Introdução à Psiônica: Meditação Focal e Cineses

Meditação Focal

Meditação é fundamental para a prática psiônica. O controle significativo de suas habilidades psi só virá através da meditação constante e regular.

Existem duas classes principais de meditação: meditação no vazio e meditação focal. Meditação no Vazio é uma supressão prolongada da mente, em que se tenta não ter nenhum pensamento e nenhuma consciência a fim de limpar a mente e abrir-se para um novo entendimento. Meditação Focal é uma profunda concentração da mente, em que se tenta concentrar todo o pensamento e consciência sobre uma única coisa, um objeto ou um conceito.

Para efeitos psiônicos, a meditação focal é a forma de meditação que é de interesse primordial. Psiônica utiliza a meditação focal para ganhar a profundidade interior e auto-controle necessário para alcançar clareza nas capacidades de detecção e controle das habilidades psíquicas.

É plenamente possível realizar um ato psiônico sem qualquer meditação. É ainda possível a realização de um ato psiônico completamente por acidente. Mas qualquer um psion (aquele que treina psiônica) que deseja ganhar o controle consistente e profundo das habilidades psi deve usar a meditação focal para o conseguir.

A meditação focal mais básica é consiste simplesmente em selecionar um objeto e olhar para esse objeto, concentrando todos os seus pensamentos e consciência sobre esse objeto. Qualquer objeto vai servir para isso, ele pode ser tão simples como um ponto na parede ou um ponto desenhado no papel. Os melhores objetos para selecionar são os que ajudam a chamar a sua atenção. Um exemplo de um objeto que faz isso para muitas pessoas é um cristal. No entanto, o melhor objeto de meditação focal em psi parece ser a chama da vela.

Meditação da Vela

O exercício a seguir será descrito em termos de uma chama da vela. Você deve procurar uma vela e fazer isso com uma chama de vela real, como a chama faz um excelente trabalho de tirar sua atenção e prepará-lo para trabalho em psi. Se você é incapaz de fazer isso, substituir a chama na seguinte descrição para o objeto focal de sua escolha.

Pegue uma vela. Em um quarto escuro e silencioso, coloque-a em algum lugar livre da desordem, assim você não se distrai facilmente enquanto medita. Acenda a vela e, em seguida, sente-se confortavelmente a um ou dois metros de distância da vela.

Relaxe o corpo e a mente, tanto quanto possível, e veja a chama da vela. Não forçar seus olhos enquanto se concentra na chama da vela, pois o foco é feito em sua mente e não em seus olhos. Limpar todos os seus pensamentos e concentrá-los apenas na chama. Quando os pensamentos vêm a sua mente, ser passivo para com os seus pensamentos, permitindo-lhes passar sobre você e através de você, mas não reconhecer os pensamentos. Mantenha a totalidade de sua consciência apenas na chama da vela.

Continuar a concentrar-se na chama da vela por cerca de 45-60 minutos consecutivamente. Se você estiver distraído e perder o foco, simplesmente corrija o seu foco e volte a consciência para a chama da vela, continuando a sua prática. Com a prática, a meditação focal se tornará mais fácil, e você será capaz de chegar a estados de meditação profunda muito mais rapidamente.

Meditação Profunda

Depois de meditar com foco total no chama da vela por um tempo, você vai começar a entrar em estados meditativos mais profundos. A meditação focal primeiramente vai levá-lo em direção a um estado de calma e tranquilidade, seguido mais tarde pela obtenção de um foco mais profundo. Quando o foco se torna mais completo e você entra em estados mais profundos de meditação, você vai começar a sentir formigamento, zumbido, ou sensação de vibrações, que também será seguido por sentimentos de desapego. Quando estas sensações ocorrem, não se assuste com elas, mas sim aceite essas sensações e receba-as. Permita que aquelas sensações faça-o crescer muito mais enquanto você cai em estados mais profundos de meditação.

Relaxando depois da Meditação

Quando terminar de meditar, você deve retornar gradualmente a um estado normal de espírito. Primeiro comece por relaxar a sua mente, para que outros pensamentos possam entrar. Então você deve calma e lentamente inspirar e expirar, de modo a quando você inspirar a sua consciência voltará para dentro, e quando expirar leve sua consciência para fora, colocando qualquer excesso de energia em você para o chão. Quando terminar de inspirar e expirar algumas vezes, volte sua atenção para o seu ambiente normal e volte ao seu dia.

Benefícios adicionais da Meditação Focal

Psions usam a meditação focal para aprender o domínio de psi, mas os benefícios da meditação focal pode fluir durante a maior parte da vida da Psion. A prática regular da meditação focal produz maior foco mental em outras atividades cognitivas. Ele também ensina uma maior disciplina mental e auto-controle diante das lutas diárias. Meditação traz uma profundidade focal de confiança e de conscientização sobre si mesmo, o que aumenta a interação com os outros. E, finalmente, a meditação focal é o começo da filosofia psi, mudar algo no mundo externo começa sempre por mudar algo dentro de si mesmo.

 Cineses
O seguinte artigo pressupõe que você leu e entendeu o artigo Meditação Focal, e que você praticou com sucesso, atingindo estados de meditação profunda.

Cinese é a categoria de habilidades psi que envolvem fazer uma mudança no mundo físico. Isso inclui mudanças “diretas”, como fazer um objeto se mover, e inclui efeitos “indiretos”, como curar alguém, onde o efeito é provocado, sem especificar o mecanismo direto.

“Cinese” (ou “kinesis”) é a palavra usada para descrever a verdadeira causa de tal efeito, e “Cinético” para descrever aquele que está utilizando Cinese.

Existem muitas palavras que foram criadas para tentar descrever Cinese. Uma delas é “macropsicocinese”, aquilo que causa uma alteração directa, e “micropsicocinese”, o que causa uma alteração indirecta. Outro conjunto de termos, mais ilimitado, é formado pelas tentativas de categorizar Cinese pelo alvo sobre o qual está sendo formado. Este conjunto inclui termos como “biocinese”, para a realização de cinese sobre os organismos vivos, e “pirocinese”, para a realização de cinese sobre fogo. No entanto, cada um desses conjuntos de classificações é completamente desnecessária. A escolha do alvo para cinese não tem nenhum efeito sobre a forma como ele é, na verdade, “cinetizado”.

A classificação de Cinese por tipo de alteração ou mudança (direta ou indireta) tanto é algo fundamental para como a Cinese é realizada quanto é também um tanto desnecessária, tal como a um nível fundamental, toda Cinese é realizada da mesma maneira. Mas pode ser conceitualmente mais fácil de aprender e falar sobre Cinese em termos de Cinese Direta ou Indireta.

O Papel da Alma nas Cineses

Há muitas pessoas que se sentem desconfortáveis com a ideia da alma desempenhando um papel na Psiônica. Para essas pessoas, a alma é uma ideia científica, ou uma ideia que está culturalmente associada a ideias religiosas que eles preferem evitar. Os preocupados com as implicações científicas de uma alma invocam frequentemente descrições físicas de Psi que estão diretamente contraditadas pela evidência e experiência de Psi. Os preocupados com suas associações religiosas ou espirituais muitas vezes criam condições mais complicadas para evitar nomeá-la diretamente, como “o eu não físico” ou “a expressão da vontade interna”.

Mas, apesar dessas preocupações e independentemente de renomeação, a Alma é a parte central do eu que é a única parte de nós mesmos capaz de realizar Psi e que faz todo Psi. O termo ”alma” aqui utilizado é entendido como a parte de nós que executa Psi, que se separa do corpo durante experiências fora do corpo, e que continua a existir depois da morte do corpo físico. A frase “será”, no sentido de realizar psi é essencialmente a expressão da ação da alma. A expressão “auto-consciência”, no sentido de Psi refere-se à consciência da alma.

Cinese pode ser realizada e pode ocorrer sem qualquer consciência da alma. Ela pode até mesmo ocorrer sem consciência de que nada está sendo realizado. Mas, nestas condições, a confiabilidade e precisão será tipicamente muito baixa, e a capacidade de desenvolver as tarefas mais complicadas será restrita. Por isso, é essencial para o progresso na Cinese e na Psi que a consciência da alma seja desenvolvida.

A Meditação Focal é um componente valioso de Psi porque a alma é a parte de você que é revelada quando não há consciência de pensamento. A alma é o “você sob o cérebro”. A verdadeira consciência da alma e da compreensão da alma é o melhor obtida através da experiência, e isso é melhor obtido através da meditação e prática de psi. Praticar Meditação Focal vai abrir a porta que lhe permitirá um contato mais direto com a sua alma. Então praticando Cinese pela expressão da alma lhe permitirá ganhar uma consciência experiencial e compreensão de onde e o que a alma realmente é.

Executando Cineses

O procedimento para a realização de Cinese controlada é essencialmente o mesmo para todo o resultado desejado de Cinese.

O primeiro passo deve ser sempre realizar a Meditação Focal, pois isso coloca você no estado mental adequado para exercer o controle focalizado. Quando você está em um estado de meditação profunda, saia do meio objetivo e foque-se em sua alma.

Suas intenções devem estar unica e exclusivamente voltadas para o objeto a ser alvo da Cinese, de tal forma que a sua auto-consciência está centrada no objeto alvo. Quando sua alma muda o seu foco de acordo com sua intenção, ela poderá realizar a Cinese.

Em seguida, você deve formular a intenção de que você vai Cinetizar formulando o resultado desejado. Então, finalmente, você energiza e atualiza o resultado em sua alma, de modo que ele ocorra neste exato momento.

Todo ato cinético é um reflexo da alma. É uma expressão do Eu Interior sendo refletida sobre o mundo exterior. Quando você quer que algo ocorra, você deve voltar-se para dentro de si mesmo e mudar a natureza da realidade dentro de si mesmo, de modo que por sua vez isto reflita na realidade. O ato de expectativa profunda e completa que atualiza uma cinese é realizado mudando inicialmente as suas expectativas internas de modo que elas representam uma expectativa de que o comportamento natural do objeto será o de cumprir o resultado de sua intenção.

Aprender como fazer essas mudanças internas através de suas expectativas interiores não é de todo uma tarefa fácil, e para fazê-lo de forma eficaz e consistente requer que você desenvolva a consciência profunda e auto-controle profundo, o que pode ser desenvolvido com a Meditação Focal e prática de Cinese. Esse nível de consciência e auto-controle vai refletir sobre muitas coisas de sua vida, e que também irá capacitá-lo com a capacidade de Cinético com razoável confiabilidade e consistência. Para começar no caminho para o desenvolvimento desta consciência e auto-controle, você pode praticar de forma bastante eficaz de aprender a usar cinese para inclinar a chama da vela.

Controlando a Chama

Aprender a controlar a chama da vela é um exercício prático e perspicaz para aprender os princípios da Cinese. A chama da vela pode fornecer feedback direto e imediato para mostrar quando você está acessando e utilizando com sucesso a sua alma para controlar as chamas.

Comece como você fez antes, limpando sua mente com a Meditação Focal na chama de uma vela. Medite sobre a chama da vela até que tenha chegado a um estado de meditação profunda, onde você pode começar a se tornar consciente de sua alma. Quando você está focado em que parte de você que está presente em profunda meditação, veja a chama da vela com a sua alma de tal forma que você sinta o seu centro de percepção e consciência estar no mesmo local que o chama, como se você fosse realmente a vela. Praticar apenas esta parte do exercício até que você esteja confortável com isso.

Em seguida, visualize a chama da vela estabilizar na posição vertical, sem cintilação, e espere que ela tome e manter esta forma. Sinta a sua alma no local da chama da vela, formando a forma da chama que você está visualizando, e espere que a chama tome esta forma. Este ato de “expectativa” é crítico. Você deve acreditar completamente e esperar que ela vai trabalhar no preciso momento em que você está tentando fazer isso funcionar. Mantenha a chama vertical e estável desta forma por um tempo.

Depois de ter conseguido estabilizar a chama, você deve visualizá-la inclinando para a esquerda. Molde a sua forma com a sua alma, e espere que isto funcione neste momento, assim como você fez antes. Não empurre a chama, mas module a forma e perceba, no fundo, com a expectativa, de que a chama da vela já está tomando a forma. Isto pode ser útil para alcançar dentro de si mesmo e mudar sua expectativa interior para que a forma nova que a chama irá ter  é a forma “natural” que a chama da vela possui, enquanto permanecer relaxado e confiante de que isso já aconteceu.

Depois de um tempo, torne a inclinação da chama à direita da mesma maneira. Primeiramente, incline a chama um pouco em cada sentido, então, conforme sua confiança vai aumentando, incline-a mais e mais para o lado que você escolheu. Quando você tentar inclinar a chama e ela ficar “piscando”, tente estabilizá-la em uma inclinação mais suave e controlada e quando ela estabilizar novamente, conclua a inclinação para o lado escolhido. Continuar praticando isso até que você seja capaz de inclinar a chama longe para cada lado escolhido e mantê-la estável nesse local.

Pode levar algum tempo para se controlar isso, porque pode ser difícil ir a níveis profundos de si mesmo, ganhar consciência de sua alma, dirigi-la, controlar suas expectativas internas ao que deseja e refleti-las sobre a realidade presente. Mas se você praticar com foco profundo e passos graduais, você vai dominar tal prática e isto vai abrir uma janela de conhecimento para o restante da Psiônica.

Texto do Veritas. Traduzido por Jeff Alves.

 Desejo a todos vocês um Feliz Natal (atrasado, né?), Boas Festas e um Próspero Ano Novo!

Este post tem 22 comentários

  1. rafbts

    Há alguns anos, eu pratiquei por alguns minutos um exercício, para que a chama de uma vela aumentasse, sem sucesso, até que quando ela estava quase apagando, com 5 ml de altura, ela chegou a apagar, mas na mesma hora, subiu uma fagulha grossa e ela provocou uma pequena explosão.

    Depois eu fiquei segurando um metal para ele ficar carregado eletricamente, fiquei algum tempo tentando, mas depois como não havia tido resultado eu o larguei. Quando eu o peguei novamente eu levei um choque elétrico. Então eu o larguei novamente e o peguei, e levei outro choque. Depois disso não levei mais choques.

    1. Lucas

      ML= mililitro
      MM= milimetro
      (Não repare a falta de acentos..)

    2. rafbts

      Obs: eu consegui este resultados pois produzo energias de efeitos físicos. Mas por causa disso magos negros colocaram servidores para me emperrar em geral. Na mesma época em que eu tive esses resultados eu falei em uma comunidade de orkut, e então começaram ataques mais diretos. Acho que eles iam me deixar sem conseguir pensar, então começaram barulhos, que impediam que vozes dominassem minha mente quando surgiam, e ao mesmo tempo me fizeram entender sincronicidades e elas também impediam que vozes subconscientes me prejudicassem mais. Agora estou aprendendo a me proteger destes magos, as coisas que eles colocam, mesmo que sejam calombos físicos, eles são destruídos com magia. Uma época eu treinava com mais frequência então só isso já impedia que chegassem, mas depois eu tinha parado e por isso e outras coisas, me emperraram mais, por isso aprendi mais coisas que antes, pois eu não sabia que há tanto tempo já me faziam isso.

  2. L.Gabriel

    Acabei lembrando da cena do Matrix, pois para produzir a mudança física tende muda-la em sua alma.
    -“Você verá que não é a colher que entorta, é você mesmo.”

  3. Francisco

    Entendo o benefício da meditação antes da prática de algumas atividades, como estudo e tal, mas qual a vantagem que a meditação nos trás quando feita depois dessas atividades?

    @Jeff – Refletir/analisar tudo o que ocorreu durante a prática, verificando coisas que antes não haviam sido observadas através da consciência objetiva e obtendo insights sobre esta e as próximas práticas.

  4. Bruno

    Difícil é “ignorar” o cérebro tocando Michel Teló…

  5. wilson

    Já pratico meditação ha 5 anos mas nunca a focal, o que acontece comigo, consigo meditar bem por em media 30 minutos em alta concentração e dai em diante vai cansando o cérebro aos poucos e me perco em devaneios, as vezes fico até uma hora ou mais em boa concentração mas ai me perco, mas nos últimos três anos tive quatro experiencias maravilhosas que foi a saída do corpo consciente que é o meu objetivo principal com a meditação, foi fantástico poder andar livre pelo mundo espiritual,
    Mas outro problema me ocorre quando estou fora do corpo consciente é a falta de objetivo e não ter boa disciplina com os aprendizados que já tenho e que poderiam ser postos em pratica,
    Outro problema é uma grande dificuldade de sair consciente, é díficil eu conseguir, alguém pode me ajudar com informações, Wilson

    @Jeff – Próximo ano provavelmente teremos posts com relação a isto. De qualquer modo, veja o site do Saulo Calderon – http://www.viagemastral.com

    1. wilson

      Eu agradeço a gentileza e o carinho pela resposta, é justamente com as informações do Saulo Calderom que atingi os objetivos até hoje conseguidos, mas vou praticar mais e estudar mais, e obrigado por este sait, é objetivo e cheio de iformações maravilhosas, estou aprendendo muito, grato a todos, Wilsom

  6. Hamilton

    Sou portador de DDA? O Que eu faço? Sofro com falta de atenção pq a parte do meu cérebro responsável por isso não funciona! Como avançarei na magia se o principal instrumento para a pratica dela é justamente a concentração? Alguém ai passa pela mesma situação que eu?

    @Jeff – Em suma, você necessita fazer práticas (concentração, relaxamento, p.e.) para equilibriar os problemas que o DDA te traz. O medicamento (Ritalina, p.e.) vai ajudar nisto.

    1. Shlomo

      Hamilton, fui diagnosticado (psicólogo e psiquiatra) com DDA, embora eu não tenha feito o teste de ressonância (?) oficial. Só avaliações de comportamento.
      No meu caso, melhor descrito como um DDA sem o H (hiperatividade), o que acontece é algo como uma grande inércia para mover a atençao e o foco. Quero dizer, é como colocar em movimento um caminhão grande, enquanto todo mundo tem um carro de passeio 😛 É preciso de muita energia para colocar o caminhão em movimento. E depois muita força para fazê-lo parar.

      Então, eu preciso de muita energia para me focar em algo, e depois, preciso de muita energia para parar de focar em algo. Costumava demorar uns bons 15 ou 30 minutos para conseguir começar a ler um livro, estudar ou responder e-mails, e, depois de começar, nada me fazia parar de ler.

      O que ajuda nesse caso, para evitar o uso de Ritalina (ou de Concerta), é treinar essa mudança de foco. Estipule um tempo máximo para um exercício de foco, e alterne com um exercício de relaxamento. Faz o exercício da vela por 15 minutos, por exemplo. Depois relaxa, mexa os braços, caminhe por outros 5 ou 10 minutos. Volta ao exercícios da vela. Relaxa. Faz um lanche. Volta ao exercício da vela.

      Tu vais ver que o problema em si não tanto focar em uma coisa, mas mudar o foco depois…

  7. Leon

    Adoro esta meditação da vela! As vezes nossa chama interior se confunde como luz primordial do cosmos, mas poderosíssima meditação. Bem, feliz Ano Novo e muito sucesso na vida! Obrigado Jeff.

    @Jeff – Um dos próximos exercícios é justamente este… hehehe

  8. WolfPower

    Bom,se souber inglês,teve há um tempo atrás uma série de pessoas pesquisando sobre esse assunto e fizeram textos muito bons (e infelizmente logo logo sairão do ar) vale realmente a pena dar uma olhada.
    http://psipog.net/

    Falaram,dissecaram,criaram hipóteses e colocaram em pratica.Novamente,recomendo muito a leitura(baixar o arquivo do site e lê-lo em off) pois é uma ótima leitura =D

  9. Regis

    Olá!!! No dia-a-dia, eu geralmente tenho a mente muito dispersa (dispersa no sentido de “viver no mundo da lua”), à exceção de certos trabalhos que me agradam e nos quais foco toda minha concentração (e sou feliz neles fazendo isso!). Entretanto, há certas disciplinas orientais (como algumas artes marciai clássicas) que trabalham com o conceito de “awareness” (que eu entendo como estar conciente de todo o seu redor, tornando-se um com ele). Gostaria de tentar desenvover esse senso, mas o fato de viver no “mundo da lua” no dia-a-dia me prejudica nese intento a ainda tem me causado sofrimento, pois os meus pensamentos, recentemente, devaneiam de uma forma muito negativa. Alguma sugestão? A meditação focal ajudaria, apesar de focar num ponto, no desenvolvimento da “awareness”? No controle dos pensamentos certamente ajuda.

    1. rafbts

      Eu também sou assim, na parte em que os pensamentos devaneiam de uma forma negativa. Creio que isso seja deficit de atenção, talvez com toc. (no meu caso ao menos.)

  10. Bruno

    Estou praticando há duas semanas, e ainda está difícil controlar o ardor nos olhos, e a reação automática de “corrigir” a vista…

  11. Jeferson

    Jeff, você já teve experiência com telecinese ou é apenas um aspirante ainda em treinamento?

    Já viu o vídeo desse cara?

    http://www.youtube.com/user/sergiovandegraaf

    Fico um pouco em dúvida quando o assunto é telecinese. Há muito charlatão por aí.

    Abraços.

  12. Vinicius

    Essa meditação com a vela é a mesma que é pedida na Mono 01 de Átrio da A.’.A.’.. Sempre tive dúvidas sobre qual seria o “pico” desse exercício, o ponto em que, praticando para chegar lá com facilidade, o estudante já poderia se considerar tendo “passado de fase” e podendo ir para a Mono 02. No caso, esse pico seria chegar ao começo da meditação profunda (“formigamento, zumbido, ou sensação de vibrações”)? Seria esse o ponto exato para passar para a Mono 02?

    1. Jeferson

      Este eexercício é recomendado e pode desenvolver várias habilidades, pelo que eu já li.
      Particularmente, o efeito deste exercício sobre mim foi uma abertura do Ajna Chakra.
      A sensação de vibração, o formigamento, um zumbido, e outras sensações, no meu caso, como sentir-se leve também são esperados. Eu ainda, contudo, nem fui para a outra monografia. Quero estar convicto do meu progresso. Você terá que se avaliar pelos outros exercícios, como o de visualização criativa por exemplo. Talvez você pode passar por uma mudança de pensamento, é possível, pois sendo o Ajna um centro de comando, pode ser que alguns aspectos falsos sobre você mesmo caiam por terra, direcionando-a cada vez mais a verdadeira vontade.
      Contudo, digo uma coisa. Ao fazer o exercício, seu foco deverá ser a concentração e nada mais, como proposto no exercício dado pelo Marcelo.

      1. Vinicius

        Jeferson, um dos obstáculos desse exercício, a meu ver, é que entre os pensamentos que podem desviar o foco estão justamente as lembranças das instruções que lemos sobre como fazer o exercício direito. Não tem como prestar atenção apenas na vela com a mente repetindo coisas como “até que só existam você e a vela”, “estado zen”, “de 45 a 60 minutos”.
        De minha parte, o ponto que considero o “pico” que já atingi foram os momentos em que a escuridão da sala pareceu fechar sobre a vela, deixando apenas um círculo em torno da chama (algo como naquelas câmeras fotográficas antigas). Quando acontecia, eu mudava a visão da vela para esse círculo e ele, é claro, se desfazia.
        Isso foi de abril para o meio do ano passado, e desde então não continuei. Recomecei na semana passada e não tenho atingido esse pico ainda. O máximo que consigo é chegar a um ponto em que a escuridão da sala parece se mexer e envolver a vela, embora não seja uma escuridão completa (ela não fecha sobre a vela, e há cantos da sala ainda iluminados). Há sensação de medo quando isso acontece e a excitação, temendo que esse efeito seja interrompido.
        Contudo, sempre desconfiei e hoje sei que isso são apenas efeitos visuais, provavelmente apenas físicos (talvez prejudiciais à vista?), sem querer dizer muita coisa no plano mental/astral. As próprias emoções envolvidas e o fato da mente se ocupar investigando o que acontece em vez de continuar na vela já demonstram isso, além é claro, de que mesmo piscando os olhos, eu poder rapidamente voltar a ter esse efeito, sem precisar me concentrar…
        Da última vez que pratiquei, consegui esse efeito. Na saída, senti uma certa leveza, como se tivesse caído de volta na realidade. Passei a manhã tendo algumas sensações não muito agradáveis também…

        (PS: respondi com um nick antigo, “Pergunte ao IP”, que já fica na memória do blog ou do PC, daí muitas vezes acabo respondendo com o Chrome, acabo respondendo com ele sem prestar atenção. Mas eu sou o Vinicius que fez a pergunta que você respondeu. Se preferir, descarte o primeiro comment e use esse, editando e apagando a observação)

        1. Jeferson

          Cara, nunca percebi isso que você falou.
          Agora que você disse, sim.
          Realmente parece que tudo se fecha na chama da vela. Eu sinto uma leve sensação, como se fosse uma queda. Parece que alguma coisa vem de baixo até na cabeça, como se o não houvesse nada embaixo. Eu acabei reprimindo essa sensação algumas vezes.
          Este exercício da vela é muito interessante mesmo, quanto aos problemas visuais, não saberia dizer se o exercício em si os provoca; mas não falo nada, não sou especialista.

          Notei que este exercício é daquele tipo que você tem que esquecer de tudo mesmo para alcançar sucesso. Costumo relaxar primeiro e me concentrar na vela, e ali fico por um longo período. Em Yoga, este exercício é recomendado para o despertar do Ajna, antes dos outros chakras. Eu acreditei que este seria o pico, mas, errei… Vou ver se falo com o pessoal do conversa entre adeptus e irei sugerir um podcast com o MDD, falando um pouco dos exercícios e como ter certeza de que se alcançou o sucesso neles.

Deixe uma resposta