Interpretação dos Sonhos para Freud e Jung

Sigmund Freud, na primeira das Cinco Lições de Psicanálise, tem como objetivo explicar as perturbações psíquicas e a talking cure, a cura pela conversação, para o público norte-americano quando em ocasião de sua visita aos Estados Unidos. Embora o simples fato de se falar sobre um sintoma ou mesmo descobrir o seu sentido não signifique propriamente a cura, este é um primeiro passo para a questão fundamental: abandonar uma posição onde o sintoma oferece uma satisfação. Mas isto é assunto para outra hora. Comecemos hoje pela base da Interpretação dos Sonhos, livro com que Freud inaugura a Psicanálise, e veremos também qual a opinião de Jung quanto ao mesmo tema.

(mais…)

Continuar lendo Interpretação dos Sonhos para Freud e Jung

Nise da Silveira


O texto a seguir é da minha Irmã Daniele, que pedi para escrever um pouco sobre a história da Drª Nise, cujo trabalho foi reconhecido até por um dos estudiosos mais citados quando os ocultistas procuram uma explicação dos fenômenos místicos, Carl Gustav Jung.

Confesso que ao ser convidada para escrever sobre essa grande mulher, a qual admiro profundamente, fiquei receosa, pois seu legado é tão incrível que em poucos parágrafos não sei se conseguirei passar um pouco da imensidão que ela representa. Quem foi e qual a importância da Drª Nise da Silveira? Esse breve texto não conseguirá abranger a dimensão de sua belíssima trajetória de vida, mas abrirá um horizonte para os novos admiradores dessa guerreira irem em busca de mais informações sobre suas obras.
Uma das maiores brasileiras de todos os tempos, reconhecida internacionalmente e, paradoxalmente, tão desconhecida do grande público de seu país, Nise iluminou muitas vidas que viviam encarceradas na escuridão da psique, como dos reformatórios psiquiátricos do inicio do século XX.
(mais…)

Continuar lendo Nise da Silveira

Sendo Humano


O psicólogo e filósofo William James descreveu a consciência como uma corrente a fluir continuamente, e que o estudo da mesma deveria se dar na experiência real e imediata. Segundo o filósofo John Dewey, a experiência tem um claro caráter de continuidade, um fluxo em movimento e desenvolvimento, de forma que a experiência do sujeito em cada situação serve como instrumento e como fonte de conhecimento para que ele possa lidar com as situações que se seguem. Ambos ficaram conhecidos como representantes da escola filosófica do Pragmatismo, que buscava enfatizar a experiência humana não se constituindo de forma externa ou interna a si mesmo, mas sim na própria interação do organismo com o meio. Dessa maneira, nega-se a existência de uma verdade já dada e externa ao organismo (empirismo) ou que a razão pura possa ser a melhor forma de se apreender a verdade (racionalismo). A verdade emerge da interação do organismo com o meio através da experiência.
(mais…)

Continuar lendo Sendo Humano

Por que discutimos tanto?


Como proclamou o ensaísta francês Michel de Montaigne, “Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade”.

Infelizmente, nem sempre podemos simplesmente expor opiniões ou discutirmos idéias de forma pacífica, pois não raro uma discordância encaminha para uma discussão mais acalorada. Mas afinal, por que isso acontece?

(mais…)

Continuar lendo Por que discutimos tanto?

Após a Caçada

» Parte 2 da série “A ciência da inspiração” ver parte 1

Mente: 1. Conjunto das idéias e convicções de uma pessoa, concepção, imaginação, intelecto; 2. Capacidade de raciocinar ou aprender, inteligência.

Retornemos aproximadamente 200 mil anos no tempo, e observemos uma pequena comunidade de caçadores-coletores nas planícies africanas, berço de todos nós, os humanos. São ainda hominídios, humanos arcaicos, mas já possuem seus módulos mentais relativamente desenvolvidos: a inteligência geral foi herdada das outras espécies das quais evoluíram, e é responsável pelos processos básicos de instinto e sobrevivência; A inteligência naturalista desenvolveu-se ao longo da persistente guerra da fome – o conhecimento do terreno em sua volta, a análise dos rastros de presas livres deixados no solo, o cuidado para evitar plantas venenosas, etc; A inteligência técnica permitiu o manuseio de objetos e até mesmo a elaboração de ferramentas, como pedras pontiagudas que facilitam o corte da carne das presas abatidas; E, finalmente, a inteligência social evoluiu desde que reconheceram que caminhar pelo mundo em bandos era mais seguro do que enfrentar as caçadas sozinho.

(mais…)

Continuar lendo Após a Caçada

Encontrar a Verdadeira Vontade

Quem nunca sonhou em ser um astro do rock ou alguma coisa muito fantástica? Sinto-lhe dizer, mas talvez isso tenha pouca relação com a sua Verdadeira Vontade. Nesse vídeo, vamos dizer como você…

Continuar lendo Encontrar a Verdadeira Vontade

A filosofia da felicidade

Tudo começou com um desafio. Raph Arrais, que vocês conhecem muito bem, me convidou para escrever sobre psicologia e filosofia de um modo que abarcasse tanto o aspecto existencial quanto o sentimental da…

Continuar lendo A filosofia da felicidade

O que as pessoas não falam sobre meditação

Existe um consenso de que a meditação é uma prática saudável, recomendada a qualquer pessoa e com evidências de sua eficácia em promover o bem-estar do praticante. Atualmente, com a popularização da mindfulness (nome científico para a mesma coisa), a meditação começa a ser praticada em consultórios médicos e psicológicos, em escolas, em presídios etc. Os resultados são ótimos: há uma melhora na qualidade de vida, redução de estresse e ansiedade, melhores indicadores de afetos como empatia e a diminuição de respostas violentas a problemas comuns.

Mas será que meditar é tão simples assim?  (mais…)

Continuar lendo O que as pessoas não falam sobre meditação

Drogas e Plantas Alucinógenas na Psicoterapia e Xamanismo [parte 2/5]

Esta é a segunda parte da tradução do artigo “Drogas e Plantas Alucinógenas na Psicoterapia e Xamanismo” de Ralph Metzner, onde veremos um pouco da história do LSD e seu uso terapêutico, além das principais semelhanças entre as experiências psicodélicas. Para ler a primeira parte, clique aqui.

(mais…)

Continuar lendo Drogas e Plantas Alucinógenas na Psicoterapia e Xamanismo [parte 2/5]