Ordem DeMolay cabalística?


Como é possível nosso simples ritual se encaixar no diagrama que contêm os “segredos mais herméticos” da Tradição Ocidental? Da mesma maneira que nosso ritual é simples, a resposta também o é. O Ritual dos Trabalhos Secretos escrito por Frank A. Marshall em 1919 contêm os elementos básicos da Jornada do Herói, tal como decodificado e dissertado amplamente por Joseph Campbell. E da mesma forma, a Árvore da Vida estudada na Cabala Hermética, expressa os detalhes dessa Jornada Mitológica/Psicológica.
Uma coisa leva a outra sem muitos mistérios. E a analogia nos faz perceber a grandeza das entrelinhas dos rituais DeMolay. Basta não ter preconceitos e saber como se interpretar um ritual, como vimos nos textos anteriores. Vamos começar por partes, com a diferença de Cabala Judaica e Hermética.

Cabala Judaica e Hermética
Kabbalah, ou Cabala, é a sabedoria que investiga a natureza Divina.
Cabala Judaica lida com o Torá e as outras centenas de escritos, muitos deles velados a tradição judaica. Textos escritos em hebraico arcaico, e sem traduções possíveis em sua grande maioria. Não se limita ao estudo da Árvore da Vida, mas sim de todos os escritos da tradição judaica e a descoberta dos seus segredos através da Gematria (valor numérico das letras), Notaricon (são palavras cujas letras foram frases) e a Temura (permutação das letras por outras).
A Cabala Hermética abrange toda a tradição ocidental, lidando principalmente com o mais famoso esquema da Árvore da Vida (porém não é o único). A Cabala Hermética também lida com o alfabeto hebraico e com muitos dos conceitos absorvidos da Cabala Judica, mas sua ocupação não são os escritos da Tradição Judaica, e sim no que é relacionado ao Divino dentro do Homem e o caminho que devemos percorrer para alcançar esse Divino e seus métodos, como o Tarô, Astrologia, as Mitologias, e a própria atual psicologia está nesse sistema.
Outros autores já se ocuparam em esclarecer esses temas e sua extensa história, e nosso propósito aqui é somente uma apresentação.
Árvore da Vida
A Árvore da Vida é o símbolo que expressa as etapas da manifestação de Deus, da Sua Unidade até nós, e o caminho que temos que percorrer de volta. Suas esferas são chamadas de Sephiras e têm o número de 10, correspondem a Trinidade de Deus e aos 7 planetas, e seus caminhos são representados pelas 22 letras hebraicas. Toda Tradição Esotérica é se expressa nesse sistema de esferas e caminhos. Vide os textos e imagens sobre Kabbalah do Marcelo para exemplos.
Como disse no texto Conflito entre Religião e Fé DeMolay existe uma igualdade entre microcosmo e o macrocosmo. E a Árvore da Vida é o símbolo que representa todos os arquétipos da mente humana. Ou seja, é o próprio símbolo do homem e da sua mente. Mas para entender cada um desses detalhes é inviável por textos, afinal a Cabala é para ser vivenciada, e não somente especulada. Independente da sua crença, cristã, ateia, satanista ou shivaista, se você não é familiarizado com a Árvore da Vida, pode ter certeza que a estudando, estará estudando a Natureza Divina e como ela se manifesta em você dentro da sua própria crença. Em livros e em rituais encontraremos somente um guia para que alcancemos nossas próprias percepções da Árvore.
Por esse motivo a Árvore da Vida influenciou a antiga Sociedade da Rosa Cruz da Idade Média, passando dessa maneira aos ritos da Maçonaria Especulativa, às diversas Ordens rosacruzes e martinistas atuais. E claro, também a Ordem DeMolay através da sua Mãe.
Um outro dia num post mais específicos vamos contar como a Jornada do Herói, a Iniciação, e a Árvore da Vida e o Ritual DeMolay são unidos. Me cobrem após a conclusão do meu oitavo texto para o blog.
Relação com o DeMolay
Não é novidade para ninguém que já tenha prestado atenção numa Cerimônia de Posse que a Ordem DeMolay é baseada no ciclo solar, que representa a jornada da vida na Terra. Temos uma coisa importante ai: a comparação da jornada do sol com a jornada do homem. As above so below! O macrocosmo refletido no microcosmo. O mais importante princípio hermético, que já discutimos nos outros textos, na Ordem DeMolay. E isso não é tudo, vão revendo os rituais de Iniciação e Investidura de acordo com seus estudos ocultistas para terem certas surpresas. Pois muitas delas não poderemos revelar, daremos somente a chave para quem souber utilizar. E a principal acabou de ser dada.
Não é novidade para ninguém que os egípcios, os gregos e os romanos construíam seus templos para expressar a proporção divina (Número de Ouro). Mesma proporção existente no homem. Da mesma maneira que não é novidade que os Templários criaram suas catedrais também com a mesma proporção divina. Por acaso não é novidade que a rosacruz estuda os princípios divinos no homem e que os rituais visam o despertar espiritual do homem, que é o despertar da nossa Centelha Divina. Da mesma maneira que por acaso acontece na Maçonaria mas como a construção do Templo perfeito dentro de nós. Claro, na Ordem DeMolay não é diferente.
A rosa que floresce na cruz, o lapidar da pedra bruta, e a busca das virtudes que são a base para um homem de bem. Palavras diferentes para o mesmo objetivo: alcançar o Sol.
Oficiais DeMolay e Kabbalah
Não, não temos segredos da Cabala Hermética em nossos rituais. Mas por nossos rituais seguirem o princípio Universal, ele se encaixa na Árvore da Vida. Compare a Sala Capitular com seu esquema. Não é coincidência.
Keter: Unidade de Deus, o princípio, que tudo cria a todo momento, a sephira da qual tudo se manifesta. Oficial: Mester Conselheiro, o líder do Capítulo, aquele que deve tomar a iniciativa e guiar todos os trabalhos.
Hockmah: aonde a energia da Unidade cresce e acelera, criando o caos e as infinitas possibilidades de todos Universos. Oficial: Escrivão, aquele que tudo anota e tudo deve conhecer da administração.
Binah: dá ordem a criação, das infinitas possibilidades sintetiza uma para manifestar. Oficial: Orador, aquele que tem a palavra final nas reuniões, sintetizando todo acontecido da reunião numa lição que todos levarão para casa.
Daat: a esfera “vazia”, que nos separa de Deus (representa os mitos da queda do homem. Observe que aqui acontece a divisão entre Oriente e Ocidente). São os Preceptores que são representantes das virtudes que devemos adquirir para realizar novamente essa conexão.
Chesed: acontece a manifestação, é a esfera doadora de vida, benevolente. Oficial: Hospitaleiro, o responsável pelos projetos filantrópicos do Capítulo.
Geburah: é o rigor e a justiça Divina. Oficial: Tesoureiro, pois sem o seu rigor o Capítulo não tem dinheiro para comprar os materiais básicos e não pode trabalhar.
Tipheret: a harmonia e a beleza da criação, é a manifestação direta da força divina de Keter. Oficial: Porta Estandarte e Mordomos que carregam nossos baluartes, Orador, que faz as invocações e o Mestre de Cerimônias que transmite essas invocações a nós e para fora (observe que ele fica de pé nas orações, por que será?). Observe que aqui é tudo que representa a energia do Altar (e o próprio Altar) com nossos Três Baluartes e Sete Virtudes. Literalmente o coração do Capítulo, o nosso sanctum sanctorum. É também a esfera do Organista, pois ele é responsável pela harmonia vibratória da reunião, pois uma reunião sem harmonia não funciona.
Netzach: a manifestação dos sentimentos e das emoções. Oficial: Segundo Conselheiro, que é o responsável pela ritualística, que deve ser sentida no íntimo e não somente realizada com fórmulas vazias.
Hod: a manifestação da racionalidade. Oficial: Primeiro Conselheiro, que auxilia o Mestre Conselheiro e o Secretário a organizarem o Capítulo administrativamente.
Yesod: o fundamento da criação, a entrada para o “outro mundo”. Oficial: Diáconos, e não vou dizer porquê.
Malkulth: o mundo manifestado. Oficial: Sentinela, que nos protege do mundo profano durante as reuniões.
Não foi meu objetivo me aprofundar em nenhum tema, mas sim apresentar a quem não conhece ou não soube relacionar a Árvore da Vida a Ordem DeMolay. Para quem conhece Cabala sabe que o Sentinela é a manifestação do caminho de Shin para Malkulth, e não somente Malkulth, assim acontece com alguns outros oficiais. Não que eu quis ser incompleto, mas quis ser abrangente, pois são muitos DeMolays e Maçons não familiarizados com a ritualística.
Dúvidas, críticas, idéias, ou sugestões deixem nos comentários.
N.N.D.N.N.
Leonardo Cestari Lacerda

Este post tem 6 comentários

  1. Rafhael Guimaraes

    Mais uma vez admiro e o parabenizo por esta belíssima peça de arquitetura. Assuntos como estes deveriam ser levantados sempre em Capítulos e Lojas, para que todos, na medida do possível, conhecem conceitos como Jornada do Herói/Monomito, Inconsciente Coletivo e Ritos de Passagem.
    Corroborando com o assunto, algumas vezes penso ser imprescindível – sine qua non – o estudo das teorias apresentadas por Jung e Campbell, e por que não acrescentar Arnold Guenepp.
    “Para muitas sociedades o Sol representa a jornada humana.” Carl Jung – O Homem e seus símbolos.
    É louvável o crescimento de comparações entre a Ordem DeMolay e a Kabbalah Hermética, não obstante, devemos tomar cuidado quando compararmos as mesmas em razões diretas, pois a Ordem DeMolay tem por base o Rito York, e este não possui a Árvore da Vida por inspiração, mas sim o antigo ofício maçônico (A autoridade de Kennyo Ismail é muito esclarecedora nesse ponto). Entretanto uma coisa foi acrescentada no ritual, o altar no centro!
    “Compare a Sala Capitular com seu esquema. Não é coincidência.”
    Data-venia, discordo apenas nesse ponto em questão, pois a sala capitular não tem nada da árvore da vida, quem possui plena estruturação na mesma é o templo do REAA. Todavia, como muito bem pontuou o Marcelo Del Debbio, a comparação em questão, se refere as funções-cargos elencados.
    Em direção a glória da fraternitatis!
    Abraços em DeMolay!
    A Deus e Seu Domínio!
    @Leo: ótimas observações irmão. É debatendo que chegaremos a cada vez mais conhecimentos.

  2. Junior

    SENSACIONAL….Muito legal Ir”…
    Me surpreendi com a reflexão do MCer de pé e me emocionei ao ler o Yesod..
    @Leo: ótimo irmão! E existe muito mais. Todo caminho que você for estudar e seguir não perca a oportunidade de comparar com a Ordem, pois fará você enxergar que a Ordem DeMolay é maior do que nós pensamos, e nunca achando que já descobriu tudo. Pois ela contêm símbolos e costumes Universais, estão em todo lugar para quem tiver olhos para enxergar. Basta não se limitar e achar que nossos fundadores quiseram fazer alguma brincadeira para criança, como muitos infelizmente tem feito e farão sempre.

  3. Yod

    Essas coisas são muito sagradas para se profanar com garotos ..acho que essas relações sao uma questão de querer enxergar muito mais do que uma existência premeditada…tirando o diácono em yesod o resto só possui fundamento se quiser enxergar …conheço bem os rituais demolay, e posso afirmar que isso não e cabala, a menos que você queira enxergar assim …
    @Leo: isso foi muito argumentado quando se trouxe a Ordem DeMolay para o Brasil. “Um garoto jamais poderá sentar-se no Trono de Salomão!”. Graças a Deus essas opiniões não prevaleceram.

  4. MarcosBS

    Como poderíamos dizer que nenhum garoto sentaria no Trono de Salomão, se o próprio Salomão era apenas um garoto quando assumiu seu reinado?

  5. Emanuel Ramon

    Parabenizo pelo post, eu como DeMolay me emocionei ao ler, existem pessoas que não buscam o conhecimento, mas esperam que caiam em seus colos, tenho por missão a partir deste momento de compartilha-lo com aqueles que buscam a verdade e o conhecimento a respeito de algo que não sabem, mais uma vez parabenizo e digo-lhe que sou leitor de suas postagens e sempre quando busco conhecer mais sobre certas coisas este site é referencia e como sempre busco qualidade e veracidade naquilo que estudo compartilho com meus irmãos os conhecimentos adquiridos aqui.

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta