Não procure o Budismo

Por Reverenda Yvonette Silva Gonçalves

Se você quer milagres, não procure o budismo. O supremo milagre para o budismo é você lavar seu prato depois de comer.

Se você quer curar seu corpo físico, não procure o budismo. O budismo só cura os males de sua mente: ignorância, cólera e desejos desenfreados.

Se você quiser arranjar emprego ou melhorar sua situação financeira, não procure o budismo. Você se decepcionará, pois ele vai lhe falar sobre desapego em relação aos bens materiais. Não confunda, porém, desapego com renúncia.

Se você quer poderes sobrenaturais, não procure o budismo. Para o budismo, o maior poder sobrenatural é o triunfo sobre o egoísmo.

Se você quer triunfar sobre seus inimigos, não procure o budismo. Para o budismo, o único triunfo que conta é o do homem sobre si mesmo.

Se você quer a vida eterna em um paraíso de delícias, não procure o budismo, pois ele matará seu ego aqui e agora.

Se você quer massagear seu ego com poder, fama, elogios e outras vantagens, não procure o budismo. A casa de Buda não é a casa da inflação dos egos.

Se você quer a proteção divina, não procure o budismo. Ele lhe ensinará que você só pode contar consigo mesmo.

Se você quer um caminho para Deus, não procure o budismo. Ele o lançará no vazio.

Se você quer alguém que perdoe suas falhas, deixando-o livre para errar de novo, não procure o budismo, pois ele lhe ensinará a implacável Lei de Causa e Efeito e a necessidade de uma autocrítica consciente e profunda.

Se você quer respostas cômodas e fáceis para suas indagações existenciais, não procure o budismo. Ele aumentará suas dúvidas.

Se você quer uma crença cega, não procure o budismo. Ele o ensinará a pensar com sua própria cabeça.

Se você é dos que acham que a verdade está nas escrituras, não procure o budismo. Ele lhe dirá que o papel é muito útil para limpar o lixo acumulado no intelecto.

Se você quer saber a verdade sobre os discos voadores ou sobre a civilização de Atlântida, não procure o budismo. Ele só revelará a verdade sobre você mesmo.

Se você quer se comunicar com espíritos, não procure o budismo. Ele só pode ensinar você a se comunicar com seu verdadeiro eu.

Se você quer conhecer suas encarnações passadas, não procure o budismo. Ele só pode lhe mostrar sua miséria presente.

Se você quer conhecer o futuro, não procure o budismo. Ele só vai lhe mandar prestar atenção a seus pés, enquanto você anda.

Este post tem 19 comentários

  1. Roberto Müller Sbroglio

    Sincronicidade=movimentar se junto=atacar pelo meio.

  2. Aquiles

    Engraçado, dez anos atrás eu achava isso um máximo, hoje em dia acho muito chato; sem vida, sem paixão, coisas que fazem a vida valer a pena.

    1. seeufosse

      sem ilusões…

    2. Majushri

      Justamente é a ausência de paixões. E por preferir as paixões é que você ainda está no samsara.

  3. Paulo Castro

    Texto fantástico!

  4. danilooo

    e por isso e outras que consigo ver mais verdade no budismo no que nas outras doutrinas.

  5. Ledoyster

    Sensacional!
    Desde que comecei a estudar e praticar o budismo, o que me levou a abandonar vários condicionamentos trazidos por uma sociedade judaico-cristã, tenho me sentido mais livre. Porém, de fato, rola um vazio maior mesmo, um certo buraco. Isso passa? Isso cessa?

    1. Crítico^^

      Olá Ledoyster, sim, isso cessa.
      Você veio de uma religião onde tinha um Pai, um Deus com quem pudesse contar e colocar seu destino. Já no budismo, está só, por mais que tenha milhões de amigos e uma grande família, o seu caminho no budismo será solitário, onde seu destino está em suas mãos e no que fizer dele, descobrindo a paz interior, o ânimo e os reinos interiores.

      Portanto, para fazer parar este sentimento de vazio, que foi causada pela dependência de um Deus, você terá que afirmar 3 coisas a si mesmo:
      1 – sou um completo egoísta e malicioso;
      2 – quando morrer, serei colocado em um caixão escuro e lacrado, onde nunca mais vou sair de lá; e
      3 – eu só tenho uma chance;

      Isso vai fazer com que faça você meditar, e muito sobre tudo e principalmente sobre estas 3 afirmações. Dependendo da pessoa, essa meditação pode durar 1 mês, 6 mêses, 3 anos, 20…e quando quando terminar esta meditação sem mentir para si mesmo, será uma pessoa desperta e iluminada.

      Você vai fazer coisas tão maravilhosas, que nunca tinha pensado que consiguiria fazer isso em vida, entre os selos que você vai descobrir.
      Abraços e uma boa jornada. uma dica: seja bem aventurado.

      Obs:( sim, é muito ruim afirmar para si mesmo estas 3 coisas, e é ai onde está a chave, por mais que vc tenha 20% de verdade consigo destas afirmações, vc fará o máximo para mudar isso.)

      1. Toni

        O Texto que resultou em várias resposta é exelente e a sua resposta também. Não tinha parado para meditar sobre estas três afirmações, mas farei apartir de agora. Namaste!

  6. Flávio

    Quanta sabedoria!!!

    A natureza do Nirvana está associado plenamente com o fim do ego e o não-sofrimento.
    Queria eu entender como é viver plenamente cada segundo da existência com consciência total. Quão pleno poderia ser…
    Não procuremos o budismo, suas práticas e ideias por querer algo dele, mas por reconhecer nele um espelho para nossas Verdadeiras Vontades, aquelas que não se confundem por Maia e não se projetam na roda das infinitas existências. Mas que nos levam a um estado de conexão com o Todo, na não-dualidade Somos Todos Um.
    Belíssimo texto!!!
    Sem comentários.

  7. Crítico^^

    Achei legal pá e talz, mas não sejamos hipócritas;
    A singela cosmovisão do budismo não reflete a
    mera projeção do escritor, em outras palavras;
    Não se pode explicar o budismo, muito menos
    tentar definir seu contraste, o budismo é, assim
    sendo, todo budista é.

    Obs: O que são pra uns, os atributos citados no texto,
    podem não ser para outros; relatividade.
    Em suma, não se pode falar para procurar ou não o budismo,
    o budismo não é uma coisa ou lugar que pode ser encontrado.

    Está pegando o caminho mais longo, seu tolinho hahaha ^^
    Abraços

  8. plaz

    Um espetáculo de texto …lindo e profundo como o budismo sem tirar e nem por …

  9. Giordano Bruno

    Na minha opinião a palavra vazio não é das melhores para traduzir conceitos orientais. Mas, pela ótica ocidental, acredito que exista um processo de esvaziamento (necessário para se libertar dos entraves e ilusões) que provavelmente é comum em todo caminho cujo vértice é para dentro e não para fora. No fim esse vazio será preenchido por algo grandioso, e esse temor, esse desamparo, cessarão.

  10. Gabriel

    Descordo do texto. Não sou budista, não conheço sua filosofia, mas tenho a consciência para saber que toda Doutrina tem suas falhas, e deve ser analisada com mente aberta e consciência apurada… Tem coisas da doutrina budista que deve ser vista não ao pé da letra, mas modificada de acordo com nossa atual realidade.
    Quer exemplos?

    “Se você quiser arranjar emprego ou melhorar sua situação financeira, não procure o budismo. Você se decepcionará, pois ele vai lhe falar sobre desapego em relação aos bens materiais. Não confunda, porém, desapego com renúncia.”

    Se voce quer arrumar um emprego, compre um livro, vá atrás do seu emprego dos sonhos e trabalhe. Desapego aqui é tirar do foco principal o dinheiro, mas claro que é importante, afinal vivemos na realidade física.

    “Se você quer milagres, não procure o budismo. O supremo milagre para o budismo é você lavar seu prato depois de comer.”

    Uma das piores afirmações já feitas. Buda mesmo dizia: “Fazer o bem, abster-se do mal e limpar seus pensamentos, são os mandamentos de todo iluminado.” Dizia também que milagres, como a cura: “O segredo da saúde,mental e corporal,está em não se lamentar pelo passado,não se preocupar com o futuro,nem se adiantar aos problemas,mas,viver sabia e seriamente o presente.”

    “Se você quer a vida eterna em um paraíso de delícias, não procure o budismo, pois ele matará seu ego aqui e agora.”

    Bom, se você acredita que existe um paraíso facilmente acessível depois daqui, se você acredita que a lei da ação e reação não existe, então de fato concorde com esta frase. Mas…

    “Se você quer conhecer o futuro, não procure o budismo. Ele só vai lhe mandar prestar atenção a seus pés, enquanto você anda.”

    Quer coisa melhor do que viver no presente? Viver no passado ou viver sonhando com o futuro drena nossa vida… faz ela passar diante dos nossos olhos. Buda mesmo disse sobre isso nessa frase (que é a mesma da já postada acima: “O segredo da saúde,mental e corporal,está em não se lamentar pelo passado,não se preocupar com o futuro,nem se adiantar aos problemas,mas,viver sabia e seriamente o presente.”

    “Se você quer se comunicar com espíritos, não procure o budismo. Ele só pode ensinar você a se comunicar com seu verdadeiro eu.”

    Quer se comunicar com os espíritos? De fato não procure o budismo. Pratique técnicas de viagem astral, clarevidência, clariaudiência. Mas cai entre nós; quem tem o domínio de si mesmo, quem conhece seu verdadeiro eu, atingiu um estado muito alto de consciência, podendo se comunicar com espiritos somente com o desejo, um simples relaxamento…

    “Se você quer massagear seu ego com poder, fama, elogios e outras vantagens, não procure o budismo. A casa de Buda não é a casa da inflação dos egos.”

    O que há de errado nisso? Espero que todos compreendam que não levamos nada quando morremos…

    “Se você quer um caminho para Deus, não procure o budismo. Ele o lançará no vazio.”

    Que é Deus, senão tudo? O vazio, o cheio, a natureza…

    1. D'Artagnan

      Cara, e onde vc discorda do texto?

  11. Luis

    Se você não conhece o budismo, conheça.

  12. Caio

    O texto é legal mas tem um Q de religião organizada e dogmas que dá aquela “matada” na profundidade dos significados.Buddha não ergueu uma igreja e muito menos uma religião.O Budismo é muito,muito profundo e tem sua origem nos textos mais “cabulosos” da história humana:Os Vedas.Não dá para sair afirmando coisas….

  13. Flávio

    Por estas e outras que o Budismo e a mais sensata das fés. Pensava assim mesmo quando era um agnóstico cetico…

Deixe uma resposta