A Evolução de um Templo Astral

templo-astral

Olá crianças,

Esta semana tivemos pelo menos 30 pessoas adentrando o segundo Atrio do Arcanum Arcanorum e muitos me pediram para dar maiores detalhes sobre como funciona um Templo Astral. O Templo Astral é um dos principais exercícios magísticos de todas as Ordens Iniciáticas, xamânicas, rosacruzes e até mesmo católicas… Por quê? Porque ele é uma construção astral/mental que consegue transformar todo o seu subconsciente em algo consciente e compreensível.

Explico: O Templo Astral de um mago representa sua própria mente, organizada e moldada de uma forma onde os símbolos que ali surgem possam ser interpretados conscientemente pelo nosso cérebro.

De acordo com Yuri Motta, “A construção do Templo Astral é um exercício que é sempre indicado após você dominar a visualização e ter desenvolvido uma boa concentração, fora isso é bom saber dominar um estado de relaxamento, que você pode atingir fazendo respirações controladas ou atingindo o Estado Alpha.

Estando em um local confortável como sua cama ou uma poltrona, você se visualiza em um espaço branco, esse é o papel branco da sua mente, lá você vai construir um o local que vai ser ponto de partida para o seu templo astral inteiro, não existe regra, mas você pode começar com um pequeno quarto e ir colocando as coisas que quiser, por exemplo uma mesa, quadros, plantas e etc. Vai ser o lugar que você faria para ficar uma parte do seu tempo e se não existisse limites na forma que você poderia decorar. Se você é ocultista por exemplo, pode colocar estátuas de deuses, objetos com simbolismo, armas e etc, objetos que só uma pessoa milionária poderia colocar”.

Cada um destes objetos pode e deve ter um simbolismo especial para o mago. Por exemplo, no Xamanismo, somos ensinados a construir nosso “local de meditação” como uma clareira dentro de uma floresta, com uma fogueira no centro e uma grande árvore próxima”. Quando construímos esta cena mental, nosso HOD (a bagagem de formas e conceitos de cada um) molda essa descrição em símbolos que trazem certas correspondências. A primeira coisa que o xamã vai pedir é para você identificar qual tipo de árvore é aquela… e pelo tipo de árvore podemos compreender uma parcela de nossa personalidade; pelo tipo de fogueira, podemos compreender como está nossa Vontade (thelema), pelo estado da mata, nossos limites e assim por diante (existe água próxima? é dia ou noite? há animais? quais? etc…).

O dia em que você está desanimado, sua fogueira está fraca, no dia em que você está se sentindo poderoso, sua fogueira reflete isso (mesmo sem você comandar isso! ela simplesmente muda seguindo o que o seu subconsciente faz da leitura das vibrações e codifica isso em um símbolo que seu consciente pode compreender – no caso, intensidade da fogueira). Ela está espiralada em descontrole? sinal que sua vida espiritual está tumultuada… está pendendo ao ateísmo? ela tende a apagar… você faz as regras quando cria os objetos, e eles reagem à sua vontade de maneira inconsciente…

E cada ponto fixo desta construção fica ancorado em seu subconsciente. Ou seja, se você plantou uma árvore para um relacionamento, por exemplo, quando seu relacionamento vai bem, a árvore estará frondosa e saudável… se estiver ruim, a árvore estará murcha, seca, ou até morta… podem aparecer cupins, ou dar frutos… cabe ao mago estudar simbologia e correspondências para conseguir compreender o que aqueles símbolos significam para ele e, com isso, ampliar sua consciência).

Podem aparecer animais, criaturas, até mesmo monstros em seu templo… objetos podem aparecer quebrados (mesmo que você os conserte cada vez que entrar no Templo, eles teimam em continuar quebrados… isso significa alguma coisa: seu inconsciente lhe mandando uma mensagem através de símbolos!)

E como pode ser esta construção básica? Yuri Motta nos descreve o seguinte:

“Obviamente como o espaço é seu, você pode imaginar imaginar algo completamente diferente como uma praia deserta, ou um castelo nas nuvens.

Por exemplo, uma parte do meu Templo Astral é uma ilha, com uma cabana de madeira bem simples, com uma sala ao lado para meditar, fora dela eu coloquei locais para representarem os 4 elementos, o mar é água, terra uma gruta, vento um penhasco e fogo uma piscina de lava no fundo da terra. Também é possível colocar deuses personificados para conversar ou estátuas desses para oferendar algo, emfim, o limite fica na criatividade”.

Arvore dos SonhosA parte principal do Templo pode conter estátuas protetoras, defesas mentais e gárgulas, algumas Ordens mantém exércitos de servidores astrais construídos pelos próprios membros de prontidão para a defesa do templo astral de cada um deles. Pode-se inclusive montar firmezas e construir locais de poder para os guias e entidades que trabalhem com o médium em um terreiro (uma encruzilhada, uma cachoeira, um mar…) e você verá como facilita o trabalho de conversar com suas entidades nesse local.

Existem diversos motivos para se ter um templo astral, é um lugar onde pode se relaxar a mente e ao mesmo tempo treiná-la, pois a visualização é um exercício também.

Dentro do templo astral, após deixar tudo “firme” chega a parte mais interessante, enquanto você cria e explora esse mundo criado por você, podem aparecer coisas novas com o passar do tempo, muitas vezes símbolos que sua mente cria e você deve desvendar o significado, não podem aparecer apenas objetos, como também seres vivos, como a mente trabalha com símbolos é importante procurar colocar coisas que tenham algum significado para você.

Quanto mais se pratica a construção e criação de um Templo astral, mais se treina visualização e criatividade e maior se torna sua capacidade de moldar pensamentos no Plano Astral. Inclusive, uma das perguntas que mais me fazem é a seguinte: “eu faço parte das ordens X, Y e Z e cada uma tem um Templo astral… devo fazê-los juntos ou separados?” e a resposta é “Junte TUDO. Sua mente deve ser unificada”. Você faz parte da AMORC? tenha um templo da AMORC que possa acessar dentro de seu Templo Astral, e portais que o levem direto ao Colégio Invisível, faz parte da demolay? tenha um Capítulo pronto com todos os paramentos montados; tenha um templo maçônico, um círculo de pedra, as quatro fortalezas elementais do AA, as firmezas de exu, caboclo, preto-velho… tenha seus animais de poder livres para correr na floresta, próximos da cachoeira!

Em níveis mais avançados você pode usar o templo para guardar informações, pode lançar sigilos dentro do templo, realizar rituais. Se conseguir, pode personificar um trauma, medo ou vicio e em uma batalha épica matar esse problema.

growing-library
“Nasceu uma árvore dentro da minha biblioteca. O que isso significa?”

O templo pode ser usado para guardar informações, como uma biblioteca, pode ser utilizado para treinar ações, rituais, treinos esportivos e eventos. Atletas olímpicos costumam repassar suas formas mentalmente dezenas de vezes para cada vez que a executam fisicamente, Tesla construía mecanismos em sua mente e os deixava “funcionando” por semanas. Quando ia examiná-los, sabia exatamente quais peças teriam qualquer gasto e que problemas apresentariam… quando crio jogos de tabuleiro, costumo deixar as regras com seres do templo astral jogando e, quando retorno, eles me mostram eventuais defeitos ou modificações a serem feitas… com a mente treinada, as possibilidades são infinitas!

O treinamento em Qlipoth, em NOX passa necessariamente por ter um Templo Astral desenvolvido e as defesas prontas para se trabalhar seus próprios monstros e demônios internos. É necessário ter todas as defesas, armas, armaduras e preparos mentais e astrais para se poder solidificar um demônio interno e dominá-lo… caso contrário, seus defeitos irão dominar você.

É importante esse exercício ser feito com frequência e diariamente para ter bons resultados, você pode fazer também toda noite antes de dormir.

E não se preocupe com o tamanho dele… como costumo brincar: não se paga IPTU no Astral. Facilita bastante desenhar, moldar, construir ou até, se você tiver facilidade com arquitetura, desenhar a planta básica em CAD ou outro Sketch.

Este post tem 6 comentários

  1. Del Debbio, uma questão:

    Você diz, amiúde, que a visualização é algo que se desenvolve com o treino. Contudo, tenho muita, mas muita dificuldade com isto. Apelando para o conceito de inteligências múltiplas, será que habilidades diferentes poderiam substitui-la, ao menos no começo? Por exemplo, sou poeta e acho mais fácil criar uma série de sonetos sobre o meu Templo Astral, do que visualizá-lo. Ao repetir um soneto em voz alta, como um mantra, consigo até ver a sua imagem. Seria válido?

    @MDD – Com certeza sim. Pode ser música, poemas, esculturas, o que facilitar sua conexão com o Templo.

  2. Felipe S.D:.

    MDD, vc poderia indicar livros e materiais sobre simbologia indicados pra entender melhor o templo? Desde o átrio meu templo vem mudando muito e coisas estranhas já aconteceram, teve uma época onde fui constantemente atacado por seres que invadiam minhas terras (exército de trolls, sombras estranhas), como tbm já fui bastante atacado pelos meus animais de poder. Sem dúvida isso ocorria mais fortemente em uma fase “densa” da minha vida, um pouco distante dos estudos espirituais e com muitos problemas…hoje mesmo consagrando objetos e carta do tarot no caminho de PEH, fui violentamente atacado pelo meu animal de poder (uma cobra negra gigante), e labaredas de fogo me consumiam enquanto jazia em sangue.. porém associei com as forças do caminho de PEH, e ñ diretamente a um ataque….porém sempre que ocorrem ataques costumo realizar o RMP no céu do templo, mostra-se bastante eficaz, porém as vezes preciso realizar por dias seguidos, e qualquer deslize energético na vida diária parece intensificar isso…como disse os ataques já foram mais constantes e fortes, porém ainda ocorrem….ah e meu templo é imenso, foi crescendo, e as vezes descubro coisas que não criei…quando passo muito tempo longe sinto a visualização embaçada, maleável, porem em cerca de 2 semanas praticando, tudo fica mais “sólido”…mas o templo ainda é uma prática que me enche de dúvidas.

  3. rafael

    Se a pessoa plantar uma arvore dentro do templo, representando um relacionamento, não corre o risco da pessoa fazer uma “amarração” se querer?

    @MDD – Não. Se a outra pessoa for embora, a árvore desaparece.

  4. rafael

    No meu caso ja tem uns demonios no meu templo, que surgiram sem eu querer. É melhor eu nem conversar com eles então, né? Ja que não tenho treino em LVX.

  5. Fr. Ivbetep

    “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
    Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.
    Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”

    Mateus 6:19-21

    É tipo isso?

  6. Raphael

    Boa noite Marcelo, é normal sentir o coração disparar durante a visualização do templo astral? Isso sempre acontece comigo mas não entendo o porquê.

Deixe uma resposta