM.

  13. Bernardo

    @MDD – mas a reação do inconsciente coletivo É hostil… quando vocês começarem a despertar para valer, o inconsciente coletivo vai atacar vocês para tentar forçar vocês a voltar para a mesmisse do status quo. Eu to preparando um texto sobre isso, que é um tópico importante!

    Os Agentes da Matrix… por isso Dom Juan Matus diz ser requisito para os iniciados ao caminho do conhecimento serem Guerreiros. Tem que ser guerreiro pra tomar o pílula vermelha, mas qnd temos pessoas boas ao nosso lado a luta pode ficar menos difícil, Valeu MDD. Aproveito pra perguntar se já tem alguma noção do valor da contribuição para fazer o sigilo ou os mapas?

    @MDD – Já… 2 cestas básicas (algo em torno de 50,00 – 60,00 ) para mapas completos/sigilos ou 3 cestas básicas para os dois. Acredito que se eu confirmar com os rabinos este final de semana, segunda feira já farei o anúncio.

  14. thibas

    “@MDD – mas a reação do inconsciente coletivo É hostil… quando vocês começarem a despertar para valer, o inconsciente coletivo vai atacar vocês para tentar forçar vocês a voltar para a mesmisse do status quo. Eu to preparando um texto sobre isso, que é um tópico importante!”

    DD, que eu saiba isso que você tá fala não é incosciente coletivo, tem outro nome…mente coletiva
    inconsciente coletivo é outra coisa…

    @MDD – É Vero. Já troquei lá. Thanks

  15. Raph

    Realmente muito legal o texto.

    Também gosto de tocar nesse assunto:

    “Na minha modesta opinião, um Criador só poderia ser realmente Justo se nos houvesse criado todos iguais, princípios de consciência ancestrais, que vieram evoluindo ao longo de diversas espécies, e diversas encarnações, até que a consciência enflorasse, e pudéssemos então guiar a nós mesmos, obedecendo a uma simples Lei de Causa e Efeito: tudo o que sua consciência inflige de mal, estará para sempre gravado nela própria. A única forma de evoluir moralmente, portanto, é nos expurgarmos desse mal, lapidando nossa alma lentamente, também ao longo de milhares de anos… Não existe punição nessa Lei, a “punição” está de acordo com a ignorância de cada espírito para com os segredos de sua própria consciência. Melhor aquele que matou pessoas na fogueira vir como enfermeiro de queimados, do que ele mesmo morrer queimado… No entanto, existem espíritos ignorantes que ainda seguem a lei do Talião, e mesmo aqueles que se recusam de antemão a qualquer prática de caridade. Mas, aqueles que tem algum conhecimento de si mesmos, e do Amor que nos liga a todos em uma teia divina, trata de trabalhar sempre para que sua consciência se veja livre de toda culpa, o quanto antes melhor!”

    http://textosparareflexao.blogspot.com/2009/01/porque-simpatizo-com-o-espiritismo-iii.html

  16. D'Artagnan

    @MDD – mas a reação do inconsciente coletivo É hostil… quando vocês começarem a despertar para valer, o inconsciente coletivo vai atacar vocês para tentar forçar vocês a voltar para a mesmisse do status quo. Eu to preparando um texto sobre isso, que é um tópico importante!

    O Vigia do Portão é implacavel. 😉

  17. VHein

    @MDD!
    Desejo registrar o quanto estou aprendendo com seus textos e comentários de tantos estudiosos …
    Em relação ao texto eu o fconsidero muito complexo e repleto de informações que no momento estou elaborando e processando com o auxílio dos comentários que particularmente me acrescentaram muito.
    Belíssimo texto !
    Eu gostaria de saber a forma como poderá ser feita a contribuição para o mapa astral.
    Abraços

  18. Vinicius

    “Ou ainda, existe alguma estrutura que armazena a permutação de todas as possiblidades de todas as dimensões?”

    Sei lá, eu penso que o universo é como um “holograma”. Caso você pegue um holograma de uma flor e corte em duas partes, o resultado não vai ser duas partes da flor original, mas sim duas flores iguais a original, como se cada parte do holograma tivesse toda a informação da parte original.

    Eu acho que é assim com o universo: até a mínima parte dele possui a configuração do universo como todo. Assim, o jeito que uma criança anda na praia no domingo, o jeito que a neve cai numa das nevascas em abril, ou as palavras que nós pensamos por toda a vida estão relacionadas com o que o universo é, foi e será, com a localização de tudo que há nele…

    Tá, sei que é viagem, mas sempre que penso chego nessa conclusão, e achei que isso justificava coisas como astrologia, tarot e etc (podiam ser lâminas, arcanos, ou o movimentos dos átomos de uma gota ao cair na áfrica. Dá no mesmo pra mim).

    É muita viagem na maionese ou tem alguma base?

    @MDD – São as suas palavras, mas o conceito está certo. Assim como o DNA tem todo um ser humano, uma semente de árvore contém todo um pomar, as sephiroth contém simbolizamente todo o Universo.

  19. EPU

    Caríssimo Irmão,
    Você bem pode se lembrar de mim e saber dos meus pequenos e desajeitados passos em busca da Verdade; Por isso me desculpe de antemão pela ignorância.
    Me pareceu que Reencarnação, Causa e Efeito e Existência Não Linear são “conceitos” devidamente ligados já por definição.
    Ex:
    A Vida me “providencia” um recurso…e eu não o utilizo…logo…o efeito da minha negligencia…é a causa da deficiencia no recurso negligenciado.

    Pergunta 1:
    Se essa linha de pensamento que eu apresentei está correta, esse efeito só se manifesta numa próxima encarnação ou o processo é mais dinâmico que isso?

    Pergunta 2:
    Se há um dinamismo maior, a Reparação não se tornaria cada vez mais difícil?

    Pergunta 3:
    Até que ponto nossa mente constrói nossa realidade, se alguns acontecimentos negativos em nossas vidas (por exemplo) seriam meras consequencias de atos anteriores que (no caso de encarnações passadas) muitas vezes não temos “recordação”?

    Bem, me desculpe mais uma vez pela enxurrada de questionamentos e obrigado pelo texto que além de proveitoso em si já traz uma sugestão de outro site muito rico, assim como o Seu.
    Por conta de Sua sugestão, acabei encontrando um outro artigo bem interessante também.
    http://anoitan.wordpress.com/2009/03/06/get-your-head-out/
    Artigo esse que me sugeriu o video da tão oportuna musica para o momento: Eddie Vedder – “Guaranteed”

    Desejo-Lhe Paz Profunda!
    EPU

    “Uma mente cheia de perguntas, e um professor em minha alma”
    Eddie Vedder – “Guaranteed”

  20. PeX

    Marcelo, já ouvi falar nos arquivos akáshicos, mas não tenho grandes informações, onde posso conseguí-las? De preferência em livros.

  21. Jeff

    APOMETRIA

    Caro Marcelo, gostaria de uma opinião sobre o tema. É seguro?

    Abraços

    Jeff

  22. mglls

    Oi Marcelo, Se a reencarnação existe e o que acontece em nossas vidas é p/aprendermos algo, e geralmente é através de dor e sofrimento, confesso que não aprendi nada muito p/contrário estou decepcionada c/deus e p/me manter viva tento buscar respostas totalmente fora de tudo que eu acreditava pois Se não sou mais o que fui e numa futura existência me foi tirada toda a recordação da vida passada, toda e qualquer existência vale tanto quanto nenhuma. O que sou jamais fui, portanto não vivi. Não mais serei o que sou, deixando de existir. De que valem os milhares de elos de uma corrente que jamais poderão ser ligados. É complicado dizer que eu e meus filhos temos lições a aprender passando necessidade e humilhação, enquanto o causador disso está usufruindo de todos os direitos adquiridos deles c/pessoas que não conheceram ele lá no início quando não tinha nada e a vida quer me ensinar…..porisso acredito que fazemos parte de uma jogo somos meras peças movidas a bel prazer e o livre arbítrio é uma ilusão…

  23. Alin

    Acredito em espiritismo. ´Fui numa reunião e uma medium falou pra mim de minha vida passada. COnfesso que não gostei da historia. Como faço para limpar minha mente?

  24. Equinoxxx

    @Astraeus: “Ação e reação. Agora é só abstrair para uma esfera 4D”

    Cacildis, cara… ler às 2h da madruga alguém explicar qualquer conceito quadridimensionalmente usando como metáfora a teoria ondulatória e ainda falar “só abstrair” me obriga a criar um departamento inédito no meu cérebro:
    “Advanced Assoviar+Chupar Cana Sincronicamente”.

  25. Eu

    Mdd , em meus estudos sobre vida, morte , espirito ,reencarnação e karma me deparei com o texto do frater GOYA sobre “! o que acontece apos a morte”
    E fikei SURPRESO .
    Sempre acreditei que , apesar de certas diferenças de opinião e visão dentro do ocultismo, a reencarnação e o karma fossem , em essência, de aceitação geral.
    Mas eis o paragrafo que me deixou confuso:

    “”Logo, aproveitamos para declarar que terminantemente, não existe nenhuma conta passada a ser paga e sequer futura. Tudo o que fazemos deverá ser acertado aqui e agora. Se sofremos é por conseqüência de nossos atos, e atribuir isso a uma vida passada é uma admirável escapatória, mas nunca uma verdade.””…””Não existe “reencarnação” depois da morte”””
    E tmb atravez desse texto , ele da a entender que o espirito , não seria o nosso EU supeior , o qual encarna pra aprender atravez da diversidade da vida .Mas que seria um “professor” , uma Babá , designada simplesmente pra ajudar aquele corpo fisco ao qual foi ligado pela alma( O que me faz pensar que o espirito esta mais pra uma daquelas babás que ficam no telefone com o namorado emquanto o bebê se afoga na privada).

    Isso bate de frente com o que vc vem ajudando a gente emtender desde o começo com suas postagen no “SeH”.
    Se só se vive uma vez , se o aprendizado só se aplica a materia ,e se não a karma, me sinto impelido a dizer que o arquiteto do universo é um grande piadista , e de MTOOOO mal gosto.

    @MDD – “Tudo o que fazemos deverá ser acertado aqui e agora” não faz sentido, caso contrário, veríamos Sarneys e Lulas pagando pelo que fazem aqui e agora, e não é o caso. Paulo Maluf, Fidel Castro e Joo Jim II que o digam. E todas as entrevistas com exús, pretos-velhos, entidades astrais, cascões kardecistas, demônios goéticos e até mesmo anjos enochianos consultados geram as mesmas respostas, diferentes da que você colocou acima.

  26. guilherme costa

    MARCELO TENHO UMA DÚVIDA? ,VC RECOMENDA OS LIVROS DO KARDEC E TEM ALGUNS OCULTISTAS QUE Ñ ACREDITAM EM REENCARNAÇÃO COMO CIRCULO DE HERMES , ACHO QUE VC Ñ É DESSES OCULTISTAS,AGRADEÇO!

  27. Brasileiro

    Sobre o comentário de “Eu”, achei estranho, acho que houve um problema de interpretação aí. Eu não tenho tempo de checar isso agora mas pelo que eu tinha visto no “CIH” há algum tempo era que na verdade eles deixam essas questões em aberto, não afirmando nem negando nada a princípio. E se o Goya falou isso imagino que seja mais no sentido de que a crença em reencarnações pode servir como desculpa para acomodação. “Se temos toda eternidade porque se preocupar em se desenvolver agora!!”

    Lembro que uma vez li um discurso de Osho que ele afirmava que Jesus teria negado a idéia de reencarnação para que seus disciplos tivessem aquela vida como a única e mais valiosa oportunidade e por isso não perdessem tempo. Se é verdade eu não sei mas é uma perspectiva interessante.

    Abs a todos!!

  28. Erwin

    Marcelo duas duvidas talvez um pouco fora de contexto ou bestas:

    1) Almas são criadas?Ou são em mesmo número desde “o inicio” ?(na falta de expressao melhor) Se sim, como?

    2) Partindo que da idéia que almas são criadas, então existem pessoas que podem entrar em contato com o seu passado e não encontrar nada ou quase nada?

    @MDD – 1) sim, são criadas pelos Planetas; 2) Sim também. Mas dependendo do charlatão em que for se consultar, pode deixar que ele arruma alguma encarnação de rei ou rainha pra pessoa !

  29. Rafael bts

    Marcelo eu li neste site http://www.anael.org/portugues/karma/clases.htm , que quem adquire cancro é por causa de fornicação. O texto é velho, pois o cancro esta classificado em paginas anteriores como sendo incuravel, mas eu fiquei em duvida pois o site se diz gnostico. O que vc acha?

    @MDD – Muita tosquice misturado com uma ou outra coisa séria… tem de tomar bastante cuidado com esses sites de “gnosis”, carregados das maluquices e preconceitos do Samael. No texto, por exemplo, ele fala que ser gay é “castigo” por abusar ou negar o sexo, o que já sabemos há tempos que é besteira. Gays e lésbicas (e toda a gama de variações) são apenas a incarnação intermediária entre um espírito que ficou muito tempo sendo homem/mulher e muda de polaridade.

  30. Rafael bts

    uhm… mas não é possivel também que possa nascer gay, mesmo tendo sido da mesma polaridade por varias encarnações? Por exemplo se alguem fez algo muito ruim para eles e então é humilhado pela sociedade ou algo do tipo?

    @MDD – Nunca vi isso, mas de repente até seja possível.

  31. Gustavo

    Desculpe-me, mas a idéia da reencarnação e evolução espíritual me parece totalmente desumana e cruel, um completo ciclo vicioso e que não combina nada com a filosofia Thelêmica, pois como fazer minha verdadeira vontade se já estou com uma vida determinada para pagar o que fiz no passado, e que agora cometerei mais débitos, que pagarei futuramente, e ficarei eternamente nesse ciclo vicioso?

    @MDD – Sim, porque a “filosofia Thelemica” está cheia de erros de interpretação por parte dos que se metem a estuda-la levianamente. Se voce esta tendo contato com a magia agora e ainda tem MUITA coisa pra limpar do passado, então esforce-se mais! Todas as vidas temos o Dharma como principal meta, mas às vezes fazemos tanta merda em vidas passadas que teremos de arcar com Karmas cobrados, como acidentes graves, defeitos, pobreza e outros problemas que voce mesmo se causou. E sim, enquanto não acordar e corrigir, ficará em um ciclo vicioso que voce mesmo causa.

    Ou então veja o exemplo de você, mesmo hoje tendo boa condição de vida e boa condição intelectual/espiritual, pense em quantas vidas de sofrimento e ignorância passou para chegar até aqui, e de quanto débitos tem a pagar por causa de sua ignorância passada, ou seja, de coisas que não cometeu por mal, mas porque em outras vidas não tinha discernimento para fazer o “certo”.

    @MDD – Karma é exercer a Verdadeira Vontade. Não existe deus nem demiurgo externo, só voce mesmo. Com a expansão da consciencia, voce mesmo ve as atrocidades que fez e voce mesmo escolhe voltar para corrigir. Ninguém força um iniciado a fazer nada, mas apenas os verdadeiros iniciados. Os outros que nem chegaram neste patamar ainda precisam passar por chances de corrigir o que fizeram.

    E veja bem, a crença na idéia do demiurgo não é exclusiva as seitas cristãs gnósticas, mas também a linhagens do hinduísmo, já vi vários tantras que diferenciam o autêntico Brahma do Brahma criador desse mundo de “sofrimentos”.

    Outro ponto que reforça a existência do demiurgo é a completa diferença existente entre as doutrinas de YHVh e a de Jesus (se quiser saber mais, recomendo o link: http://www.iabr.oswnet.com/page_27.htm).

    Enfim, não nego a tese de karma, reencarnação e evolução, mas de uma coisa tenho certeza: se essa tese é real, então com certeza a existência do Demiurgo que criou esse mundo de tamanho sofrimental é real também.

    Enfim, espero que entenda minha posição, sou um estudioso independente de esoterismo e exoterismo, e não consigo conciliar a idéia de um deus justo com a idéia de reencarnação/karma/evolução.

    Gostaria muito de saber sua opinião a respeito de tudo isso.
    Obrigado, abraço.

    @MDD – deus é perfeitamente justo, porque Deus é voce mesmo… pare de achar que tem alguem lá fora castigando ou recompensando… voce mesmo escolhe pagar pelo que faz aos outros, conforme seu grau de evolução espiritual… pessoas toscas acham que não estao fazendo nada errado nunca (nem jogar lixo no chão, por exemplo), até que acordam algum dia e olham pra trás. Ai a pilha de lixo já está enorme… quanto mais rápido a pessoa acorda e para de causar problemas a si mesmo, tanto quanto melhor será esta e as próximas encarnações. Mas com o aumento de consciencia, é possível limpar muita coisa em uma encarnação só… basta ter a thelema pra isso.

    1. Igor Teo

      “@MDD – deus é perfeitamente justo, porque Deus é voce mesmo… pare de achar que tem alguem lá fora castigando ou recompensando… voce mesmo escolhe pagar pelo que faz aos outros, conforme seu grau de evolução espiritual… pessoas toscas acham que não estao fazendo nada errado nunca (nem jogar lixo no chão, por exemplo), até que acordam algum dia e olham pra trás. (…)”

      Perfeito!
      É isso que tenho pensado muito ultimamente.
      Religiosos e ateus vão ficar discutindo eternamente a procura de um Deus externo quando as doutrinas esotéricas, como a Kabbalah, nos mostram que os deuses estão “dentro” de nós.

  32. D.E.G

    Existe sofrimento como resultado do Dharma? Ou ele só acontece como forma de pagar um sofrimento causado “anteriormente”?

  33. Franco-Atirador

    Sempre pensei na possibilidade de encarnar no passado, ou no futuro. Eu abraço completamente a ideia de caos, de não-linearidade. É impressionante como as pessoas se interessam egoicamente quando o assunto é vidas passadas, e principalmente tentam sempre manter firme a ideia de suas personalidades, sempre virtuosas, de um eu, de uma identidade. Acho que tudo se vai, tudo se esvai. Só fica sei la o que, o espírito com o aprendizado, uma matriz fina do observador, um último veículo bastante perspicaz inserível a quase qualquer realidade.

  34. Andre Berger

    Nunca parei para pensar se consideramos as dimensões teóricas a cima da 6a.., onde probabilidades de escolha podem ter gerado diferentes “EUs” em multiversos paralelos… seriam os mesmos kharmas?? Estaria eu ligado à algum que neste momento não me correlacione??

Deixe uma resposta