Mapa Astral de Gustav Doré

Mapa Astral de Gustav Doré

Paul Gustave Doré (Estrasburgo, 6 de janeiro de 1832 — Paris, 23 de janeiro de 1883) foi um pintor, desenhista e o mais produtivo e bem-sucedido ilustrador francês de livros de meados do século XIX. Seu estilo se caracteriza pela inclinação para a fantasia, mas também produziu trabalhos mais sóbrios, como os notáveis estudos sobre as áreas pobres de Londres, realizados entre 1869 e 1871.

Não temos o horário, então fica faltando o ascendente e as casas, mas a análise básica dos principais planetas mostra como ele desenvolveu sua Verdadeira Vontade:

Saturno em Virgem – Este é o planeta mais forte do mapa de Gustav. A combinação indica um cuidado extremo com detalhes (responsável+metódico), aprendendo a sistematizar o seu tempo e o próprio esforço até se tornar um organizador experiente com fino sentido do detalhe. As aspectações são fortíssimas (0,16 com Sol em Capricórnio e 0,54 com Nodo Norte em Leão) fazendo uma combinação de habilidades que envolvem precisão, criatividade e organização.
Lua, Urano e Júpiter em Aquário – Praticamente todo o lado direito do cérebro dele (pilar da Misericórdia) está voltado para as artes, quebrar barreiras e inovações. Sua intuição, criatividade e as energias que melhor domina ressoam em sintonia com o que chamamos comportamento aquariano.
Sol, Netuno e Mercúrio em Capricórnio – e todas as esferas do pilar esquerdo (lado direito do cérebro) estão alinhadas com o rigor e a disciplina, com Binah em Virgem como ponto de apoio de todo o Mapa. O resultado disto são ilustrações como esta:

Filho de um engenheiro, começou a desenhar já aos treze anos suas primeiras litogravuras e aos catorze publicou seu primeiro álbum, intitulado “Les travaux d’Hercule” (Os Trabalhos de Hércules). Aos quinze anos engajou-se como caricaturista do “Journal pour rire”, de Charles Philipon. Neste mesmo ano – 1848 – estreou no Salão com dois desenhos a pena.

Em 1849, com a morte do pai, já reconhecido apesar de contar apenas dezesseis anos. Passa a maior parte do tempo com a mãe. Em 1851 realiza algumas esculturas com temas religiosos e colabora em diversas revistas e com o “Journal pour tous”.

Após algum tempo desenhando diretamente sobre a madeira e tendo seus trabalhos gravados por amigos, iniciou-se na pintura e na escultura, mas suas obras em tela e esculturas não fizeram tanto sucesso como suas ilustrações em tons acinzentados e altamente detalhadas.

Com aproximadamente 25 anos, começou a trabalhar nas ilustrações de O Inferno de Dante. Em 1868, Doré terminou as ilustrações de O Purgatório e de O Paraíso, e publicou uma segunda parte incluindo todas as ilustrações de A Divina Comédia.

Sua paixão eram mesmo as obras literárias. Ilustrou mais de cento e vinte obras, como os Contos jocosos, de Honoré de Balzac (1855);Dom Quixote de la Mancha, de Miguel de Cervantes (1863);O Paraíso Perdido, de Milton; Gargântua e Pantagruel, de Rabelais; O Corvo, de Edgar Allan Poe; a Bíblia; A Balada do Velho Marinheiro, de Samuel Taylor Coleridge; contos de fadas de Charles Perrault, como Chapeuzinho Vermelho, O Gato de Botas, A Bela Adormecida e Cinderela, entre outras obras–primas. Ilustrou também alguns trabalhos do poeta inglês Lorde Byron, como As Trevas e Manfredo.

Em 1869, Doré foi contratado para ilustrar o livro Londres: Uma Peregrinação, muito criticado por, supostamente, retratar apenas a pobreza da cidade. Mas apesar de todas as críticas, o livro foi um sucesso de vendagem na Inglaterra, valorizando ainda mais o seu trabalho na Europa. Ganhou muito dinheiro ilustrando para diversos livros e obras públicas, mas nunca abriu mão dos trabalho desenvolvidos apenas para seu prazer pessoal.

Gustave Doré morreu aos 51 anos, pobre, pois todo o dinheiro que havia ganho com o seu trabalho foi utilizado para quitar diversas dívidas, deixando incompletas suas ilustrações para uma edição não divulgada de Shakespeare, entre outros trabalhos.

Este post tem 20 comentários

  1. Simone

    Muito bom! O mapa só fala gênio que foi Doré. Triste ver um artistas desses não ter o devido reconhecimento, trabalhar tanto e morrer na miséria. Mais irritante ainda é esse povinho da arte moderna ganhar dinheiro com rabiscos!

  2. Tales G.

    Já disse o seu Moore: ‘There is an inverse relationship between imagination and money.’

    Marcelo,creio que tenha trocado Leão por Aquário ao mencionar o Nodo Norte.

    @MDD – é vero; já corrigi.

  3. andré luiz

    a arte é incrível e notadamente pouco reconhecida, em qualquer época. digo isso pois sou ilustrador e nem sei como pago as minhas contas.

    aahh… vo fazer minha pergunta pelo formspring. tenho paciência pra esperar pela resposta.

    grande abraço

  4. Tiago

    Olá Marcelo,

    pilar esquerdo (lado direito do cérebro).
    Acho que o correto seria pilar esquerdo = lado esquerdo do cérebro, não?

    Se for possível responder, gostaria de saber por que Saturno é o planeta mais forte? Achei que todos os planetas apontassem para áreas diferentes e tivessem valores iguais. Como se calcula a força de um planeta?

    @MDD – está certo, são invertidos mesmo. Saturno é o mais forte porque a somatória de suas aspectações são as mais fortes do Mapa.

  5. alex

    fui ver o mapa do meu irmao no astro.com e ele tem um alta concentração de planetas em peixes e aquario…o que significa?

    @MDD – que ele tem alta concentração de planetas em peixes e aquario 🙂 Não dá pra chutar mais nada, eu não sei como seu irmão está usando os potenciais destes planetas, aliás, nem sei quais planetas estão em quais signos…

  6. “Lua, Urano e Júpiter em Aquário – Praticamente todo o lado direito do cérebro dele (pilar da Misericórdia)…” – “Sol, Netuno e Mercúrio em Capricórnio – e todas as esferas do pilar esquerdo (lado direito do cérebro)…”
    O certo não seria lado direito = pilar esquerdo e lado esquerdo = pilar direito?

    @MDD – Tá certo, o cérebro tem as conexões invertidas. O esquerdo cuida dos assuntos lado direito e o direito cuida dos assuntos do pilar esquerdo. Por sorte e “coincidência”, na Árvore também o lado “feminino” de Binah fica na coluna esquerda e o lado “masculino” de Hochma fica na coluna direita.

  7. Eduardo Marques

    Nossa, incrível ! Eu sou fã desse ilustrador desde que li uma versão de D. Quixote com as imagens dele. Eu me lembro de uma figura em que o rosto de um homem era feito completamente com linhas paralelas, com uma apenas diferença levíssima no talhe, na espessura da linha, mas suficiente para dar a mesma sensação das modernas técnicas de 3D. Nessa imagem que você colocou no post dá para ver um pouco disso. Cara, 3D no século XIX !

    Por que é que as editoras brasileiras menosprezam tanto o trabalho de ilustração ?! Seria ótimo se publicassem mais livros com ilustrações como as dele. Também seria ótimo se eu tivesse dinheiro para comprar livros caros =P

    Só mais uma coisa: eu acho que o nome dele é “Gustave”; francês, não alemão.

  8. Raphael

    Olá Frater Marcelo,

    Por favor me corrija se eu estiver equivocado, mas então o planeta que adquire maior evidência em uma carta natal é aquele que apresenta os menores valores de orbe em seus aspectos?

    Se não for demais, outra dúvida: O planeta que preencher estes requisitos tem alguma coisa a ver com o conceito de regente ou siginifcador do mapa, ou estes são apenas “terminologia esquisotérica”

    Desde já grato pela sua atenção!

    Paz Profunda.

  9. thomaZ

    Notável sr. Doré.
    Marcelo, o horóscopo do somostodosum.ig.com.br, é verdadeiro ou falso?
    Sério, porque o dessa semana está batendo com o pessoal aqui de casa. O clima está mais ou menos como mencionado em cada ascendente lá. Sou eu quem leio e percebo só o que quero acreditar, ou aquele site tem um trabalho sério?

  10. Carol

    Também nasci dia 6 de janeiro e tenho Sol, Mercúrio, Vênus, Marte, Urano e Netuno em capricórnio.
    Com Lua, Júpiter e Plutão em escorpião, Saturno e o ascesdente em aquário e o Nodo norte em sagitário.

    Hmmm…

  11. ogoid

    Marcelo,

    vc podia fazer o mesmo com o Mapa do Alan Moore.

    Valeu por todo conhecimento que tem nos transmitido.

  12. Douglas

    Ter 4 aspectações menores ou iguais a 0,05º nos nodos e outras 6 entre 0,05º e 0,50º pode ser entendido como um “plus” nos planetas (apesar de falar planetas, incluí ascendente e meio do céu nessa conta) com tais aspectos?

    Tantas nuances parecem dificultar bastante o controle das energias envolvidas, isso procede?

    @MDD – 0,05 graus é uma aspectação absurdamente poderosa, algo que dá fácil para colocar numa aposta com céticos sem nenhum medo de errar a personalidade da pessoa hehehe. Quanto mais próximo do “zero” uma aspectação, mais forte será aquela confluência de energias, ou seja, mais a “biomáquina” daquele indivíduo estará “calibrada” naquele aspecto psicológico/emocional.

  13. bruno

    Ola Marcelo , seguindo esta linha , vc poderia fazer o mapa astral do Joseph Campbell .

    @MDD – Pesquisem as datas das pessoas que vcs achem relevantes em cada mês e me mandem, eu vejo aqui o que podemos fazer.

  14. Douglas

    “@MDD – 0,05 graus é uma aspectação absurdamente poderosa, algo que dá fácil para colocar numa aposta com céticos sem nenhum medo de errar a personalidade da pessoa”

    Então, o que eu não entendo é como a quadratura de 0,02º (a menor do meu mapa) entre Netuno e os nodos norte e sul pode definir tão claramente características minhas. Em uma análise bem simples, isso definiria quase uma pessoa louca.

    É correta a comparação: o desenvolvimento do ascendente leva à maturidade, enquanto o desenvolvimento do mapa como um todo leva à iluminação.

  15. João

    Qual a influência do local de nascimento da pessoa no mapa dela ???

    @MDD – Nas Casas. lembre-se que o Mapa é uma projeção 2D de um céu que é uma esfera 3D, então faz diferença (pequena) na angulação da projeção.

  16. Gil Brother

    se der, faz o Mapa Astral do Freddie Mercury

    Freddie Mercury, nome artístico de Farokh Bulsara (Stone Town, 5 de setembro de 1946

  17. Saulão"

    Tio, tenta fazer o Mapa desse:

    Paul Bruce Dickinson nasceu em Nottinghamshire, 7 de Agosto de 1958

  18. Rodrigo

    Adorei a análise. Sou fã do Doré. Em outras mapas, você faz menção de interpretações de determinados aspectos pela Liz Greene. Gostaria de saber onde você obtém estas informações (Quais livros, sites, etc.)

    Você conhece algo sobre astrologia védica? Seria interessante discorrer sobre a incompatibilidade das efemérides de ambas ( a védica leva em consideração o posicionamento ‘real’ dos planetas sobre as constelações, isso faz flutuar as datas. Assim, o que a astrologia ocidental leria como sol em leão, na védica provavelmente este sol estaria em câncer)

    @MDD – Se Védica for isso, então não faz o menor sentido, já que as escolhas das constelações não faz a menor influencia sobre a astrologia, sendo um simples indicativo temporal associado a arquétipos que representam aquela energia. Usar constelações para qualquer coisa em astrologia é total FAIL.

Deixe uma resposta