Satanismo e Luciferianismo

Duas vertentes normalmente confundidas e postas no mesmo patamar, mas com diferenças singulares entre elas, o Satanismo e o Luciferianismo são filosofias irmãs, relacionadas a antigos mitos que foram incorporados pelo Cristianismo.
Primeiro, vejamos o Satanismo. “Ha-Shatan”, do hebraico “O Adversário” é uma figura que podemos sincretizar com qualquer entidade opositora a ordem vigente, ou que flagele de alguma forma a humanidade, de forma não necessariamente maligna, mas com intuito evolutivo.

Supõe-se mesmo que o ser citado na bíblia tenha tido base em algum cargo da época semelhante ao que seria hoje um promotor público, que apontava os crimes do povo ao governante local. A presença de tal entidade na bíblia se limita a isso. Punir, apontar erros e testar pessoas, como testou o “messias” de YHWH. É… nada de maligno nisso.
Antes de surgir o cristianismo/judaísmo ou semelhantes, podemos associar a figura de Ha-Shatan com deidades como Tiamat, (suméria), Fenrir (Nórdico), Apep (egípcio), Shiva (hindu) entre muitos outros. Essa oposição à ordem vigente os tornava “satans”, adversários e acusadores. Tal oposição gerava batalhas, movimento, guerra, caos e consequentemente evolução através das dificuldades proporcionadas. Um papel nobre e imprescindível na criação seja em qual cultura estivermos falando.
Portanto o Satanismo é uma doutrina de quebra de paradigmas (bem como no Tantra da Mão Esquerda) e oposição à ordem dominante. É um caminho onde o adepto testa a si mesmo e martiriza o próprio Ego, para evoluir através dos conflitos e dificuldades para chegar a um fim. É uma alquimia mental que transforma o adepto em algo superior, ao despertar a sua Chama Negra Interior.
Já no Luciferianismo, a figura envolvida se espelha nos mitos de Lúcifer. Tais mitos seguem normalmente o roteiro de uma entidade que dissemina a “Luz” do conhecimento e da rebelião pelo resto da criação. Rebelião aqui no sentido de contestação e experiência empírica para comprovar fatos.
Temos assim as deidades/entidades Luciferianas, normalmente figuras angelicais com toque de rebeldia, como Samael (Seraphim chamado “veneno de deus” que se rebelou contra o criador e deu sua “luz” ao homem na forma do fruto de Daath), Azazel (Anjo Caído que ensinou aos homens o segredo da Forja e dos cosméticos, líder da segunda rebelião), Prometeu (titã que roubou o fogo dos Deuses do Olimpo), Ahriman (que se rebelou contra Ahura Mazda e ensinou aos homens a feitiçaria Yatukih). O próprio Lúcifer é, originalmente, uma forma de se referir a aqueles que emanavam luz, e não uma única entidade por si.
Um Luciferianista se espelha nestas entidades para sua filosofia e seu modo de agir e pensar. Ele deve conhecer ambos, Luz e Trevas em seu caminho, nunca se prendendo a nada e sendo livre para fazer o que quiser. O Luciferianismo é uma filosofia que busca a Sabedoria da Luz.
Então qual a ligação de ambos, Satanismo e Luciferianismo, fora do recente contexto cristão? Bom, como disse certa vez um grande adepto de ambas às filosofias:

Os Túneis das Trevas revelam a Luz…

Simplesmente a Luz se torna muito mais brilhante quando observada de dentro do Abismo. Trevas e iluminação constroem o contraste necessário para enxergar o Universo e poder transcender seus limites. Satan é este Abismo, e Lúcifer a luz verdadeira. Através da união de ambos, se gera o contraste. Deste modo o Luciferianismo é inserido como parte essencial na doutrina do Adversário.

Existem no entando, correntes de Bruxaria Luciferiana independentes do Satanismo, o que permite que um exista independente do outro, mas sendo ambos de importante estudo para um adepto que almeje a evolução plena.

Malachi Azi Dahaka.

Este post tem 36 comentários

  1. Fenix777

    Muito bom o texto!

    Gostei!

  2. mario

    é isso aí malachi, só se sabe que o doce é doce depois de ter posto um punhado de sal na boca 🙂

    a luz vista do escuro é tão bonita ^^

  3. Renan Rodrigues

    Ótimo texto, você explicou tudo com muita clareza
    Parabéns

  4. Felipe

    Acho interessante a origem sânscrita do termo Satanás mostrada por Marcelo Ramos Motta em seu livro ataque e defesa astral: “Satã é uma palavra que vem do hebraico Satan, que significa o opositor, aquele que discorda de nós; e esta palavra hebraica, Satanás no latim, não é mais que uma corrupção da palavra sânscrita Sanatanas, que significa eterno, e que até hoje, na tradição hindu, ainda é aplicada às três pessoas da Trimurti (Brama, Shiva e Vishnu) e às três divindades femininas que lhes correspondem. Os antigos judeus tinham, é claro, contato cultural e comercial com os países do oriente; e procurando desesperadamente conservar a sua existência como tribo, a sua consciência cultural, através de suas peregrinações e vicissitudes, temiam acima de tudo as religiões das nações mais avançadas com que entravam em contato, pois sentiam instintivamente que eram mais nobres e mais amplas que a sua. Daí a associação da palavra Sanatanas com a idéia de um adversário, ou inimigo.”

    1. Fábio

      Permita-me discordar essa “origem sânscrita” da palavra ‘satã’, fera. Satã/Satanás e Sanatanas, apesar da semelhança, não têm a mesma origem etimológica, simplesmente porque o hebraico e o sânscrito não fazem parte do mesmo tronco linguístico.

      Então, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

  5. Eduardo

    Perfeita colocação: “Simplesmente a Luz se torna muito mais brilhante quando observada de dentro do Abismo.”

    Realmente, estando nos “céus” de luz de nada se enxerga do abismo. Com toda a certeza quem leva as cicatrizes ao subir do limbo do abismo e sai lúcido e consciente, tem um vislumbre maior do efeito chamado “Luz”!

    A questão é…
    Quer um estudante ocultista navegar em mares revoltosos e ser tragado pelo próprio abismo de si mesmo, para submergir melhor???

  6. marcosbs418

    Gostei do texto!

    Muito util essas informções sempre quis saber mais sobre esse assunto, agora vou pesquisar mais, para quebrar um pouco o paradigma hehe. valeu pelas informações

  7. DIGMASTIC

    Querido, estou prestes a ter um filho ou filha, e pode ser que eu nunca mais volte – no tempo de ser criança intocável. Pense – ondas celulares são – visão e tato do cérebro nos tornando escrevos de torres. Se eu tiver mais um ano do jeito que está meu estômago e porta – de comunicação, pensa fundo, só tenho mais um ano, qualquer operadora VIVO liga pro teu cérebro, e te torna um – robô. Sou – dia e – noite. Tem que ver os sonhos absurdos – que eles falam quando estou dormindo. Há uma grande diferença na matrix NACIONAL e INTERNACIONAL, que seja ore por mim, Rui E. M. Wink. Sempre olho o relógio – quando ele troca de minutos, sempre!!!

  8. DIGMASTIC

    Lembre-te, de espalhar para todos os centros que quero um filho Salvador de minha família que não amaldiçoou a dos outros, obrigado!!

  9. Hamilton

    O magista na busca pela iluminação percorrendo os tuneis de set não poderia correr o risco de ser consumido e iludido pelas trevas, sendo que neste momento ele está completamente desamparado por lux?

    @MDD – Poderia não… será rsrsrsrs o truque de falso glamour que vemos por ai é fácil de explicar: se eu for levar você para ser escravo sexual na Turquia, eu anuncio como “precisa-se escravos sexuais” ou “emprego de top model bem remunerado”?

    1. Hamilton

      Acabei de ler a “Revolução Luciferiana”, neste livro o Adriano Camargo foca mais na Sephira Netzach, a vitória do “Logos” quando adquire o discernimento(corpo causal) além de inteligência mecanicista de Hod(corpo mental) através da “Rebeldia”. Ela quase não da atenção as qliphots. Tive a impressão até que a teoria Luciferiana seria irmã da iluminação em Tipharet(conversação com o SAG), devido às semelhanças que ele a coloca no livro(arquétipo do herói, IAO) tirando algumas particularidades(individualismo).
      Gostei muito da filosofia Luciferiana neste aspecto exposto no livro pois me identifiquei bastante com alguns pontos principalmente na apreciação das artes, ciência, quebra de paradigmas do status quo e misantropia.
      DD, o que achas do Luciferianismo? É possível ficar focado apenas na esfera de Vênus em Lux ou somos obrigados a adentrar no abismo?
      Perdoe se escrevi algum “fail” ocultista!

    2. Hamilton, saudações

      Afirmar com 100% de certeza que ele seria devorado é como afirmar com esta mesma carga de certeza que um ou outro sistema funciona ou não a determinada pessoa.
      Mão Esquerda já implica que você, para trilhar este caminho, deve estar devidamente preparado ou sim, você será consumido. Deve-se ter força e muita força de vontade para conseguir isso sem danos. Não é um caminho que eu recomendaria, a não ser que você possua realmente uma base MUITO boa para tal. Você deve consumir e controlar, não ser a presa de seu Abismo.

      1. Hamilton

        Grande Malachi!
        Ja imaginava que LHP não é pra qualquer um!
        Você recomendaria que antes de seguir a senda do LHP o magista tenha um grau elevado em alguma ordem que pratique Lux?
        Aproveitando, qual a diferença entre uma ordem Luciferiana e uma Draconiana? É mesma coisa?

        1. Hamilton;

          É bom que o magista tenha um elevado grau de auto-conhecimento e seja muito bem resolvido. Este é o primeiro de muitos passos. E sim, uma ótima base de defesa astral, manipulação energética… essas coisas básicas e geralmente ignoradas – mas que sim, podem ser fornecidas muito bem no interior de ordens da “mão direita”. Mas muita gente aprende esses passos sozinho e tem sucesso da mesma forma…

          Dentro daquilo que eu sigo e daquilo que eu estudei (Que pode divergir da vertente de autores que aqui postaram anteriormente), um seguimento Draconiano se assemelharia muito mais ao aspecto Caótico obscuro de ha-Shaitan do que ao aspecto iluminador de Lúcifer. Dragão, no satanismo, é o símbolo do Caos. A serpente (embora relacionada, mas um simbolismo diferente) seria associada a Lúcifer.

          Daí, acho um pouco “equivocada” nos meus padrões essa associação de “Draconiano” a Lúcifer. Mas claro, dentro dos estudos de minhas ordens e levando em conta as considerações deste texto nada impede uma ordem satanista de possuir conceitos do Luciferianismo.

        2. Tiago Aragão

          Aproveitando a pergunta do Hamilton,

          O draconismo trabalha com as qliphas e túneis, logo está incluída por tabela na filosofia do satanismo.
          O recomendado é no mínimo adeptus minor (sistema A.A., G.D), ou seus equivalentes em tipheret. Lembrando que no sistema clássico, trabalha-se NOX, só depois de dominar a LUX, ou seja, vc deve estar ciente do seu aspecto solar antes de enfrentar o abismo.
          Agora, há outras ordens que trabalham o abismo de daat, a árvore da morte, antes mesmo do adepto atingir tipheret, tornando a passagem mais suave, pois faz você enfrentar o dragão de Chorozon em cada degrau, em lugar de uma única vez, como o budismo tibetano.

          @MDD – exato. Nessas ordens, o novato é jogado direto contra seus demonios de NOX, sem nenhuma preparaçao. Não é surpresa quando descobrimos que 99% dessas “ordens” são vampirescas e/ou com egregoras que sustentam eguns fora-da-lei com a energia desses “intrépidos magos negros”.

  10. DIGMASTIC

    Tente olhar a televisão nacional paga pelo governo e não morrer por isto!

  11. Francisco Narde

    Texto bastante esclarecedor.

  12. Juliano

    Muito esclarecer, obrigado!

    Agora “…bem como no Tantra da Mão Esquerda…”, da até medo de pensar o que poderia ser rs

  13. Hanna

    Senhores, Malachi, Marcelo, todos os leitores, boa noite,

    Estou no início e sempre vale a pena trocar idéia com quem está à frente nos Estudos. Como todos aqui temos muito o que fazer e tanto a estudar,
    Para não desperdiçar um tempo precioso, vim saber a opinião dos senhores sobre dois livros:

    “O Livro de Urantia” e “Rebelião de Lúcifer”.

    São dois livros úteis para Estudantes sérios ou é melhor eu aproveitar o curtíssimo tempo com outra Bibliografia?

    Não sabia se esse post era o mais adequado para fazer essa pergunta.
    Agradeço pelo retorno. Abraço.

    @MDD – Se voce esta com o tempo curtíssimo, escolha outras obras..

    1. Hanna

      Ai, caramba, Marcelo, tou chegando em casa pra dormir e acordar no outro dia pro trabalho! Tempo tá curto mesmo. Quando temos pouco tempo, faz sentido priorizar bibliografia. E não desperdiçar tempo com alguns livros (que não sabemos se são ou não enrolações) quando podemos ir para leituras mais produtivas. Foi isso o que eu quis dizer. Tou me expressando mal porque eu preciso dormir.

      Vim te agradecer pela resposta. Vou continuar a leitura desses dois. Abraço.

      1. Tiago Aragão

        Hanna,

        vc não entendeu nada das respostas. Sendo mais direto vá ler coisa melhor. Não perca tempo nessa bobagem…

      2. Eduardo

        Hanna!
        O Tiago e o MDD tem TODA a razão!

        Escolha outras obras!!

        Esse livro de Urântia não passa de maquinação, de complexos e altos espíritos obsessores. Querendo basicamente criar um egrégora de controle e submissão.
        Indico para conhecimento, “Autodefesa psíquica” de Dion Fortune ok?

        Abraço.

        1. Hanna

          Eduardo, de verdade, muito obrigada pela indicação do livro. Abraço.

      3. Hanna

        Mesmo sobre o tema há livros melhores. Não conheço esse Livro de Urântia, mas a Rebelião de Lúcifer pode ser lido. Apenas teorias novas, sem prática, não farão mau algum e conhecimento nenhum NUNCA é demais, suficiente, perigoso ou proibido.

        Mas existem mais livros bons sobre o tema, ainda que de forma teórica/filosófica mesmo.

        1. Hanna

          Malachi, olá! Tudo bom contigo?
          Te agradeço pela resposta.
          “Há livros melhores”. Quais os nomes dos livros que você gostou? Vou procurar.

          Malachi, “O Livro de Urantia” parece ter inspirado o “Rebelião” do J. J. Benítez.
          Mas ainda estava no começo da leitura (pág. 38 de 498).

          Vim pedir que mostrem a minha resposta ao Tiago Aragão agradecendo a ele.
          Ainda não foi aceita no tópico.

          1. Malachi Azi Dahaka

            Sobre o tema Luciferianismo, sou supeito demais pra falar, mas recomendo sempre os do Michael W. Ford.

  14. Dai-me um nome

    Eu quero saber quem vai pagar minha internação caso eu venha a enlouquecer.

    1. Porquê você enlouqueceria? Se não se garantir, nem tente pisar nessa trilha, até achar que é o moment ode fazê-lo… Cada ser deve saber seus limites.

      1. Antigo Aluno

        Cliquei post sem querer.

        E com o sonho eu fui pesquisar na internet e acabei chegando aqui, mas uma vez.

        Como dizia Morpheus, onde uns vêem coincidência eu vejo providencia. Então se alguém quiser me orientar estou a disposição para aprender.

        Nao sei o verdadeiro motivo de ter vindo parar aqui de novo, mas aqui estou.

        Abraços a todos. Fiquem em Paz.

  15. vinicius

    Bom, tudo começa e termina na parapsicologia, isso já não passa de mera fantasia, em meio a tantos nomes estranhos prefiro o meu, pra que se preocupar tanto com tais nomes se o uno é igual ao todo, somos parte dessa energia.
    O que fazer com esses nossos corações levianos que esta sempre em um ponto cego dentro da Matrix, pra que seja oculta a verdade, pois o objetivo da ignorância é manter o sujeito inerte em seu próprio tempo de viver.
    Um forte abraço e parabéns pelo texto.

  16. Fábio

    Adorei esse texto, Malachi. Por algum tempo tenho estudado o satanismo e achado o luciferianismo “fraco” ou inadequado para mim (ou para o meu momento até então), mas nestes dias comecei a me interessar mais pelo luciferianismo e, ao menos por agora, tem me parecido um caminho melhor para os meus estudos, mais próximo do que eu estou buscando.

    Obrigado pelo texto esclarecedor.

  17. @MDD – exato. Nessas ordens, o novato é jogado direto contra seus demonios de NOX, sem nenhuma preparaçao. Não é surpresa quando descobrimos que 99% dessas “ordens” são vampirescas e/ou com egregoras que sustentam eguns fora-da-lei com a energia desses “intrépidos magos negros”.
    Irmão Debbio eles nem imaginam o fio da meada , o que é esta realidade ….

  18. vih

    Mto bom texto. Porém, nem Lúcifer, Satã ou anjos caídos existem, são só parábolas. A luz é realmente linda vista do abismo

  19. GIOVANI F. BIFFI

    Que livros tem de referência para pesquisa? Que livros recomenda?

    Obrigado.

  20. pombinha

    Ph’nglui mglw’nafh Cthulhu R’lyeh wgah’nagl fhtagn!!

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta