As Formas do Pensamento

Salve Adeptus!

Hoje  vou dar sequência a um tema abordando dentro do Projeto EntreMentes sobre o que na verdade são essas Formas Pensamentos e o que elas influenciam em nosso comportamento, e quais as consequências disso, se é que existe alguma. 

Antes de dar uma visão mais detalhada sobre o assunto, vamos ver do que a forma-pensamento é constituída.
Criações Mentais

A forma-pensamento constitui-se de matéria sutilíssima, embora para alguns seja um produto fantasioso, pois, além de sobrecarregado de substância mental-astralina fortemente vitalizada pelo éter-físico, que se escoa pelo duplo etérico humano, também se impregna da eletricidade e do magnetismo biológico da criatura.

Eletrizando-se no seu curso benéfico ou maléfico, ela atinge o objetivo qual dado criador ou destrutivo, valendo conforme a intenção e o poder de quem a projeta. Assim, entre os sete bilhões de encarnados e o triplo de desencarnados em intercâmbio  incessante através do pensamento à superfície da Terra, a aura do orbe parece o centro de imenso oceano etérico, vaporoso e cintilante, alimentado pelas fabulosas energias que transmitem e refletem as formas-pensamentos dos homens, lembrando verdadeiros cardumes de peixes fantasiosos, coloridos ou pétreos! As mais absurdas e inconcebíveis configurações mentais atritam-se e encorpam-se para projetar-se em várias direções, arrastando inapelavelmente formas semelhantes. É um turbilhão de ondas mentais propagando-se em todos os sentidos e formas-pensamentos entrecruzando-se e buscando pouso incessante na multiplicidade das mentes que compõem a consciência coletiva da humanidade!

Há uma riqueza de cores formosas e fascinantes, porém, que jamais se misturam ou se fundem à massa de tons escuros, repulsivos, irascíveis e pegajosos do submundo mental!

Vendo desta forma parece algo complexo e fantástico não? Mas vamos explanar isso de forma mais comum para todos. Nós seres humanos encarnados quando pensamos  emitimos a imagem mental de nossos pensamentos, que pode ser percebida em nossa tela mental. Se essa imagem mental for repetida constantemente ou se for acompanhada pela vontade de realizar essa ideia, alimenta-se ali com nossas energias uma “matéria” que se compõe no Plano Astral produzindo uma forma viva correspondente a imagem enviada. Nesse momento se perguntamos “nossa, estou criando um ser vivo ao meu lado?” sim, você esta fazendo isso e praticamente todos o fazem de forma até mesmo automáticas. O poder dos pensamentos é enorme assim como vocês viram no post anterior do Jeff Alves (O Alvorecer), o pensamento é algo que movimento nossas vidas físicas e astrais de maneira absurda, trocaria a frase do Tio Ben “Um grande poder traz uma grande responsabilidade” por esta “Um grande pensamento traz uma grande responsabilidade” o que não deixa de ser praticamente a mesma coisa. Dando segmento, a estas formas modeladas pelo nosso pensamento e pela vontade, damos vários nomes, desde forma-pensamento, larvas de pensamento ou elementais.

Esses elementais criados pela menta humana assumem diferentes formas, algumas vezes não ficam sob a influência de seu criador e vivem uma vida efêmera de pouca duração, mas vale dizer que isso depende muito de seu criador, outras vezes, ficam do lado daquele cuja mente os criou, provocando a

repetição da ideia que lhe deu a vida, visto que a repetição desta ideia fortifica-os e dá-lhe mais tempo de vida.

Leadbeater diz em seu livro O Plano Astral a seguinte conclusão:
“Um homem que, por exemplo, acalente demoradamente um desejo, forma para si mesmo uma espécie de companheiro astral que, alimentado constantemente pelo pensamento predominante, pode acompanhá-lo durante anos, ganhando progressivamente força e influência sobre seu criador, e quando o desejo é um desejo de mau caráter, a influências sobre a natureza moral do homem pode vir a ser de desastrosas consequências. Mais fecundos ainda em resultados bons ou maus são os pensamentos do homem acerca do seu semelhante, porque neste caso não é em torno dele que flutuam, mas em torno do objeto do pensamento.
Elemental nocivo no HQ Promethea

Qualquer desejo ou pensamento de felicidade projetado sobre um indivíduo orientará para ele um Elemental artificial amigável. Se o desejo for predominantemente definido, por exemplo, o desejo de melhoras de uma doença, o elemental pairará sobre o doente, para lhe promover o estabelecimento ou afugentar qualquer influência tendente a impedi-lo.

Este trabalho desenvolverá o que pode parecer à primeira vista uma grande porção de inteligência e adaptabilidade, mas realmente não é mais do que uma força que atua segundo a linha de menor resistência – sempre na mesma direção, aproveitando qualquer canal que possa achar, precisamente como água num tanque se precipitará por um tubo aberto, existente entre uma dúzia de fechados, e o esvaziará através dele”.

A partir daí podemos observar a influência causado pelos nossos pensamentos, onde tanto o bem quanto o mal pode se aplicado em si próprio ou em outra pessoa.  Direcionar esses pensamentos de uma forma positiva no torna pessoas melhores e consequentemente com boa saúde e com uma proteção contra pensamentos negativos de outras pessoas sobre você. Como tudo é uma questão de vibração, o elemental só ira conseguir “atacar” o próximo que esta estivar com a “porta aberta”, ou seja, se este também estiver com pensamento negativos, assim também poderá nutrir esse elemental com suas brechas.

Esse assunto podemos ainda estender por muito mais caminhos, por irei encerrar por aqui, quem sabe em uma outra oportunidade, eu não de segmento à isso e possa lhe mostrar como existem influências dos pensamento no contexto sexual e de onde vem os íncubos e súcubos, por enquanto fiquem com água na boca rs.
Namastê _/\_
—————————————————————————————————————

Leia Também:

Igor Teo – Pensamento, entre a neurologia e a psicologia
Raph Arrais – O Pensamento Analógico
Jeff Alves – O Poder do Pensamento
Peterson Danda – O Pensamento Transcedental 

___________________________________________________________________

PH Alves é autor do blog Diário do Adeptu, colunista do Autoconhecimento & Liberdade com a coluna Hinduismo o Místico e o Sagrado, membro do Projeto EntreMentes e apresentador do Podcast Conversa entre Adeptus.

Este post tem 6 comentários

  1. Alagacone

    Muito Obrigado! Ansioso pelo próximo artigo!
    Namastê

  2. Gustavo Telles Jacinto

    Olá! Primeiramente muito Obrigado por este Belo Artigo!

    Durante esta leitura e muitas outras que já fiz no TdC,
    me surgiram duvidas. . .

    É o seguinte, eu sou Mestre de RPG!
    E até mesmo antes de estudar um pouco mais sobre o universo a nossa volta, eu já tinha a ideia de que o mundo criado numa campanha ou aventura de Role Play não é como se fosse de mentira, ele Realmente Existe! Só que dentro da nossa Imaginação (e por que deixaria de ser real só por causa disso.)

    Mas Realmente me Parece que ele pode parecer muito mais “existente” do que eu já imaginava

    Um RPG (O Mundo, os Personagens, os Feitos) quando é jogado,
    Existe no Plano Astral?
    Sendo Assim, os Jogadores Tomariam de Fato a “forma” de seus Personagens no Astral?
    O fato de várias pessoas estarem se concentrando numa unica fantasia, seria uma “egregora” que torna isso deveras mais “concreto”, que fortalece essa “construção” no plano Astral?

    E se sim, Isto Influencia de alguma forma a vida mundana dos jogadores e mestres?

    @ph_mage – Salve Gustavo, o “mundo” que “criamos” dentro do RPG na maioria das vezes são momentos ou até lugares que já passamos, seja em um plano espiritual, seja em uma vida passada, ou seja, um misto de formas e paisagens tudo junto onde ordenamos de forma que fique “fantasioso” dentro jo RPG. Mas o que criamos em um seção na fica de fato plasmado em algum plano o que acontece na maioria dos casos é que o mestre desprende uma grande energia em seu chakra frontal criando as cenas através da força da imaginação, e como todos os players então também ligados nesta energia, todos acabam fazendo um grande e magnifico exercício de visualização, entrando em comunhão como o mestre e ajudando a “criar” aquelas cenas e por consequência visualizarem juntos praticamente as mesmas coisas. O que acontece com o jogador dentro do jogo com relação ao personagem é simplesmente um processo de interpretação e nada mais, o que pode acontecer é algum bloqueia psicológico do jogador ser liberto e isso mudar sua vida cotidiana, nas não por conta da imaginação e sim de todo o processo que o RPG traz, assim como no teatro ou no cinema. É possível que vá muito mais longe esse tema e que aconteça muita mais coisas…porém até onde sei é isso que está girando em torno de nós mestres e players de RPG 🙂

    Namastê _/\_

  3. Parabéns. Na medida do possível, para um assunto tão “sutil”, seu texto está bem claro e esclarecedor.
    Vai aqui meu voto para que você dê continuidade na explanação, conforme sugerido em seu último parágrafo.

    Pax et Lux!

    @ph_mage – Salve irmão, fico muito grato, vou dar continuidade sobre o próximo assunto sim…pode deixar 🙂
    Abraços fraternos
    Namastê _/\_

  4. Thiago

    “A forma-pensamento constitui-se de matéria sutilíssima, embora para alguns seja um produto fantasioso, pois, além de sobrecarregado de substância mental-astralina fortemente vitalizada pelo éter-físico, que se escoa pelo duplo etérico humano, também se impregna da eletricidade e do magnetismo biológico da criatura.”

    Sobre este trecho específico: Essas afirmações sobre forma-pensamento, como o fato de que ela se impregna de eletricidade e de magnetismo biológico, você obteve aonde? Você leu e um livro e achou que era verdade? Você tem alguma experiência para afirmar isso, algum indício? Existe alguma maneira de se comprovar isso? Se não há nenhuma maneira de falsear essas afirmativas, creio que estamos falando de dragões invisíveis na garagem…

  5. Juliano.

    Muito obrigado pelo texto PH Alves.

    Entendo agora um pouco melhor o que acontecia comigo, como quando fiquei quase 1 ano pensando em trocar de carro, fazia planilhas, pesquisava, etc e me sentia exausto.
    Recentemente, me senti assim também com a compra de um novo celular, após ser assaltado. Depois de 1 semana vendo especificações, comprei logo para que esse pensamento fosse embora.
    Lendo o texto entendi que para que essas forma-pensamento cessem, temos apenas que deixar de pensar nelas, é isso mesmo?

    E fico no aguardo da continuação do texto, pensamentos de contexto sexual são um grande problema para mim.

    Novamente obrigado,
    Juliano.

    @ph_mage – Salve irmão, realmente estamos sempre sujeitos a criar formas-pensamentos, é uma condicional do ser humano, mas com muita disciplina é possivel cessar algumas delas com toda certeza e a forma é exatamente essa que você descreveu…temos que “parar” de alimenta-las, mas estamos aqui para nós autoconhecer e nada melhor do que analisar tudo isso 🙂

    Namastê _/\_

  6. Júnior Pires

    – Cara, essa parada me lembrou muito aquela tal de mini série, a mulher invisível – acho que é isso -, haha.

    anyway, gostaria de agradecê-lo pelo trabalho que você está fazendo aqui, cara. sinceramente, minha vida tem mudado muito desde que eu comecei a ler coisas daqui. vlw, paz e tranquilidade.

Deixe uma resposta