O Documento mais Antigo da Maçonaria


O mais antigo documento comprovadamente maçônico no mundo é conhecido como “Carta de Bolonha” e data de 1248. Seu nome original é “Statuta et Ordinamenta Societatis Magistrorum Tapia et Lignamilis”. Foi redigido originalmente em latim por um escrivão público, sob ordem do Prefeito de Bolonha, Bonifaci di Cario, no dia 08 de Agosto de 1248. Em seu conteúdo fica claro que essa Maçonaria Operativa Italiana já era tradicional, antiga, contendo sólida estrutura e hierarquia, bem anterior à data de registro da Carta.

Reflitamos: Bolonha fica a pouco mais de 300Km de distância de Roma. Há alguma razão para duvidarmos de que essa antiga Associação de Construtores de Bolonha seja a evolução de uma das principais Guildas Romanas?
A Carta de Bolonha é anterior em 142 anos ao “Poema Regius” (1390), 182 anos ao “Manuscrito de Cooke” (1430), 219 anos ao “Manuscrito de Estrasburgo” reconhecido no Congresso de Ratisbona de 1459 e autorizado pelo Imperador Maximiliano em 1488, e 59 anos ao “Preambolo Veneziano dei Taiapiera” (1307). Todos esses documentos maçônicos antigos não somente comprovam a existência da Maçonaria Operativa e sua evolução histórica, mas principalmente sua evolução social, incluindo a atenção especial de reis e o interesse crescente de intelectuais e nobres.
A Carta possui anexos. Entre eles, conserva-se uma “lista de matrícula” registrada em 1272, que contém 371 nomes de Mestres Maçons (Maestri Muratori), dos quais 2 eram escrivães públicos, outros 2 eram freis e 6 eram nobres. Essa é a prova histórica mais clara de que, em pleno século XIII, a transformação da Maçonaria de Operativa em Especulativa já estava iniciada.
A existência desses e de outros documentos antigos descartam completamente as teorias de que a Maçonaria teria nascido com o fim da Ordem dos Templários ou quando da Revolução Francesa ou mesmo com o Iluminismo. Os documentos comprovam que a Maçonaria é bem anterior ao século XIII e reforçam a teoria da origem egípcia, aprendida pelos judeus quando em cativeiro no Egito, e espalhada ao mundo quando os descendentes desses estavam sob domínio e influência romana, incorporados nas Guildas.
A “Carta de Bolonha” confirma o texto das Constituições de Anderson, 1723, quando Anderson diz tê-las redigido após consultar antigos estatutos e regulamentos da Maçonaria Operativa da Itália, Escócia e Inglaterra. Revisando o texto do “Statuta et ordinamenta societatis magistrorum tapia et lignamiis”, não resta a menor dúvida de que este foi um dos estatutos e regulamentos consultados por Anderson para redigir a Constituição da nossa Maçonaria Especulativa.
O documento anexo à Carta, datado de 1257, informa ainda que foi decidida a separação entre os “Mestres do Muro” e os “Mestres da Madeira”, que até então eram uma única Corporação, mas separados desde antes nos trabalhos das correspondentes Assembléias tendo, porém, os mesmos Chefes. Esse é um fortíssimo indício de quando e como surgiu a Maçonaria Carbonária.
Fica evidente que a Carta de Bolonha é um dos documentos históricos mais importantes da nossa Sublime Instituição, e fica mais do que comprovada a presença dos “Aceitos” na Maçonaria dos “Antigos e Livres” a pelo menos 800 anos atrás, em co-existencia com a Ordem Templária.

Este post tem 17 comentários

  1. incrível ver como a grandiosa ordem cresceu e sobreviveu ao longo de tantos séculos, graças aos esforços de grandes homens, perpetuando uma egrégora tão bela e poderosa como poucas no mundo.
    Meu smais profundos votos à toda a ordem, e minha humilde saudação, de estudioso, buscador, e quem sabe num futuro um talvez membro

    1. William

      Então leia “O Livro de Hiram” dos Autores: Christopher Knight; Robert Lomas
      é uma aula sobre maçonaria.

      1. Maria

        O nome correto do livro é A CHAVE DE HIRÁN

        1. Julio

          Existem os dois livros dos mesmo autores, Maria A Expertona !
          Mulher não opina sobre maçonaria OK?

  2. DanyielKrishna

    Hummm, realmente…A maçonaria, comprovada a autenticidade desses documentos, demostra a sua antiguidade e coexistência com a ordem templária… Na sua opinião Del Debbio, como se deu a interação entre as duas ordens nessa época e posterior influência? Elas realmente se uniram, quando da perseguição aos Cavaleiros do Templo? União total, com compartilhamento de ritos, documentos e segredos? Ou só um proteção parcial e temporária aos perseguidos?
    Depois faz um post sobre a Maçonaria Carbonária, tem tão pouca coisa séria disponível…
    @MDD – Eram ordens independentes, que só se uniram depois da perseguição aos Templários, porque os Maçons eram a única profissão medieval que tinha autorização para circular entre os reinos, nada mais interessante para pessoas que estava fugindo da Inquisição e precisavam se locomover pela Europa, ne?

    1. concordo com o Danyel, quando puder fale da Maçonaria Carbonária, estudo essa tão sublime ordem à relativamente pouco tempo e já aprendi muito, mas ainda me falta muito para conhecer (principalmente por ser alguém fora do circulo interno). A ordem me fascina desde pequeno, quando ouvia maravilhado algumas coisas que minha professora de história contava, quando falava de figuras importantes do nosso país.
      É muito dificil encontrar material disponível, e material sério nem se fala. E realmente, eram ordens distintas, nada mais justo que unir o útil ao agradável, unir as forças e compartilhar regalias em prol de um bem maior, contra um mau comum.

  3. Fabio Netto

    O SEGREDO DA MAÇONARIA
    Eu me interesso por esse assunto, e faço pesquisas detalhadas sobre sociedades secretas há muito tempo, de maneira coerente e coesa, uma delas é a Maçonaria. O que eu pude constatar, é que há uma campanha de desinformação à respeito da mesma, nada das informações publicadas em livros , sites, blogs, vídeos são coerentes e uniformes, ou seja, há vários “fatos” sobre essa fraternidade que não batem. Por exemplo ; tem referencias específicas sobre rituais praticados em todos os veículos de mídia acima citados, em um livro diz-se uma coisa, em outro livro sobre o mesmo assunto(ritual) diz outra completamente diferente…e assim vai em sites, blogs, vídeos. Eu acho o seguinte… esses caras estão aí nos bastidores da história há séculos, são um grupo muito bem fundamentado e doutrinado, vocês acham que assim…do nada… os seus maiores segredos vão sendo revelados fácil…tolo de quem acredita. Acho, e constatei , que Eles estão em uma franca campanha de desinformação, se você pensar bem…é muito esperta essa estratégia, devido ao grande interesse das pessoas à respeito…nada mais eficaz do que uma enxurrada de informações falsas, e pode ter certeza que são, para saciar a curiosidade alheia. Houve uma interceptação(gravação) de uma longa e reveladora conversa entre dois maçons eminentes Graus 33, se é que realmente esta graduação exista ou seja verdadeira,eles dizem nesse diálogo , que todos os maçons quando vêem ; os livros , vídeos, blogs e sites colocando imagens daquelas posições, símbolos e sinais “bizarros”, termo utilizado por um deles com veemência, dão risadas, pois tudo é tão ridículo e fantasioso, que é difícil acreditar que as pessoas aceitem tudo como verdade…mas ao mesmo tempo é ótimo para a fraternidade, por isso não se vê nenhum maçom, do mais baixo ao alto grau, se pronunciar à respeito dessa tolices, palavras dele. Por isso , não acreditem em nada, desconfiem de tudo ! Todo esse material que circula pela internet é falso, tudo arquitetado para enganar e desviar a atenção do verdadeiro foco ! Não se deixem lograr … pois é isso que eles querem…e conseguiram.
    Caros, nenhum maçom…deixa de ser maçom, e por exemplo viram evangélicos ou perfilam-se na anti-maçonaria…esses que o dizem… são agentes infiltrados justamente para difundir a desinformação…por isso cuidado com esses “Ex-maçons”, pois são arautos da desinformação !…após sair de um culto Evangélico…vão direto para um templo maçônico prestar contas.
    @MDD – São boas idéias, mas não posso comentar a respeito.

    1. Douglas

      Creio que isso seja normal. Enquanto uns fazem barulho, outros trabalham em paz… é o famoso boi de piranha…

    2. Sandro

      Bom o texto e o nível dos comentários que vi. Parabens a todos. Apenas uma observação, a Maçonaria é atacada a séculos, em especial o inicio foi por questões políticas, o domínio político muito incomodava (acho até que com razão), a forma encontrada foi o ataque ao desconhecido, de fácil absorção as pessoas sempre temem o desconhecido… assim a ignorância é um terreno fértil. Ainda assim a Maçonaria não se defende, pois manifestações de defesa seriam outras sementes neste terreno tão fértil, onde não se cabe semear bons frutos, pois as ervas daninhas já tomaram conta.

  4. Henrique

    eu gostaria de aprender mais sobre a maçonaria [2]

  5. Gustavo N. Rocha Dias

    DD existe a possibilidade de um não iniciado ter acesso aos documentos da Maçonaria relacionados a um parente morto, avô no caso, que era maçom?
    um amigo meu precisa de documentos comprovando que o tal avô era italiano para conseguir dupla nacionalidade, facilitaria sua vida…
    @MDD – ele teria de falar com o pessoal da loja do Avô. Talvez eles tenham cópias dos documentos profanos dele, embora pessoalmente acho que seja difícil terem guardado esse tipo de documento por tanto tempo.

  6. VM

    A Maçonaria é uma ordem admirável. Estudo esoterismo e ocultismo há anos, e sempre caímos em pontos que remetem ao conhecimento maçônico, ou que remetem à própria Maçonaria. Tenho dezoito anos, e muita vontade de me iniciar nesse meio tão nobre e fascinante, de forma a enriquecer meus estudos.
    Infelizmente, conhecer maçons é difícil, e mais ainda é conhecer os que estejam aptos a apadrinhá-lo. Essa dificuldade, embora necessária, é uma faca de dois gumes para alguns que realmente estão aptos aquele caminho rumo ao esclarecimento. Já conheci filhos de maçons, demolays, que o são apenas por tradição/curiosidade, e isso muito me entristece… Nem todos tem a mesma sorte, ainda mais porque sou neto de maçom e meu avô morreu muito jovem, me privando de uma entrada mais fácil no meio… =/

  7. Luizâo

    Caríssimos, não é incoerente chamar de “Ordem Secreta” uma Instituição que todos sabem o endereço, quem são seus membros e o que doutrinam?!? Obrigado
    T.`.F.´.A.´.

  8. João Baptista

    Meus amigos:
    Essa carta da Bolonha, escondida nas informações da maçonaria, especialmente por determinação de um colegiado de Grãos Mestres com o fito suprimir a existência e legalidade da Maçonaria Carbonária, sua velha rival de tempos idos, serviu esse acto obscuro para denegrir a legitimidade dos primos carbonários.
    Ao manterem por longos e longos anos oculta essa informação, os irmãos pedreiros tentaram sepultar a verdadeira sociedade secreta que sempre existiu, conhecida hoje por todos, como Maçonaria Florestal, existente no Brasil anterior à 1800 e que foi a verdadeira responsável pela independência do Brasil, através dos Carbonários José Bonifácio, Joquim do Lêdo e Dom Pedro I.
    De uma cisão havida e intestina da Carbonária, é que nasceuu o Grande Oriente Brazílico e muitos anos mais tarde, uma nova cisão, neste, nasceu o Grande Oriente do Brasil. Mas, todas as fomentações revolucionárias no mundo, foram de cunho carbonário e não dos pedreiros que sempre foram servís ao Rei!
    A carbonária que impera até hoje no Brasil, é a do regime Português, basta verem no site http://www.triplov.com – Venda das Raparigas, e lá está tudo sobre a carbonária no mundo.
    A revolução portuguêsa de 24 de agosto de 1820 (Porto), a independência do Brasil, à 7 de setembro de 1822, a revolução farroupilha de 20 de setembro de 1835, a revolução francêsa de 24 de fevereiro de 1848 e o aniversário da República portuguêsa de 5 de Outubro de 1910, são obras e solenidades dos Francos Maçons Carbonários.
    A trilogia erroneamente apregoada como Liberdade, Igualdade e Fraternidade, na verdade foi encurtada das palavras: “LIBERTÉ, UNITÉ EGALITÉ E FRATERNITÉ!”, cujo símbolo utilizado, era uma balança sustentada por um punhal de dois gumes, tendo a ponta pra cima e sobre essa, a Coroa e a Cabeça separados.
    A constituição francêsa de 1523, deixou claro que a Maçonaria teria de ser sempre revolucionária, anticlerical e anti-monárquica, não se admitindo nobres, clero e sempre admitiu a absoluta liberdade de pensamento, aceitando homens e mulheres de bons costumes na maçonaria francêsa, cuja constituição, de uso e válida para a Carbonária até hoje.
    O Grande Oriente da França, oposto da Grande Loja Unida da Inglaterra, reconheceu definitivamente a presença da mulher em seus templos e lojas. Só os países déspotas, que vive a sua maçonaria sob o manto negro da ignorância, ainda não o fêz.
    A maçonaria brasileira, é conhecida no exterior como perversa e traiçoeira, cujos irmãos brigam entre si, por pedaços de territórios, rivlizando-se constantemente e negando assento a irmãos visitantes que não sejam da mesma Obediência maçônica ou, ainda, que não esteja associada essa, ao clube COMAB, COMUB e outras tantas baboseiras desnecessárias, mas que servem apenas para acomodar os seus vaidosos e pavões Grãos Mestres, péssimos exemplos aos seus aprendizes que se criam nas colunas da maçonaria, tão ignorantes quanto o são os seus Mestres.
    E, para finalizar, a maçonaria brasileira sempre pautada pela desinformação aos seus adéptos, ignora por dolo ou má fé, que existem outras maçonarias no mundo e isso é mantido oculto de seus neófitos para que não desperte interesse e curiosidade, a fim de não correr o risco de perder o seu obreiro ou que esse traga para dentro do templo, uma discussão sobre a matéria que seus Mestres ignoram. Tratam-se do grande ramo da árvore da vida, a Maçonaria Florestal, cujo lado espiritual é representado pela madeira e pelo metal. São as Ordens das Fendedeiras (Itália); dos Carpenteres (França); dos Pintores (hoje,fundida na Ordem dos Carpenteres); dos Free Gardners (Escócia, Inglaterra, Itália e Portugal); e por fim, a Ordem dos Ferreiros (Austrália, França, Portugal, Inglaterra, Espanha e Brasil).
    De resto, meus amigos, desejo crer que a maçonaria assim como o templo de Jerusalém, merecem um profundo estudo, pois nessa história em Reis, está o verdadeiro estudo da Construção.
    Maçom, não é Pedreiro!
    Maçom, é Construtor!.
    Salute e Fratellanza, à todos!
    João Baptista.
    @MDD – Ah, meu bom Primo, eu ainda discordo da presença da mulher em alguns ritos. E também discordo da presença de homens em algumas ordens femininas… Por uma questão magística, não de preconceiros ou sexismo. A Carbonária possui um ritual lindíssimo (me contaram… oficialmente não poderia visitar uma venda) e totalmente adaptado tanto aos homens quanto às mulheres. Assim também a rosacruz, o Menphis Misraim, Martinismo e outras. Infelizmente, a Maçonaria é muito rica e poderosa, e riqueza e poder atraem energias densas e pessoas sintonizadas nessas energias… Mas acredito que o correto seja limpar os pavões de dentro para fora, e é o que temos tentado fazer. Graças ao google e às palavras chaves, os maçons que estudam e pesquisam acabam caindo aqui no Blog e vão despertando… pedindo por mudanças… é um trabalho lento, mas acredito que possa ser realizado.

  9. Eder

    Querido Kennyo.
    Pesquisei em sites estrangeiros com a grafia em latim e não achei uma única referência ao código de bolonha, o que me deixou com um pouco de apreensão quanto a veracidade do documento. Poderia nos passar alguma referência para estudo mais aprofundado?
    Agradeço desde já.

    1. Kennyo Ismail

      Kennyo Ismail – Eder, pesquisa a bibliografia maçônica do italiano Eugenio Bonvicini, conforme informado no texto. Uma boa obra é Massoneria Antica. Tem boas ilustrações.

Deixe uma resposta