O Templo Astral é uma das primeiras coisas que um estudioso de ocultismo aprende a fazer, em praticamente qualquer Ordem ou Fraternidade que ingresse. Ele é chamado de Oficina Astral, Sanctum, Templo, Local de Descanso, Santuário e muitos outros nomes.
Trata-se de uma construção no Plano Mental e Astral de um refúgio onde o magista pode descansar a mente, preparar uma viagem astral e guardar suas ferramentas. Trata-se de um local onde ele pode até mesmo realizar rituais se não dispor de espaço físico no Plano Material para tal.

Em primeiro lugar, sente-se em um local confortável, mantenha os pés paralelos, a coluna ereta e as mãos relaxadas sobre as coxas. Relaxe e respire bem devagar e profundamente. Mantenha a Respiração 4-4-4 (significa inspirações de 4 tempos, retenção do ar por 4 tempos e expiração em 4 tempos… por exemplo, se você demora 10 segundos para inspirar, segure o ar 10 segundos e expire o ar em 10 segundos… se demora 6 segundos, segure o ar por 6 segundos e assim por diante) e os olhos fechados.
Quando sentir que está bem relaxado, comece a contar lentamente de dez até zero enquanto visualiza os números no ar. Comece a contar bem devagar enquanto relaxa ainda mais o corpo e a mente.

10… relaxe o couro cabeludo. Imagine sua cabeça ficando mais leve, como se estivesse se dissolvendo em uma névoa azulada. Sinta as terminações nervosas desligando e toda a sua cabeça se soltando
9… faça o mesmo para o pescoço. Relaxe todos os músculos do pescoço, externos e internos. Deixe o pescoço completamente relaxado.
8… relaxe os ombros… solte os ombros e deixe-os caírem. Não exerça nenhuma força sobre eles.
7… relaxe o braço esquerdo. Sinta ele se dissolver e deligar-se
6… faça o mesmo com o braço direito.
5… relaxe o abdômen e a barriga. Neste momento, você deve estar com o torso completamente relaxado de desligado, talvez sinta um leve formigamento ou escute um pequeno zumbido. Sensação de calor no corpo também é razoavelmente comum.
4… relaxe completamente sua perna esquerda.
3… relaxe agora a perna direita.
2… relaxe o pé esquerdo. Sinta todos os ossos do pé desligarem e se fundirem ao cósmico.
1… faça o mesmo com o pé direito.
Zero… relaxe os dedos dos dois pés…

Todo este processo deve demorar aproximadamente um ou dois minutos. Em seguida, você deve imaginar o que seria o seu “Templo Astral”, ou seja, sua base de operações no Astral. Lembre-se que ela pode ser QUALQUER COISA: seu quarto de dormir, uma cabana na floresta, uma sala de um castelo, uma ilha, um quarto de Hogwarts, um hotel, um escritório, uma cobertura com vista para a praia, Stonehenge, uma Pirâmide, uma igreja, um templo maçônico, um campo florido, uma mansão vitoriana, um laboratório, um submarino de pedra, uma fortaleza voadora… enfim, QUALQUER COISA que você idealizar. Não há limites para a sua imaginação. Basta que seja um local onde você se sinta bem.

hogw.jpg

Comece pequeno. Imagine primeiro apenas uma parte deste local, como por exemplo, um quarto. Com o tempo, ele irá ficando maior e mais detalhado em sua mente. Este local só precisa possuir a princípio quatro objetos: Uma cama, uma escrivaninha, uma tela mental (um painel, prancha, quadro branco, lousa ou qualquer outro lugar que você possa projetar imagens) e um local onde você possa beber um pouco de água.

Visualize você mesmo entrando neste Santuário através de um portal. Pelos próximos minutos, imagine você mesmo passeando por este lugar, explore todos os seus sentidos. Imagine o cheiro do local, a textura das paredes, os sons que você escutaria neste lugar, as cores, o movimento. Quanto mais vívido e colorido você conseguir imaginar, melhor. Quanto mais detalhes colocar, melhor; quanto mais você excitar seus sentidos, melhor.

Quando você sentir que explorou o suficiente ou sentir que sua concentração está começando a entrar em devaneios, imagine a si mesmo tomando um copo de água dentro deste local e deite-se na cama que você projetou. Imagine você mesmo relaxando e se preparando para sair deste Templo. Conte lentamente de zero até cinco enquanto acelera a mente. Quando chegar ao número cinco, abra os olhos e retorne ao Plano Material.

Bom… você acaba de criar uma construção astral. Por enquanto, ela será tão efêmera quanto você pensar nela, com a tendência a se dissolver em pouco tempo. Este exercício é repetido pelo número de vezes que você achar necessário. Se souber desenhar ou pintar, faça imagens ou esboços deste local em papel, descreva os objetos que você encontrou lá, os cheiros, as cores…
Se você já é iniciado e possui ferramentas de trabalho mágicas, você pode “leva-las” consigo em sua próxima jornada, criando (ou descobrindo) a forma astral dela dentro do seu Templo. Se souber quais são os seus animais de poder, pode deixa-los no Templo Astral para que patrulhem e protejam sua criação. Quanto mais vezes você fizer e mais você exercitar sua Visualização, mais rápido esta Construção Astral se cristalizará.
É comum que, nas primeiras vezes que vocês façam este exercício, o Templo Astral fique se modificando ou que você não consiga manter uma imagem nítida ou ainda que algumas coisas aconteçam nele sem o seu consentimento (como se ele tivesse uma vontade própria). Isto acontecerá até que você esteja plenamente satisfeito e comece a cristalizar a estrutura, formando um local que mais tarde servirá de base para futuros experimentos e exercícios. Em pouco tempo ele adquirirá uma forma mais estável e “sólida”.
Com o tempo, você levará objetos para lá (espadas, cálices, taças, candelabros, caldeirões, velas, incensários, adagas, pentáculos) e estes objetos permanecerão no astral

Existe um filme chamado “Amor além da Vida” (What Dreams may Come) com o Robin Willians e Anabella Sciorra que trata bem deste assunto. A construção Astral que vocês acabaram de fazer neste exercício é exatamente o mesmo tipo de construção que os Personagens deste filme criam quando morrem, com a diferença que você estará criando seu refúgio a partir de agora.