Ritual Menor do Pentagrama Umbandista

O Ritual Menor do Pentagrama foi criado pela “Golden Dawn” no final do século XIX.
Este ritual era o primeiro a ser ensinado a seus membros, ainda neófitos. Isto porque ele o introduzia a invocação, e servia como meditação, centralização e proteção. Este ritual é utilizado por várias ordens hoje em dia, e possui grande número de variações.
A idéia por trás destas evocações é canalizar o subconsciente do Mago para manter qualquer tipo de energia externa fora dos limites do Ritual. Isto é feito através da mente do próprio magista, por meio dos símbolos com os quais ele opera. Neste post, explicarei como trabalhar estes conceitos dentro dos Símbolos da Umbanda.

O RMP é o mais eficaz método de “desinfetar” um ambiente astral e é recomendado antes de qualquer consagração ou operação mágica.

É importante que você não “imagine” toda a estrutura do RMP, mas VISUALIZE toda a estrutura. Há uma grande (e vital) diferença entre estes dois verbos… quando eu falo em visualizar, significa ter a CERTEZA de que tudo aquilo que você traçou está realmente ali; que a luz emanada pelas chamas está iluminando e dando um tom azulado ao local, só ofuscado pela luminescência da cruz sobre o altar; que o seu sigilo pessoal está flamejante no centro de cada um dos quatro pentagramas e que os Orixás estão dispostos ao lado de fora do local, com armas em punho.
VISUALIZAR significa que estas construções estarão firmes e cristalizadas no Astral. Com o tempo e a repetição, você tornará aquele recinto impenetrável a qualquer entidade com Força de Vontade menor que a sua (e eis o por quê os magos devem dominar TODAS as esferas da Árvore… Yesod para a visualização, Hod para a Vontade e Netzach para a cristalização). Pode-se utilizar uma vela no altar (que será acesa logo na finalização do ritual) para ajudar o inconsciente nestas visualizações (enquanto a vela estiver acesa, estará atrelada ao ritual).

O Ritual
Parte 1 – A Cruz Umbandista
Deve ser feita diante do altar, o Coração do Templo, voltado para o Leste (Oriente). Traçado com os dedos indicador e médio estendidos e os outros dedos fechados.
1 – Toque a testa e diga “IBEJI” (dedo indicador e médio estendidos, os outros fechados)
Visualize a luz divina descendo do alto de Keter até o magista e o altar. Visualize uma abertura nos céus por onde as crianças sagradas estarão olhando toda a operação.
2 – Toque o sexo e diga “OMULU” (com a mão na posição de “figa” – Imagine a energia vinda do cósmico fecundando a mãe-terra a seus pés e fincando as bases da cruz luminosa que protegerá o ambiente). Neste momento, deverá estar visualizado um pilar de luz no centro do templo. Visualize Omulu sentado aos seus pés, trabalhando em seu alguidar
3 – Toque o ombro direito e diga “PAI OGUN” (dedo indicador e médio estendidos, os outros fechados). Visualize Ogun portando sua espada colocado ao seu lado, como um guarda-costas.
4 – Toque o ombro esquerdo e diga “PAI OXÓSSI” (dedo indicador e médio estendidos, os outros fechados). Visualize Oxóssi, com seu arco, à sua esquerda.
5 – Trace o seu Sigilo Pessoal (se tiver) no centro da cruz.
Imagine o traço em dourado brilhante (Tiferet).
6 – Junte as mãos no peito e diga “PAI OXALÁ”

Visualize a energia divina projetando-se para dentro do Templo, iluminando toda a Sala Capitular/Templo e afastando qualquer interferência ruim do mundo profano. Nesse momento, visualize o manto de Oxalá vestindo-o por cima de suas vestes.

Parte 2 – Os Pentagramas
OBS: No RMP, as posições tradicionais seguem as posições energéticas usadas na Inglaterra, que são: Leste=Ar, Sul=Fogo, Oeste=Água e Norte=Terra. Aqui no Brasil, por nossa geografia diferente, os fluxos energéticos são diferentes e as associações são feitas da seguinte maneira: Leste=Água (Oceano Atlântico), Sul=Ar (Antártida), Oeste=Terra (Andes) e Norte=Fogo (Caatinga). Estas energias do Macrocosmos serão ancoradas no Círculo (quando estiver voltado para cada Ponto Cardeal, visualize as energias primordiais dos locais que eu citei sendo evocadas para a proteção daquele ponto).

1 – De frente para o Leste (o Oriente), com as mãos na forma do Kubera-Mudra (dedos polegar, indicador e médio unidos, como se estivesse segurando um giz invisível) desenhe um pentagrama visualizando-o em chamas azuladas muito fortes.
Comece a traçar o Pentagrama de acordo com a figura ao lado.

Vibre “OXUM”, visualizando a Mãe Oxum e a energia das Águas e Emoções naquele ponto. Trace com os dedos o Círculo de Proteção, no sentido horário, do Leste para o Sul, circundando o meridiano do Templo.
2 – De frente para o Sul, repita o processo anterior trocando o nome por “IANSÔ. Visualize a Senhora dos Raios com seu chicote, pronta para proteger o seu Templo do lado de fora. Continue o Círculo para o Oeste
3 – De frente para o Oeste, repita o processo anterior trocando o nome por “XANGÔ”. Visualize Xangô portando seu machado em posição de defesa do lado de fora do Templo. Continue o Círculo para o Norte
4 – De frente para o Norte, repita o processo anterior trocando o nome por “EXÚ”, Senhor do Fogo. Imagine o Exú de sua preferência guardando aquela entrada. Continue o Círculo para o Leste, fechando todo o conjunto.

Parte 3 – Invocação dos Arcanjos
1 – Na posição de Cruz (os braços abertos e os pés juntos), o estudante repetirá:
“A minha frente OXUM” (vibre todos os nomes)
2 – “Atrás de mim XANGO”
3 – “A minha direita IANSÔ
4 – “A minha esquerda EXÚ”
5 – “Pois ao meu redor flamejam os Pentagramas”
Sempre visualizando os Orixás nas suas respectivas posições, fora do Templo, guardando-o e protegendo-o, e os pentagramas em chamas. Cada um está relacionado a um elemento: Oxum(Água), Iansã (Ar), Xangô (Terra) e Exú (Fogo), na seqüência. Como os elementos são 4, o magista, ao centro, será a 5ª parte do pentagrama e deverá se visualizar coberto por um manto azul, protegido por Yemanjá.
6 – “E na coluna do meio, brilha a estrela de seis raios”.
Que o estudante visualize dois Hexagramas, Símbolos da Proteção de Xangô, um em cima e o outro projetado embaixo, com uma faixa de luz estendendo-se na vertical, envolvendo-o e formando uma espécie de “grade” ao redor do local.

Parte 4 – Repita a Cruz Umbandista

Quando terminar, os Pentagramas e a proteção ficarão por ali tanto tempo quanto sua vontade for capaz de manter a Visualização. A vela ajuda o subconsciente a lembrar.

AVISO: quem tem mediunidade, se prepara porque todas as suas entidades vão encostar. Quem tem mediunidade e não sabe, talvez experimente sensações “diferentes” em determinados pontos do RMPU. Testamos esta versão do Ritual e ela tem se mostrado MAIS FORTE do que o RMP tradicional, se você for umbandista. Como esta versão do RMP ainda está “em testes”, gostaria que vocês substituíssem o RMP em seus exercícios por esta versão e me mandassem os resultados obtidos ou quaisquer dúvidas nos comentários.

Este post tem 82 comentários

  1. Rev.Breno

    Só estranhei o leste/oeste… sempre pensei no por do sol…

    @MDD – Mas são elementos correlacionados? Nao entendi a colocação. Me explica melhor o que voce quis dizer com isso…

    1. rev.breno

      Inverter Norte e Sul faz sentido, mas inverter Leste oeste não faz pois independente do hemisfério, o sol continua nascendo e se pondo no mesmo eixo

      Ahh, tava pensando aqui com meus botões…. No RmP, nos pentagramas precisamente, primeiro são falados nomes divinos certo, depois os nomes dos arcanjos, por que não chamar primeiro os Orixás, mas nas invocações dos quadrantes, invocar os líderer de falanges deste mesmos orixas? Vou pesquisar aqui quais as entidades aí eu tento

      @MDD – Não tem a ver com nascimento do sol, tem a ver com as massas elementais que você vai ancorar o seu círculo. Na Europa, o Oceano Atlântico fica ao Oeste, aqui fica ao Leste. Se você estivesse fazendo este ritual no Chile, do lado de lá dos Andes, teria de usar Leste = Terra, Oeste = água… Essa escolha dos pontos cardeais varia de acordo com o local onde você estiver.

  2. Lucas B.

    “5 – Trace o seu Sigilo Pessoal (se tiver) no centro da cruz.
    Imagine o traço em dourado brilhante (Tiferet).”
    Marcelo, se fizermos o traço em branco ao invés de dourado não estaria mais “aderente” à egrégora da Umbanda?

    @MDD – ok. Pode sim.

  3. Lucas B.

    Aliás, e as chamas, não deveriam ser traçadas em verde?

    @MDD – Pode ser também.

    1. Alexandre

      Tenho andado meio descuidado com rituais nas últimas semanas. Estava usando o sigilo de Harpócrates, quando sentia alguma perturbação, por ser mais rápido, apesar de saber que não tem efeito idêntico… Nas minhas práticas, geralmente traçava os pentagramas em chamas como o fogo comum, ou chamas azuladas, mas experimentando sua variação, curiosamente, minha mente começava a traçar em verde. Depois, eu balanceei a visualização para o azul, com um pouco de dificuldade, para manter o costumeiro. Tem a ver com a modificação da energia nessa versão, ou sou eu que estou completamente fora de forma em controlar as visualizações?
      OBS: visualizo com muita facilidade, mas controlo com dificuldade, o que já me chamaram a atenção diversas vezes, confesso… só não entendo porque o verde, já que o azul estava cristalizado…

  4. Carlos

    cara, só de ler esse post e imaginar o procedimento, ja da pra sentir umas coisas diferentes, muito bom; deve ter uma força tremenda.

    muito boa a iniciativa =]

  5. Thiago

    Muito bacana! Xangô não teria uma relação forte com o elemento fogo?
    Continue com o belo trabalho!

    @MDD – Voce quer dizer Ogun?

    1. Thiago

      Olá, Marcelo,
      Realmente quis dizer Xangô como representante de energia ígnea. Me ative a esta observação pois na literatura e na tradição oral, Xangô é amplamente relacionado ao fogo. Mas, como vc falou acima, depende muito de como trabalhamos com o símbolo e seu entendimento. Acho muito válida a adaptação! O lance é sentir a energia.
      Abraço,

    2. Paulo Gabriel

      O Thiago, não seja tão exigente. Ogum é sim senhor (não primário) da energia ígnea. Mas assim como em alguns terreiros de índole incontestável os orixás de cabeça são somente definidos pelo pai de santo através da correspondencia do dia da semana do nascimento do médium e isso nunca falhou nesses terreiros, o fato de o orixá nesse tipo de “firmeza” não ser o regente principal desse tipo de energia não invalida o processo, ficando a energia empregada à mercê da vibratória de entrelaçamento. O correspondente vibratório de Ogum para Xangô atuaria nesse trabalho. Claro que isso tudo levando em consideração que sua motivação de atribuir a Xangô a regencia da energia ígnea seja trabalhar ou estudar uma das poucas linhas da UMBANDA que atribui a esse Orixá essa caracteristica.

  6. Tiago

    Oi Marcelo Del Debbio
    Em Hotep!
    Eu sigo o Paganismo e ja pratiquei o RMP em algumas praticas na Magia, e vi essa postagem introduzindo a Egregora Umbandista no ritual, e eu como praticante da Antiga Religião Egipcia, queria saber se poderia fazer uma postagem sobre como poderia incluir a mitologia egipcia ao RMP. Ficaria grato se podesse me responder.
    Abraços!
    Em Senebty!

    @MDD – Teria de refazer todos os passos. No Egito teríamos sul=fogo (deserto), oeste = água (Atlântico), Norte=Ar (polo norte) e Leste=Terra (nepal), ai teria de olhar cada correspondência de Deus/Sephira e não seria a forma de uma cruz, mas de um Ankh. Tb não seriam pentagramas, mas estrelas de oito pontas (Sírius) e visualizar as divindades correspondentes aos pontos cardeais… dá pra fazer sim.

  7. Henrique Mota

    MAIS FORTE do que o RMP da Golden Dawn? Damn… 8-o

    Você já tem uma ideia do porquê disso, MDD? Meu chute seria a questão das egrégoras, talvez.

    Vou testar esta versão e aí lhe digo o que aconteceu. Tem algum prazo específico para receber os feedbacks? Mensal, semanal?

    @MDD – A resposta é a familiaridade com os símbolos. a imensa maioria de thelemitas de Orkut nem sabem quem é Rafael, ou Auriel e acabam repetindo o RMP (isso aqueles que sabem fazer) sem saber exatamente O QUÊ estão chamando. Não é a repetição mecânica dos nomes que dá força ao ritual, é o conhecimento do que representa cada símbolo. E, neste caso, é mais fácil um umbandista compreender Geburah por meio de Ogun do que um “cabalista” achar que sabe o que é Geburah só porque vibra “Ve Geburah” no ombro igual viu na internet…

    1. Henrique Mota

      Verdade, não havia pensado nesta questão da familiaridade de símbolos. Obrigado pela resposta!

  8. Hudson

    Muito interessante! Sendo pagão, nunca me senti muito à vontade com o RMP tradicional, mas tbm não sou umbandista. Há um RMP “wiccano” por aí, que invoca os reis elementais… ele funciona? Você teria uma versão pagã mais genérica?

    @MDD – Existe um, mas ele é mais simples que o RMP. O Círculo Wicca tira as etapas da Cruz Cabalista e substitui os nomes dos anjos pelos nomes dos elementais (“Ao Leste, os Silfos, ao Sul as Salamandras, ao Oeste as Ondinas e ao Norte os Gnomos”) e visualização dos elementais ou Daevas correspondentes como guardiões.

  9. D'Artagnan

    E quem não for umbandista mas for “simpatizante”? Eu vou a terreiros de vez em quando e minha família é envolvida com Umbanda…
    Eu posso testar essa versão do RMP?

    @MDD – Deve.

    1. sopa

      Tinha lido esse post hoje e entrei novamente hoje justamente para perguntar se “simpatizantes” podiam tentar também. Obrigado pela resposta antecipada 😀

  10. André Alonso

    deve ter uma boa historia por de tras de onde voce retirou/ouviu/descobriu isso.

  11. Aquiles

    Por que os nomes tem que ser vibrados?
    Quando se visualiza os pentagramas, tem que manter a visualização dos Orixás na Cruz Cabalística [Ogun, Omulu, Oxossi, Oxalá]?

    @MDD – “fale” um nome e depois “vibre” o nome e veja a diferença… na vibração voce canaliza o chakra Vishuda.

  12. jozu

    primeira tentativa, feita até a parte dois. Foi diferente da cruz cabalista, a sensação de energia foi diferentes, alem disso, foi possivel sentir o manto sobre o corpo. foi um pouco menos intensa, porem foi possível sentir um perfume diferente. Ao traçar o circulo, tudo ok, forte emoção na estrela do oeste e algo parecido ao norte. Formigamento/cocegas nos braços. A partir dai, não estou habituado ainda.

  13. Rahi

    Marcelo, sobre essa diferença dos pontos cardeais e elementos, isso deve se aplicar a todas as práticas magicas que fizermos por aqui em que tratemos dos elementos?
    Pode parecer uma pergunta retórica, mas só pra ter certeza, pois nunca tinha lido sobre essas relações. Interessante essas adaptações. Nada lógico invocar o fogo ao sul aqui pra nós mesmo..

  14. felipe

    DD,eu sei que sonhos são meios estranhos de ter explicação mas esse não sai da minha cabeça e uma pessoa me disse que era uma iniciaçao isso pode acontece?,ai vai o sonho.eu estava num circulo com varias pessoas dentro cada uma com uma vela atras de si de sete dias,no meio tinha uma cara brigando comigo por eu ter feito algo de errado,do meu lado de costa para uma vela estava um amigo meu evangelico do lado minha amiga que quer ser bruxa e do lado dela uma vela que eu sabia que representava a rosa cruz,de repente essa vela apagava,entao,eu saia da minha posiçao no circulo ia acender a vela da rosa cruz(bem eu gostaria de entra na rosa cruz caso isso interfira) bem eu nao escutava mais o cara na realidade eu só admirava o circulo apesar de nao ver atras dessa cara porque tava escuro.num bairro perto de casa eu encontrei uma loja rosa cruz,e gostaria de ter ajuda deles,mas sinceramente eu moro numa favela é devo ter feito muita merda na outra vida e gostaria de saber sinceramente se eu vou ter ajuda eu vou ter que caminhar sozinho.agradeço antecipadamente.

    @MDD – Interpretar o que? me pareceu bem obvia a mensagem.

    1. Silvioney

      Não se acanhe irmãozinho. Va visitar a loja.

  15. Pedro

    tenho certeza que é uma pergunta de iniciante, mas como seria “vibrar” o nome?

    @MDD – Procura por “canto gregoriano” no google, veja os videos e escute como eles pronunciam as palavras.

  16. Tairan Miranda Krügel

    Olá caríssimo Frater, excelente ritual!
    Vou testar junto com minha esposa que é umbandista e assim que tivermos dados comparativos de nossas práticas mandamos os resultados do “test drive” aqui nos comentários.

    Abraços Fraternais

  17. thiago ' nao colecionador de selos'

    Exu: a ideia eh pensar em algum mensageiro específico, que ja tenha familiaridade , utilizar um padrão ou sentir algum mensageiro pessoal? Tem alguma variante dessa entidade para esse fim?

    Tfa.’.

  18. Regis

    Interessantíssimo!

    E puxando a brasa para o Espiritismo? Poderia ser aplicado isso em alguma situação prática? Sim, eu sei, o Espiritismo não tem “rituais” (não da maneira vulgarmente compreendida). Mas a atual apostila de estudos avançados da mediunidade tem uma porção de situações que envolvem visualizações e manipulações fluídicas mentalmente (os textos que li nelas me trazem à mente ao TdC de forma imediata); quem lê Andrá Luís volta e meia topa com conceitos “ocultistas” nos textos, como dualidade, o masculino e o feminino, etc…..

    Engraçado que ler o Livro dos Espíritos depois de uma passada rápida por textos do TdC muda a leitura, no sentido que amplia os horizontes. Passa a impressão que o Espiritismo diz: “OK crianças, vamos fortalecer o aspecto moral – fazer um mundo melhor através de seres melhores – e os segredinhos do outro lado vocês vão descobrindo aos poucos”.

    1. Marisa

      As associações que consigo fazer nesse caso é TIFERET = Pai Oxalá = JESUS, que teoricamente é considerado o guia maior do Kardecismo. Pelo menos aqui no Brasil. Chico Xavier não sei bem se encaixa em BINAH, acredito que ele esteja muito mais para CHESED.

      @MDD – Chico não entra de jeito nenhum em Binah, faz favor kkkk

      Temos Allan Kardec, André Luiz, Emmanuel, Bezerra de Menezes, Meimei entre tantos outros, que são muito considerados no Kardecismo. Aí o correto seria fazer uma árvore da Vida com eles, fazendo essas associações.

      Se fizer sentido para você, ótimo… mas eu, por mais kardecista que eu ainda seja, não me vejo fazendo um RMP dessa maneira. Acho que a ideia de que “no espiritismo não rolam essas coisas, pelo menos não dessa maneira” está tão arraigada na minha mente que acho que até por isso estou me dando a oportunidade de conhecer a Umbanda, que já trabalha de outra maneira em relação à isso.

      @MDD – Não faz muito sentido para o kardecismo, eles não trabalham com este tipo de símbolos.Eu acredito que inexista qualquer versão de RMP adaptável a este segmento.

  19. Celso Luiz Albano

    Olá MDD. Eu não sou umbandista, nunca fui a um terreiro, sou completamente leigo nessa área, mas ao mesmo tempo tenho muita simpatia por ela, e até mesmo uma certa atração. Na cidade onde eu moro não há nenhum terreiro, se tivesse eu teria visitado para conhecer. Minha pergunta é: Por não pertencer a egrégora e ser leigo posso fazer o RMPU sem problemas ou se vai funcionar? Não sei se tenho algum grau de mediunidade. E as entidades que vão se encostar, podem me trazer consequências (boas ou mas)?
    Obrigado por compartilhar. Abraços.
    Que os Deuses continuem te iluminando.

    @MDD – Se voce nao é medium, não tem esse efeito. E se são as entidades que trabalham com você, por que diabos elas iam te sacanear?

    1. Celso Luiz Albano

      Na segunda parte da sua resposta eu senti que a minha segunda pergunta te incomodou um pouco. Me desculpe, eu pensei que havia deixado a entender que não frequento a egregora e que sou leigo. O pouco que sei (que não é nada) é por ouvir de vez em quando as mensagens de pai Joaquim de Aruanda. Como ele diz: nossos desejos e ansiedades podem se realizar ou não em nossas vidas, isso é para a matéria, para o espírito que é o que importa é o tipo de sentimento que escolhemos ou não no decorrer desse aprendizado que passamos enquanto na matéria que vai graduar ou não o espírito que vive esta encarnação.
      Mesmo assim fico grato por responder. Abraços.
      Que os Deuses cont…..

  20. Erlyson

    Adorei a ideia tio. A alteração que eu fiz no meu RMP foi bem básica. Pelo fato de gostar muito de RPG e mitologia grega eu substitui meus arcanjos por criaturas míticas (Água = Náiade, Terra = Colosso, Ar = Harpia, Fogo = Dragão). Eu entendo os conceitos das esferas principalmente por associar aos deuses gregos, mas você acha que seria mais frutífero para mim se, de alguma maneira, também alterasse as palavras do ritual?

    @MDD – Se voce souber o que está fazendo, pode.

  21. Alan

    Tio, fazendo o RMPU vou atrair a egregora e suas “coincidências”? exemplo, começo a pratica lo, ai começam a aparecer amigos umbandistas, terreiros e etc. Se sim creio que sirva para os exercícios do mayhem tmb.
    Abraço tio.

  22. Kio B

    Saudações tio DelDebbio !
    Só tenho uma duvida em relação aos RMP e RMPU, todos esses procedimentos e nomes precisam, de certa forma, ser decorados e ensaiados ? Não poderia ter uma “colinha” ao lado na hora do ritual ? rsrsrs Sei q a pergunta parece meio ridicula mais não custa nada tirar a duvida.

    @MDD – é só realizar algumas vezes, ai você não vai mais precisar de “cola”. Depois de alguns meses praticando, torna-se tão simples quanto escovar os dentes.

  23. Paulo Augusto Jr

    Tio muito bom, aprovado. Acabei de fazer e gostei muito, a sensação é muito mais nítida do que no RMP. Não senti minhas entidades encostando, mas senti uma energia gostosa e quase palpável dentro do círculo, será que fiz certo?! Mas mesmo assim gostei mesmo!!!! Vo começar a praticar todos os dias, rsrsrrs quero dizer madrugadas….

    1. Paulo Augusto Jr

      Tio refiz o ritual ontem, e nossa foi incrível! Sei lá não tenho como explicar os caras chegam chegando a cada nome que é vibrado, fora as irradiações! Acho que só sinto isso assim no dia da festa do meu Pai!
      / muito bom!!! só tenho que descobrir o que fiz de diferente do outro dia!!!

      1. Libano

        Po que legal cara! Vc eh da Umbanda?
        Pergunto isso pq nao frequento, nem conheço muito sobre….mas fiquei curioso com a variação do ritual!

        Ainda não tentei justamente por não conhecer muito da Umbanda então não sei se teria realmente o mesmo efeito, mas legal ver a galera comentando!

        Abraço

        1. Lu ;-)

          E aê, Líbano, tudo beleza?!
          Olha só, fiz o RmP ontem, despertou muitas sensações legais, profundas e diferentes. Acho que vc deve tentar, sim!! Mesmo sem ainda ter muito conhecimento de Umbanda, acredito que vc poderá se beneficiar. E, quem sabe, ter uns insights bem legais… 😉

          Abraço!

          1. Libano

            Legal cara!
            Vou tentar pedir ajuda das entidades, quem sabe elas me ajudem apesar da falta de conhecimento! =)

            Valeu pelo comentário!

            Grande abraço

  24. Emmanuel

    Falando em visualização…
    Há uma relação entre capacidade de visualização e nitidez dos sonhos?
    Você acha que pessoas que sonham em preto e branco demonstra… é uma indicação de maior dificuldade em visualizações?
    Pergunto isso porque sonho em p&b e acho muito difícil visualizar. Há 1 ano quando estava fazendo os exercícios de visualização com certa frequência percebi que meus sonhos começaram a ganhar cores. Mas aí parei as visualizações e voltaram ao p&b (tenho a impressão que os sonhos em p&b são mais embaçados também).

  25. Júlio César V. Teixeira

    O posicionamento de Omolu e Exú deveriam estar trocados, pois Exú, o Orixa que rege a fecundação e o sexo está sendo associado a Uriel o Archanjo do elemento Terra. Ao passo que Omolu, o “Senho da Terra” segundo a tradução do nome, está associado na cruz ao toque na região genital.

    Exu, além de reger o sexo e ser o princípio da vida, está associado ao elemento Fogo. Além de um dos seus símbolos sagrados ser o falo ereto.

    @MDD – A Base da cruz é Malkuth, que é representado por Omulu. Exú é Hod.

  26. Marisa

    Obrigado por esse post, Marcelo!

    No meu atual momento, o ritual dessa maneira se encaixa como uma luva!

    Feliz 2012!

  27. Marcus Vinicius

    Ah, em tempo, e fugindo do assunto: ainda tem planos de postar suas entrevistas com entidades?

  28. Regis

    Qual seria a motivo de uma pessoa “não-médium” não poder exercitar o ritual (ou melhor colocando, por que ele não teria efeito)?

    Concordo que uma pessoa que não tenha mediunidade ostensiva não vá conseguir ver, no plano astral, ou ouvir, ou qualquer outro “er” ou “ir” o que se passa com exatidão. Mas em tese qualquer um, independente de mediunidade, consegue fazer seus pensamentos vibrarem no plano mental e astral e projetarem seus pensamentos (e, de maneira correlata, atrair entidades de acordo com aquio que vibra no seu íntimo).

  29. danili

    MDD achei bem bacana , porém não entendi Exu , pelo sua explicação se trata do Exu falangeiro, os que trabalham na Umbanda , sendo que há o Exu Orixá …
    O ideal não seria ser o ESÚ Orixá , visto que estaria mais de acordo com os demais Orixás , enfim … posso fazer essa mudança ? apesar de na Umbanda não se trabalhar com este Orixá , ele é reconhecido e respeitado , e sabemos que é bem diferente a energia das entidades exus do Orixá .

    @MDD – Nas “umbandas morro-de-medo-do-exu-pq-tem-um-monte-de-ex-catolicos-aqui”, ne? Porque na Umbanda se trabalha com o orixá Exú sim. Estamos aos poucos tentando consertar a confusão de nomes que os pais de santo fizeram com as entidades. exú é um ORIXÁ, que trabalha na linha energética de HOD. As Entidades são entidades que trabalham nas subdivisões de hod, de acordo com seus trocentos sub-nomes.

  30. Luan

    Muito interessante, mas como não tenho nenhum ligação com essa egrégora continuarei realizando o RmP de acordo com a versão da A.: A.: (que visualiza os arcanjos com as correspondências astrológicas e cada arcanjo com um brilho de determinada cor e cabeça de um determinado animal).
    Quem ficou interessado vale a pena procurar essa versão, praticando ela fica mais fácil (ao menos para mim) traçar a relação dos arcanjos com os elementos.
    Grande parte das pessoas praticam variações do ritual porque dizem que não são familiarizados com a egrégora, mas posso afirmar com com o tempo, se você souber o significado do que está fazendo e realizar com Vontade, essa ligação se estabelece.
    Não subestimem o poder dos nomes divinos, é só ver/estudar a relação que os judeus tem com eles para ter uma pequena noção do “poder” do nome.
    E também a maioria dos brasileiros foram criados com dogmas cristão nos quais os anjos da guarda e figuras angelicais também estão presentes, sempre associamos o anjo com um significado divino e protetor, vale a pena lembrar disso.

  31. Samurai

    Salve, Marcelo!
    Há um tempo atrás eu já fazia um RMP que eu adaptei com orixás, mas um pouco diferente desse que você postou.
    As diferenças ficam na parte da “invocação dos arcanjos”. Eu invoco dois orixás em cada direção: Leste: Yemanjá e Oxum e visualizo as águas vindo dessa direção. Sul: Oxóssi e Ibeji, e sinto a corrente de ar batendo em meu rosto. Oeste: Xangô e Xapanã e visualizo rochas levantando da terra. Norte: Iansã e Ogum e visualizo uma espada e um raio cortante de fogo junto com eles. Após esses, invoco Exú, senhor dos caminhos, que transita nos quatro elementos e visualizo Exú correndo em volta selando e protegendo o círculo sagrado. E depois, Abaixo de mim Nanã, e visualizo ela em sua caverna abaixo de mim. E acima de mim Oxalá, e visualizo o grande Sol me iluminando.
    Dessa forma invoco todos orixás do panteão umbandista no ritual. Comigo funcionou bem e ficou de longe muito mais hardcore do que o original da Golden Dawn, hehehe. Já a parte da cruz não tinha imaginando, boa sacada! Vou fazer também.
    Mas mesmo fazendo dessa sua forma, você não acha melhor no Sul trocar Iansã por Oxóssi?

    @MDD – Se voce nao for usar a cruz, tudo bem, mas se for, Oxóssi já aparece em Chesed. Para termos as 10 Esferas representadas, Iansã fica melhor.

  32. Bruno

    Isso é um ritual de limpeza pelo que entendi, e deve ser feito antes de algum outro ritual. Na umbanda a limpeza é feita por meio da defumação. Um copo de água com uma vela branca acesa… uma oração.
    Não vejo nenhuma funcionalidade prática pra esse ritual. A não ser o “exercício” do “mago”.

    @MDD – ah sim… e voce acha que sao os mediuns que fazem a limpeza no terreiro ?!?!? Pras ENTIDADES, realmente basta um copo de água… mas para voce e para outras pessoas normais, a coisa não é nem proxima disso…daí a necessidade prática do RMP e de outros rituais de banimento, que podem e devem ser feito por pessoas para limpar os ambientes de trabalho antes de começar a operar.

    Já ouviu falar de “umbanda esotérica”? então… misturéba.
    E que tal aplicarmos o “i ching” antes de fazer esse ritual, ou talvez mudar os nomes dos santos/orishás para “deuses” greco-romanos. Que tal seria a nossa umbanda?

    @MDD – “Nossa” de quem, cara pálida? a Umbanda é a maior zorra de todas, porque cada pai-de-asnto, que geralmente é um capial sem instrução, faz o que bem entende sem estudar nada e deixa tudo a cargo das entidades, coitadas, que tem de se virar como podem com as limitações dos cavalos. Se os umbandistas não fossem tão preguiçosos e desleixados, a Umbanda estaria cem vezes mais desenvolvida do que está hoje.

    Já pensou que talvez as pessoas que estejam fazendo esse ritual não tenham nenhum preparo mental, fisico e espiritual pra lidar com as consequencias? Pois a porta fica aberta, e o curioso esquece aquilo que fez. Nenhum sacerdote (sério) de umbanda diz para seus filhos fazer isso ou aquilo sozinhos em casa, tudo é feito numa corrente de força, e sempre assistidas por pessoas com mais experiencia. É por essas e outras que tanta gente procura Jesus.

    @MDD – besteira. Se voce estudasse mais ou conhecesse os rituais apresentados, saberia que o RMP é vital e necessário para realizar qualquer trabalho individualmente e muito diferente do que é feito em um terreiro, que vai receber 20, 30, 40 pessoas em uma só noite e realmente precisa de algo diferenciado…e que qualquer sacerdote “sério” tem obrigação de ensinar para seus filhos como se defenderem e se protegerem quando não estiverem dentro do templo, não deixar tudo a cargo das entidades…

    1. Bruno

      Você está ensinando o ritual pras pessoas, ou está passando uma formula de bolo?O que eu vejo é uma receita. Faça isso, pense naquilo, vibre assim-assado…

      @MDD – Todos os pontos de visualização foram passados. Quem não sabe o RMP ou não é umbandista e vai se meter a fazer o ritual, obviamente não vai ter resultados ou vai ter resultados pífios ou distorcidos.Eles não são o escopo do post.

      A Umbanda é uma mistura sim, mas zorra só se for a casa em que você leva os curiosos ocultistas aí em SP.A umbanda começou com os ensinamento do Caboclo das Sete Encruzilhadas. Foram os espíritos que fundaram a umbanda, e são eles os responsáveis por doutrinar os praticantes. Fé, amor e caridade. Existem muitos marmoteiros poraí e isso acontece em todas as religiões e seitas.

      @MDD – Muito pelo contrário. Tirando o centro que eu visito em SP, posso contar nos dedos das mãos os centros que considero sérios no país e recomendaria. A maioria mesmo é composta de capiais e marmoteiros como você falou… ou cavalos, como as próprias entidades os denominam. E olhe que eu já visitei mais de cinquenta terreiros no país inteiro.

      Tenha humildade e tente não menosprezar nossos irmãos, pois um capial pode ensinar muito sim, basta ser humilde suficiente para aprender. Um capial pode ser um ótimo médium e ser um instrumento tão bom para a entidade quanto qualquer outra pessoa. Somos apenas instrumentos para a realização dos trabalhos, um canal de comunicação para a manifestação das entidades.

      @MDD – Não preciso menosprezar ninguém; os próprios cavalos escolhem serem burros de carga ao invés de estudarem. querem ajudar os outros mas não são capazes de ajudar nem a si mesmo. Tá na biblia… antes de tirar a farpa dos olhos do outro, os mediuns precisam primeiro tirar as dos próprios olhos.

      É responsabilidade do médium cuidar do seu corpo físico e espiritual, e existem muitas coisas que filhos devem fazer para purificação. E sim, podem fazer sozinhos. Como por exemplo fazer uma oração antes de dormir, sabe aquelas onde você pede que Deus cuide da familia e olhe por você? Evitar bebidas alcolicas, fumo e drogas. Uma vela branca e um copo com água.
      Com o inicio dos trabalhos pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, foi feita uma casa com o nome de Nossa Senhora da Piedade, dessa casa fundaram sete novas casas, uma para cada Santo/Orixá maior na Umbanda. Essa é a nossa umbanda, veio daí todas as outras casas, a misturança aconteceu pelo caminho.
      É bem comum ouvir falar de Umbanda Traçada, Umbanda Esotérica, Kardecista, Iniciática, Umbanda na Angola, Umbanda no Jeje, Umbanda pura, Até mesmo casas onde só fazem trabalhos na esquerda, casas de Quimbanda… existem tantas classificações desse tipo, que é foda ver que cada dia que passa, mais e mais coisas diferentes aparecem, tendo em vista à variedade de praticantes que se dizem umbandistas, é comum ver gente produzindo fundamentos e rituais, deixando ainda maior as variedades de “umbanda”, sendo que os verdadeiros ensinamentos sobre a nossa Umbanda precisam vir do mundo espiritual.
      A coisa é simples: PAZ, AMOR E CARIDADE!

      @MDD – é como eu disse, tá faltando o estudo ai na trilogia…

      1. Marcelo

        Salve Marcelo,

        Faz uns 6 meses que tenho frequentado uma casa de Umbanda na cidade onde moro. Ainda não conheço muitos terreiros, mas dos poucos que eu conheci, vi que realmente as pessoas que participam da corrente não estão preocupadas com estudo. Aliás, boa parte das pessoas querem ajudar, mas sem muito esforço.

        Lendo outros post e respostas que vc deu sobre o assunto, me parece que suas consultas na Umbanda são essencialmente voltadas para estudo, não? Procuro ir por essa linha também, mas diversas vezes me senti constrangido em perguntar ou ir por essa linha, já que dizem que o trabalho é voltado para caridade… apenas para ajudar quem realmente precisa. Como se a caridade não pudesse ser intelectual também, vide o tdc.

        Nos cursos presenciais que vc ministra aos sábados, depois vocês visitam um terreiro não? É esse terreiro sério que vc comentou acima? No dia 21, do curso de tarot, vcs irão lá?

        E aproveitando.. ainda há vagas para os cursos de tarot em janeiro, em sp?

        @MDD – Ainda há. Devemos ir sim, só vou confirmar com a galera se as giras de 2012 já começaram.Se sim, devemos fazer uma visitinha por lá.

    2. laura fernandez

      porque esse povo ao invés de dar palpite não vai estudar para saber do que esta falando, é isso que me dá raiva na Umbanda a falta de estudo dos adeptos e o pouco preparo, algumas vezes, dos dirigentes, as vezes tiram uma comigo porque estudo muito, é pra não ser como certas pessoas que nem sabem o que estão falando e não veem a criação além do que os olhos físicos podem ver. A criação não começou ontem não já começou muito antes de nós, ou como diz minha dirigente vcs acham mesmo que só existe o planetinha Terra e nós

  33. thiago andrade

    Gostaria de saber se ao fazer tal ritual corro o risco de ser atacado espiritualmente (como você explicou no post mais recente), pois não faço parte de nenhuma ordem. Frequento desde criança uma casa espírita, mas não trabalho como médium. Desde já obrigado pela atenção.

  34. Lu ;-)

    MDD e galera conspiradora;

    Saudações! 😉
    Fiz o RmP Umbandista ontem, e realmente, achei muito legal o resultado, bem acima do esperado! Libera uma energia muito , muito grande, vale muito a pena experimentar.
    Senti uma vibração real e instantânea, só mesmo fazendo pra entender, pois descrever com palavras é difícil….fiquei realmente admirada com as sensações despertadas.
    Com certeza, já está adicionada a minha lista das “10 mais” super práticas do TdC… 😉

    Paz e Luz;

    Lu 😉

  35. Nennefth

    ola Tio
    em “Visualize Omulu sentado aos seus pés, trabalhando em seu alguidar”;
    encontrei referencia na wiki para compor a imagem em : http://www.daemon.com.br/wiki/index.php?title=Os_Orix%C3%A1s_e_a_Kabbalah_%E2%80%93_parte_1
    mas umbanda é algo que não estou familiarizado e não tenho uma imagem “trabalhando com um alguidar” e assim terei de imagina-la.
    Quando o assunto é signo ou tarot, temos aqui imagens bem explicadas, que ajudam bastante na questão dos simbolos, mas nesse caso, ao ter que primeiro compor uma imagem para poder enfim visualiza-la posso estar comentendo vários erros. Seria necessário então fazer um estudo sobre os orixás e toda a simbologia antes de partir para o ritual? Alguem poderia indicar um bom livro ou site para o estudo da umbanda?

  36. JC

    Funcional, Marcelo. Se eu pudesse traduzir uma sensação a mais em palavras, diria que tem mais “calor”, mais “simpatia” em relação ao RMP tradicional. Gostei de praticá-lo, obrigado.

  37. Rodrigo

    Eu acho que um dos grandes problemas, recorrentes da falta de estudo, é justamente o hábito da nossa sociedade de ‘separar’ as coisas. Existem procedimentos, claro, mas as pessoas carecem de entender que energias similares são senão a mesma coisa, representantes da mesma coisa. E vc está ensinando muito bem a acabar com esse preconceito sistemático. Eu mesmo já imaginei enquanto frequentando Umbanda como seria fazer a mesma coisa evocando energias de deuses gregos ou nórdicos, e vi que so mudaria a temática. Tem gente que ainda fica discutindo se o que incorpora são espíritos, energias ou arquétipos – e eu digo – é tudo ao mesmo tempo! O problema é que culturalmente as pessoas não estão preparadas – as pessoas ainda separam a vida profissional da emocional e pessoal da espiritual. Quando na verdade, o futuro de tudo é a confluencia das coisas! Tudo está interligado! Parabéns pela adaptação do ritual.

  38. Priscila G.

    Canhotos devem desenhar o pentagrama com a mão esquerda ou não faz diferença a mão que você usa?

    @MDD – A mão dominante. Em caso de ambidestros, a que você possui melhor coordenação motora. No caso de ambas terem a mesma qualidade, então tanto faz …

  39. Amleto

    Caro Deldebbio.
    E se ao leste, em vez de vibrarmos Oxum, vibrarmos Yemanjá (oceano / águas salgada). Pode ser?

    @MDD – Não, mas tem uma explicaçao energética. Os 4 pontos cardeais no RMP são Binah, Hochma, Netzach e Hod, que circundam a Cruz composta de Kether, Malkuth, Geburah, Chesed e Tiferet. As correspondências energéticas de Netzach caem em Oxum na Umbanda. Voce pode imaginar Yemanja junto com Oxalá completando na segunda vez que faz a cruz pra fechar o ritual.

    1. Amleto

      Ok, Obrigado.
      Ainda bem que perguntei antes! Vamos tentar pela primeira vez no próximo dia 17/03.
      Depois postarei aqui nossas impressões.

  40. Amleto

    O Preto Velho dirigente espiritual de nossa tenda de Umbanda, Pai Joaquim d’Angola, pediu que todos fizessem o RMPU. um a um.
    Explicou-nos, mais ou menos da mesma forma que você descreveu as “consequências”. Começamos depois de um longo relaxamento para frear nossas atitudes mentais; nos desligar dos nossos problemas profanos.
    Foi realmente muito poderoso. Mesmo com o pentagrama banindo, 3 de 12 médiuns “terminaram” o ritual incorporados: 2 Caboclos de Oxóssi e uma Cabolca de Oxum. Todos os demais relataram a energia poderosa que foi sentida. Muito Bom.
    O Pai Joaquim nos disse que, mesmo com nossa pouca (nenhuma) experiência com o RMPU, nossa entrega permitiu um resultado melhor que o esperado.
    Estamos incorporando o RMPU em todos os trabalhos, porém feito apenas pela dirigente. Todos fomos instruidos a exercitar em casa, de manhã invocando e a noite banindo, e assim estamos fazendo. É de se observar que o resultado (sentido) individualmente não é, nem de longe, parecido com o que fizemos coletivamente. Imagino que seja questão de tempo.
    Muito obrigado.

    @MDD – Fantástico. Parabéns.

  41. Amleto

    O Preto Velho dirigente espiritual de nossa tenda de Umbanda, Pai Joaquim d’Angola, pediu que todos fizessem o RMPU. um a um.
    Explicou-nos, mais ou menos da mesma forma que você descreveu as “consequências”. Começamos depois de um longo relaxamento para frear nossas atitudes mentais; nos desligar dos nossos problemas profanos.
    Foi realmente muito poderoso. Mesmo com o pentagrama banindo, 3 de 12 médiuns “terminaram” o ritual incorporados: 2 Caboclos de Oxóssi e uma Cabolca de Oxum. Todos os demais relataram a energia poderosa que foi sentida. Muito Bom.
    O Pai Joaquim nos disse que, mesmo com nossa pouca (nenhuma) experiência com o RMPU, nossa entrega permitiu um resultado melhor que o esperado.
    Estamos incorporando o RMPU em todos os trabalhos, porém feito apenas pela dirigente. Todos fomos instruidos a exercitar em casa, de manhã invocando e a noite banindo, e assim estamos fazendo. É de se observar que o resultado (sentido) individualmente não é, nem de longe, parecido com o que fizemos coletivamente. Imagino que seja questão de tempo.
    Muito obrigado.

  42. Amleto

    Caro Marcelo Deldebbio.

    Mantenho um site na internet que inicialmente se dispunha apenas a agregar informações aos afiliados de nossa Tenda de Umbanda.
    Recentemente, devido ao número crescente de visitas (via google), decidi transformá-lo em um blog apresentando seu conteúdo de maneira mais dinâmica.

    Meu interesse nessa empreitada é apenas aumentar a visibilidade da Umbanda, porém de maneira mais esclarecedora. Apresento, além do tradicional, algumas matérias que à primeira vista de um Umbandista, ou apenas curioso, possam parecer sem relação com a religião, mas para o leitor que vai até o fim, mostram um lado mais racional da Umbanda.

    Sou fã de seu trabalho e de outros “professores” como p.ex. o Beraldo Lopes.

    Possuo no blog algumas máterias do Teoria da Conspiração, com a autoria devidamente creditada (inclui links), que postei sem lhe pedir, pois imaginei não haver problema uma vez que dava os créditos e lí, em algum coment de seu blog, que seu interesse em mantê-lo é, principalmente, agregar mais pessoas às égregoras em que participa.

    Se você desejar, retiro-as imediatamente.

    O motivo desta mensagem (queria enviar email mas não achei o seu endereço), além de confirmar se você autoriza a continuidade das matérias, é perguntar-lhe se posso colocar no meu blog um link para o Teoria da Conspiração. Como ainda estou formatando-o (não possui ainda uma secção de links) pretento linkar alguns sites que acho muito interessantes e de conteúdo edificante.

    @MDD – Pode usar todo o material que desejar deste blog.

  43. Felipe

    Não sou umbandista mas de vez em quando vou ao centro de umbanda e tenho grande simpatia ao seu Tranca Ruas das Almas. Praticando todos os dias esse RMPU poderia me auxiliar na mediunidade na umbanda ou saber se possuo tal mediunidade para a umbanda?

  44. Felipe

    Esse RMPU poderia facilitar a conexão com os Orixás e Exus da Umbanda?

    @MDD – Sim

  45. Thiago Abdalla

    Olá Marcelo.
    Eu gostei muito da relação que você fez para o Wicca e com certeza vou usa-la (depois conto como foi) mas também sou muito próximo da astrologia.
    Ao invés de pular a cruz eu poderia fazê-la usando os correspondentes astrológicos de Binah, Malkut, Chesed, Geburah e Tiferet: Plutão, Terra, Júpiter, Marte e Sol?
    Vou confessar que também sou tão próximo quanto do tarot, portanto usar cartas correspondentes no ritual pode ajudar em alguma coisa? Quer dizer… “quanto mais” símbolos fortes de proteção nos quais acredito estarem no ritual… ajuda?

  46. internauta

    Tio Del Debbio,
    de tanto praticar o RMPU nos mesmos locais(mesa no trabalho, antes de estudar, quarto de dormir, banheiro…),
    eh normal a sensação dos pentagramas flamejantes e as entidades citadas “baixarem” no local, como se estivessem descendo por fios(como acessórios de cenários de palco)?
    Ou como se houvesse uma “tampa” ou “redoma” gigante/azulada/espessa/transparente caindo por cima de todo o local,
    com os símbolos(pentagramas, cores, sigilos, estrela de 6 raios…) junto com
    as entidades “adesivadas” nesta “tampa” ou “redoma”?

    …Sei lá, se ao menos for bobagem da minha cabeça ainda noob,
    percebo que os exercícios de visualização têm funfado…
    …até meu expediente no trabalho e sono ao deitar têm sido mais tranquilos…

    @MDD – Sim, é uma maneira da sua mente concreta entender estas energias se manifestando.

  47. DaniPepper

    Vou relatar minha experiência com o RMPU.

    Pra começar, não sou umbandista porém tenho uma admiração muito grande pela religião e também por Yemanjá. Semana passada, entraram no pátio aqui de casa e roubaram minha cachorra. Fiquei muito triste, mas fui seguindo minha vida e com as práticas da A.’.A.’. Algum tempo vinha estudando as caracteristicas dos Orixás, e reli esse post. Veio a intuição de tentar fazer ele no lugar do RMP. Ao final, senti que estava descansada mentalmente, e fui dormir com uma ótima sensação.

    Passado a noite, de manhã, eu estava indo para o ponto de ônibus e eis que vejo minha cachorra do outro lado da esquina, corri até ela e levei ela para casa muito contente. “Coincidência” ou não, eu estava sentindo o manto de Yemanjá em meus ombros e aquela alegria sem fim.

    Agradeço aos Orixás pela recuperação de um ser muito querido meu, e a você MDD por ter colocado mais esse ensinamento disponível para nós. 🙂

  48. aeioutil

    “O RMP é o mais eficaz método de “desinfetar” um ambiente astral e é recomendado antes de qualquer consagração ou operação mágica”

    Concordo que para fins de magia prática, o RmPU seja a melhor ferramenta para colocar o magista familiarizado à Umbanda em contato com as energias a serem trabalhadas, mas ainda acho que a boa e velha defumação, nos moldes do terreiro ou simplificada, continua sendo o melhor “desinfetante astral” que um praticante possa se valer (claro, sempre que os apetrechos – carvão, ervas, etc.) – estejam disponíveis). Até mesmo pelo ato físico de varrer com fumaça o local ritualístico. Ainda concordo com a praticidade de qualquer RmP, não conheço ninguém que ande com um Athame no bolso!
    Quem sentiu, como eu,  “coisas diferentes” apenas de ler o ritual pela primeira vez talvez se surpreenda com os efeitos combinados da defumação prévia seguida do banimento, permitindo às energias elementais dos Orixás cumprirem seu digno papel (representantes em Malkuth das energias manifestas do Universo) ao invés de meros guarda-costas pessoais do praticante. 

  49. Lucas Oliveira

    Bom, como comecei por aqui, eu nunca tinha feito o RMP tradicional da Golden Dawn e só vinha fazendo este para os exercícios do A.’.A.’., mas resolvi testar esse também agora.
    As principais diferenças que senti entre eles:
    – O RmpU faz meu corpo formigar muito mais e eu sinto bem mais forte a presença dos meus guias espirituais;
    – O Rmp tradicional mexe um pouco mais com meu mental, sinto ele agindo bastante sobre meu Ajna e enxergo muitos vultos de energia passando ao meu redor; a energia deste segundo me parece um pouco mais sutil pois meu corpo formiga bem menos, mas tenho a sensação de estar sendo puxado pelos dois braços.

    1. André Almeida

      Interessante, Lucas, estou pensando em testar pra ver se ocorre o mesmo comigo…

  50. Lucas Oliveira

    MDD, como o ritual faz uso de um simbolismo, ter em memória a energia que estamos invocando ajuda no sucesso do ritual? Por exemplo, fazer uma visita aos Andes ajudaria a fortalecer nossa mente na cristalização ou mais alguma coisa?

  51. André

    Marcelo, será que não estão invertidas as posições de alguns orixás?
    Oxum correspondendo a Rafael; Xangô a Gabriel; Iansã à Miguel; e Uriel a Exu?
    Tá certo mesmo?
    Não seria a sequência Iansã (ar), Oxum (água), Xangô (fogo) e Exu (terra)?

    @MDD – Elas estão corretas dentro da Kabbalah. Dependendo de qual terreiro e com qual pai-de-santo voce estudou, eles vão usar outras partcularidades dos orixás (como associar Xangô ao fogo, por exemplo…). Na correspondência com a Árvore da Vida judaica, estas foram as que melhor se correlacionavam (Xango é Saturno/Binah… portanto Terra)

    1. Ramon

      Não é relacionar os Orixás com os Arcanjos e suas respectivas regências. É utilizar os Orixás em suas regências nas coordenadas brasileiras. Lá os Arcanjos ficam Leste-Ar, aqui é Leste-Água, então no nosso Leste fica Oxum e não Iansã. No RmP tradicional não muda porque se utiliza da egrégora de lá. Em compensação, comigo, o Umbandista é bem mais forte que o tradicional.

  52. Márcia

    Muito bom! Muito obrigada!

  53. Thiago

    Marcelo,

    Eu não possuo um altar, existe algum problema?

    O RMP pode ser feito em qualquer lugar, como uma forma de guardar mentalmente todas as partes? Por exemplo no escritório ( se não me engano, já li em algum lugar que vc fazia isso)

    E pode ser feito mentalmente?

  54. Thiago Granja

    A agua não seria Iemanjá? Digo, tanto ela como Oxum representam a água, mas Iemanjá não seria “hierarquicamente “superior” a Oxum, por representar o Mar (Oceano Atlântico)?

    @MDD – O Correto é Oxum mesmo, que representa Netzach 🙂

    1. Thiago Granja

      Tudo bem então. Outro questionamento que me veio à cabeça depois é o fato de o texto falar sobre no Brasil o Leste representar o elemento água, já que o oceano está à Leste. Este fator apenas reitera meu entendimento de Iemanjá ser patrona do elemento água, já que por ser a “Rainha do Mar” estaria ligada diretamente a este elemento.

      Não conheço as Sefiras e fico devendo uma discussão mais embasada nesse sentido, mas agradeço o tempo tirado pra responder minha questão! Abraços!!

  55. Claudio

    O ritual serve de protecao pessoal

  56. Emmanuel

    Dúvida: os pentagramas e o hexagrama devem ser visualizados com ou sem um círculo em volta?

    @MDD – 1) sem, 2) com

  57. Djér

    “Toque o ombro esquerdo e diga “PAI OXÓSSI””… encostou que foi lindo! rs

    Gostei demais! Grande abraço!

  58. Daniel Maya

    Alguma novidade? E o maior umbandista? E dia hexagramas?

  59. Jean

    Saudações!
    Pratico o RMP visualizando-me na intersecção de samek com peh. Para praticar sob o prisma da egrégora umbandista, estas associações com a Otz Chimm continuariam valendo?
    Pois para manter a visualização da árvore com tais correspondências não teria que começar pelo sul/ar/Iansan/Tipheret? Pois neste modelo inicia de frente para leste/água/Oxum/Netszach… Isto me trás certas dúvidas, sobre o que o RMP convencional tem me ensinado.
    Ou a fidelidade ao RMP tradicional e suas correspondências teriam que ser deixados de lado para o ritual umbandista?
    Grato
    Jean

  60. Felipe Soares

    Olá Tio, gostaria muito de esclarecer uma dúvida a respeito do RMP.
    Eu sou umbandista e nunca havia feito o RMP, ontem decidi começar a fazer antes de fazer os exercícios da primeira monografia.
    Como eu não vi mais respostas ou comentários em relação aos testes entre o RMP e ao RMPU queria saber qual dos dois seria melhor para executar.

    Outra coisa, eu tenho uma facilidade imensa em ouvir o que estou executando durante os exercícios mas tenho uma dificuldade imensa de visualização. Não consigo ver quase nada e tenho que me esforçar muito, fica aparecendo muitos pontos coloridos quando fecho os olhos e é raro visualizar as 4 figuras do exercício, a que tenho mais facilidade é a segunda, a esfera de água, depois o cubo de mármore que já é mais difícil, a piramide vejo vagamente mas a luz que emite dela é difícil e o octaedro é quase impossível eu conseguir ver.
    Essa dificuldade tem relação com cada elemento ou é apenas por falta de prática mesmo? Porque ouvir a voz do meu pensamento é extremamente fácil, mas visualizar está bem difícil.Também sempre aparece algum ponto de exu tocando no fundo da minha mente quando vou fazer, mas creio que talvez seja pela falta de concentração.

    Se não forem duvidas irrelevantes, gostaria que me auxiliasse. Valeu!

  61. Gabriel

    Olá, não sou umbandista mas gostaria de tentar realizar o ritual mesmo assim. Tem algum problema se fizer apenas voltado para o leste sem ter nenhum altar ou coisas do gênero?

Deixe uma resposta