O Símbolo do Coração

O órgão fisiológico do coração não é, como se crê de ordinário, a sede do sentimento e do sentimentalismo mais pacato, senão que ele foi tomado em todas as tradições como um dos símbolos mais patentes e claros da idéia de centro. No cristianismo isto é óbvio, pois quando se fala do “Sagrado Coração” de Cristo se está fazendo referência à parte mais central dessa tradição, à própria fonte de onde emana a essência de sua doutrina e seus mais profundos mistérios.

Sua representação iconográfica em forma de triângulo invertido faz dele um recipiente onde descem, e se depositam, os eflúvios celestes que vivificam a totalidade do ser individual, fazendo possível que este tome verdadeira consciência de seu Ser arquetípico. Por isso se fala do coração como o lugar onde reside simbolicamente o Princípio Divino no homem, o Espírito Universal que, com respeito à manifestação, aparece como o menor, sutil e invisível, como bem assinala a conhecida parábola evangélica quando fala do “Reino dos Céus”, assemelhando-o ao grão de mostarda, equivalente na tradição hindu ao “germe contido no grão de milho”, idênticos ao éter ou “quintessência”, que é também o centro ou coração da cruz elementar, tomada neste caso como um símbolo de todo o mundo manifestado.

É desse Princípio de onde, efetivamente, o homem recebe o hálito vital, ao mesmo tempo em que a luz da Inteligência, ou autêntica intuição intelectual, permite-lhe conhecer de maneira direta, simultânea e sem reflexos (ou seja, não dual, racional ou cerebral) a Unidade em todas as coisas. Neste sentido, lembraremos que na Cabala a sefirah Tifereth (que na simbólica construtiva corresponde ao altar do templo) é chamada o coração da Árvore da Vida, pois ao estar situada no próprio centro do pilar do equilíbrio faz possível que nela se unifiquem e sintetizem as restantes sefiroth. Por isso, esta sefirah também é chamada “Harmonia”, entendida como a autêntica expressão da “concórdia” universal, palavra que precisamente significa “união dos corações”.

Este post tem 13 comentários

  1. Tarciso

    Olá Marcelo,

    Faz mais de 2 anos que venho lendo sobre o ocultismo, sobre os mais variados assuntos, acompanho seu blog sempre no SeH, mas sinto uma grande dificuldade em dar o pontapé inicial…

    Sempre passo umas duas semanas lendo muito, fazendo exercícios novos, mas as vezes não consigo ver grandes resultados e desistimulo um pouco.

    Esta semana resolvi estabelecer uma rotina para dar um cárater mais sério aos meus estudos, comecei a reler os três princiapais livros do Kardec e depois entrar na obra de Franz Bardon. Esse é um bom caminho para se reiniciar os estudos?

    Um grande abraço.

  2. raph

    Alguma dessas pontas deve tocar a Eternidade… Muito interessante essa definição, realmente é mais um exemplo de como a “tradição popular” acabou arruinando o significado original.

  3. Thiago

    Marcelo, sei que não é o lugar certo p/ isso, mas procurei no seu blog e não achei nada a respeito… vi aqui na minha cidade cartazes anunciando 3 palestras da AGEACAC: “Os Mistérios da Vida e da Morte” “O Enigma das Mitologias” e “Curso de Gnosis”. Todas as três são gratuitas, e vi que eles fazem essas palestras sem cobrar nada ao longo de todo o país, então já ganhou um ponto de credibilidade comigo. Queria saber se você já assistiu a alguma dessas palestras, e qual sua opinião sobre elas.

    @MDD – AGEACAC é a do Samael Weor. Pode assistir e depois me escreve falando o que achou.

  4. MGF

    O Tom Strong tem esse símbolo no peito.

    “Grande” Moore!

    “Grande” DD!

    Paz e que o trabalho continue sendo ótimo, tanto aqui como no SeH.

  5. Luiza

    Uma vez vi em um livro de magia riscada sobre o formato do coração (duas gotas coladas e invertidas) usado mundanamente ser uma cópia meio idêntica da forma como as ondas telúricas deste tipo de sentimento (amor puro/ receptividade) se manisfestam. O autor não deu ênfase a este fato, mas as formas que ele usa de exemplo sem aplicam.
    Bjos

  6. Carlos Gomes

    É sempre um prazer ler estes artigos.

    Segundo a simbologia rosacruz, o triângulo equilátero invertido também não simboliza a água?

  7. Anderson

    Parabens pelo recorde de 1 milhão conspiradores ^^
    ei qual seria o significado daquelas mega construções em Baalbek ?? tem ligação com as linhas de ley ??
    abraço

  8. João Guilherme

    Marcelo, sou um leitor recente de seu blog, e desde que o conheci passei horas lendo seus posts antigos. Gostaria de parabenizá-lo pelo excelente trabalho e pelo grande conhecimento que demonstra ter.

    Como estudante de diversas áreas do ocultismo, gostaria de saber suas opiniões sobre Projeção Astral (ou Projeção Consciente).

    Grande abraço.

  9. Raph

    Tai Marcelo as mulheres tão começando a aparecer mais por aqui :p

  10. saymon

    Caro colega, de onde tiras essa relaçao do triangulo invertido com o coraçao?

    @MDD – O triangulo invertido é o simbolo alquimico da água, ou das emoções, e o coração é o centro alquimico das emoções, daí a correlação indireta.

  11. Franco-Atirador

    É mais que interessante e pertinente notar sobe as pesquisas recentes e os curiosos resultados que vem sendo feitas sobre o coração e seu poder, como no Instituto Heart Math. Dentre as implicações mais curiosas está que ele se comunicar com o cérebro, na verdade, manda mais estimulos para esse do que recebe, possui neurônios, e um campo de influência que se estende por quilômetros.

Deixe uma resposta