Ísis

Ísis

Na continuidade, queremos reproduzir uma oração à deusa egípcia Isis, esposa de Osíris, associada à primeira iniciação, lunar, enquanto seu parceiro se encontra vinculado com a segunda iniciação, solar, e ambos os dois se acham conjugados na terceira e última iniciação, a polar, que faz possível a realização do supracósmico, do não humano. Apuleio a inclui em sua obra “As Metamorfoses” (ou O Asno de Ouro, século II d.C.) onde nos dá notícias de que este antigo mito egípcio sobrevivia incólume na Roma de seu tempo. Esta invocação é pronunciada uma vez que se efetua o descenso aos infernos, onde se percebe diretamente e de modo potencial tudo o que seguirá, do qual este descenso é só uma prova. Lembremos por último a vinculação da deusa Isis com o arcano do Tarot, chamado “A Papisa” ou “A Sacerdotisa”.

“Tu, em verdade santa, perpétua protetora do gênero humano, sempre generosa em favorecer os mortais, Tu tens pelas tribulações dos desafortunados um doce afeto de mãe. Não há um dia, uma noite, nem sequer um pequeno instante que passe, sem que hajas prodigalizado teus benefícios, sem que hajas protegido os homens na terra e no mar, sem ter alongado tua salvadora mão, após afastar os embates da vida. E com essa mão desfazes a inextricável e retorcida urdidura da Fatalidade, aplacas as tempestades da Fortuna e neutralizas a influência funesta dos astros. Veneram-te as divindades do céu, respeitam-te as do inferno; Tu dás o movimento de rotação ao mundo; ao Sol, tua luz; ao mundo, tuas leis, com teus pés pisas o Tártaro. A ti respondem os astros; por ti voltam as estações, alegram-se os deuses, mostram-se dóceis os elementos. A uma indicação tua sopram os ventos, incham-se as nuvens, germinam as sementes, crescem os germes. Temem a tua majestade os pássaros que cruzam os céus, os animais selvagens que vão errantes pelos morros, as serpentes que se ocultam sob terra, os monstros do oceano. Mas eu possuo um pobre talento para cantar teus louvores, e um reduzido patrimônio para oferecer-te dignos sacrifícios; não possuo a facúndia necessária para expressar os sentimentos que me inspira tua majestade; não possuo nem mil bocas, outras tantas línguas, nem um inesgotável manancial de infatigáveis palavras, mas terei sempre diante de minha imaginação, guardando-os no mais recôndito de meu coração, teu rosto divino e teu santíssimo númen.”

Isis é associada ao princípio feminino (e, portanto, vinculada à Terra e à Lua), presente em todas as coisas, e se manifesta com as roupagens da energia passiva, imanente e potencial. Diz-nos Plutarco num dos títulos de seu “Ethika”:

“Isis é, pois, a natureza considerada como mulher e apta para receber toda geração. Este é o sentido em que Platão a chama ‘Nodriza’ e ‘Aquela que a tudo contém’. A maior parte a chama ‘Deusa de infinitos nomes’, porque a divina Razão a conduz a receber toda espécie de formas e aparências. Sente amor inato pelo primeiro princípio, pelo princípio que exerce, sobre todo supremo poder, e que é idêntico ao princípio do bem; deseja-o, persegue-o, fugindo e rejeitando toda participação com o princípio do mal. Ainda que seja tanto para um como para o outro matéria e habitáculo, inclina-se sempre voluntariamente para o melhor princípio; a ele se oferece para que a fecunde, para que semeie em seu seio o que dele emana e o semelhante a ele. Regozija-se ao receber estes germes e treme de alegria quando se sente prenhe e cheia de germes produtores. Efetivamente, toda geração é imagem na matéria da substância fecundante, e a criatura se produz a imitação do ser que lhe deu a vida.”

Este post tem 12 comentários

  1. B...

    Sincronicidade é um negócio louco mesmo… agora pouco pesquisando no Google sobre outras coisas que continham a palavra metarmofose apareceu nos resultados “O Asno de Ouro”, eu nem dei atenção, agora entro aqui e vejo referência a um dos resultados que há pouco ignorei.

    Outra coisa interessante é saber a relação de Isis com o arcano do Tarot da Sarcedotisa, e ainda mais interessante é ver a relação deste arcano com os caminhos da árvore da vida.

    Ai ai… o que tem de coisa pra ler, aprender, vivenciar num é fácil não, mas a sincronicidade (conspiração do universo) ajuda bastante, já que, no caso que contei acima, o livro mencionado neste post já não me tinha nome estranho, demonstrando, mesmo que em escala mto pequena, que o universo também nos “educa” de maneiras que ainda não conseguimos compreender.

    Abraços MDD e boa sorte nesses dias que virão e em todos os outros.

  2. Diego C.

    Lindo texto Tio Marcelo, lindo.

    Graças sejam dadas a Ísis, a Grande Mãe, Grande Sacerdotiza.

  3. Pedro Nascimento

    A oração é muito parecida com a Ave Maria em todos os aspectos. Outra coincidência tio DelDebbio?

  4. Felipe Metal

    As deidades egipcias são realmente maravilhosas… sobretudo as femininas, Ísis e Nuit, minhas preferidas.

    Os posts sobre os Deuses dos mais variados panteões são sempre bem-vindos Marcelo.

    T+! Td d bom!

    http://lobosdaestepe.blogspot.com/

  5. Marcelo
    Obrigado por dividir seu conhecimento conosco nos cursos de Kabbalah e Astrologia Hermética nesta FDS. Aguardo os próximos eventos.
    Mais uma vez, obrigado!

  6. Vinicius Lira

    Seria Isis a maior representação da feminilidade na mitologia egípcia? (poderiamos dizer que, simbolicamente, ela representa isso?)

    Poderíamos fazer uma analogia com Maria, no catolicismo?

  7. Luiz

    Tua oração me fez sair da preguiça e finalmente fazer uma matéria sobre os aspectos curativos da divindade da Ísis : http://www.hiperboriax.blogspot.com
    Coloquei lá também um link aqui pra esse blog, tudo OK?

  8. Ianne

    Linda oraçao. Tio dd, é verdade que o nome ‘genesis’ do primeiro livro da biblia, é uma mistura de gen + isis? o principio, começo + a senhora criadora (Isis). bom, que eu lembre foi algo assim que li.

  9. Val Valiant Thor

    Parabéns Marcelo!
    Muita paz!

  10. Victor

    Em O Poder do Mito, Joseph Campbell relata um trecho do mito de Ísis/Osíris que eu ainda não conhecia.
    “Ísis chega em tempo à Síria, ouve falar da coluna aromática do palácio real e, suspeitando que deve ter relação com Osíris, emprega se como babá do príncipe recém nascido. Bem, a criança mama através do dedo de Ísis afinal, ela é uma deusa e há um limite nisso de se rebaixar para obter alguma coisa. Mas ela se apaixona pela criança e decide conceder lhe imortalidade, colocando a na lareira, para queimar seu corpo mortal, livrando o menino desse peso. Sendo deusa, você sabe, ela podia evitar que o fogo matasse a criança. E, toda noite, enquanto o menino está no fogo, ela se transforma numa andorinha e fica voando, cheia de pesar, ao redor da coluna onde seu esposo está encerrado.”

    Em Sandman #59, na série Entes Queridos, Loki e Puck queimam o corpo do pequeno Daniel, que está preso a um fio de prata. Na edição #65, quando o Coríntio vai resgatá-lo, a ponta da corda que estava atada ao seu corpo ainda está na lareira, mas Daniel estava na outra ponta. Seu corpo físico queimou, deixando apenas o corpo astral.

    Quanta coincidência, né?

    (Parabéns, MDD!)

  11. Lady Hawk

    Oração Forte

    “oh, virgem dos ceus sagrados, mae de nosso redentor,
    que entre as mulheres tens a palma,
    traze alegria a minha alma que geme cheia de dor…
    e vem depor em meus labios palavras de puro amor…
    em nome do deus do mundo e tambem do filho amado,
    onde existe o sumo bem.
    Sê para sempre louvada nesta hora bendita.
    amém.”

    Mae, ajuda-me a compreender que a espera nada mais é que um tempo que nos é dado para nos adaptarmos ao tempo interno das outras pessoas, assim como é dado o mesmo tempo para que as outras pessoas se adaptem a nós.

    Mostre-me, mae amada, que por trás do véu do esquecimento, o que existe é o amor incondicional que emana do seu coracao para o meu coração. E que viver com intensidade não é castigo, mas um treino.

    das coisas que vejo e de tudo o que tenho vivido, mae, sinto que apenas devo confiar.

    porque nao existe o acaso. tudo faz parte de um proposito maior.

    conduza-me em direcao a luz, oh deusa por demais amada, deusa de todos os tempos, porque me cansei de sofrer e de errar…

    eu entrego meu coracao e me rendo a vós.

    Lady Hawk

  12. “O Asno de Ouro” de Apuleio é um classico do paganismo,muito cultuado por bruxos na Idade Media. Cenas de erotismo (pornôgrafia) e magia negra! É dele aquela célebre frase: “Há preço para tudo”. – marcio “osbourne” silva de almeida – joinville/sc

Deixe uma resposta