Práticas Mágicas Diárias


Artigo escrito por Frater Prophecy, do The Divine Science e traduzido por Agammenon Anydoros, do blog Bardonista.
Na época em que eu escrevi este artigo (Daily Magic Practices I), havia só um pequeno número de aspirantes verdadeiramente devotados procurando progresso espiritual. O resto estava lá para receber teoria intelectual, e nem tantos o queriam. Dessa maneira, a comunidade estava mais interessada em exercícios ocidentais tradicionais, e, portanto, eu dei algumas variações únicas de técnicas tradicionais da Golden Dawn e técnicas rosacruzes para as pessoas praticarem com segurança, e serem capazes de ver progresso real. No ano passado, porém, eu fiquei surpreso por causa de um número impressionante de pedidos por um nível de prática mais profundo que pudesse garantir um desenvolvimento mais completo para alguém que está mais seriamente inclinado para seu caminho espiritual. Eu estive guiando essas pessoas numa base individual, mas a demanda cresceu além de minha capacidade, com a quantidade de tempo que eu tenho, e, portanto, eu resolvi publicar uma prática diária verdadeiramente sólida e progressiva para aqueles que desejam levar sua dedicação a um nível maior.

Aqueles de vocês que possuem um professor legítimo e um guia pelo caminho só devem alterar sua prática diária com a permissão dele ou dela. Eu forneço isto como uma sugestão positiva para começar bem seu progresso espiritual, mas isto é tudo muito geral. Se o seu instrutor for bom e corretamente treinado, ele saberá o que você deveria praticar ou não muito mais do que você. Algumas pessoas podem ser permitidas a praticar japa, mas ainda não pranayama, ou talvez praticar controle do pensamento e controle do corpo, mas não ainda a adição da devoção diária. Tudo isso dependerá de seu caráter, o qual será discernido por qualquer bom professor, e, portanto, você deve considerar o conselho dele. Em geral, porém, o que eu darei aqui deve ser suficiente para a maioria das pessoas, se elas se dedicarem.
Eu tenho dito frequentemente aos meus estudantes e àqueles que me encontram que a inação e a inconsistência são dois venenos letais à perseguição da realização mágica. Alguém que deseja ser um mago não pode ficar contente com mera inquisição filosófica e especulação. Ele deve por sua mente para funcionar e cultivar sua alma, coisa que só pode ser feita nos fogos da prática rigorosa. O mundo não tem utilidade para pessoas que criam ideias quietamente, mas nunca fazem nada a partir delas; é como se essas pessoas estivessem mortas. Todas as boas intenções do mundo não podem lhe tornar um mago. Uma boa pessoa, talvez, mas não um bom mago. A mente indisciplinada deve ser forçada a um hábito de prática regular, até que esta se torne agradável, e só então progresso real é visto.
Não permita a sua mente, frequentemente fraca, a lhe convencer de alguma desculpa para não praticar. Não existe ninguém que não possa praticar, e não existe nenhuma razão legítima para não fazê-lo. Até dez minutos por dia, se feitos com consistência, permitirão bom progresso. Você não é tão ocupado assim! Não ouça às desculpas de seu ser inferior, mas lute contra elas veementemente. Eu sou uma pessoa muito ocupada. Às segundas, quartas, sextas e sábados, meu dia de trabalho começa às 06:45 aproximadamente e termina mais ou menos às 22:00. Às terças e quintas, eu trabalho pelo menos oito horas. Além disso, eu tenho uma rotina diária de exercícios físicos, para continuar efetivo nas artes marciais, tenho um grupo de estudantes pessoais que frequentemente precisam da minha atenção e direção, estou escrevendo três livros e várias centenas de páginas de material para aulas organizadas posteriormente, tento me manter atualizado com os cinco ou seis e-mails eu recebo de pessoas todos os dias aqui no Veritas, e, além disso tudo, eu mantenho pelo menos duas horas de prática mágica diária. Se eu, com minha rotina, consigo duas horas, eu acredito que todos possam conseguir pelo menos vinte ou trinta minutos. O problema não são os seus afazeres, mas, em vez disso, a sua habilidade de priorizar corretamente. Se você está querendo perseguir um caminho espiritual seriamente, você deve ser capaz de priorizar as atividades em sua vida. Este artigo é para pessoas que estão perseguindo a magia seriamente, ao contrário de alguns que somente interessam-se por ela. O primeiro encontrará um bom sistema de prática aqui, mas o último nunca conseguirá evocar a força de vontade e a consistência na prática para alcançar resultados notáveis.
A paciência é um grande teste, e uma das ferramentas favoritas pelas quais o Universo tenta a sua devoção nas chamas da prática espiritual. Lembre-se de sempre perseverar se você não vir progresso no início. Não é dado a todos nós avançarmos rapidamente, mas com paciência e prática consistente, todos podem avançar.
Começando o Dia Espiritualmente
Ao mago dedicado, acordar na mais tardia hora possível, ou “dormir até mais tarde”, deveria ser oferecido nas chamas do sacrifício. Para assegurar regularmente uma disposição de espírito correta, para checar constantemente sua devoção a seu caminho, e para colher benefícios máximos, ele deve estabelecer um hábito de acordar cedo. A quebra de hábitos e a criação de hábitos são dois componentes essenciais no domínio da mente.
O Zohar nos conta no Noach Zohar, verso 277,
“Quando uma pessoa se levanta para estudar a Torah no meio da noite, quando o vento do norte se levanta, o Sagrado, Abençoado Seja, entra no Jardim do Éden e se regozija com os justos. E Ele, junto com os justos, ouve às palavras que vem da boca de tal homem.”
Novamente encontramos na Torah, em Yeshaya 26:9,
“Com meu espírito (Nephesh, no hebraico) eu te desejei durante a noite; com minha alma (Ruach, no hebraico) dentro de mim eu te buscarei cedo.”
Desses dois versos, podemos inferir que a situação ideal é a de que o corpo astral (o Nephesh) seja projetado durante a noite sob controle consciente, de modo que o indivíduo possa continuar seus estudos e práticas até enquanto dormindo, e a favor de se acordar cedo na manhã. Aquele que o faz é grandemente reverenciado e recompensado.
Na Yoga, existe também uma prática altamente favorecida na qual se acorda durante o Brahmamuhurta (horas de Brahman). Durante esse tempo, a energia da atmosfera é muito calma, permitindo que a aura da pessoa que está em meditação se acalme mais facilmente também, acalmando assim a mente. A meditação é, portanto, muito favorável durante essa hora. Sri Swami Sivananda Saraswati escreve sobre isso:
“A esta hora em particular, a mente fica muito calma e serena. Fica livre de pensamentos mundanos, preocupações e ansiedades. A mente se torna como uma folha de papel em branco e comparativamente livre de Samskaras mundanos. Ela pode ser muito facilmente moldada nesta hora, antes que distrações mundanas entrem na mente. Além disso, a atmosfera também é carregada com mais Sattva a essa hora em particular.”
O mago aspirante que pode se levantar às 04:00 toda manhã e praticar por pelo menos uma hora verá resultados fenomenais, e avançará muito rapidamente. Seus amigos no caminho espiritual não compreenderão como ele consegue progredir tão facilmente pelos muitos estágios da evolução espiritual. Reconhecidamente, porém, isso não é possível para todas as pessoas. Se, por exemplo, o seu trabalho requer que você fique acordado até tarde, essencialmente qualquer horário depois das 22:00, será muito difícil para você acordar às 04:00. É melhor, nesse caso, esperar até mais tarde durante o dia ou durante a noite para praticar, de modo que você não adormeça durante meditação. Para aqueles capazes de acordar a esse horário, se conseguem conjurar a força de vontade suficiente, eles verão quase imediatamente os benefícios de fazê-lo. Depois de verem os resultados, eles nunca quererão acordar depois do Brahmamuhurta.
Começar o seu dia com a prática espiritual é um perfeito início. Sua mente está limpa para começar seu dia de trabalho, ou, para os mais novos, o dia letivo. Suas energias estão controladas, e sua consciência está centrada. As atividades do dia não te perturbam tanto, e é mais fácil manter uma mentalidade espiritual, não importa em quais situações você possa se achar. Pelo fato de você começar seu dia com um nível elevado de consciência, você será capaz de observar mais claramente os impulsos animais nas outras pessoas, e como as ilusões dos sentidos influenciam as ações da maioria dos indivíduos. Dessa observação científica, sua compreensão do ser animal e do ser real crescerá grandemente, e você obterá a compreensão da diferença dos dois. Isso encorajará um ponto de vista espiritual mais constante em sua vida inteira. Quando você retornar para casa depois de suas obrigações diárias, e ter mais tempo livre novamente, será mais fácil se sentar e voltar às suas práticas espirituais, se você escolher fazê-lo.
Higiene Adequada
Como um mago dedicado, você deveria se engajar no que um mago chamaria de práticas de higiene e limpeza em todos os aspectos de sua vida. Ser limpo é ser organizado, mas a limpeza física não é a única tratada aqui. A limpeza espiritual pode ser ligada a práticas diárias de higiene para se alcançar efeitos máximos e ajudar a aumentar a velocidade de seu progresso.
O aspirante deveria se assegurar de que ele tome banho todos os dias. Se ele é diligente, ele se banhará de manhã, antes de seus exercícios espirituais durante o Brahmamuhurta. Quando ele se lava, ele não deve se concentrar no corpo físico. Em vez disso, ele deve destacar sua mente e foco e colocá-los em seu ser espiritual e em seu corpo astral, fazendo com que as mãos físicas façam o que elas estão acostumadas a fazer. Quando a água flui sobre ele, ele imaginará que a sujeira em seus corpos espirituais flui com ela também. Ele deve visualizar que sua pele é a cristalização dessa sujeira, com suas doenças de morte e de tristeza, e que a pele está sendo lavada com a água na medida em que ele se esfrega. Embaixo dessa pele existe uma espécie de vidro com uma aparência fluida, líquida, que ele deveria conhecer como o corpo astral. Na medida em que a água corre sobre ele e ele se banha, ele deveria visualizar que ele está polindo esse vidro. Na medida em que ele pole esse vidro e o limpa, uma luz branca e brilhante começa a brilhar através dele. O aspirante fará esta prática, estendendo-a ao corpo inteiro cada manhã, até que, pelo fim do banho, ele se visualiza como sendo de pura luz branca. Essa é uma excelente maneira de se começar a manhã. Quando ele se secar, ele deveria se sentar imediatamente e executar japa para purificar ainda mais a sua mente, coisa que discutiremos em um momento.
Durante o banho, o aspirante deveria estar num estado quase de transe. Sua mente não está totalmente focada em seu corpo material, e as ações de lavagem de suas mãos e braços estão sendo executadas quase automaticamente. O foco dele é absorvido inteiramente em sua mente, onde todo o seu poder de concentração está sendo dirigido a essas visualizações. Ele deveria estar quase inteiramente desapercebido do que o seu corpo físico está fazendo, ou como a água está sendo sentida, quão quente ou fria ela está, sua textura. Sua mente deve estar inteiramente focada em suas visualizações. Na medida em que o poder de foco do aspirante cresce, a cura e os efeitos de limpeza dessa prática crescerão também.
O aspirante deveria se acostumar à rotina de lavar suas mãos frequentemente. Toda vez que ele coloca em suas mãos algo que é considerado sujo, e mais especialmente, se ele usa suas mãos para cometer um pecado (tal como masturbação), ele deveria gastar mais ou menos um minuto limpando suas mãos. Ele deveria visualizar que o poder magnético da água não está apenas puxando a impureza de suas mãos, mas está também magneticamente puxando as impurezas do corpo inteiro. Ele deveria visualizar as impurezas e energias negativas fluindo para fora de suas mãos com a água corrente, para os canos, onde elas estarão para sempre esquecidas. Ajuda, no fim, juntar as suas mãos numa posição de concha, reunir água entre elas, e então se focar especialmente na água puxando as impurezas das suas mãos e do seu corpo, e então deixar a água descer. Quando terminado, seque suas mãos com uma toalha limpa ou com uma toalha de papel.
Para as práticas espirituais, o aspirante deveria vestir roupas limpas e frescas que são confortáveis e fáceis de praticar, ou ele deveria vestir um conjunto de roupas limpo, usado especialmente para as práticas, tal conjunto que ele manterá separado do resto de suas roupas e vestirá apenas quando ele praticar. Se ele puder fazer o último, ele apreciará os benefícios.
A Prática de Japa
Japa é a repetição de um mantra. Existem muitos mantras disponíveis para esta prática, e o estudante deve sempre escolher aquele que tem mais a ver com suas próprias crenças e convicções. Por exemplo, se você for um judeu ou cristão, não seria sábio cantar um mantra hindu. Em vez disso, você poderia cantar um dos nomes cabalísticos de Deus, um verso em especial em hebraico ou aramaico, ou YHShVH.
A prática de Japa é o exercício mais efetivo, estou convencido, para a limpeza da mente. Quando as atividades diárias da vida estragam a consciência, e vários pecados infectam a mente e se proliferam dentro dela, então Japa é a mais bela panacéia disponível. É um grande presente, uma verdadeira jóia. É dito tradicionalmente que o homem que passa sua vida inteira sem fazer japa gastou uma vida, e através da prática eu acredito que todos chegarão a essa conclusão. Japa deixa a mente totalmente exaltada quando feito corretamente, e invoca todo o poder mental disponível para atividades posteriores. Quando foco total numa só frase e em seu significado é tido por um longo período de tempo, a mente se torna muitoquieta, e a energia mental é acumulada, em vez de dispersada em cem direções diferentes por cem pensamentos diferentes. O mago descobrirá que, se ele executar japa antes de seus exercícios mágicos, eles ficarão bem mais fáceis. Assim, se japa é executado antes de qualquer tarefa ou obrigação, essa obrigação parece se tornar mais fácil. Quando o japa é feito em Deus, a energia divina se insere namente enquanto a atenção é direcionada magneticamente para a Divindade. Quando feito frequentemente e com grande devocação, o mago começará a transmutar sua mente para a imagem que tem de Deus. Ele começará a absorver as qualidades de Deus. Sozinho, japa pode levar a Samadhi; quando feito com outros exercícios, japa ajuda imensamente a realização da Divindade.
Antes que o mago estabeleça uma rotina de japa, ele deveria ter um japa mala. Um mala é um cordão de contas que ele pode usar para contar, e que tradicionalmente tem 108 nós amarrados (cuja origem vem dos 108 nomes de Shiva, Durga, Krsna etc). Ter um japa mala permite a mente do indivíduo se focar inteiramente no mantra, em vez de ter de se preocupar em contar as repetições. Tais malas podem ser comprados em várias lojas, online ou não, ou pode-se fazer uma mala para si. A escolha é inteiramente do indivíduo.
Na manhã, japa deveria ser a primeira prática executada. À noite, deveria ser a última. Quando você fez seu ritual de banho de manhã e se secou, vista-se muito confortavelmente (ou permaneça nu) e se sente para fazer japa. Durante japa, você deve estar inteiramente focado no significado ou no alvo do mantra. Por exemplo, se você estiver fazendo o Gayatri mantra, você poderia estar focado no significado da divindade e seu esplendor. Quando faz japa com um nome de Deus, então a imagem e qualidades de Deus deveriam ser fixados firmemente em sua mente durante o procedimento. É a concentração nos significados e as sensações dos mantras que purificam a mente; simplesmente falá-los não alcançará muito, embora eles tenham frequentemente um poder próprio. “Japa perfeito” é feito num estado de devoção e submissão completas à Deus, onde os limites da mente derretem, e você se sente como se fosse o universo inteiro falando o mantra dentro de você, em vez de só você falá-lo.
O japa deveria ser feito pelo menos 108 vezes. Para uma pessoa ocupada, 108 vezes duas vezes por dia, ou seja, 108 na manhã e outros 108 antes de dormir, é um bom alvo. Isso é especialmente bom para o indivíduo comum, que tende a ser preguiçoso e negligente com a prática diária. Até essas duas sessões testarão a paciência do iniciante e checarão sua ansiedade. No início, japa não deveria ser feito enquanto se faz simultaneamente outra coisa. Por exemplo, não faça japa enquanto lava os pratos. No início, é melhor se sentar e fazer japa somente, com toda a sua atenção, de modo que você possa começar a destruir a ansiedade e a impaciência na prática. Japa é uma excelente ferramenta para o iniciante que não consegue ainda meditar por horas seguidas. Uma prática gradualmente extensiva de japa impulsionará mais e mais suas habilidades meditativas. Se você não consegue nem se sentar e meditar por cinco minutos no início e no fim do dia, que esperança existe para você como um mago? Como você pode esperar ficar na presença de poderosos espíritos, grandes anjos e arcanjos? Como você pode esperar conseguir até a menor das tarefas no mundo da prática mágica? Pessoas que têm fantasias de clarividência, telecinese, clariaudiência e domínio dos elementos em suas mentes podem esquecer todas as possibilidades de realização se não conseguem fazer nem um pouco de japa.
As pessoas que serão bem-sucedidas, e que desejam se tornar magos nesta vida em vez de levarem muitas encarnações, se colocarão nos limites de sua prática. Eles procurarão executar 1080 (dez malas) repetições do mantra na manhã, e então outras 1080 à noite. Uma pessoa que pode fazer isso enquanto mantém, conscientemente, a concentração no propósito e significado do mantra se livra do aprisionamento do pecado e do karma. A sua mente se torna cheia de Deus depois de muita prática, e eles não podem evitar agir santamente. Em vez de terem música, emoções, desejos, discussões, situações mundanas, problemas sociais etc zunindo em suas mentes subconscientes, terão o doce cantarolar do mantra sempre no fundo de suas mentes. Depois de praticando-o por bastante tempo, não existirá operação mágica cujo sucesso eventual seja garantido. O progresso virá a ele muito rapidamente, e ele obterá até algumas habilidades mágicas sem mesmo tentar. Pelo fato de que ele purifica seu corpo mental toda manhã e toda noite, será muito difícil para o pecado penetrar em seu ser, e portanto ele se libertará de bastante karma e será sempre limpo. Não existe, é claro, limite de quanto japa você pode executar, portanto, pratique-o frequentemente.
Japa pode ser grosseiramente partido em dois grupos: mantra japa e namah japa. No mantra japa, um mantra inteiro em particular, seja de uma escritura ou de uma simples frase pensada por alguém, é repetida várias vezes. Um mantra muito comumente usado é o Gayatri mantra:
“OM bhur bhuva svah
tat savitur varenyam
bargo devasya dhimahi
dhiyo yo nah prachodayat.”
Um esboço de tradução do Gayatri mantra é:
“Ó Deus, Tu és o fornecedor da vida, o destruidor da dor e da tristeza, o que concede a felicidade; Ó Criador do Universo, possamos receber Tua suprema luz que destrói os pecados; possa Tu guiar nosso intelecto na direção correta.”
Embora as traduções do inglês possam funcionar também, sendo o intento o mesmo, a maior vantagem de se usar um mantra é usá-lo sempre em sua linguagem original. Cada língua tem um certo tom, uma vibração marcada e única, que estampa cada frase de um modo particular. Um mantra recitado numa lingual estrangeira nunca é tão efetivo quanto ao recitado na língua natural, a não ser que o falante saiba seu significado.
Namah Japa é, aos meus olhos, o mais elevado japa. É a repetição do Nome de Deus, feita muitas vezes, de modo que a mente se torne inteiramente preenchida com as qualidades e imagens de Deus. Grande progresso espiritual é feito na medida em que o aspirante se torna absorvido por Deus. Namah Japa constante torna a mente uma esponja que absorve o poder sagrado e a autoridade divina, de modo que, pouco a pouco, seu corpo mental se torna conectado à divindade. Diz-se que quem executa namah japa regularmente no mesmo Deus começará a se tornar tal Deus, e isso é realmente verdadeiro. Seu caráter será sublimado e aperfeiçoado pelo caráter de sua Divindade, e ele se tornará uma personagem divina. Essa prática, unida a uma intensa prática mágica dirigida à realização da Divindade e perfeição espiritual permitirá o mago dar grandes passos em uma só encarnação.
Existem muitos mantras diferentes disponíveis para namah japa, mas aquele que talvez tenha mais peso escritural pertença a Shiva. No Shiva Purana, ele é glorificado mais do que qualquer outro mantra em qualquer outra escritura. Shiva em Sua forma como Rudra é visto como o perfeito iogue e o mais elevado mago, e é por isso que é muito comum para os buscadores espirituais adotarem esse mantra, de modo que eles possam atender também a essas características. Shiva é representado como estando em Samadhi, e, portanto, ao se tornar Shiva, entra-se em Samadhi rapidamente. O mantra é simples: “Om Namah Shivaya”. Significa “Eu me entrego a Shiva”.
É chamado de o sílaba de cinco sílabas, e é o pentagrammaton do Hinduísmo. O “Om” inicial não é contado como uma das cinco sílabas, mas, em vez disso, representa Deus antes que Ele se tornou ativo no universo. Aos cabalistas, é Deus como Ain, Ain Soph, e Ain Soph Aur enquanto ainda no outro lado dos véus negativos da existência; Deus antes de ter criado Kether. Do “Om” surge o “Namah Shivaya”, as cinco sílabas que simbolizam as cinco cabeças de Shiva e total domínio sobre os cinco elementos. Também representa a analogia do mundo exterior inteiro sendo sustentado pelos cinco elementos (fogo, ar, água, ar e Akasha) como Namag Shivaya, e o mundo interno inteiro sendo sustentado por pura consciência como Om. O mantra é pronunciado foneticamente como “namá xivaiá” ou “nâmârrá xivái”, dependendo de qual dialeto está sendo falado. Qualquer um dos dois funciona perfeitamente e representa o mesmo significado principal, e portanto o aspirante deveria escolher qual deles é falado mais facilmente, se ele decidir fazer o Namah Japa em Shiva usando o pentagrammaton. Durante a repetição do mantra, Shiva deveria ser visualizado fortemente em Seu simbolismo tradicionalmente associado, e o aspirante deveria se concentrar intensamente nas ideias de Samadhi, felicidade, destacamento, onipotência, onipresença, onisciência e infinitude.
Outro poderoso mantra para namah japa é o pentagrammaton do mundo ocidental:YHShVH. Aqui também os cinco elementos estão representados. O Y representa o fogo, o primeiro H representa a água, o Sh representa o Akasha, o V representa o ar, e o H final representa a terra. Esta é uma fórmula hebraica e tem uma significância cabalística muito poderosa. É, talvez, mais poderoso quando falado como “Yod Heh Shin Vau Heh” devido à analogia presente nas cinco sílabas, mas também pode ser falado como “Yehoshuah”. Esta fórmula mágica é representada pelo próprio Jesus Cristo, porque é a fórmula para Seu primeiro nome. Se o estudante decide fazer este pentagrammaton para seu namah japa, ele deveria visualizar fortemente Cristo como ele é descrito no Livro das Revelações, o Apocalipse, ou ele deveria se focar em eventos maiores em Seu Evangelho. A meditação sobre paixão intensa na qual Ele é exibido durante Sua crucificação pode ter grandes efeitos. Durante a visualização e a meditação, deve-se focar nas ideias de amor, compaixão, piedade, onipotência, onipresença, onisciência e infinitude.
Não importa qual aspecto de Deus está sendo concentrado no namah japa, não importa se você estiver se concentrado em Deus como Shiva, Odin, Ra, Kephera, Jesus Cristo, Yehovah, Vishnu, Brahma etc, as quatro qualidades que devem sempre acompanhar o resto das qualidades dessa personalidade são onipotência, onipresença, onisciência e infinitude. As outras qualidades mudarão de acordo com as qualidades de Deus nessa forma em particular. Isso mantém a visualização correta da perspectiva mágica do equilíbrio dos elementos, e estabelecerá um hábito que ajudará grandemente em estágios superiores de iniciação.
Outros poderosos mantras poderiam ser YHVH, Sá-tá-ná-má (o mantra Satnam), o Mahamantra (Hare Krsna, Hare Krsna etc) e qualquer outra meditação sobre o nome de Deus que você possa encontrar.
Controle do Corpo
A prática de controle do corpo é muito importante para o mago, porque exerce sua dominância mental sobre seu domínio físico mais imediato. Se você não consegue se sentar parado, é muito difícil regular a sua mente. Se você não pode controlar a sua mente, então toda a magia se torna muito difícil. Portanto, um dos primeiros lugares a começar a sua prática com Japa é a prática de Asana, ou, em essência, uma postura.
Assuma uma postura que você gostaria de usar como sua postura de meditação. Ela poderia ser Siddhasana, Padmasana, sentar de pernas cruzadas, ou sentar com suas costas retas numa cadeira, sendo essas as escolhas mais comuns. Em todos os casos, as suas costas devem ser as mais retas possíveis, o seu queixo deveria estar levantado, a sua respiração deveria estar inteiramente controlada, e seu corpo deveria estar parado. Segure essa postura primeiro por cinco minutos, e concentre-se inteiramente em seu corpo. Tente sentir cada centímetro de sua carne. Sinta toda perturbação possível, incluindo até o cabelo em seus braços e cabeça. Foque-se em cada sensação de coceira, cada agitação, e supere-as. Permaneça totalmente parado, com apenas a sua respiração sendo a fonte de movimento no peito. Quando você conseguir fazer isso por cinco minutos sem sentir o desejo de se levantar e fazer outra coisa, ou sem os seus pensamentos viajando, estenda a prática para 10 minutos por dia. Alguns precisarão pratica rmais, e você deveria ser o seu próprio juiz se você não tiver a instrução de um professor. Nunca hesite para praticar o tempo que você precisa, ou como o seu professor lhe instrui. Para a maioria das pessoas, 10 minutos duas vezes por dia serão o bastante para um progresso firme com uma rotina diária abarrotada.
O domínio dos obstáculos do corpo é um grande passo para a capacidade de se fazer meditação. Quando você pode parar completamente o corpo, ele se torna calmo e mais frio, e a energia interna chamada prana flui suavemente através dos canais de energia do corpo. Quando a tensão é deixada e a mente se torna calma, todos os bloqueios em seus circuitos internos de energia são removidos. Embora, no início, a prática possa ser difícil e fazer com que você se sinta desconfortável, deve-se persistir até que se sinta completamente confortável, até de certa forma feliz, em sua asana. Depois de dez minutos de prática, você não deveria nem querer se mover. Deveria-se sentir como se estivesse dentro de uma concha quente, mas você não é a própria concha. Quando isso é alcançado, você estará fazendo bom progresso e deveria avançar ao julgamento de um professor ou ao seu próprio.
Quando você consegue controlar o corpo físico da maneira descrita acima, você pode ser instruído na execução de certas asanas físicas. Essas são melhor aprendidas por um professor que possa executá-las, porque a forma correta e a técnica são muito importantes. Muitas asanas, através de um profundo conhecimento do sistema de energia inteiro, forçam certos movimentos de prana que são vantajosos para a evolução espiritual e para a saúde. Elas conseguem dar clareza mental, pureza astral, e saúde físicaem abundância. Algumas delas até trabalham para o objetivo de despertar da Kundalini, e podem ajudar grandemente na realização de Samadhi. Como uma forma simples de prática de controle do corpo, a asana deveria ser executada com total controle sobre cada centímetro do corpo. Nada pode passar despercebido, nem a preguiça pode ser permitida. Durante a prática da asana física, que pertence à prática da hatha yoga, a mente flui para fora dos músculos e controla o fluxo da energia interna. A inteireza de concentração descansará ou sobre a postura física exata, o fluxo de prana interna ou um certo mantra.
Embora cada postura ofereça um benefício diferente, a meta última de uma rotina inteira de asana é o equilíbrio do elétrico com o magnético, ou o solar com o lunar. Isso faz com que amente se torne parada e a aura se torne equilibrada e saudável. Alguém que pratica ativamente asanas físicas radia saúde. Seu corpo tem uma espécie de brilho, ele manterá sua juventude até os anos posteriores. Frequentemente, até se ele tiver 60 anos de idade, ele parecerá estar no fim dos 30 ou no início dos 40.
Imediatamente após japa, o aspirante deveria gastar mais ou menos 20 minutos alongando suas pernas, braços e mais especialmente sua espinha (frontbend) e pulmões (backbends). Quando ele se aqueceu e o sangue está fluindo de novo igualmente pelo seu corpo, ele pode começar a prática das asanas. Isso o acordará, e o preparará para o dia. Quando o estudante executa suas práticas noturnas, ele executará o controle do corpo primeiro, e então fará japa.
Controle do Pensamento
Controle do Pensamento é uma ótima prática, e deveria ser executada ou imediatamente antes ou imediatamente depois de Japa. Parecido com japa, o controle do pensamento permite que o estudante torne sua mente quieta de modo que sua energia mental fique disponível para o que ele deseja, em vez de ser atirada em muitas direções diferentes. Quando o estudante conseguir controlar sua mente, e só dessa maneira, amagia prática pode começar a se tornar realista.
O primeiro estágio de controle do pensamento requer que o estudante se torne um observador passivo de sua própria mente. Ele pratica o destacamento, e assiste seus pensamentos passarem em sua mente sem qualquer tipo de envolvimento neles. Eles desaparecerão sem nenhum interesse tão rapidamente quanto eles surgiram em sua mente. Essa habilidade leva alguma prática, mas depois de tentar algumas vezes, o estudante vai pegar o jeito de como fazer isso. Depois de alguma prática, ele notará que os pensamentos começarão a desacelerar, e que seu número diminuirá gradualmente. Por não ficar envolvido em seus pensamentos, ele conseguiu reduzir seu número. Se ele pratica pelo menos 10 minutos por sessão, uma vez de manhã e outra à noite, depois de algumas semanas ele ganhará o sucesso na limpeza de sua mente. Um dia, durante a prática, ele simplesmente observará que não existem mais pensamentos aparecendo em sua mente. Isso pode ser visto como o primeiro nível de sucesso, no qual ele aprendeu o relaxamento mental.
O segundo estágio requer que o estudante se ligue a um pensamento único por uma quantidade de tempo. Ele irá fortemente lutar e dissolver quaisquer pensamentos diferentes daquele no qual ele está tentando se focar. Isso será muito difícil no começo, e a mente quererá viajar e pensar sobre outras coisas. O estudante deve perseverar, e ele descobrirá que, com prática regular, ele se tornará capaz de bloquear todos os pensamentos que não sejam aquele no qual ele deseja focar totalmente. Quando isso é conseguido, a magia começa a se tornar possível no futuro. Este é o aprendizado da concentração mental.
No terceiro estágio de controle do pensamento, o estudante esvazia sua mente totalmente. Então, ele passivamente se concentra num assunto e em seu significado, permitindo que sua consciência forme um entendimento com o assunto de sua atenção. No início, essa conexão será fraca, mas com muita prática por um longo período de tempo, ela se tornará forte, e o mago desenvolverá um fluxo de consciência com ela. Quando isso acontece, ele sentirá como se ele fosse parte da coisa, e que a coisa é parte dele. A união ocorre com prática paciente. O mesmo mecanismo encontrado aqui eventualmente permite a Samadhi, que ocorre quando o assunto da meditação é Deus, e existe um fluxo desimpedido de consciência entre Deus e o mago. Leva-se muita prática para conseguir isso, e deve ser complementada por muitas outras práticas no caminho para não se levar encarnações inteiras. Quando a conexão de consciência ocorre, é chamada meditação. Quando essa conexão finalmente ocorre totalmente com Deus, é chamada Samadhi ou União.
Assim sendo, existem três estágios essenciais de controle do pensamento:
1) Relaxamento
2) Concentração
3) Meditação
Apenas após o domínio do relaxamento e da concentração alguém consegue realmente meditar. Através da prática regular do relaxamento, o estudante aumenta grandemente a quantidade de poder mental disponível. Através da prática da concentração, ele aumenta a quantidade de poder mental que ele pode efetivamente usar. Depois de praticar o relaxamento, ele aumentou a quantidade mental disponível, e através da concentração aprendeu a usá-la, e então ele pode dirigir esse poder mental para conseguir um estado de meditação. Essa é a ordem de progresso.
Pranayama
Pranayama é o controle (yama) da respiração (prana), porque o controle da respiração significa o controle da energia mental que é chamada de prana, a qual no Oeste é chamada de força vital. Em todos os casos, é bom para o aspirante iniciante a começar japa e controle do pensamento, e também controle do corpo, mas não é sempre correto começar do início pranayama. Algumas pessoas podem começar a praticá-la do início, enquanto algumas pessoas devem esperar até terem avançado em outras práticas antes de poderem começar. Se você não tem um professor, então o seu próprio julgamento pessoal deveria ser usado. Se você tem problemas no controle de sua atenção e fluxo de pensamentos, você não deveria executar pranayama agora.
Pranayama, dependendo de qual exercício está sendo executado, efetua muitas coisas. É a ferramenta mais efetiva para o despertar da Kundalini e a purificação das passagens internas de energia (nadis) bem como os centros internos de energia (chakras). Ela vivifica o corpo astral com poderosa energia e fortalece grandemente a aura. Quando a energia flui serenamente através das nadis, ela pode ser redirecionada para a espinha durante a meditação profunda. Isso faz com que o prana permaneça parado, o que silencia a mente simultaneamente. A prática regular de pranayama destrói pensamentos mundanos e conexões sentimentais, ligando a mente a coisas divinas. O estudante se torna um verdadeiro dínamo de poder inteiro, e desse modo seu poder sobre o mundo ao seu redor aumenta grandemente. Alguns poderes mágicos são desenvolvidos automaticamente como resultado de pranayama regular.
O Pranayama permite que as energias solares e lunares se equilibrem na região do estômago, de modo que seu fluxo se torne cancelado. Quando o fluxo das energias para cima (respiratórias) e das energias para baixo (excretórias) se chocam e se cancelam, o prana é direcionado para a espinha e a respiração cessa. Isso se chama Kevalia Kumbhaka, e pode levar a Samadhi. Quando a respiração para totalmente, às vezes horas inteiras de cada vez, a mente fica totalmente parada. Isso permite que a alma flua através da mente, e a personalidade-ego se une com a personalidade-alma. Alguém que está nesse estado de ser parece, do exterior, como se estivesse morto. Ele não respira, seu pulso é tão fraco a ponto de ser indetectável pela maioria das ferramentas, ele se torna frio ao toque, e sua pele fica pálida. Isso acontece porque a força vital é direcionada para a espina e então para o cérebro. Se o topo da cabeça for tocado, descobre-se que ele está quase queimando de tão quente. Quando o Kevalia Kumbhaka cessa e o indivíduo respira novamente, sua cor e outros sinais de vida retornam também.
Um pranayama muito efeitvo que a maioria pode praticar com segurança é chamado Sukha Purvaka. Ele é executado desse modo:
Sente-se em sua asana meditativa. Coloque o dedo polegar da mão direita contra a narina direita, fechando-a, de modo que você respire apenas através da sua narina esquerda. Inale por três segundos através da narina esquerda. Liberte a narina direita e tampe a narina esquerda usando o dedo anelar da mão direita enquanto segura a respiração, de modo que a narina direita se abra. Visualize que a sua respiração, preenchida de energia, flui através da narina esquerda e enche seu corpo inteiro com luz pura e branca. Segure sua respiração por 12 segundos, pensando “Eu sou Deus”. Foque no pensamento de que você contém todas as qualidades de Deus, sendo a pura divindade. Agora exale através da narina direita, deixando a luz fluir para fora através da expiração, levando tudo que não é Deus com ela. Ainda segurando a narina esquerda fechada, faça a mesma coisa com a narina direita. Inspire por 3 segundos, segure a respiração e contemple por 12, então solte a narina esquerda e feche a narina direita com o polegar, exalando por 6 segundos para a fora através da narina esquerda. Isso constitui uma repetição. Execute isso dez vezes na manhã e dez vezes à noite.
Esta é uma das quatro maiores variações do Sukha Purvaka, e é a mais adequada para alguém que está vendo pranayama pela primeira vez, na minha opinião. Outras variações se dirigem para o equilíbrio dos tattvas internos, alternando um padrão entre os discos solar e lunar dentro do corpo, e incendiando a Kundalini dentro do muladhara, sendo mais avançadas variações. Quando esse primeiro nível de pranayama puder ser executado bem o suficiente para gerar uma sensação de pura e relaxada felicidade e concentração, então o estudante pode avançar para técnicas mais elevadas através do discernimento de um professor.
Vivendo o Caminho
Nenhuma dessas práticas vale alguma coisa se você jogar fora todo o seu progresso cada vez que você tiver a oportunidade. Você pode gastar grandes quantidades de tempo em meditação todos os dias, mas se você se engajar em atividades pecaminosas e satisfazer suas paixões e desejos inferiores todos os dias, se você mantiver más companhias, usar drogas, masturbar-se, ficar bêbado etc, seu progresso será incrivelmente devagar. Algumas vezes você não conseguirá avançar, embora você se esforce. A simples resposta para essa questão é que você não pode avançar muito neste caminho sem as mudanças corretas do seu estilo de vida.
As pessoas frequentemente me dizem “mas isso é o meu modo de ser”, ou “eu ando o meu próprio caminho”. Isso é tolice, e frequentemente leva diretamente ao fracasso. Não importa o que você possa identificar como sendo o “seu jeito”, você nunca terminará um projeto que você destrói completamente no fim de cada dia que você trabalha nele. Isso não é nem um assunto de metafísica do oculto ou princípios espirituais; é uma questão de senso comum. Se você quer perseguir um caminho espiritual seriamente, então eu dei as ferramentas neste artigo que lhe derão um incrível arranque na sua jornada. Porém, elas só podem ser usadas corretamente em conjunto com o estilo de vida correto e hábitos de vida em geral. O caminho do iniciante é muito frágil. Sua mente não está ainda treinada para resistir poderosas tentações, nem sua aura é forte o suficiente para expulsar energias negativas. Ele é muito impressionável, até se ele não pensa dessa maneira. O estudante inteligente que deseja ver sucesso em suas práticas saberá essas coisas sobre si mesmo, e tomará precauções para ficar certo de que não falhará. Estes são alguns inestimáveis conselhos para o estilo de vida que o iniciante deveria tentar manter para ver progresso máximo:

  • Ter uma dieta balanceada, consistindo de nenhuma carne vermelha e muitas frutas, sucos de fruta, e leite.
  • Devem ser evitadas comidas que lhe excitam demais e os seus sentidos.
  • Evite a companhia de pessoas pecaminosas e de pensamentos mundanos quando possível.
  • Não beba álcool, de forma recreativa ou social, embora alguns drinques por semana sejam permissíveis.
  • Evite totalmente todos os narcóticos e as pessoas que os usam. O uso de drogas não conduz ao avanço espiritual.
  • Não gaste muito tempo ouvindo música. Ela tocará no fundo de sua mente e distrairá suas práticas.
  • Não seja exageradamente sexual. A atividade sexual duas vezes por mês é considerada um máximo seguro que permite o avanço espiritual a continuar praticamente intocado, presumindo que ela seja executada como uma expressão de amor. A masturbação é estritamente proibida para alguém que queira um sucesso real. O celibato é sempre a escolha mais efetiva quando é realista.
  • Se você for uma pessoa de uma mente particularmente sexual, evite a companhia do sexo oposto.
  • Não assista, leia, ou ouça a coisas de natureza negativa.
  • Decore a sua casa, ou pelo menos o seu quarto, com coisas que lhe lembram de espiritualidade e de Deus.
  • Queime incenso regularmente para manter seu caminho em sua mente.
  • Leia um pouco das escrituras todos os dias.
  • Desenvolva uma rotina estrita para suas práticas espirituais e permaneça nela sem vacilar.

Muitas das “regras” para a mudança do estilo de vida mudam na medida em que você avança e não é mais tão receptivo a influências negativas. Ainda assim, deve-se evitar coisas de uma natureza negativa e destrutiva, e se engajar em atividades mais sagradas se existe o desejo por progresso real na ciência divina.

Este post tem 57 comentários

  1. Mariana

    Engraçado que parece regra de convento. Até a palavra “pecado” usam…
    @jeffalves20 – Não associe conceitos a um único sistema. A palavra pecado é bastante utilizada no Cristianismo, mas pode ser utilizada fora deste contexto. Por ser um post público, e através da significância que geralmente damos à palavra, creio que o autor decidiu utilizava porque facilita o entendimento para determinadas pessadas.

    1. Emmanuel

      Tem muita coisa interessante do Prophecy (e do Veos), mas por tudo o que já li dele dá a impressão de ser meio “garoto de convento” mesmo.
      @jeffalves20 – O que não limita a essência do ensinamento dele. Uma freira ou um padre pode ter muito mais o que ensinar do que certos magos, por exemplo.

      1. Emmanuel

        ¬¬ sério que você tá levando o sentido de ‘convento’ ao pé da letra?!
        não sei a Mariana, mas o que falei não tem nada a ver com padres ou freiras, é só uma expressão pra indicar essa aparência meio conservadora, restrita, moralizante do Prophecy. de qualquer forma, não limita mesmo a essência do ensinamento, como disse, tem muita coisa interessante dele, sempre to atento ao que ele diz no veritas, nos grupos… mas ainda é ´menino de convento’ 😉
        @jeffalves20 – Não peguei ao pé da letra não… rsrsrsrs. A analogia é sobre justamente o que colocou – apesar da aparência conservadora, restrita e moralizante, a essência do ensinamento é muito interessante.

    2. Ian

      A palavra “pecado” vem do hebreu, e quer dizer “errar o alvo”. Acho que esse é o nosso pecado; nos distanciarmos da nossa busca pela perfeição e por nos tornarmos seres humanos melhores.
      @jeffalves20 – Ótima explicação.

      1. Pablo Ronney Queiroz Mortimer

        Ouçam a música “Onde houver fé que eu leve a dúvida” de Falcão. É sério. E ouçam o início dela, a primeira estrofe. Se quiserem arranjar uma mulher e fazer um Hiero Gamos seja do caminho da mão esquerda ou da direita façam isso, ou então se acabem na mão caso prefiram isso. Vocês quem escolhem fazer algo bom ou continuar na ilusão da mão.

      2. frater perdurabo

        a palavra pecado é restrição

    3. Jeferson

      A masturbação é jogar energia fora… Portanto, um pecado…
      Quem é que prefere masturbar-se à ter contato físico com alguém?
      Uma pessoa que se esforça para realizar sua verdadeira vontade sabe que, dado à sua natureza, isto é, a sua constituição física, é absolutamente verdadeiro que todo ser humano, ou melhor, todo mamífero é dado ao sexo, à sexualidade…
      Essa ideia de que a masturbação é uma coisa normal, geralmente difundida pela psicologia, é, digamos assim, um perigo, pois apesar de não reprimir o ato, incentiva uma prática que não condiz com o ensinamento espiritual correto…
      Quem ama a si mesmo, por exemplo, quer uma pessoa para amar ou apenas algum visualização para se contentar individualmente?
      É mister que, aquele que não gosta da associação do ato de se masturbar com a palavra pecado, sobretudo se for homem, masturbe-se por um período regular para ver o esgotamento de energia psíquica…
      A visualização é uma constante naqueles que se masturbam, sejam homens ou mulheres… Uma vez ou outra, e como Del Debbio já disse certa vez, é até normal e alivia a pressão, desde que, preste atenção, não haja a visualização, pois isso criaria larvas astrais, succubus, etc, o que depende da pessoa.
      A masturbação tem muito a ver com a repressão. Como mencionei anteriormente, como mamíferos que somos, somos inclinados ao sexo e isso é obrigatório para o nosso equilíbrio. É a nossa natureza. Não podemos aniquilar aquilo que somos. Papus mesmo nos adverte a este respeito em seu tratado de mágia prática, no qual nos mostra como o desiquílibrio nos afeta na vida diária…
      Podemos notar, por exemplo, que entre algumas pessoas inclinadas às questões intelectuais haja uma certa falta de praticidade, e aí então, Papus nos recomenda uma série de exercícios físicos para que possamos nos equilibrar… Do contrário, por mais esforçado que um indivíduo possa ser, com grande facilidade para questões intelectuais, vez ou outra suas ideias permanecem apenas no plano intelectual, sem serem concretizadas justamente por ignorar o corpo físico…
      E, por corpo físico, queremos nos referir ao corpo em toda sua plenitude, e isto, obviamente, inclui a sexualidade…
      Em qualquer sistema que estejamos, se ele nos reprimi a força sexual, logo ele deixa de ser verdadeiro… Um período sem o sexo pode ser benéfico, mas ignorá-lo, como Louis de Saint Martin parece ter feito é improdutivo. Isso, porque pessoalmente, acredito que se temos um corpo carnal, é porque devemos usá-lo…
      Quanto ao que eu disse ainda a pouco, sobre o fato de a masturbação ser um vinculo com a repressão (A Palavra do Pecado é esta: repressão), vejamos duas situações:
      Na qual a pessoa se masturba para satisfazer-se, em razão de uma suposta fatalidade, ou seja, ser azarada no “amor” e, com isso, não conseguir se divertir sexualmente com alguma pessoa. Então, ela usa a masturbação para satisfazer uma necessidade física, que, posteriormente, irá gerar um desiquilíbrio mental e uma zona de conforto… Uma pessoa assim, em razão de fracassos anteriores em suas investidas de “paqueramento” usa a masturbação para aliviar, um imediatismo…
      Há outras, contudo, que usam da masturbação para satisfazem desejos ocultos, secretos, que não foram compartilhados com o parceiro ou parceira… Supondo um cara que namora uma garota, só que já se imaginou com outros caras, ou mesmo com outras mulheres… Bem, uma covardia, uma submissão aos costumes, enfim, uma repressão com escape solitário…
      No aspecto psicológico, e isso todo aquele que é perspicaz pode perceber, há um esgotamento energético da psique. Mais sobre isso na obra de Jung, intitulada Energia Psíquica… gerando uma zona de conforto caso a pessoa não tenha coragem de enfrentar a sua necessidade sexual…
      De todo modo, este cara é sábio:
      Bisexuality immediately doubles your chances for a date on Saturday night.
      Woody Allen
      No aspecto oculto, pois sabemos a importância que o sexo tem para a jornada espiritual… Recomendo, aqui, o documentário de produção thelêmica chamado Segredos do Jardim do Éden… É o básico sobre o assunto…
      @jeffalves20 – Ótimo comentário. Grato por compartilhar.

    4. G.F.

      Eu também tenho aversão a esses termos: ‘deus’, ‘pecado’, ‘pessoas pecaminosas’, ‘ler as escrituras’.. e vejam ‘fazer sexo no máximo duas vezes por mês’.. logo pensei ‘eu teria que casar, porque no casamento é onde se faz menos sexo..’.

  2. rogui

    Só um conselho, se tivesse divido em 2 partes ficaria mais fácil a assimilação do conteúdo.
    Tenho um prof de kung-fu que pratica a meditação às 3 da manhã, e já li em outros livros que e esse o horário mais adequado, creio que o Filipe de Lyon diz isso, não me recordo mt bem, ou o Yogananda.
    @jeffalves20 – Tentei dividir em páginas no mesmo post, mas o template do blog não ajuda muito, ficando numa posição não muito boa. Coloquei em um único post para agilizar alguns outros posts que estão vindo por aí. Porém, dica válida e fico grato pela mesma.

    1. Gustavo

      De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, das 3 as 5 da manhã é o horário do meridiano do Pulmão, ou seja, o horário de maior energia do meridiano.
      Como este meridiano está associado com a respiração, e a maior parte das práticas meditativas que conhecemos utilizam técnicas respiratórias, é realmente o horário mais indicado.
      Inclusive, das 19h as 23h são os melhores horários para sexo, pois os meridianos do Triplo Aquecedor (19-21) e Circulação-Sexo, ou Pericárdio (21-23) estão mais ativos.
      @jeffalves20 – Ótimo adendo, Gustavo. Obrigado!

  3. Ramon

    Realmente um grande incentivador. Principalmente a parte do Japa que é um objeto de grande auxílio. Meus parabéns pelo post.
    @jeffalves20 – O Japa realmente é muito importante e dá até para fazer associação com a utilização (e efetividade) dos terços. Obrigado pelo comentário.

    1. Ramon

      Ontem fiz um Japa mais ou menos próximo das 11h e hoje fiz às 4 da manhã. Sem dúvida há diferença. Realmente me senti engolido pelo Universo, como se não fizesse mais parte de nada daqui. Consegui sentir quase o meu corpo todo vibrando, foi sensacional. Espero poder repetir a experiência.
      @jeffalves20 – Obrigado por compartilhar sua experiência e enriquecer ainda mais nossa discussão.

  4. Rodrigo

    Muita gente reclama dos escritos e idéias dos “Irmãos Grimm”, mas o que essas pessoas geralmente não percebem é que são dicas e lições extremamente funcionais, baseadas na prática e disciplina severa.
    Muito bom o post, textos assim são sempre úteis e importantes.
    Aguardo os próximos posts.
    Abraços.
    @jeffalves20 – Percebem a superfície, mas não enxergam a profundidade. Grato pelo comentário.

    1. rogui

      Irmãos “Murphy”

  5. Aquiles

    Pelo que li, Crowley era um mago fodástico e se masturbava [não do jeito que um mundano faz, é claro]. E aí, comofaz?
    @jeffalves20 – Deixo para você meditar esta resposta.

    1. Vinícius Ferreira

      A questão da masturbação é complexa. Assim como o sexo, pode viciar e tirar o seu foco no caminho além de criar “larvas atrais” e gastar muita energia vital. Porém, se usada da forma correta, pode ampliar a capacidade de concentração.
      Não acho que seja uma coisa proibida, mas deve ser usada com cautela , concentrando-se em um desejo específico da sua Thelema, uma forma pensamento desejada, afinal a atividade sexual foi “pensada” para se criar uma vida e ela sempre cria algo, aqui ou no astral, cabe ao mago controlar o que se é criado.
      @jeffalves20 – Grato por compartilhar sua opinião e enriquecer ainda mais nossa discusão sobre este assunto.

    2. D

      Eu ia responder no post do @Jefferson, sobre masturbação e seus “feitos” no corpo humano, mas vou aproveitar que o seu está mais curto, e trata do mesmo assunto.
      Pense bem : Masturbação é uma forma de perder energia.
      Mas disso todos nós sabemos na prática. Quando você está estressado (exceço de energias) não é a masturbação uma ótima forma de se livrar delas ?
      Considerando-se que tanto o Crowley quanto muitos outros “grandes magos” tinham um sistema chackra-nadi extremamente desenvolvido, sendo capaz de lidar com massivas quantidades de energia ao mesmo tempo, então necessitamd e válvulas múltiplas de escape para a energia absurda que absorvem. Quanto maior o canal, maior o trânsito de energia, e, se ela não tiver para onde ir, pior o bloqueio energético !
      Claro, você sempre pode ficar pelado no quintal e deitar na grama, deixando o próprio planeta absorver suas energias, mas se você tem que servir como pára-raios cósmico de qualquer forma, porque não usar essa necessidade a seu favor ? Masturbe-se, preencha sigilos, faça com que a energia trabalhe por você – desde que você saiba o que faz, claro.
      A masturbação, portanto, é um ato magístico inconsciente e, como todo ato magístico, tem suas vantágens e problemas.
      Você pode usá-la como catalizador para transmutar suas energias, e mover grande quantidade delas de uma vez, mas se não tiver domínio de qual energia usar, acabará gerando apenas uma energia densa, ligada ao chackra sexual.
      Você pode usá-la simplesmente como válvula de escape, mas tome cuidado para onde sua válvula aponta (isso não era para ser uma piada de duplo sentido, juro). Você pode acabar alimentando algo que não quer alimentar.
      Você pode usá-la para abrir seus chackras, melhorar seu controle sobre energia e outras coisas – mas, novamente, você precisa controlar suas energias para isso ! De que adianta ter uma usina hidrelétrica super-poderosa, se você não tiver cabos de força para passar a energia ou se esses cabos estiverem dando para pântanos e outros lugares onde são inúteis – se não forem problemáticos ?
      Assim, masturbação é um tópico complexo.
      Se você só quiser prazer, tenha a certeza de usá-la com moderação, e de não alimentar nada com ela sem querer.
      Se você quiser usá-la a seu favor….. bem, antes de mais nada, você precisa aprender a estar consciente durante o ato masturbatório e o orgasmo, para poder controlar conscientemente para onde vão suas energias – em outras palavras, “dominar os instintos inferiores” – lembra algo ?
      @jeffalves20 – Estão saindo excelentes comentários neste post. Grato por compartilhar sua opinião.

      1. Jeferson

        Poxa cara!
        Você me recordou de outros pontos importantíssimos! Valeu.
        Aliás, se não me engano, creio que já li algo parecido com o seu comentário.
        Se por acaso você complementou sua opinião com alguma outra fonte, um livro, etc,
        e puder deixar aqui um link, ficaria grato.
        Valeu.

        1. D

          Então Jefferson, eu msiturei uma porrada de coisas xD
          Tem tanto ensinamentos do meu mentor encarnado quanto palavras do Saulo Cauderon, do GVA (www.viagemastral.com), quanto minha própria experiência com canalização de energia (por meio do Reiki, visto que sou reikiano, ainda que iniciante) e com bloqueios energéticos (que aturei durante um bom tempo, antes de aprender que energia não se segura – energia parada materializa, e vira bloqueio).
          Também tem um certo tanto de hermetismo -na parte de “controlar seus instintos”, assunto sobre o qual Papus discorre bem, no seu Tratado Elementar, ao meu ver – e anatomia sutil [que aprendi tanto com meu mentor, quanto pela minha mestra de reiki, quanto pelo Saulo Calderon, quanto pelos livros seguintes, que são os que mais indico dos que já lí : Teoria dos Chackras (dr. Hiroshi Motoyama) ; Mãos de Luz (Bárbara Ann Brennan) ; Medicina Vibracional (Richard Guerber)]
          Faça bom proveito manolo ^^

  6. BrunoMais

    Yoa, Jeff , espetacular, tenho muita coisa do Veritas ,que transformei em PDF.
    Traduzir para o Português e expor aqui foi uma excelente idea , não sei como o Divine Science está, mas o Veritas tem material metafísico ,para algumas vidas de estudo 😀
    Parabéns !
    [ ]’s
    @jeffalves20 – Os créditos da tradução vão para o Bardonista. E o Divine Science é muito bom sim.

  7. Leonardo Borges

    Eu li o texto todo e descobri , que do jeito que eu to atualmente , já teria virado “churrasco do sacrificio” , só uma coisa essas praticas precisam mesmo ser levadas ao pé da letra ???, qual é ?… sexo 2 vezes por mês acaba com casamentos ainda mais quando sua mulher não sabe o que você faz…pior que o sistema que eu tento fazer é justamente o do Franz Bardon…
    @jeffalves20 – Medite acerca do texto e o seu Eu Interior irá o guiar na melhor resposta quanto a isto. Esta é a opinião do frater Prophecy, que não necessariamente será a sua.

    1. Ramon

      Não querendo ofender…mas na minha visão a gente só esconde o que faz de ruim, e ela sendo sua esposa “deve” te compreender. Mas se você tiver outro motivo ou não se sente pronto, é opção de cada um, então peço desculpas. O objetivo é se limpar, se equilibriar. Você pode fazer o que quiser, quanto quiser…desde que acredite que não tá sujando mais do que limpou. Dois passos pra trás e um pra frente ainda é somente um passo pra trás. Novamente peço desculpar se pareci arrogante de qualquer maneira.
      @jeffalves20 – Pelo contrário, Ramon. Agradeço por sua contribuição ao compartilhar sua opinião e permitir que possamos refletir sobre ela. Obrigado.

    2. luiz

      dê a sua esposa 2 sessões mensais de sexo tântrico, com orgasmos intermináveis por umas 6 horas daí nãohá risco de acabar seu casamento.

  8. Croco

    Talvez esse “moralismo” do autor exista porque ele é bastante entusiasta das práticas hindus. Normal.
    Mas, analisando a parte sexual do ponto de vista oriental, talvez com exercícios específicos de tantra, seja possível “poupar energia”, e não desgastar o corpo tanto assim. Pelo que sei, desperdiçar sêmen é que é o problema, não?
    Não se esqueçam, o sexo é divino também, basta saber como fazê-lo.
    Abs.
    @jeffalves20 – Ótimo comentário, Croco.

  9. Leonardo Borges

    Vou ter que começar essa semana ainda e pra vale , vou ter que mudar muita coisa, comecei a estudar e treinar pratica magica no meio do ano passado , sempre fico com um peso na consiência penso que se tivesse lavando a serio já teria avançado consideravelmente levando em consideração os textos escritos pelo Cris Murphy…Esse texto foi ótimo veio em boa hora , acredito plenamente que o sistema , mais pragmático do hermetismo proposto por Bardon ,parece a escolha certa pra min , já que onde moro não existe absolutamente nada nenhuma escola de nenhum ramo esoterico vai na base do eu e eu mesmo…
    @jeffalves20 – E o objetivo dele ao criar seu sistema era poder expandir o Hermetismo a pessoas em condições como a sua.

  10. Lobu

    A parte dos exercícios é sensacional, quanto as regras moralistas podem ser ótimas para quem é de uma corrente do caminho do meio ou da direita, mas para quem é de esquerda como thelemitas, satanistas e magos do caos acho que não se adequam. Um exemplo, já citado acima, foi o Crowley que quebra praticamente todas aquelas regras e foi um grande mago. De toda forma adorei o texto, a parte prática do ocultismo nem sempre é divulgada e é a que mais aprecio (sou muito cético, rsrs) .
    Obrigado pelo trabalho. 93!
    @jeffalves20 – Sempre tire os ensinamentos que são úteis para você e esqueça os que não são adequados. Siga a vontade do seu Eu Interior.

  11. Ericson

    Questões como essas que foram levantadas (marsturbação, pecado) serão sempre “paradoxos” na minha opinião. Temos muito o que “filosofar” ainda.
    @jeffalves20 – Sim, além de que costumamos nos apegar aos conceitos que temos sobre os mesmos.

  12. César

    Olha que interessante: Apesar do texto ser grande e ter tantas dicas valiosas, boa parte dos comentários é sobre os temas sexo, masturbação e moral de certo/errado.
    Pra mim isso demonstra que esses temas ainda são muito Tabus em nossa mente, confusos e associados com culpa, principalmente por causa do peso dos ensinamentos católicos, maioria em nosso país.
    Eu pessoalmente estou buscando o lado inverso, superar aos poucos o peso de culpas e falsa moral, que não é util a ninguém (nem ajuda aos outros, nem a mim mesmo).
    Acho lamentavel que o Prophecy, como representante de um sistema inteiro, ajude a propagar esses conceitos de “pecado” e tantas proibições. Ao meu ver ele podia deixar claro a opinião dele sobre Disciplina e Vontade, e mostrar que existem muitos caminhos diferentes, e que cabe ao mago escolher o que melhor se adequa. Porque afinal o Hermetismo por si é algo neutro, nem de esquerda nem de direita.
    Isso ajudaria a clarear esses temas obscuros em nossa mente, desvelar em vez de revelar !
    Os próprios escritores aqui do TDC poderiam fazer uma série sobre esses temas proibidos, esclarecendo a escolha e responsabilidade de cada um. Basta ver naquela antiga seção de “perguntas e respostas” o quanto eram recorrente esses temas, o que é muito natural, afinal boa parte de nós aspirantes a mago, somos adolescentes ou deixamos ela não ha muito tempo. Esta fase difícil não combina com o excesso de culpas e proibições sem sentido das instituições religiosas. Precisamos de luz.
    No mais, o puxão de orelha sobre a Prática Real foi muito útil. Abraço, isso foi um desabafo .
    @jeffalves20 – Parabéns pelo comentário, César! Irei anotar a dica de temas para ser colocada nas próximas pautas do Projeto EntreMentes.

  13. MitH

    Como já foi abordado, temos grandes figuras que seguiram diferentes vias, diferentes caminhos, alcançando resultados igualmente surpreendentes, que não competem ao homem comum, muito menos ao “iniciático” compará-los no sentido de apontar o melhor ou o pior.
    Cito o controverso Crowley como um exemplo do “caminho da esquerda”, o grande Jiddu Krishnamurti como um nome forte no caminho da flecha, ou “caminho do meio” (via na qual o autor desse texto me parece seguir) e encontramos em Louis Claude de Saint-Martin um vivo relato da eficiência do Pilar Branco, ou “caminho da direita”.
    Naturalmente, enchergar “três caminhos” é uma observação grosseira, porque suas ramificações são infinitas, e irão variar de acordo com o caráter e inclinação pessoal do buscador, ainda assim, vê-los dessa forma ajuda muito a dar o primeiro passo.
    Uma vez escolhido um caminho, agarre-o e siga! O estudo prévio é fundamental, mas ser uma biblioteca ocultista não permitirá abrir os véus com mãos firmes para vislumbrar, experimentar e compreender a “Vibração do Uno” que em tudo permeia.
    Livres de preconceitos sociais e religiosos, sigam seus corações e embora seguindo por determinado caminho, aprenda a apreciar a beleza e respeitar a sabedoria dos que tomam um rumo paralelo, pois certamente, os iluminados saudam-se no “fim do caminho” com igual reverência.
    Obrigado pelo belíssimo texto do Frater Prophecy.
    @jeffalves20 – Os comentários estão ficando cada vez melhores. Grato pelo comentário, MitH.

    1. GR

      Acredito que escolher um caminho seja uma das grandes dificuldades de quem está iniciando nos estudos ocultistas.
      Acho que um tópico sobre o assunto ajudaria muita gente! (Eu sou um deles heheh)
      @jeffalves20 – Há um post antigo sobre o assunto, retirado do livro Curso de Magia, do autor J.R.R.Abrahao, que foi dividido em duas partes e que a última resume a grande maioria dos sistemas mágicos. Segue abaixo:
      http://www.deldebbio.com.br/2008/06/30/teoria-da-magia-ii-sistemas-magicos/

  14. luiz

    sincronicidade! li esse post no blog original ontem. além do que ele é o q mais me pegou, pq preciso me organizar mais com as práticas.
    Li ele bem por acaso, e hoje abri o mayhem. e me espantei vendo o volume de comentários.
    força!
    @jeffalves20 – Dê umas olhadas nos posts antigos da coluna que também envolvem a parte prática que você terá ainda mais dicas sobre.

  15. Hayabusa

    Parabéns! Caiu como uma luva.
    Regras de celibato… essa é a forma de maximizar os resultados, da mesma forma que um fisiculturista também não pode bastante coisa alí.
    Drogas, álcool, companhias ruins(até mãe sabe que isso faz mal).
    Esquecem que Crowley, mesmo que se masturbasse por luxúria, começou as práticas de pranayama e afins com 4 horas duração inicial. Ele treinava como um mestre.
    Se você quer ter resultados máximos, gastando o mínimo de energia/tempo(Avançar mais rapidamente) em muitas coisas não vai ser diferente de um “celibato”.
    Sexo usa uma grande quantidade de energia na hora do orgasmo, nesse caso é desperdício. Com a simples prática da AA de fazer a limpeza dos chacras é possível observar a energia sendo puxada dos outros chacras para o MULADHARA na hora do orgasmo.
    Bom senso é a palavra chave, se você tiver uma carga razoável de conhecimento vai observar que tudo o que ele diz faz bastante sentido.
    Não é aplicável a todos, mas com algumas alterações, partindo do fundamento, é possível fazer um plano “Mágico”(de curso) extremamente eficaz.
    Gostaria de agradecer novamente ao jeff, e as pessoas da tradução porque vão me ajudar muito a ter afinco e trabalhar algumas coisas que são de urgência primária, concentração, visualização, limpeza e DISCIPLINA(o mais importante).
    @jeffalves20 – Grato pela complementação da discussão com sua opinião, Hayabusa.

  16. Alessandro Iglesias

    Salve! 93!
    A questão da masturbação tem a ver com o volume de energia vital necessária para o Aspirante tornar-se um Iniciado e posteriormente um Adepto. Havendo maior interesse pelo assunto, busquem por “Kundalini”.
    Não sei se Aleister Crowley se masturbava frequentemente. Se acontecia, não podemos esquecer que ele era um Adepto de altíssimo nível (alguns descobrirão daqui a pouco o quanto), e ele não sofresse esvaziamento energético como demais pessoas.
    Uma atualização necessária ao texto: o atual nome iniciático de Frater Prophecy é Frater Ramose, para caso alguém procure materiais no The Divine Science.
    Fraterno abraço a todos;
    Alessandro.
    93 93/93
    @jeffalves20 – Obrigado pela complementação e pela correção acerca do nome do Frater.

    1. César

      Esse negócio de Esvaziamento energético, sei não…
      Se a energia sai, outra energia vem e completa (imagino eu)
      Além do que, Crowley parece não ser adepto de nenhum tipo de repressão. Olha esse texto, logo no início:
      “As secreções corporais, quando suprimidas, se infiltram nos tecidos, envenenando-os. O sêmen acumulado de forma não natural obstrui o cérebro assim como faz a bílis; isso resulta em sintomas mentais e morais patológicos. Sexo é um processo fisiológico; a interferência o deturpa. Sexo não tem implicações morais, exceto no bem estar da raça (…) “todos os atos são permitidos, se não ferirem aos outros; são aprovados, se não ferirem o ser. Esta liberdade, longe de fomentar a luxúria, destrói a obsessão sexual. A febre sexual é mitigada; a imaginação inflamada recupera a sua proporção adequada”
      Em: http://www.thelema.com.br/espaco-novo-aeon/ensaios/sobre-a-liberdade-sexual/
      Mas a verdade é que este tema continua confuso.
      Alguém indica algum livro ou site sério que fale desse tal escoamento sexual e kundalini ? (Nada de Samael e Gnose, por favor =P)
      @jeffalves20 – Quando falamos de sexo sempre dá confusão, não é? Grato por compartilhar sua opinião, César.

      1. frater perdurabo

        esse é o mestre….

  17. F.A.C

    Opa, tudo bem aos colegas de estudos.
    Bem, o texto do Prophecy é razoável, porém tem algumas incoerências e radicalismos. Natural pois os rapazes(irmãos murphy) são muito jovens e quando escreveram este artigo tinham 17 anos até onde sei, depois editaram um pouco.
    Explico-vos porque não devem levar a sério muitas das coisas ditas por eles pois que não derivam da experiência e sim são meras repetições de textos. E também para tirar a curiosidade do leitor acerca destes autores afinal esclarecimento sempre épositivo. (Já me desculpando ao jeffalves que não tem nada com isso e tem a melhor intenção.)
    Fizemos parte de um grupo de estudos em contato com os autores, eu e mais uns colegas que depois alguns entraram no ning isso foi até 2010. Lá vi que o Prophecy era um impostor e mentiroso, me desculpem as palavras. Os caras começaram o curso dizendo que seria grátis de repente aumentaram para 100 dólares a matrícula, depois começaram a pedir mensalidade de 50 dólares – acharam que a malandragem ia colar com o brazuca aqui 🙂
    Pior foi a história que contaram sobre fazer uma iniciação na Índia que era urgente devido a posição dos astros. Um italiano doou 2000 dólares. Eles depois cancelaram a viagem. O dinheiro não foi devolvido e perguntas sobre eram censuradas no grupo. Logo saí do grupo alertando aos demais e recebi uma corrente negativa, porém como tenho trabalhos semanais em uma ordem e um bom iniciador comigo nada ocorreu.
    Bem, em suma o curso era copia e cola de vários textos clássicos e principalmente do IAH de Bardon, sendo fanáticos ao extremo, mulher só 1 ou 2x ao mês, sem carne, etc, treinar 3 horas por dia (o estranho é que descobrimos que eles faziam festinhas seletas na casa de campo, comiam carne e tinham namoradas bem assanhadas)… De fato, fizeram uma mistura de hinduísmo e hermetismo, porém são seguidores de um ex-Amookos chamado Siddhanath que era muito amigo de Sathya Sai Baba(vejam vídeos no ytube e julguem por si- além dos processos por abuso)
    As concepções históricas deles acerca da maçonaria e temas como Jesus histórico e outros chegam a ser infantis como poderão comprovar pelo livro interno que foi divulgado no scribd faz um ano.
    O que penso é que os rapazes são muito jovens e tem um ego imenso, querem ser professores e aparecer na mídia, dizem que vieram com a missão de resgatar a magia; como se não houvessem tradições secretas e familiares já trabalhando a sério com isso entre colunas.
    A magia nunca foi perdida como os rapazes tentam passar nos seus textos. Há que se ter em primeira palavra sobriedade e a vontade sempre de aprender mais e mais, sem “receitas de bolo”, deixemos isto para a religião e para a massa que dela necessita muito.
    Fraternal abraço e bons estudos a todos.
    @jeffalves20 – Obrigado por compartilhar a sua opinião F.A.C. Agora cabe a cada um tirar suas conclusões.

    1. GR

      Obrigado pelo aviso!

    2. Leonardo Borges

      Caramba dessa eu não sabia , você tem alguma informação ou algum detalhe sobre um cara chamado Chris Murphy, eu li um livro dele e tenho o utilizado como base complementar pros exercicios do F.Bardon…?? 😀

      1. F.A.C

        Chris é irmão gêmeo do prophecy, eles são craques em meditação, mas não iniciados em nada além de yoga paga, nem tem experiência prática em magia ou teurgia de verdade. Ele diz que voltou do antigo egito para restaurar a iniciação de tebas que ele criou na época (não estou brincando, tenho testemunhas 🙂 )
        Outro exemplo: ao perguntar sobre martinismo para ele o sujeito me disse: não, já li todas as obras do martinismo e não me chamou a atenção pois é apenas preces e sem nenhum desenvolvimento teúrgico…
        Enfim, use o bom senso ao ler obras deles pois dizem que o Bardon é mestre Arion e coisa tal, sendo que as pesquisas sérias mostram que Bardon foi ótimo compilador do trabalho das iniciações alemãs do século 20, inclusive aprendeu muito com Quinstcher e outros.
        @jeffalves20 – Pergunta a alguém do grupo deles e vai escutar coisas como Franz Bardon está vivo ainda ou que a grande maioria das escolas não são autênticas. Veja também um certo fanatismo por meio dos estudantes. Agora, F.A.C., conhece algum escrito onde esteja divulgada a VoA?

        1. F.A.C

          VoA ? Que eu lembre era um exercício ao estilo pranayama que foi ensinado para puxar energias. Este exercício em sua versão 1 simples e 2 estão divulgados no manual do probacionista e aspirante que foram publicados por uma pessoa em uma comunidade de franz bardon no falecido orkut, 4shared e scribd. Basta procurar um pouco.
          Certamente foi inventado por eles mesmos e não é um exercício antigo, existem muitas incoerências como misturar nomes de poder gnósticos e outros de egrégoras egípcias(os rapazes fizeram uma salada de frutas, choque de egrégoras pois os deuses conflituam)
          Em suma é um pranayama com mentalização de luz e assunção de forma-deus, nada demais, além do que quem fizer este exercício estará meramente fortalecendo a pequena egrégora (do exercício) deles em troco de quase nada pois certamente eles colocaram alguma palavra-chave para controlar esta egrégora enquanto os demais(que realizam o exercício) a alimentam.
          @jeffalves20 – Grato pela informação.

          1. Hugo Lima

            “VoA ? Que eu lembre era um exercício ao estilo pranayama que foi ensinado para puxar energias. Este exercício em sua versão 1 simples e 2 estão divulgados no manual do probacionista e aspirante que foram publicados por uma pessoa em uma comunidade de franz bardon no falecido orkut, 4shared e scribd. Basta procurar um pouco.
            Certamente foi inventado por eles mesmos e não é um exercício antigo, existem muitas incoerências como misturar nomes de poder gnósticos e outros de egrégoras egípcias(os rapazes fizeram uma salada de frutas, choque de egrégoras pois os deuses conflituam)
            Em suma é um pranayama com mentalização de luz e assunção de forma-deus, nada demais, além do que quem fizer este exercício estará meramente fortalecendo a pequena egrégora (do exercício) deles em troco de quase nada pois certamente eles colocaram alguma palavra-chave para controlar esta egrégora enquanto os demais(que realizam o exercício) a alimentam.
            @jeffalves20 – Grato pela informação.”
            Hugo – Curiosa essa visão do VoA, Felipe. Talvez se você tivesse ficado para ver o VoV como um todo, poderia dizer com mais propriedade.
            “@jeffalves20 – Pergunta a alguém do grupo deles e vai escutar coisas como Franz Bardon está vivo ainda ou que a grande maioria das escolas não são autênticas. Veja também um certo fanatismo por meio dos estudantes. Agora, F.A.C., conhece algum escrito onde esteja divulgada a VoA?”
            HugoJeff, fico curioso pra saber que é esse “alguém do grupo deles” com quem você andou conversando.
            Em relação a todo o comentário anterior do F.A.C., minha sugestão é visitar o site da School of Divine Science e ler os artigos abertos, para julgar o conhecimento apresentado. Quanto à personalidade dos dois, todos os relatos que escutei, tirando única e exclusivamente o do F.A.C. e do grupo dele, foram condizentes com a linha de trabalho que eles ensinam.
            Eu não os conheço pessoalmente, mas sei que tem um brasileiro que sim. João o nome dele, inclusive. A história dele é bem diferente da apresentada pelo F.A.C….

          2. Diego C.

            Reitero o que o Hugo falou.
            De todos os que conheço que tiveram contato com os irmãos Ramose(Prophecy) e Veos você é o único com essa opinião F.A.C.
            A todos interessados, leiam o site e julgem por conta própria. O curso introdutório(probacionista) é gratuito e aberto a quem interessar. Os graus adiantes são pagos como toda ordem o faz, pois toda escola/ordem tem seus custos operacionais.
            @jeff – Se bem que você pode tentar fazê-los gratuitamente também, já que eles assim o fornecem para algumas pessoas que realmente não poderiam pagar.

          3. Natália Maia

            Reitero o que o Hugo e o Diego falaram acima. Eles deixam bem claro que o curso introdutório (classe do probacionista) é gratuito e que somente os seguintes requerem pagamento único, mas você ainda pode conversar com eles, caso não tenha condições, que eles parcelam ou até isentam essa taxa. E, qualquer dúvida que tenham, vocês podem até perguntar a eles diretamente que eu tenho certeza que eles a responderão da forma mais sincera possível.

          4. F.A.C

            O que foi postado sobre esta escola americana de “teurgia” anteriormente era verdadeiro, mais, é mera intenção de prevenir outras pessoas para não serem enganadas.
            Reitero tudo o que coloquei anteriormente, muito já foi provado no antigo orkut, mas é aquela coisa quem quer acreditar em Guru acredita, todos são livres para acreditar ou não. Haverá versões a favor e contra e cabe a cada um decidir ou não. Fiquemos longe de debates fervorosos e infantis estilo Palmeiras X Corinthians.
            Bem, as questões sobre o VoA citadas foram totalmente discernidas, conheço o simbolismo envolvido afinal sou mestre maçom além de iniciado martinista. Geralmente o incauto é iludido por não conhecer simbolismo.
            O exercício e o curso são meramente uma compilação confusa dos livros de Bardon, yoga pago(não o tantra yoga pra valer) exercícios inspirados na Golden Dawn e Thelema. É uma salada de frutas indigesta que não vai levar gerar iniciação, apenas informações desconexas e desvinculadas de qualquer Tradição.
            Vale muito mais frequentar um curso do Del Debbio pessoalmente, fazer contatos, fazer amizades pessoais, ir atrás por aqui mesmo.
            Há bons iniciadores no Brasil, procurem por eles, procurem pelo pessoal de “cabelos brancos” com bagagem iniciática.
            Acho que este site pode servir como de acesso para conhecer gente através do MDD, ter acesso a ordens semi-abertas e depois as fechadas, fora da Tradição não há iniciação, lembrem de René Guenon.
            Pensam que os americanos com 20 anos de idade, misturando tradições desconexas, compilando material desconexo e cobrando mensalidade por ensinamento online vai levar alguém longe ? Aquilo é um curso de meditação e um pouco de tantra, nada de teurgia a qual existe e é restrita a ordens fechadas.
            Procurem trilhar o caminho sempre descrito pelo MDD : ordem aberta > discreta > fechada, aí poderão receber a Tradição. Só minha opinião.
            Ao Hugo: Cada um acredita no que quiser, pessoalmente percebi algo estranho quando eles se mostraram como meros compiladores de materiais e seguidores de Sai Baba. Não é verdade que todos os outros tem versões diferentes afinal fui membro do primeiro grupo que debandou ao perceber que os americanos eram de teor bem duvidoso. Do meu antigo grupo creio que não sobrou nenhum, o seu veio depois então vc está por fora.
            Certamente os americanos tem alguma habilidade mediúnica e ectoplasmia com a qual impressionam os novatos, mas não vamos tomar criação de fenômenos espirituais como patrimônio exclusivo de mestres. Há grandes médiums brasileiros como Trigueirnho, José Arigó e outros que fizeram grandes fenômenos de materialização e parapsiquismo. São grandes iniciados ? Nunca. Creio que você possa tirar conclusões sozinho.
            @MDD – Excelentes conselhos… devagar e sempre, é o melhor método.

          5. Diego C.

            F.A.C,
            São bons conselhos que você deu. So gostaria de discutir alguns pontos para não deixar solto no ar.
            “muito já foi provado no antigo orkut”
            Você poderia dizer quais provas são essas? Pois nunca ouvi falar de tais provas.
            Você fala de mensalidade como se fosse algo ruim, acaso a maçonaria, G.D, e outras tambem não cobram mensalidades? Isso as torna inferiores?
            “Do meu antigo grupo creio que não sobrou nenhum, o seu veio depois então vc está por fora.”
            Pelo contrário, do seu antigo grupo praticamente todos continuam no Divine Science, alguns até ja são professores dos probacionistas.
            Tenho uma útima pergunta, o que não é uma compilação de ensinamentos do passado? Me cite uma ordem atual que não utilize de material de outras do passado. Isso as torna inferiores? Não. Afirmar que o material do Divine Science é somente um compilado de Franz Bardon, Yoga, G.D e Thelema é somente a prova que você não avançou alem dos graus iniciais.
            A quem tiver interesse segue alguns links:
            http://thedivinescience.org/a-letter-of-introduction-to-theurgy
            http://thedivinescience.org/the-origin-and-nature-of-theurgy
            http://thedivinescience.org/history-of-our-tradition

          6. F.A.C

            Ao Diego, discordamos, mas tentarei colocar alguns pontos sólidos para você refletir:
            Diferente do que você coloca participei por 2 anos do curso e conheço-o razoavelmente, bastante além do probacionista. Os materiais estão na internet publicados faz anos e esse debate já aconteceu em 2010. O debate acerca desta polêmica toda já foi feito no velho orkut, já debatemos a exaustão com os praticantes daquela época, repetir tudo seria cansativo ademais muita gente debandou e não poderá testemunhar.
            As dúvidas sobre os professores surgiam, além do que eles sempre queriam mais dinheiro de inscrição, que não era cobrado no começo, depois criaram a mensalidade durante o curso, depois aumentaram, depois fizeram campanha para arrecar fundos e ir a India, conseguiram o dinheiro e não foram…
            Aceita-se custos sim, porém deve haver honestidade.
            Os discursos dos rapazes durante as aulas eram realmente duvidosos, tendendo muito ao esoterismo orientalista, do começo do século 20, aquela coisa de Blavatsky, yogues ocidentalizados…
            -Defenderam que Bardon era mestre Arion, um dos adeptos da fraternidade branca que encarnou no corpo do jovem Bardon, em um mecanismo que os orientais chamam Aveesh.
            -Os rapazes a todo momento se colocavam como grandes iniciados que estão reencarnados para salvar a magia e iniciação, porém basta ler os materiais que escreveram sobre maçonaria e cabala para ver que eles tem um conhecimento elementar sobre o assunto, não fazem parte de nada, sabem tanto quanto o curioso que pesquisa na internet.
            Há livros deles além do nível probacionista publicados na net para qualquer um comprovar.
            -Também duvidei no momento em que eles fizeram uma defesa atroz de Sai Baba, este reconhecidamente um farsante filmado e amplamente acusado de assassinatos e até pedofilia, porém com uma propaganda militante violenta a esconder estes crimes dos seus fanáticos seguidores.
            -Em 2009, também foram feitos questionamentos em aula ao Prophecy sobre o pequeno buda da época, Ram Bonjan os quais ele respondeu que era um avatar importantíssimo. Bem, agora em 2013 temos assustadoras notícias de que o avatar já espancou diversas pessoas e outras manteve em cárcere privado lá no Nepal.
            Francamente espero que tenha sucesso nesse caminho, e não leve as críticas a professores para o pessoal. Particularmente pareceu evidente a falta de conhecimento esotérico dos americanos, se eles possuem alguma capacidade é a de causar fenômenos de efeito físico… o que não caracteriza alguém como alto iniciado.
            Atentemos para as Tradições teúrgicas de verdade no Brasil esperando por gente esforçada e lhe digo que teurgia cabalística não é algo que se aprenda pela internet, é boca-ouvido, são práticas secretas, rituais secretos, egrégoras privadas…
            Me despeço cordialmente e dou o assunto por encerrado, cada um formando seu convencimento como achar devido.

          7. Hugo

            “Em 2009, também foram feitos questionamentos em aula ao Prophecy sobre o pequeno buda da época, Ram Bonjan os quais ele respondeu que era um avatar importantíssimo. Bem, agora em 2013 temos assustadoras notícias de que o avatar já espancou diversas pessoas e outras manteve em cárcere privado lá no Nepal.”
            Wiki: “The BBC quoted a local Nepali newspaper which claimed that Bomjon had admitted to slapping some local villagers after having been physically assaulted by them on July 22, 2010. According to these claims, the incident took place in the Bara district and police have been involved in the investigation after seventeen complaints. Bomjon was quoted as saying that some locals had been interrupting his meditation by climbing onto his platform, mimicking him, and attempting to manhandle him, and that he was “therefore forced to beat them”. According to the newspaper, he claims he slapped them “two or three times”, while the attackers alleged that they had been assaulted more seriously. Bomjon had been fasting before the altercation.
            A Slovak woman held captive for three months by followers of Ram Bahadur Bomjon, was released on March 25, 2012.”

    3. Vinícius Flávio

      E ele realmente possuem um certo “destaque” no meio de praticantes do sistema de Bardon, o que torna esse aviso ainda mais preocupante.

  18. Alef

    Depois de um bom tempo afastado (do blog), retorno.
    O texto é muito, muito bom.
    A grande polêmica: sexo.
    Vou te dizer uma coisa. Nós ocidentais temos que prender a fazer sexo.
    Fora isso, não são todos os que se adaptam a privações como essa. Eu não vou a lugar nenhum com o desequilíbrio que a falta de sexo me causa. Não sou viciado em sexo, mas vejo como a alimentação. Não se deve estar de jejum o tempo todo, apedas em certas ocasiões, como recomendava o mestre Bardon.
    Da mesma forma como devemos aprender a nos alimentar (em vários níveis) com a comida (vide “alimentação conciente” do livro de iniciação do Bardon), entendo que devemos praticar o ato sexual com o nosso máximo em excelência (por assim dizer). O que eu acho muito perigoso é a culpa. É preciso, antes de tudo, uma desconstrução dessa escravidão.
    @jeffalves20 – Moderar é preciso!

    1. F.A.C

      Alef, acredito que fazer sexo é bom e tudo mais, mas não dá para comparar com alimentação.
      Tem a questão de que se você não come morre, é uma necessidade física; já o sexo é algo que dá para controlar pela vontade, o sujeito pode ficar sem sexo o tempo que conseguir controlar seus desejos.
      Por exemplo eu já passei 2 anos muito tranquilos sem sexo nem masturbação, depois voltei ao normal tranquilamente. Tudo depende da vontade.
      Mas concordo que devemos todos aprender a questão das técnicas de auto-controle dos músculos sexuais e dos nervos envolvidos com o sexo, nas pernas e região genital, o ocidental não entende nada dessas coisas e faz um sexo de baixíssimo nível em geral. ( o Debbio podia fazer um artigo mais avançado sobre)
      O lance é treinar chi kung(avançado) que é muito completo neste assunto embora poucos mestres abram. Em yoga tântrica aqui no Br de coisa oficial(iniciação a vera) mesmo só conheço o Fernando Liguori do kaula- mas os métodos deles são foda 😛
      @jeffalves20 – Grato pelas dicas, F.A.C.

      1. Rev.Breno

        Opa!
        Aí temos um ponto interessante, quaisquer uma das religiões semitas há uma preparação sexual durante o ano (no catolicismo mais tradicional, o calendário te proíbe quase 100 dias de abstinência durante o ano).
        Então complemento que no ocidente contemporaneo, aonde as tradições esotéricas estão descoladas das religiões tradicionais, tem pouco treino sexual.

  19. Guilherme

    Sexo previne o câncer de próstata !! , celibato é bom mas é perigoso , tem que saber transmutar a energia senão a energia fica estagnada fazendo uma analogia igual uma´´ água parada ´´ e isso com consequência doênças etc.

  20. Leonardo Borges

    Olha sou ainda muito leigo em magia pratica no geral , já li varios livros mais a pratica só faço os exercicios do Bardon , neste caso alguns de vocês poderiam me recomendar algum tipo de material de exercicio pratico adcional , ou eu devo seguir somente os exercicios do F.B mesmo , claro que o tempo da pratica dos exercicíos diarios eu tomaria de maneira pessoal…Geralmente faço os exercicios de respiração e concentração na luz da vela , recomendados aqui pelo TDC…
    @jeffalves20 – Os exercícios de Bardon são mais que suficientes. Você pode acrescentar os que você vê aqui no site do Del Debbio, caso acha necessário.

  21. Nekhbet

    Pode se usar um terço para substituir o japa mala enquanto não obtiver o mesmo?
    Existe um tom e/ou ritmo para que os mantras possuem total eficácia ou bastar proferir adequadamente?

  22. caio

    Posso praticar o Japa com hinos do Santo Daime? Se sim, devo escolher algum com tema específico (cada hino tem um tema específico, de abertura, exame de consciencia, invocação, firmeza, fechamento, etc)?
    @Jeff – Escolha de preferência um que utilize apenas um arquétipo. Um tema específico como o Amor, por exemplo, seria muito bem aproveitado desta forma.

  23. Tristan777

    Acho que referente as práticas sexuais, deveria ser explicado como o sexo é sagrado e foi deturpado pela humanidade, porém deve ser uma pratica de elevação espiritual e não uma pratica meramente carnal e condenada. Não concordo em não fazer sexo, não vejo base teórica em nenhum lugar. O documentário (Sexo o segredo do jardim do Eden), da thelema press é maravilhoso e fala sobre essas questões, http://www.youtube.com/watch?v=JoyjJlCDgdE. Acredito que a forma como foi dita o pessoal vai achar que a única forma de se evoluir espiritualmente é sendo padre @[email protected]

  24. Dani

    Tudo bem simples, até chegar na parte do sexo xD

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta