Sigilos Pessoais na Kabbalah

No mundo profano, as pessoas utilizam um instrumento chamado Assinatura para marcarem documentos e outros papéis importantes com um símbolo que é reconhecido como sendo seu. Contratos, cheques, documentos, certidões e diplomas só são reconhecidos se estiverem assinados, e muitas vezes esta assinatura precisa ter a Firma reconhecida para ter validade.
No Plano Astral existe algo semelhante.

O Uso de Sigilos sempre existiu. Desde os menores elementais aos maiores e mais poderosos anjos e demônios, todos os magos, iniciados, adeptos e leigos, todos os construtos e entidades astrais… todos os seres conscientes possuem a sua marca pessoal astral.

A Goécia
Desde a Antiguidade, magistas utilizam-se destes sigilos para evocar e invocar estes seres. Os mais famosos de todos os sigilos são, sem dúvida, os sigilos conhecidos como Goécios, usados na Idade Média (e nos dias de hoje) para conjurar demônios que servem (ou dominam) os magistas que os evocam.
Estes sigilos de cada um dos 72 demônios deve ser traçado no círculo que será usado na conjuração. É uma maneira de se chamar a entidade para manifestar-se naquele tempo-espaço. O mesmo ocorre com os Anjos Cabalísticos, através das fórmulas enochianas.
Estes círculos de conjuração são chamados de Sigilos (do latim Sigillum, que significa “Selo”). Além das entidades, existem sigilos planetários, astrológicos, alquímicos e cabalísticos. Cada um deles é utilizado para trazer estas energias para o magista.

Os Símbolos
Cada tipo de entidade possui suas particularidades de acordo com aspectos culturais, temporais e sua função. No desenho ao lado, pode-se perceber três tipos de círculos de Invocação:
O primeiro data de aproximadamente 700 DC, e era utilizado por magos islâmicos para invocar os poderosos Djinns, ou os famosos “Gênios da Lâmpada” das lendas. Criaturas capazes de conceder desejos ou causarem grandes problemas.
O segundo é um sigilo goécio, que serve para a evocação de Murmur (Murmux ou Murmus, dependendo para quem você pergunta), um dos 72 demônios da Goécia. A versão ao lado é a de Matthers, de 1904).
O terceiro é o Ponto Riscado de um Exu Capa Preta, utilizado na Umbanda e no Candomblé.
Estes círculos pertencem a entidades diferentes, mas podemos reparar em seus traços, na maneira como são dispostos e nos elementos utilizados (pontas, luas, tridentes, circulos, cruzes), que estas imagens possuem muitas características comuns.

O Sigilo Pessoal
Assim como estas entidades, todos nós também possuímos nossas assinaturas astrais, que é a maneira pela qual estas entidades nos reconhecem. Desenhar um sigilo pessoal é uma tarefa complexa, que deve ser feita somente por alguém que você confie muito dentro da magia. Carregar com você um sigilo errado é tão útil quanto andar por aí com uma chave que não encaixa em lugar nenhum…
Em primeiro lugar, você precisa que um rabino de sua confiança escreva seu nome em hebraico. Em seguida, faz a sigilização de acordo com o método enochiano e, finalmente, alinha os traços do sigilo de acordo com a sua carta natal. Cada sigilo pessoal é único.

Usos do Sigilo Pessoal
Assim como a sua assinatura, o Sigilo Pessoal é utilizado pelo mago para personificar todos os seus objetos mágicos, ferramentas e aparelhos, além de reforçar todo e qualquer tipo de ritual, especialmente se traçados dentro de Círculos de Proteção, do Ritual Menor do Pentagrama, Ritual Maior do Pentagrama, Ritual do Hexagrama, Ritual Rubi Estrela ou Ritual Estrela Safira (O RMP eu vou ensinar aqui na coluna. Os outros eu não posso, mas vocês são espertos e sabem usar o google). Também pode ser traçado dentro da Cruz Cabalística, na cera de velas usadas em rituais ou usado em anéis ou selos.
Ao lado temos um exemplo de amuleto de proteção com sigilo pessoal traçado.

Este post tem um comentário

  1. Yuri Vianna

    Antes de fazer meu sigilo, já visualizava ele em visões e sonhos.
    Utilizei o Google para buscar referências, mas encontrei apenas muita desinformação .

    Existiria alguma obra que pudesse me guiar nesse mundo mágico dos sigilos?

    Saudações

Deixe uma resposta