Aprenda a identificar uma Seita perigosa

A proliferação de seitas ditas mágicas ou místicas no Brasil aumentou muito nos últimos anos, especialmente recrutando dentro do Facebook ou Instagram. Muitas das seitas têm uma origem religiosa pagã ou baseada em ocultismo/magia do caos/thelema gerando confusão e polêmica entre os fiéis para distinguir corretamente se um determinado grupo mantém-se fiel aos ensinamentos ou se pelo contrário distorcem estes ensinamentos e constróem sua própria verdade. Muitos destes grupos causam abusos psicológicos, emocionais e às vezes até abusos físicos/sexuais ligados a estes pretensos “Gurus”, “Mestres”, “Bruxos”, “Sacerdotes” ou “Representantes Gerais”

Mas como identificar estes grupos perigosos?

De acordo com a lista do FBI, pode-se observar os seguintes comportamentos:

1 – O grupo é autoritário em sua estrutura de poder. O líder tem a autoridade suprema. Ele ou ela pode delegar certos poderes em uns poucos subordinados com o propósito de que os membros se adiram aos desejos e ordens do líder. Não há apelação possível fora de seu sistema a outros sistemas de justiça que estejam acima. Por exemplo, se um professor de escola se sente injustamente tratado pelo diretor do colégio, pode se queixar, mas em uma seita o líder sempre tem a última palavra (e única) em todos os assuntos.

2 – Os líderes sectários tendem a ser carismáticos, decididos e dominantes. Eles persuadem seus seguidores a abandonar suas famílias, trabalhos e amizades para seguí-los. O grupo, e não o indivíduo, controla as propriedades de seus seguidores, seu dinheiro, e suas vidas.

3 – Os líderes sectários são messias autoproclamados que presumem ter uma missão especial na vida.

4 – O líder sectário centra a veneração de seus adeptos sobre si mesmo. Sacerdotes, rabinos, ministros, líderes democráticos e de movimentos realmente altruístas dirigem a veneração de seus seguidores para Deus, princípios abstratos, ou o bem comum. Os líderes sectários, ao contrário, propõem a si mesmos como o objetivo do amor, devoção e adesão de seus seguidores.

5 – A seita tende a ser totalitária no controle do comportamento de seus membros. As seitas costumam ditar com grande detalhe como devem vestir-se seus membros, o que comer, quando e onde trabalhar, dormir, tomar banho, assim como o que devem crer, pensar e dizer.

6 – A seita costuma ter uma dupla moral. Por um lado os membros devem ser abertos e honestos com o grupo, e confessar tudo a seus líderes. Por outro, são animados a mentir e manipular aos não-membros. As religiões estabelecidas ensinam seus membros a ser honestos com todo o mundo, e reger-se por uma só moral.

7 – A seita tem dois objetivos básicos; recrutar novos membros e/ou conseguir dinheiro. As religiões estabelecidas e movimentos altruístas podem também recrutar e conseguir dinheiro, mas seu único objetivo não é seu próprio crescimento mas melhorar as vidas de seus membros e semelhantes. As seitas podem presumir-se de fazer contribuições sociais, mas em realidade ficam apenas na presunção, ou em meros gestos. Seus objetivos sempre estarão encaminhados ao recrutamento e fazer dinheiro.

8 – A seita aparenta ser inovadora e exclusiva. O líder afirma romper com a tradição, oferecendo algo novo, e instituindo o único sistema viável de mudança que solucionará os problemas da vida ou do mundo. Enquanto afirma isto, veladamente utiliza a coerção psicológica sobre seus membros para inibir sua capacidade de examinar a validade das presunções do líder e sua seita.

Além destes pontos, podemos apresentar outros critérios, comuns dos sistemas de coerção psicológica. Baseado no modelo de Robert Jay Lifton, consta de oito pontos de reforma do pensamento tal como se usa em uma organização sectária. São os seguintes:

1. CONTROLE DO MEIO
Limitação de todas ou algumas das formas de comunicação com aqueles ao grupo. Livros, revistas, cartas e visitas aos amigos são tabu. “Vem e isole-se”

2. MANIPULAÇÂO MÍSTICA
Converso potencial ao grupo chega a ser convencido além da dúvida do elevado propósito, do destino especial do grupo, através de um profundo encontro/experiência. Por exemplo, através de um suposto milagre ou palavra profética daqueles no grupo.

3. DEMANDA DE PUREZA
Um objetivo explícito do grupo é produzir certa forma de mudança, seja de forma global ou pessoal. “A perfeição só será possível se permanecer no grupo e entregar-se a ele”

4. CULTO DE CONFISSÃO
A pouco saudável pratica de expor-se aos membros do grupo, freqüentemente no contexto de uma reunião pública, admitindo pecados passados e imperfeições, inclusive dúvidas sobre o grupo e pensamentos críticos sobre a integridade dos líderes.

5. CIÊNCIA SAGRADA
A perspectiva do grupo é a verdade absoluta e completamente capaz de explicar TUDO. A doutrina não está sujeita a melhoras ou críticas. A conformidade ABSOLUTA com a doutrina é necessária.

6. CARGA DA LINGUAGEM
Um novo vocabulário emerge no contexto do grupo. Os adeptos ‘pensam’ em parâmetros estreitos e muito abstratos, próprios da doutrina do grupo. A terminologia previne suficientemente o pensamento crítico reforçando uma mentalidade em ‘branco e preto’. Os clichês e respostas preparadas introduzem preconceitos mentais.

7. DOUTRINA SOBRE A PESSOA
A experiência prévia ao grupo e dentro do grupo é interpretada de forma rígida e decisiva por meio da doutrina absoluta, inclusive quando a experiência contradiz a doutrina.

8. DISPENSA DA EXISTÊNCIA
A salvação só é possível dentro do grupo. Aqueles que o abandonem estão condenados.

Qualquer semelhança com militantes de partidos políticos, grupos de DCE de faculdade ou grupos religiosos/místicos não é mera coincidência.

Matéria original publicada na Acidigital.

Este post tem 2 comentários

  1. Christian Rosa

    Del debbio, de coração venho pedir sua ajuda. Você não tem a menor obrigação, mas seria muito grato.

    É um assunto um pouco off topic, mas gostaria muito de ouvir sua opinião pois embora tenha ido em um centro espírita, ninguém soube dar uma resposta. Não é de todo desconexo, pois tenho suspeitas de um médium que está morando comigo, e estou preocupado.

    Ele faz trabalhos em terreiros que, pelos seus textos, parecem casa de entidades do baixo astral. Enfim. Desde que mudou pra cá, uma série de eventos estranhos tem acontecido. Dia desses, um copo quebrou SOZINHO na cozinha sem a menor interferência de ninguém. Coincidente, nesse dia ele falou que havia um espírito na casa, que ele viu de madrugada. Um pouco antes, diz que uma quiumba incorporou em um amigo dele aqui… E esse espírito disse que vivia aqui em casa e estava esperando apenas alguém “de cabeça fraca” para sugar todo o sangue. Enfim, tudo que esse médium diz parece ser orientado para nos colocar medo. Um dia desses, descobriu uma traição que fizeram com ele e disse que quase acendeu uma vela preta numa encruzilhada.

    Insetos que nunca apareceram em casa andam aparecendo, inclusive me atacaram. Dia desses encontrei um BARBEIRO (transmissor da doença de chagas) no quarto do meu amigo e por sorte me livrei do inseto. Perdi objetos de forma inexplicável e que não sei como isso foi ocorrer.

    Ele me passou um banho para tomar, e na inocência o fiz. Desnecessário dizer que a semana seguinte foi péssima. Por sorte, um amigo me passou uma oração da Messiânica e senti meu corpo mais leve e menos tenso… Nessa mesma semana fui a um ritual de Ayahuasca e foi muito estranho e diferente da minha primeira vez. Aliás, ele disse que o banho seria ótimo pro ritual e que queria saber todos os detalhes depois (em um tom claramente maldoso…)

    Como sei que esse garoto usa de rituais para ganhos materiais (inclusive, para um ex companheiro dele), tenho o pé atrás. Inclusive, me veio oferecer mais banhos de descarrego mas recusei e joguei fora, pois não conheço a procedência, nem sei das intenções. Fico com medo pelos meus amigos e por mim mesmo… Mas não quero ser leviano e usá-lo de “bode expiatório.” Mas também não quero ser pasto vivo pra seja lá que ambição esse moleque tem.

    1. Christian Rosa

      Não sei se estou viajando e delirando, mas estou num processo de despertar espiritual e tudo parece muito confuso. Minhas tendências ruins e vícios as vezes parecem se exacerbar mais do que antes e colocar um freio na mudança que quero fazer. Enfim, sei que aqui não é o lugar adequado e estou buscando a Rosa cruz, mas agradeço se puder informar se a impressão negativa sobre o rapaz em questão é apenas delírio ou possui um pé de verdade (ou, mais provável, uma mistura dessas duas coisas… rsrs)

Deixe uma resposta