O Martinismo e o Movimento Gnóstico

Jules-Stanislas Doinel nasceu em 1842 em Moulins, no Allier. Doinel surge ligado a este assunto por ter sido um personagem essencial de um movimento neocátaro que surgiu no final do século passado em França. A sua carreira de arquivista e paleógrafo iniciou-se nos Archives du Cantal, e posteriormente na Biblioteca de Loiret. Foi nesta última que ele encontrou algo que aparentemente mudou a sua vida: uma carta com a assinatura de um chanceler episcopal, de nome Etienne, que fora queimado em 1022, por heresia.

Talvez se inicie aqui a história da Igreja Gnóstica, pois foi através desta carta que Doinel tomou conhecimento do grupo sectário do qual Etienne fazia parte. Tratava-se de uma seita de popelicanos, da qual faziam parte homens e mulheres de forma indistinta, e que se estabeleceu na diocese de Orleães, no século XI, durante o reinado de Roberto II. Os membros desta seita eram dualistas, ou seja, acreditavam na luta eterna entre as forças do Bem e do Mal.
(mais…)

Continuar lendo O Martinismo e o Movimento Gnóstico

O Mundo das Relações


Existem dois mundos, o mundo exterior e o mundo interior. O primeiro é percebido pelos sentidos de percepção externa, já o segundo só é percebido mediante o sentido de auto-observação interna. Os pensamentos, ideias, emoções, anelos, esperanças, desenganos, etc., são interiores, invisíveis para os sentidos ordinários, comuns e correntes, todavia são mais reais que a mesa de refeições ou as poltronas da sala.
Em nossos mundos internos, neste mundo secreto, amamos, desejamos, suspeitamos, bendizemos, maldizemos, anelamos, sofremos, somos premiados, etc.
Assim como existe um país com seus estados, cidades, internamente também, em um nível psicológico. Nestas cidades, existem áreas mais afastadas onde se encontram agregados psicológicos terríveis, Eus malvados, vilões, reflexo do que existe no mundo externo. Recordemos pois que “Como é em cima é embaixo, como é dentro é fora”.
(mais…)

Continuar lendo O Mundo das Relações

A Máquina Humana

O Homem tem inventado milhares de máquinas complicadas e difíceis, e bem sabe que para servir-se de uma Máquina, precisa-se algumas vezes, de longos anos de estudo e aprendizagem. Porém quando se trata de si mesmo esquece totalmente deste fato, ainda mesmo que seja a dele a máquina mais complicada de todas.

A Máquina Humana não tem liberdade de movimentos, funciona unicamente por múltiplas e variadas influencias e choques exteriores. Pode-se levar esta máquina da alegria a tristeza em segundos, com uma palavra bela, toca-se o orgulho e esta sorri satisfeita, ao ouvir uma palavra que desagrada, como se tivéssemos pressionado um botão vem a tristeza, o desânimo.
Uma Máquina é formada por sistemas, onde cada parte cumpre com uma função especifica, os quais todos estão interligados.
(mais…)

Continuar lendo A Máquina Humana

Pitágoras e Buda, os professores de Jesus

Hoje falaremos sobre os ensinamentos de Yeshua, o Jesus histórico real. Já falamos sobre como, onde e quando ele nasceu, mas o que ele pregava? Quais as lições que ele passou, tão opostas a Roma e ao Vaticano para que sua história tenha sido apagada, distorcida e adulterada dos registros “oficiais”? Para começarmos a entender a maneira como Yeshua e seus apóstolos pensavam, precisaremos retornar cerca de 6 séculos no passado e conhecer o trabalho de outro grande ocultista, Pitágoras. Recomendo que antes de ler este texto você leia estes textos AQUI e AQUI, sobre a vida de Yeshua.

(mais…)

Continuar lendo Pitágoras e Buda, os professores de Jesus

Como assim, Zeus nunca traiu Hera?

Zeus: o homem; a lenda. O Deus mais poderoso de todos os deuses, senhor do Olimpo e chefe do Panteão grego, capaz de fulminar qualquer mortal que desejasse com um raio. Filho do Titã Crono e da deusa Réia, Irmão de Poseidon, Rei dos Mares e de Hades, Rei do Subterrâneo. Assim como Cronos era o deus mais novo dos Titãs, assim Zeus também era o mais novo de todos os deuses olímpicos.
Hoje veremos porque, apesar de inúmeras alegações de adultério, o Zeus original nunca traiu Hera e, mais importante… Como isso explica muita coisa a respeito da história de Jesus Cristo.

(mais…)

Continuar lendo Como assim, Zeus nunca traiu Hera?

Yod-He-Shin-Vav-He e Maria Madalena

Quero avisar que estou acompanhando os comentários, mas que só vou montar um post de respostas depois que as matérias sobre Yeshua terminarem, porque a maioria das perguntas feitas devem ser respondida ao longo dos textos. O que ficar faltando eu faço uma geral depois…
Continuaremos nesta semana a pequena série de matérias sobre Yeshua Ben Yossef, o Jesus, o Cristo, histórico. Como vimos na coluna anterior, Yeshua nunca foi o pobrezinho coitadinho nascido de uma virgem e de um carpinteiro que a Igreja Católica fez as pessoas acreditarem durante a Idade Média, nem nasceu em uma manjedoura porque não havia vagas nos hotéis de Belém por causa do recenseamento e muito menos três reis perdidos no deserto entregavam presentes para qualquer moleque nascido em estábulos que encontrassem pela frente.
Paramos a narrativa quando Yeshua é levado por seus pais para ser educado no Egito; mais precisamente nas Pirâmides do Cairo, e lá permanece estudando. A Bíblia nos dá um hiato de quase 30 anos…
O que aconteceu neste período?

(mais…)

Continuar lendo Yod-He-Shin-Vav-He e Maria Madalena

Bota o Natal na conta do Papa!!!

O Papa diz que Jesus era um pobrezinho, nascido de um carpinteiro e de uma virgem, no meio de uma manjedoura (cocheira), no dia 25 de dezembro do ano um e, neste mesmo dia, três reis magos estavam perambulando pelo deserto quando avistaram uma estrela de Belém, que os guiou até o estábulo. Chegando lá, entregaram a ele incenso, ouro e mirra. Em seguida, por causa da perseguição do rei Herodes, José, Maria e Jesus fogem para o Egito. A vida de Jesus a partir de então até seus trinta anos desapareceu, sem nenhuma explicação plausível…

O que o tio Marcelo tem a dizer sobre isso?

(mais…)

Continuar lendo Bota o Natal na conta do Papa!!!

Mantras de Defesa Psíquica

Todos os dias você entra em contato com uma série de pessoas, pensamentos e energias. Junte-se a isso o pouco contato com Deus e a Natureza que se tem, já que estamos tão atarefados com nosso emprego, problemas, dívidas, diversões profanas etc., além de estar cercados de prédios e cimento por todos os lados. A vida é corrida, de um lado para o outro é um corre-corre sem parar. E, pior ainda, o adormecimento de nossa Consciência é tão grave que não estamos em condição de escolher as energias que penetram em nossa Aura e na mente.

(mais…)

Continuar lendo Mantras de Defesa Psíquica