Mapa Astral de J.R.R. Tolkien

John Ronald Reuel Tolkien, CBE (Bloemfontein, 3 de janeiro de 1892 — Bournemouth, 2 de setembro de 1973), conhecido internacionalmente por J. R.R. Tolkien, foi um premiado escritor, professor universitário e filólogo britânico, nascido na África, que recebeu o título de doutor em Letras e Filologia pela Universidade de Liège e Dublin, em 1954, e autor das obras como O Hobbit, O Senhor dos Anéis e O Silmarillion.
Tolkien nasceu em Bloemfontein, na República do Estado Livre de Orange, na atual África do Sul, e, aos três anos de idade, com a sua mãe e irmão, passou a viver em Inglaterra, terra natal de seus pais, tendo naturalizado-se britânico. Desde pequeno fascinado pela linguística, fez a licenciatura na faculdade de Letras em Exeter. Participou ativamente da Primeira Guerra Mundial, onde começou a escrever os primeiros rascunhos do que se tornaria o seu “mundo secundário”, complexo e cheio de vida, denominado Arda, palco das suas mundialmente famosas obras como “O Hobbit”, “O Senhor dos Anéis” e “O Silmarillion”, esta última, sua maior paixão, postumamente publicada, que é considerada a sua principal obra, embora não a mais famosa.

Mapa Astral
O Mapa de Tolkien possui Sol em Capricórnio; Ascendente em Virgem; Lua em Peixes-Aquário (Rei de Taças); Mercúrio em Capricórnio-Sagitário (Rainha de Moedas); Vênus em Aquário; Marte e Urano em escorpião; Júpiter em Peixes e Saturno em Libra-Virgem (Rainha de Espadas).
O Mapa indica uma mistura de duas energias aparentemente contraditórias, o que é ótimo pois muitas vezes as pessoas me perguntam o que se pode fazer quando há energias em oposição tão fortes em um mapa…
No caso de Tolkien, temos duas metades: uma pessoa bastante sóbria e conservadora, metódica e restritiva (Sol em Capricórnio, Ascendente em Virgem, Mercúrio em Rainha de Moedas e especialmente Saturno em Libra-Virgem, o que poderia dar a impressão que a pessoa é um técnico de laboratório, militar ou antiquário tamanha a energia de restrição e organização que possui…). Por outro lado, sua Lua em Peixes-Aquário, Júpiter em Peixes e Netuno e Plutão em conjunção em Gêmeos diriam que este mapa pertence a uma pessoa apaixonada por mitologia, pelo fantástico, sobrenatural, contos de fadas e uma facilidade acima da média de contar histórias; muito provavelmente um escritor ou poeta.
Bem… Tolkien foi tudo isso! À sua própria maneira, conseguiu mesclar sua paixão técnica por linguística com mitologia para criar um dos maiores e mais importantes cenários culturais de todos os tempos. Muito obrigado por ter manifestado na literatura sua Verdadeira Vontade, sr. Tolkien!

Este post tem 11 comentários

  1. Thiago

    Muito obrigado sr. Tolkien
    Muito muito boa interpretação do mapa!

  2. Vinicius

    Fiquei curioso. Saturno em virgem-libra é uma energia de restrição por causa de Saturno, ou é uma característica da Rainha de Espadas?
    E eu sei que não dá pra descrever uma característica só por um planeta, é necessário analisar o mapa como um todo. Mas qual seria a inclinação que Vênus em Rainha de Espadas (na casa 8) provocaria?

    Estou começando a ler o livro do Dane Rudhyar que você indicou na bibliografia, o que mais há de material sobre isso em português?

    Valeu. 🙂

  3. Danilo

    De quantos graus a quantos graus se pode dizer que uma pessoa tem tal planeta em tal Arcano Menor (Rei, Rainha ou Cavaleiro). Eu, por exemplo, que tenho Mercúrio em 27º53′, posso dizer que tenho Mercúrio em Cavaleiro de Bastões?

    @MDD – 27´53 de que signo? Se for Câncer, sim…

  4. Igor Teo

    Interessante o mapa astral dele ter essa energia “conservadora”. Isto de fato se relaciona com a aversão dele ao progresso tecnológico desmedido e destruidor das coisas mais simples da vida como tomar um chá tranquilo ou uma breve caminhada pelo campo.

  5. Esperar o que de um sujeito que CRIOU idiomas complexos com alfalbetos. Interessante notar que foi dos estudos filógicos (a parte conservadora e detalhista) que surgiu o interesse por criar histórias e mundos de fantasia:

    Foi baseado nestas línguas que Tolkien começou a desenvolver o seu mundo. Para ele, primeiro vinha a palavra, depois a história. A composição para ele não era um passatempo (como foi ‘acusado’ na época), mas um trabalho filológico. Ele criou um mundo onde suas línguas pudessem ser faladas, e lendas para rodeá-las.

    Tolkien, consciente da língua como um organismo mutável, totalmente relacionado com as histórias de um povo, afirmou certa vez que:

    “O Volapuque, Esperanto, o Ido, o Novial, são línguas mortas, mais mortas do que antigas línguas sem uso, porque seus inventores jamais criaram lendas para acompanhá-las.”

    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/J._R._R._Tolkien#Ex.C3.ADmio_linguista

    1. Prouco

      A descrição minuciosa dos aspectos físicos dos seus mundos imaginários, todo o desenvolvimento cronológico dos idiomas inventados… Eis o resultado de aspectos capricornianos atuando sobre a imaginação. Haha!

  6. Marcelo, você indica algum outro autor de Astrologia além do Dane Rudhyar?

    Abraço!

  7. Alan

    Rola um mapa astral do Antônio Conselheiro esse ano? Tentei fazer nesses sites de astrologia por aí mas eles não trabalham com anos tão antigos como 1830. Deu pra ver que ele tem sol em peixes, dou um chute que essa energia é bastante presente em seu mapa, o mesmo digo para aquário.

  8. Victor

    Tio ,qual dos livros dele vc já leu?

    @MDD – só os “basicos” da trilogia e o Hobbit, na década de 80, como todo bom RPGista…

  9. Elohim

    MDD, será que posteriormente você poderia postar a carta astral de James Morrison (08 de dezembro de 1943) ?

    ‘Grádicido.

  10. Fellipe Costa

    Deldebbio, os chamados Valar têm como serem comparadas sob a luz dos orixás da umbanda? Se sim, acho que seria interessante um texto sobre isso, inclusive conheço alguns foristas de sites como Duvendor que iriam ler com certeza…

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Valar_(Tolkien)

Deixe uma resposta