Questionário de uma Ordem Iniciática de 1913

Antigamente, Ordens Iniciáticas eram coisas sérias. Suas provas não eram “simbólicas” e os estudos magísticos deveriam ser dominados com o mesmo rigor que os estudos acadêmicos. Os clássicos do assunto devem ser dominados, não porque eles sejam absolutamente confiáveis, mas para que o aluno possa saber o que tem sido dito sobre o assunto pelos melhores pensadores de todas as eras. Depois de alguns meses de estudo (pelo menos) um exame era feito. Aqui está o questionário de 1913.

1. Anote as principais correspondências dos signos Leão e Aquário, do planeta Júpiter e a sephirah Tiphareth.

2. Faça um estudo de todos os múltiplos do número 17 abaixo de 1000, e se esforce em traçar uma conexão entre eles.

3. Faça um estudo dos vários métodos recomendados pela A.’.A.’., e esforce-se em classificá-los sob quantas categorias for possível.

4. Dê uma interpretação de Tannhäuser, “Adônis” e Sir Palamedes the Saracen, em termos de Qabalah.

5. Escrever um ensaio sobre o significado místico da vesica piscis, do Triângulo-Equilátero e da Hipérbole.

6. Compare os métodos místicos de Molinos e Lao-Tsé.

7. Dê algum relato da ideia hindu das partes do Corpo e da Alma.

8. Compare as Baquetas descritas por Eliphas Levi, Abramelin, o autor da Goetia e Frater Perdurabo, afirmando qual prefere e por que.

9. Desenhe um Pantáculo sintetizando o número 666.

10. Escreva um Ritual completo, com Talismãs, Plano do Templo, etc., para a produção de uma tempestade.

11. Discuta as diferenças entre o hinduísmo e o budismo no que diz respeito ao atman, afirmando a qual doutrina você se inclina mais, e porquê.

12. Dê ou (a) uma comentário completo e cuidadoso sobre quaisquer 5 capítulos consecutivos de O Livro das Mentiras, ou (b) um comentário e crítica sobre “The Psychology of Hashish”, ou “The Training of the Mind”, ou “Soldier and the Huncback”

Este post tem 72 comentários

    1. Jamerson Levi

      Sim Irmão !! ^^

  1. André Ricardo C. Pereira

    E em 1913 não existia internet, nem banco de informações de fácil acesso…
    Deve ter sido uma época complicada para estudar…

  2. X

    Antes desse texto eu me considerava “estudante” (por não ter muito conhecimento mas sempre estar buscando aprender cada vez mais), agora, depois desse texto, eu oficialmente me rebaixo a “curioso” rs

    1. Gustavo

      Fui obrigado a me rebaixar a “curioso” também. hahauhauhauhauahu

      1. Mazzarin

        oficialmente me rebaixo a “curioso” (3)

        1. Vinícius

          Curiosíssimo!

          1. Sol

            …..acho que até pra curiosa não tô me qualificando, depois dessa aí…. Rsrsrsrsrs

    2. Luca Miranda

      Curiosa.

  3. Shlomo

    25 páginas? Ok. A questão 9 é de uma página, as questões 1 e 8 devem dar duas páginas cada, a questão 10 tem três páginas (usando um desenho). A questão 2 eu precisaria responder só a conexão, pois descrever todos os 58 múltiplos de 17 seria demais. A questão número 3 eu não posso resonder. Mas acho que não conseguiria resumir as questão 4 e 12 em algo menor do que duas dúzias de laudas.

    Meu estudo sobre o Livro de Ester para o Beit Din (sem aprofundamento simbólico) tinha mais de 60 páginas.

    @MDD – hmmm… o meu deu menos de 4 pgs. Vou rever este tópico. thanks.

    1. Shlomo

      Meu comentário é mais para dizer que a concisão depende do vocabulário de quem responde.
      Pra mim, as sefirot são “historinhas”. Então, pra eu falar sobre uma esfera, eu preciso contar a história toda (um monte de páginas).
      Imagino que as palavras do teu vocabulário também já sejam extremamente densas de significados pra ti. Adônis, Tammuz e Osíris são muito parecidos pra mim, então eu preciso me explicar (contar toda a historinha) cada vez que faço referência às diferenças. Já pra ti basta dizer “Adônis” em vez de “Tammuz” e o sentido já está claro.

      @MDD – De uma certa forma sim; relendo os textos, eu reparei que respondi o questionário para “mim mesmo”; se fosse uma prova externa, para mostrar para outros acadêmicos, acho que certamente teria me extendido muito mais em cada parte.

      1. Shlomo

        Aliás, se tem uma coisa que demonstra comprometimento com os estudos e vontade de aprender é fazer uma prova “pra si mesmo”.

        Mais que isso, só quando a pessoa ainda “se dá” uma nota B… “É, eu poderia ter respondido melhor essa aqui”.

        😉

      2. Caio Calandrino

        Quando já subeentendemos a egrégora, não é necessário se alongar sobre o que se escreve e isso é muito comum de nos levarmos a textos que para nós são altamente compreensíveis e que precisam serem explicados com certos cuidados. Por isso aprendi na faculdade que o discurso ou texto que escrevemos depende para quem escrevemos e com qual finalidade escrevemos e isso é colocado em prática nas minhas instruções da Ordem.

  4. Thiago Roque

    essa ordem sem nome acabou?

  5. Eduardo Nunes Pereira

    Essa prova pode virar um tópico muito interessante dentro do Projeto Mayhem, quem completar posta as suas respostas no tópico.

  6. Mario

    Livros para consulta e um dicionário do lado né..rs

  7. internauta

    Justo & Perfeito! Obrigado por compartilhar mais um mapa de indicações de estudo, junto com as Colunas dos Blogs de Ocultistas Parceiros daqui, Bibliografia Básica, Exercícios Práticos e de Visualizações, e a Wikipédia Mayhem! Dorminhocos Acordando! MUITO OBRIGADO MESMO! Muita Paz e Luz!

  8. nossa .__.
    está certo que ainda não sou um Frater como sentido completo do termo, muito menos a bagagem necessária pra responder esse questionário. Isso mostra o quão sérias e exigentes eram as ordens antigas.

    Fico feliz de ser um Companheiro de Jornada do CIH, pois o Fr Goya cobra muito dos seus, quem sabe, futuros aprendizes. Sei que essa é a forma correta, pois com a rigidez com que me foram cobrados certos pontos aprendi muito em pouco tempo de estudo sério.

  9. Vinícius Pedro

    qual seria essa ordem?

  10. Gustavo Costa

    Meu deuso, cansa só de imaginar, mas admiro quem tem força de vontade para se esforçar neste sentido ( pesquisar e fazer monografias ).

  11. Douglas

    Existe atualmente alguma ordem discreta que se aproxima de uma metodologia tão rígida/séria quanto essa?
    Que ordem é a citada no texto?

    @MDD – Foi usado pela GD, pela AA e por outras do começo do século XX.

  12. Fabio Almeida

    Excelente! Apenas uma opinião…
    Talvez mais questionários como esse, em diferentes níveis (Very Easy, Easy, Standard, Hard, Very Hard) 😉 seriam muito bem vindos!
    Quem sabe algo em paralelo com a sessão “Exercícios”. Creio que os estudantes de ocultismo que acessam o blog, principalmente os que não possuem vínculo com nenhuma ordem iniciática, iriam se beneficiar muito, auto-avaliando se desta maneira. O questionário pode assustar, mas é no esforço pela busca, e na construção sincera das respostas que vem o aprendizado.

  13. joão s.

    caro marcelo gostaria de saber se o senhor conhece algum bom livro sobre xamanismo e o que o senhor acha do livro magia branca magia negra de Franz Hartmann,agradeço desde já

  14. joz

    tipo, fazer tempestade? isso era o basico para entrar??!!1!
    caramba,surpreendente demais isso =]
    n quero nem imaginar o avançado =/

    @MDD – Não é tão básico assim… mas sexta feira passada eu tive de acabar com uma chuva torrencial em duas horas para poder ir do Galeão de volta a Vix no tempo certo.

    1. Bruno Mais

      MDD, obrigado, ajudou muito no trânsito daqui da Ilha …

    2. Totonho Paixão

      Queridos,

      Me ajudem a resolver a equação abaixo, e não vale responder 42 ! rs

      Existe uma comprovação, demonstrada a um grupo x, de que é possível o controle de eventos metereológicos. Esquecendo o objeto do controle, seria possível controlar efeitos ainda incontroláveis pelo homem com a atual tecnologia.

      Este grupo deseja o desenvolvimento de seus integrantes e estes por misericordia desejam o bem dos não integrantes do grupo.

      Qual o motivo de não terem ainda criado um grupo aberto para compartilhas esta metodologia com os cientistas leigos?

      Poderão responder: pérolas aos porcos…

      Mas pensem comigo, um conhecimento deste tamanho, que mudaria toda a ordem social, ficaria secreto a este ponto até hoje?

      Sou total crente em magia mas sou muito discrente na postura: Fui ali e fiz uma tempestade.

      Achei até que o questionário se referia a tempestade no sentido figurado mas depois que o MDD exemplificou fiquei com esta pulga atrás da orelha.

      @MDD – a resposta é muito simples e você mesmo a deu: Pérolas aos porcos. Vamos imaginar um caso (real) de uma pessoa que consegue enxergar o futuro, com alguns dias de antecedencia. Este poder funciona de vez em quando, de uma maneira que essa pessoa não consegue entender 100%… as vezes são lampejos, às vezes são intuições, às vezes erra, na maioria das vezes acerta… ela trabalha na bolsa de valores e sua residência vale cerca de 5 milhões, para dar uma ideia da grana que ela tem. Se voce fosse esta pessoa, voce iria lá se oferecer para um babaca como o James Randi e seu circo? Exemplo 2: voce é um/uma médico/a neurocirurgia de um dos maiores hospitais do país, com doutorado na Europa, em posição de destaque. Voce iria se oferecer para testes com pseudo-céticos para estudar como suas 16-18 entidades o auxiliam em suas operações? Você é um investigador de polícia extremamente prestigiado. Abriria para os “honestos e integros membros da ciência ortodoxa” o fato que voce conversa com os assassinados e eles te contam quem os matou, por isso você é tão bom no que faz? São tres respostas obvias… eu poderia citar pelo menos 50 exemplos de amigos pessoais meus, do pq eles nao perdem seu tempo tentando convencer pseudo-céticos de que magia existe. Ninguém que tenha mediunidade ou poderes reais esta a fim de participar do circo de aberrações da ciencia materialista. Estas pessoas ajudam ao próximo e a humanidade em segredo, em centros kardecistas, terreiros, através da maçonaria, R+C, etc.

      1. Totonho Paixão

        MDD,

        Eu citei a máxima das pérolas e dos bichos odiados por judeus pois queria descartar esta linha na sua resposta pois compreendo totalmente e concordo com o que você colcou.

        Porém, quis em meu questionamento levantar o real motivo que impede que estes grupos criem centros de pesquisa (em centros e lojas por exemplo) que produzam resultados que possam ser analisados, não por céticos doidos por fazer cena, mas por leigos que possam interpetrar os resultados não com os olhos cheios de paradigmas da ciência materialista mas com olhos de uma nova ciência que, mesmo sendo nova, deve retornar resultados calculáveis.

        Em resumo, acho que tudo que EXISTE deve seguir alguma regra na maioria de suas ocorrências, logo pode ser medido e descrito. Se “fazer chuva” é REAL e existe uma metodologia para tal não seria simples demonstrar?

        Entendo que talvez estes grupos não controlem todas as variáveis que vão gerar total certeza de resultado ou ao menos interpretação da falha, mas nunca vi nem sequer uma tentativa de observação de relação entre métodos e efeitos.

        Exemplo: Ritual X move uma folha em condições A, Se não mover quais as variáveis que podem ser estudadas para garantir a uniformidade de resultados ou a previsão de falha?

        @MDD – nao vai funcionar desse jeito, porque logo na primeira vez que voce for tentar fazer um experimento destes sem uma razão que justifique a intervenção daqueles elementais eles já vao passar a te ignorar. Examinar as vezes que havia alguma necessidade real e as mandalas usadas, o tempo de resposta e coisas assim é possível e é feito dentro de algumas Ordens, como a Sírius-Gaia, por exemplo. Mas os resultados ficam dentro dessas ordens e muito dificilmente serão divulgados, mesmo porquê são relatos e sempre vai ter um sujeito leigo para questionar o que nao conhece, então a maioria das Ordens nem perde tempo ou energia nisso.

        1. Nefasto

          Isso existe. Existem médicos acadêmicos que estudam a glândula pineal e suas funções, focando no contato com o plano espiritual. Isso na UFRJ.
          ALém disso, diversos centros trabalham com cirurgias espirituais, sejam eles de umbanda, kardecistas ou espiritualistas de sentido amplo.
          Nesse momento, diversos cientistas, despojados de suas funções terrenas, estão em grupos dos mais variados investigando o oculto.
          Mas, como disse MDD, não esteremos em público jogando pérolas aos porcos.
          SPT, paxetlux!!!

      2. Lu ;-)

        Tio…eu fiquei com uma dúvida parecida…
        quando comecei a ler sobre Ocultismo/Espiritualidade, li umas entrevistas do Paulo Coelho, na qual ele dizia saber chover e ventar. Well…um misto de espanto e incredulidade, na época, mas, depois de um tempo e muitas leituras, passei a achar plausível (apesar de que continuei a achar muita vaidade/futilidade do cara ficar se vangloriando, e tals…

        (Para quem tiver curiosidade, achei uns links de algumas entrevistas antigas na qual ele fala da questão da chuva:
        http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/oscar_cabral/reportagens/paulo_coelho.html

        http://veja.abril.com.br/220801/entrevista.html)

        Sobre esses fenômenos – provocar ou interromper chuva, ventania, neve (pelo pouco que sei, e me corrija se estiver errada, Tio…) temos milhares de relatos, desde místicos e alquimistas da Antiguidade/Idade Média, até os magos da “ era contemporânea”, digamos assim (Franz Bardon e outros. Inclusive cito o interessante relato de Frater Prophecy, sobre a interrupção do tornado, no artigo “Corrupção Moderna da Magia”, que é, inclusive, objeto de análise aqui no site, essa semana).

        Uma outra opinião interessante sobre provocar esses fenômenos (chuva, vento) é a do Mago Daniel, disponível na página http://danieldeavila.com/arganthus.html. Depois que li esse artigo dele, na época, eu meio que me convenci que provocar esses eventos fazia parte do treinamento da Vontade do Magista, e não seria uma habilidade meramente para fins egóicos…tipo… “ah, tô com um pouco de calor hoje, agora vou provocar uma chuvinha só para mostrar PARA MIM que eu sou o cara, que EU consigo…” e tals….
        Entendi que era um daqueles testes de vontade…Como os yogues que, após alcançar os “sidhis” (dons mágicos), não devem se deixar impressionar por eles, sob pena de entrarem na espiral descendente dos falsos encantos do ego, com todas as coisas que a gente já sabe, e blá, blá, blá…

        Concordo e compreendo sua resposta ao Totonho…Mas, por favor…veja se entendi certo: se o Magista entende que provocar esse evento pode ser de alguma forma útil para sua rotina, e se for dentro dos padrões do “bom senso” (depois de examinar as conseqüências kármicas, que não vai prejudicar os outros, etc…), ele poderia manipular os Elementos, sem estará havendo uma quebra de “ética”, certo?
        Me parece que foi seu caso, Tio: usou sua Vontade para interromper a chuva, de acordo com uma necessidade pessoal urgente, mas não prejudicando ninguém – então, nesse caso, foi ok? Funciona “mais ou menos” assim?

        @MDD – Nao sei se nao prejudiquei ninguém. Houve um pedido aos elementais superiores para que intercedessem em meu favor pessoal; tudo foi julgado e considerado procedente e o pedido foi atendido. Qualquer karma decorrente daquela modificação de uma força natural seria responsabilidade minha a partir do momento em que interrompi algo que estava acontecendo de maneira natural. Alguém que ache que vai conseguir mexer com os elementos superiores só pra “ver se consegue” vai descobrir que não consegue rsrsrsrs
        é o mesmo ponto em evocações… a primeira coisa que qualquer entidade vai perguntar é “por quê voce me chamou?” Se a resposta for “pra ver se eu conseguia” ou algo do tipo, pode apostar que o infeliz vai se arrepender de ter conseguido…

        1. Lu ;-)

          Tio, valeu por responder!
          Isso aí que vc falou ( “a primeira coisa que qualquer entidade vai perguntar é “por quê voce me chamou?” ) sempre foi minha opinião, tbm…
          parece essa galera q fica querendo mexer com Goetia e tals, mas nem sabe direito prá que ou o q está envolvido…;-)

          Paz e Luz!
          Lu 😉

        2. Caio

          @MDD-a primeira coisa que qualquer entidade vai perguntar é “por quê voce me chamou?” Se a resposta for “pra ver se eu conseguia” ou algo do tipo, pode apostar que o infeliz vai se arrepender de ter conseguido…

          HAUAHAUAHAHAUAH o senhor ja tentou?

          @MDD – Nao só tentei como consegui… algumas vezes. Só que todas as vezes eu tinha os objetivos e motivos muito bem delineados 🙂

  15. Cacarut

    Marcelo, você poderia disponibilizar suas respostas pra estudo e para ter uma ideia da densidade das questoes?

    @MDD – Não. Porque ai voces vao ler apenas a resposta pronta e ai acharem que sabem as respostas…

  16. hata

    Gostaria de saber se é possível saber qual o nome do autor do livro “The training of the mind”? Por ser um título meio comum não conseguir definir com certeza qual é pelo google. Fiquei curioso agora para ler ;D

  17. Sandro

    O interessante em algumas Ordens é exatamente o estudo comparado para que o estudante crie sua opinião a partir do conhecimento adquirido. Admiro muito as obras de Crowley exatamente por esse esforço. Ele costuma dar a visão hindu, a budista, a cristã, a mística, das antigas religiões e a mulçumana em quase tudo o que escreveu, criando um conceito abrangente aos demais, mas também próprio, como pode ser percebido no Livro de Toth e no 333.
    Creio que é essa exatamente a diferença do ocultista para o místico: o ocultista estuda, compara e também experimenta, enquanto o místico, na maioria das vezes, apenas segue experiências pessoais. O místico tem seus estudos, ou experiências, bem focados nas energias de yesod e netzach e o ocultista atrela isso à racionalização de hod. No início da caminhada, todos temos uma parte Hod ou Netzach mais desenvolvida e com a qual trabalhamos melhor, mas para prosseguir, é necessário fundir as duas. Creio que só em tifereth para cima as duas estarão bem equilibradas, mas é bom não nos pendermos demais para nenhuma das duas logo de cara. Exemplo: um estudante muito racional e dedicado, obterá muito bem o conhecimento teórico e na prática, poderá ter dificuldades em realizar magick, ou cair na racionalização máxima do cético. Alguém muito intuitivo ou emocional pode até realizar magick sem saber o que está fazendo direito e “queimar os dedos”, ou se tornar um fanático religioso, ou alienado. Que é difícil unir os dois termos é… bom que ainda temos pessoas e Ordens que tentam isso. Estudar nunca é demais.

  18. RU

    Fica a critério da ordem, mas o que eles queriam era neófitos “enciclopédicos” pelo jeito. O cara pode ler e estudar milhares de livros sobre ocultismo, mas isso não garante que o cara consiga encontrar sua essência e realizar sua verdadeira vontade. Ler é ótimo para o conhecimento e para gerar reflexões profundas, mas usar isso como critério para ser aceito em alguma ordem é de se esperar que só tenham ratos de biblioteca lá dentro. E a parte prática? Vale muito mais uma experiência vivida e que traga um aprendizado interior para a pessoa do que ficar lendo vários livros. Sua essência e a Magnum Opus independem de quantos livros você leu na vida.

    1. Nesse caso, esse questionário seria para o nível de Estudante, que antecede o pseudo-grau de Probacionista, e este por sua vez antecede o primeiro grau real, o de Neófito. O intento desse nível de Estudante é dar uma base teórica para todo o interessado em ingressar na Ordem, uma vez que pode ocorrer (e muito aconteceu) de os aspirantes não possuírem sequer uma básica noção em conceitos necessários para proseguir com a probação, que, por sua vez, é teórica e prática a ponto de preparar o probacionista a assumir DE FATO o grau de Néofito.

      Isso dito pode ser comprovado pelas seguintes citações:

      ” Devido à tensão desnecessária lançada sobre os Neófitos por pessoas despreparadas totalmente ignorantes do básico tomando o Juramento do Probacionista, o Imperator da [Ordem] , sob o selo e pela autoridade de V.V.V.V.V., ordena que todas as pessoas que desejam se tornar um Probacionista da [Ordem] devem primeiro passar por três meses como um Estudante dos Mistérios.

      ” Ele deve possuir os seguintes livros: — [Currículo disponível em The Equinox Vol. 1 Num. 7]

      ” Um exame desses livros será feito. O aluno deverá demonstrar um conhecimento aprofundado neles, mas não necessariamente compreendê-los em qualquer sentido mais profundo. Ao passar no exame, ele poderá ser admitido ao grau de Probacionista.”

      Também:

      ” Após três meses o Estudante é examinado nestes livros, e se o seu conhecimento sobre eles for tido como satisfatório, ele pode se tornar um Probacionista.”

      Falando de um modo mais geral, a pessoa que estiver preparada para entrar em uma relação vitalícea com a magia e o misticismo deve primeiramente procurar alguma coisa sobre o assunto! Ela deve se educar nos clássicos, absorver a literatura mais popular e desenvolver uma base suficiente para que possa entender e participar de uma discussão razoável sobre esses assuntos. Uma vez que ele tenha essa base, e que tenha demonstrado boa vontade – ou melhor, entusiasmo – para investir tempo e esforços no assunto, ele pode ser admitido ao Grau de Probacionista.

  19. Mariana Nobre

    Nossa, depois dessa também vou me declarar oficialmente curiosa rsss
    Mas gostei! Vou copiar os tópicos e me guiar a partir daí (além de pelo menos me filiar logo à A.M.O.R.C.).
    =)

    1. dungberg

      bem, se você acha que na amorc vai estudar isso… eu ainda estou esperando… às vezes sozinho vai mais rápido….
      conheça um pouco mais o frater goya e voce vai entender melhor meu comentário.

      @MDD – São duas instituições diferentes. Para quem está começando, vou sempre recomendar a AMORC primeiro, por conta da Tradicional Ordem Martinista, mas depois de um ano, dois anos lá dentro, o CIH certamente também é uma ótima opção para quem quer estudar mais a fundo a magia ritualística.

      1. Mariana Nobre

        Justamente MDD, estou começando e vou pra A.M.O.R.C. mesmo.
        Mas eu não quis dizer que lá vou aprender exatamente aquelas respostas do questionário. Até porque se não entrei ainda, não tenho como saber o que vou aprender. E nenhuma ordem vai me dar isso de graça; se eu quiser as respostas, eu tenho que buscá-las pelo meu próprio caminho, sem ordem ou com ordem.

  20. Bruno Mais

    Nos tempo dos grandes poderes, além das grandes responsabilidades,grandes testes ;P

  21. Aquiles

    10. Escreva um Ritual completo, com Talismãs, Plano do Templo, etc., para a produção de uma tempestade.
    *
    Li em vários fóruns que esses tipos de rituais não devem ser o objetivo do mago, que ele deve se concentrar na reforma interna.
    Bateu a dúvida, deve-se treinar para provocar esse tipo de mudança no ambiente também? [nota: não tenho concentração nem pra mexer uma folha, quanto mais provocar uma tempestade, mas… você sabe né, o céu é o limite! 😉 ]

    1. O objetivo não é que o aspirante possa, de fato, criar uma tempestade, mas que tenha a capacidade e conhecimento para elaborar um ritual completo, com todos os paramentos, preparações e demais necessários para qualquer que seja o objetivo. É essa capacidade que seria avaliada.

  22. Gabriel Lazarin

    Pensei que com o que lia era considerado um estudando de ocultismo, mas agora percebo que por enquanto estou na parte de “curiosidade”.
    Assim como o nosso amigo ali de cima, fico feliz por ser um Companheiro de Jornada do CIH, pelos mesmos motivos. O Frater Goya não exige mais do que precisamos saber porém, é sempre bom ter um conhecimento elevado sobre aquilo que pretende fazer. Fico agradecido por esse post Tio Marcelo, sempre enriquecendo seu portal Teoria da Conspiração com conteúdos muito bons e que sempre irão ajudar aqueles(as) que se interessam em estudar Ocultismo, além das outras colunas que ajudam muito também.
    Obrigado!

  23. Luciano

    Era dada alguma bibliografia para esse questionário? Se sim você poderia informar?

    @MDD – A bibliografia são todos os livros disponíveis; saber selecionar o que presta e o que não presta também faz parte do processo.

  24. Rahi

    ééé, n sei é nada mesmo..
    massa. bastante coisa pra estudar.
    alguma literatura a sugerir?

  25. Anarcoplayba

    Eu acrescentaria algumas perguntas perguntas:

    Compare a Bíblia com o Alcorão.
    Compare o Alcorão com a Torá.
    Compare a Biblía com a Torá.

    Trace um paralelo em versinhos dodecassílabos entre a bíblia, o alcorão, a torá e as obras completas de Shakespeare, fazendo um comentáriozinho erótico a cada um dos personagens.

  26. joão s.

    caro marcelo,o que o senhor acha de franz hartmann?

    @MDD – Pode ler os livros dele sem medo.

  27. Humberto

    93!
    Fiz aniversário ontem! Responder esse questionário é uma ótima meta para eu atingir até meu próximo aniversário. Nada melhor para exercitar a Vontade do que ter um norte para seguir.
    Mais uma vez: Obrigado, VIctor! (quem te mandou o texto)
    93,93/93

  28. Sandra Neves

    Depois de ler este questionário, acho que não sei nada. Seria reprovada.

  29. Acauã Silva

    “2. Faça um estudo de todos os múltiplos do número 17 abaixo de 1000, e se esforce em traçar uma conexão entre eles.”
    Magia na matemática, isso quebra minhas pernas!!!

    1. Vinícius Pedro

      matemática sempre quebrou minhas pernas

  30. ³³²²³²³

    tem acertar todas p passar? como é q é?

    @MDD – tem de Saber todas para passar, é um pouco diferente de decorar as respostas…

  31. Renato Cardoso

    Pensei que eu soubesse alguma coisa. Agora “só sei que não sei”

  32. Hendrio

    Todo mundo esperando os wallpaper de Binah, Chokmah, Kether e… Daath, claro.

    No aguardo.

    Abraços

  33. Bela Vrask

    Deprimi…só sabia a resposta 7 -.-

    Assim como a Mary(Mariana Nobre),também percebo que sou apenas uma curiosa .
    E achei legal a idéia do Fábio Almeida de fazer questionários com vários níveis de dificuldade o/

  34. Pseudo-Cético

    Já dizia Albert Einstein: “A imaginação é mais importante que o conhecimento”.

    Lembrando que tudo que é tido como conhecimento se inspirou ou no mínimo teve como comprovação empírica. O conhecimento é simplesmente o registro do que constata-se empiricamente, mesmo em caráter subjetivo.

    Divagando um pouco, e conforme já foi dito inúmeras vezes aqui, a magia tem o objetivo de causar conscientemente mudanças no meio mediante a Vontade do magista.

    O magista dedicado, que trabalha não apenas em prol de si mesmo, mas do universo, necessita primeiro conhecer os problemas que afligem ao mundo para depois pensar em cooperar com a própria Vontade.

    Tendo em vista isso, acredito que todos sejam grandinhos para saber onde atuar, certo? 😉

    Caso haja algum desvio no que escrevi, por favor me corrijam.

  35. Caio

    Boa Noite Sr Marcelo
    @MDD-Vamos imaginar um caso (real) de uma pessoa que consegue enxergar o futuro, com alguns dias de antecedencia. Este poder funciona de vez em quando, de uma maneira que essa pessoa não consegue entender 100%… as vezes são lampejos, às vezes são intuições, às vezes erra, na maioria das vezes acerta… ela trabalha na bolsa de valores e sua residência vale cerca de 5 milhões, para dar uma ideia da grana que ela tem. Se voce fosse esta pessoa, voce iria lá se oferecer para um babaca como o James Randi e seu circo?

    Grandes Compositores(e grandes iniciados), como Bach, Mozart e Beethoven então não somente eram bons pela sua capacidade de compor, e sim pela ligação que tinham com a magia?

    1. Livio

      Pergunta meio rasa, não ? Onde começa “magia” e onde termina “capacidade de compor” ?

  36. lizard him self

    buuuu que medo marceloo… oO eu creio que e importante saber isso, mas não creio que seja ESSENCIAL —— \l/

  37. Raphael Holanda

    Marcelo, não é a primeira vez que eu vejo voce indicando a AMORC e logo depois a TOM pra quem esta começando, algum motivo especial em indicar a TOM?

    @MDD – Porque, das Ordens discretas, ela é a que tem todos os conhecimentos da Maçonaria, sem os entraves da Maçonaria nem a politicagem que esta se infiltrando por lá (além de ser uma Ordem com ritual que aceita homens e mulheres). Hoje, entre alguém que me pede recomendações, prefiro indicar a TOM do que a Maçonaria pra pessoa entrar.

    1. Paulo

      DD, a propósito, na TOM se estuda tudo quanto é estudado na SCA e em outras ordens martinistas?

      @MDD – cada uma delas tem suas particularidades. Mas todas estudam as mesmas bases.

  38. Ranieri

    Marcelo, se esse era um questionário de uma ordem do começo do século XX, como certas ordens ditas sérias hoje em dia se tornaram meros clubes sociais (como vc já disse antes)? #fimdomundofeelings rsrsrs
    Abçs.

  39. gorkrin

    de imediato não saberia responder a 4 e a 12 ,precisaria pesquisar mais, mas o resto responderia com tranquilidade.

    só que escolas de misterios de influencia de culturas pos reformar europeia não me interessam muito, porque além de serem fracas e pobres são muito desorganizadas.

    as maiores sociedades secretas deste planeta tem menções em ingles ou qualquer idioma europeu em numero que da pra contar nos dedos de 1 mão.

    thelema, goetia, Astrum argentum, rosa-cruz iluminatis maçonarias e etc… essas são a ralé , a coisa seria mesmo é muito mais oculta, e você não lerá isso por ai em livrinhos , só encontrando-se com OS CARAS , alguma coisa escrita, só se um iniciado entregarlhe nas proprias mãos. Jovens não perca sua energia e atenção esperando ter algum contato serio e verdadeiro nestes circulos europeus de magia falidos desorganizados pobres e facros.

    pobres mortais
    saudações

  40. Leo

    MDD, o que vc teria a me dizer sobre a “Sunity Lighthouse” ?? É algo sério??
    obrigado!!

    @MDD – Cara, eu não achei nem no google o que pode ser isso.

    1. Leo

      pow MDD, me desculpe… a parada se chama “Summit Lighthouse”
      segue um site http://www.summit.org.br
      e por curiosidade tambem achei esse outro site relacionado: chamavioleta.net
      então, o que você acha? é cilada? srsrsr
      obrigado mais uma vez!!!

      @MDD – Fuja para as montanhas kkkk

  41. João Vitor

    E ao contrario de trazer tempestades ,vale destruir nuvens?? ;D

  42. Rodrigo Dourado

    MDD, gostaria de saber se você recomendaria o Colegio dos Magos para quem esta iniciando na senda do ocultismo?

    @MDD – Sim. É um grupo sério.

  43. Carla Martins

    MDD, a A.’. A.’ aplica questionários deste tipo em algum Grau? Estou me encaminhando para o Grau de Probacionista e me senti motivada a responder este e quaisquer outros questionários. Confesso ainda não conseguir responder o referente a este post, mas começarei desde já minhas pesquisas.

Deixe uma resposta