Sessão Maçônica em 1790

Sessão Maçônica em 1790

Imagem de uma sessão Maçônica de 1790.

Este post tem 22 comentários

  1. fiatkoa

    PQ vc não faz um link com a imagem em baixa definição e depois que clicarem abre uma janela com a imagem em alta definição,pq eu não to enxergando bem o que tem no fundo.Eu sei que tem script para site,mas para blog não sei se existe mas deve ter…
    Bem depois eu vou tentar ampliar a imagem no photoshop,mas fica aí a sugestão huauhauha

  2. João

    Algum motivo para ninguém estar paramentado?
    @MDD – hmmmm não tinha reparado nisso. Mas tirando isso, todos os outros elementos estão ali.

  3. Eduardo

    Fiatkoa: digita CTRL + no seu teclado que aumenta a tela.

  4. MARCELO

    DD, qual nome da imagem?

  5. Tim

    O que é esse negócio no meio do salão, tio?

  6. Rafael"

    Tio,
    Qual loja é essa?
    A data na qual foi pintado este quadro, tem alguma representatividade em especial?
    Soa apenas duvidas, que podem sanar minha curiosidade.
    uehuehue
    Um Fraterno Abraço”

  7. Márcio

    O que é isso, o congresso de Wilhelmsbad?

  8. Luiz Henrique

    Tio, sobre entrar para a maçonaria, eu tenho que ser convidado?
    @MDD – Sim.

  9. Melkisedeq ( Tiago Aragão)

    Salve Marcelo,
    Ao pensar um pouco sobre a egrégora maçonica, estive pensando um pouco em minha vida e tive umas dúvidas. Uma pessoa que esta envolvida com uma egrégora evangélica e muda totalmente de vida entrando numa egrégora ocultista, se preparando para a iniciação thelemita. Esta pessoa começa a acreditar em evocações, comunicações mediúnicas, etc… Tá o que acontece com essa pessoa? Há uma briga entre egrégoras? ele consegue sair totalmente de uma para outra? Demora a transferência delas? Quando a pessoa muda a egrégora antiga tenta recuperá-la ou atacá-la até quando. E por que pode raios alguém tem vontade de mudar tanto de vida? Digo isso por que aconteceu comigo. Tive um grande despertar de consciência da realidade.
    Sei q o post não é o mais indicado para minha dúvida, mais é uma reflexão que me gerou curiosidade há tempo..
    Agradeço qualquer esclarecimento.
    Abraços.

  10. aic

    Alguma relação com a revolução francesa e a festa da federação?

  11. D

    O rapaz no meio à direita não está se dirigindo à platéia ? Achei que estava…. aliás, parece que muitos estão olhando para ele oo
    Além disto, também há alguns cochichando, por exemplo, os dois na frente à direita… alguém está propondo algo polêmico oo
    Se vendo a data, não duvido que tenha a ver com a Revolução Francesa, em curso no período oo

  12. Anakin

    Tem alguma coisa a ver com a revolução francesa (em pleno vapor nesse ano)?
    Abraço!

  13. Oliver

    Deviam estar discutindo a primeira Constituição da França no contexto da Revolução Francesa e também estavam especulando como o mundo seria fraterno, igualitário e livre 200 anos depois.
    O que sempre me intriga nesses retratos sobre a maçonaria é como os seus membros sempre estão, invariavelmente, vestidos de acordo com os padrões sociais vigentes, e sempre respeitando a disciplina hierárquica aliada a um profundo senso de nacionalidade.

  14. Acauã Silva

    Olá Marcelo, qual a simbologia da águia de duas cabeças na maçonaria…
    @MDD – Quando você chegar no grau 33 vc descobre 😉

  15. Edson Santos

    Melkisedeq ( Tiago Aragão)
    Levante a espada, se tiver pessoas próximas a você ligadas a egregora a que você fazia parte… prepare-se para batalha!

  16. Tiago Aragão

    Edson Santos
    sim, estou me preparando. Já carrego em mim a centelha da vitória.

  17. alex

    e impressao minha ou da pra ver uma arvore da vida na pintura?

  18. Renis R.

    Achei também textos sobre Revolução Francesa, pinturas e sobre a Independência Brasileira, lojas maçônicas envolvidas para esse propósito. Lojas e membros portugueses e brasileiros juntando forças para acontecer a independência. E achei esse texto também:
    ”No início da década de 1790, no rescaldo da queda do marquês de Pombal, ministro iluminista de D. José I, a Inquisição teve um assomo de autoridade, desencadeando uma grande perseguição aos pedreiros-livres. Tentava demonstrar que ainda tinha vigor e que aquele ministro, com o novo regimento de 1774, não a conseguira esvaziar de poderes; reagia também contra os ventos que vinham de França.
    A partir da perseguição inquisitorial de 1792, que originou numerosas denúncias e autodenúncias, e até 1820, data da Revolução Liberal que marca simbolicamente o final do Antigo Regime português, pertenceram aos quadros da Maçonaria portuguesa, segundo os dados conhecidos, um mínimo de 123 eclesiásticos, que representavam a elevada percentagem de 15,4% do total de maçons registados, valor só superado pelos militares, que representavam 37,4% . A nível europeu, este valor era bastante elevado. Entre 322 maçons pertencentes a 17 lojas da Provence francesa, só se registaram 17 eclesiásticos, ou seja, apenas 5,4%, percentagem idêntica à encontrada em Toulouse de 1741 a 1799. Na realidade, até à década de 1790, conhecem-se apenas em Portugal, 19 clérigos, sendo 5 estrangeiros. É a partir dessa década que abundam as fontes de informação, nomeadamente devido às perseguições inquisitoriais e, depois, devido à acção da Intendência Geral da Polícia e dos movimentos políticos do País.”

  19. Anderson

    Ei Marcelo vai ter um post sobre o simbolo perdido ?? alguns posts recentes pareceram fazer menção ao livro como a mão dos misterios e a imagem com o quadrado magico mais seria interessante abordar diretamente num post só dele e como a visão do leitor pode mudar sobre o autor ao percorer o livro, no começo achava que era apenas um escritor sensacionalista falando de temas polemicos, depois vi que ele não era apenas isso mais sim um otimo marqueteiro porque apesar de os livros terem uma forma de bolo que ele repete nos maiores sucessos o tempo que ele não gasta criando uma estrutura de enredo ele aplica indexando uma quantidade imensa de informações e fazendo elas ser atraentes ao publico e no ultimo livro ele da entender que não só é um marqueteiro e sim um idealista que passa uma mensagem atraves do livro todo, esse ultimo livro lembra vagamente o documentario do zeistgeist de quebrar velhos paradigmas distorcidos sobre religião, muito bacana

  20. Raphael

    Concordo com o Anderson, estou lendo este livro e tive a mesma impressão.
    Quanto à imagem, parece que cada um olha para um lugar.
    Em que país ocorre aquela Sessão?
    Não consegui visualizar os símbolos maçônicos.
    Mudando de saco para mala: podes falar um pouco sobre a influência maçônica no Rio Grande do Sul? Aqui quase em todas as cidades por onde andei tem símbolos maçônicos (até em Espumoso!).
    Abraços!

    1. Martinho

      Está tudo aí meu querido. Velado, mas um ir.: observa uma loja composta. com as jóias móveis e tudo mais.

  21. lizandra

    se uma pessoa entrar no clube na maçonaria é ela quiser sair,ela pode???
    @MDD – Claro que pode.

Deixe uma resposta