A Psicologia das Plantas

Quando eu estava na faculdade de psicologia, ainda como aluno de graduação, nós dizíamos aos colegas como brincadeira que nos especializaríamos em áreas pouco comuns da ciência psicológica. Alguém dizia que se dedicaria…

Continuar lendo A Psicologia das Plantas

A terra do espantalho crucificado

Clique no Banner para conhecer o Blog Textos para Reflexão

Dizem que os cruzados queriam retomar a Terra Santa, pela força das armas, em honra ao seu Deus. Mas nem todos seguiram até Jerusalém armados – houve crianças que se dispuseram a libertar sua terra sacra pela força da inocência…

Não se deve subestimar os mitos – os fatos do espírito encenados no mundo. Por vezes, a encenação se torna uma tanto quanto real ou, pelo menos, o tanto quanto é possível “ser real” além da realidade da mente.

Ensinaram a essas crianças os mitos errados. As que não morreram de fome, sede ou doenças pelo caminho, naufragaram no Mediterrâneo ou foram vendidas como escravos por vendilhões pouco entusiasmados com a sua mitologia.

Faz tempo que o homem busca a Deus, seu Reino, ou alguma “santa terra” pelo horizonte… Antes de Maomé, os árabes já circundavam a Ka’bah de Meca. O deus daquela pedra é ainda mais antigo que Allah. De fato, desde a pré-história, toda pedra posta de pé representava algum deus. Desde El Shadai (“o deus da montanha”) até o monólito de 2001 – tudo isso são símbolos que tentam dar conta de falar do que não pode ser dito.

(mais…)

Continuar lendo A terra do espantalho crucificado

Esquecimento de Vidas Passadas

Um dos grandes “vilões” da teoria da reencarnação é o esquecimento. Muita gente pergunta “se esse negócio existe, por que não lembro de nadinha das vidas passadas?” ou “Como vou pagar um karma se eu não lembro do que fiz?”.
(mais…)

Continuar lendo Esquecimento de Vidas Passadas

O Profeta: uma nova tradução

Clique no Banner para conhecer o Blog Textos para Reflexão

O Profeta - Com ilustrações de Gibran

Trecho selecionado de “O Profeta”, a obra prima de Gibran Khalil Gibran, traduzida do original em inglês por Rafael Arrais.

Esta edição digital também incluí uma seleção de ilustrações do próprio Gibran.

Disponível para Amazon Kindle e Kobo

 

E UM POETA lhe disse, “nos fale da Beleza”.
E ele respondeu:
“Onde deverão buscar a beleza, e como a poderão encontrar, a menos que ela mesma seja o seu caminho e o seu guia?
E como poderão falar acerca dela, a menos que ela mesma seja a tecelã de suas palavras?

Os feridos e os ofendidos dizem, “A beleza é amável e gentil.
Como uma jovem mãe, um tanto encabulada em sua própria glória, ela caminha entre nós”.
E os apaixonados dizem, “Não, a beleza é uma força terrível e poderosa.
Como uma tempestade, ela sacode a terra abaixo e os céus acima”.

Os cansados e os gastos dizem, “A beleza é um sussurro suave.
Ela nos fala em nosso próprio espírito.
Sua voz cede aos nossos silêncios como uma luz tênue que tremula por temor da sombra”.
Mas os desassossegados dizem, “Nós ouvimos os seus gritos ecoando pelas montanhas,
E com eles vinham o som dos cascos dos cavalos, o bater das asas das aves e o rugido dos leões”.

À noite, os guardas da cidade dizem, “A beleza surgirá do leste com a alvorada”.
E ao meio-dia, os trabalhadores e os caminhantes dizem, “Nós a temos visto se inclinando sobre a terra, das janelas do poente”.

No inverno, os que estão presos na neve dizem, “Ela chegará junto com a primavera, pulando sobre as colinas”.
E no calor do verão os que fazem a colheita dizem, “Nós a vimos dançar com as folhas do outono, e havia flocos de neve entre seus cabelos”.

(mais…)

Continuar lendo O Profeta: uma nova tradução

A ponte em reforma

Clique no Banner para conhecer o Blog Textos para Reflexão

» Parte final da série “Para ser um médium” ver a introdução | ver parte 1 | ver parte 2 | ver parte 3 | ver parte 4

Segundo a falsa ideia de que não é possível reformar a sua própria natureza, o homem se julga dispensado de empregar esforços para se corrigir dos defeitos em que de boa-vontade se compraz, ou que exigiriam muita perseverança para serem extirpados. É assim, por exemplo, que o indivíduo, propenso a raiva, quase sempre se desculpa com o seu temperamento. Em vez de se confessar culpado, culpa seu organismo, acusando a Deus por suas próprias faltas. (Hahnemann em O evangelho segundo o espiritismo) [1]

Para ser um médium é preciso abandonar o que fomos, e nos preparar, sem medos ou falsas expectativas, para o que viremos a ser – novos homens e mulheres forjados no único fogo que queima sem se ver, e arde pela eternidade.

Para ser um médium é preciso reconhecer nossa própria alma, tomar posse, mergulhar profundo dentro de nós mesmos, pois que só assim nos conheceremos em verdade. Manuais de natação e mergulho podem ser importantes, mas há algo que são incapazes de nos ensinar – somente mergulhando, sem medos ou dúvidas improdutivas, é que saberemos. O grande poeta português já nos alertou:

Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu. [2]

(mais…)

Continuar lendo A ponte em reforma

Universo e nada mais

O termo “Filosofia Univérsica” foi cunhado pelo filósofo brasileiro Huberto Rohden, e nada mais é que uma forma latinizada do termo grego Filosofia Cósmica. A palavra de origem grega kosmos foi convertida no latim para universum, de unus mais versus, grosso modo, significa “um em diversos”. E a partir deste significado é que foi concebido o paradigma orientador desta corrente filosófica: o princípio de “unidade na diversidade”.

Para entendermos esse princípio, faremos uma viagem no tempo para o ano aproximado de 585 a.C. Numa antiga colônia grega chamada Mileto vivia um dos sete sábios da Grécia, o fundador da escola Jônica, conhecido por Tales. Esse professor maluco ensinava em sua escola que “a água é a origem e a matriz de todas as coisas”, evidentemente nem todos o levavam a sério, inclusive seus discípulos, mas ele não ligava, afinal, ninguém era obrigado a pensar como ele.

(mais…)

Continuar lendo Universo e nada mais

As Sete Consonâncias

Excelente texto enviado pelo músico Alvaro Coutinho

Astrologia e música são dois estudos que aparentam ser bem diferentes, afinal de contas, que relação há entre os astros celestiais e uma orquestra? Estranhamente, a correlação entre essas duas matérias sempre existiu, o que é de certa forma bem conveniente, ambas tratam de assuntos que sempre influenciaram o subconsciente do homem. A fascinação de uma pessoa ao olhar o céu estrelado pode se comparar a alguém escutando a Nona Sinfonia pela primeira vez.

Continuar lendo As Sete Consonâncias

Essência do “Calar”

Texto escrito originalmente por Norma Villares

Créditos da imagem: mybittersweetness
Créditos da imagem: mybittersweetness

Há muito momentos em nossa vida que possuímos a força e já temos certeza da escolha do caminho. Pode parecer aos olhos de muitos que estamos querendo muito mais do que somos capazes de conseguir.

Mas uma voz interna diz: – Vá em frente!

Despreze a opinião dos que, nem de longe, compreendem o que você está buscando e galgará mais um degrau que pode levar você à conquistas maiores.

Assim é o caminho espiritual, aquele que possui a força é visto como louco aos olhos dos que não o entendem. Ao usar a força para ajudar o mundo é preciso nunca ser visto.

Esta é a essência do CALAR dos verdadeiros ocultistas.
E a essência de tornar-se INVISÍVEL do xamanismo

(mais…)

Continuar lendo Essência do “Calar”