Mapa Astral de Franz Bardon

Franz Bardon, também chamado Frabato e Meister Arion, nome de batismo František Bardon (Kate?inky, 1º de dezembro de 1909 – Brno, 10 de julho de 1958) foi um mago de palco, naturopata, grafólogo, professor e estudioso de magia, mas é mais conhecido atualmente por ter escrito três volumes científicos sobre o Hermetismo prático: O Caminho do Verdadeiro Adepto, Die Praxis der magischen Evokation (A Prática da Evocação Mágica) (abrev.: PEM) e Der Schlüssel zur wahren Quabbalah (A Chave para a Verdadeira Quabbalah), três livros que são essenciais na biblioteca de qualquer estudante de hermetismo.

O Mapa de Franz Bardon mostra Sol em Sagitário, Lua em Câncer-Leão (Cavaleiro de Bastões), Marte e Saturno em Áries, Vênus e Urano em capricórnio e Caput Draconis em Gêmeos. Por não termos o horário de seu nascimento, não podemos afirmar nada sobre as casas ou o Ascendente.
Seu planeta mais forte é Júpiter em Libra, com 7 Aspectações. Isto dá a pista que o mapa é voltado para a comunicação e o entendimento de outras pessoas; o Sextil de 0,5 graus com o Sol e com Mercúrio em Sagitário (como vimos anteriormente, o “mercúrio dos filósofos”, indica alguém com facilidade para compreender os relacionamentos e ações daqueles ao seu redor e colocar estas idéias organizadas no papel.
Podemos afirmar também que é o mapa de alguém pioneiro, que sempre segue em frente e supera o próximo obstáculo que aparece. A combinação de Marte e Saturno em Áries dá a Franz a coragem de um verdadeiro soldado: ousado, porém tático (reforçando este aspecto de honestidade e seriedade, temos Vênus e Urano em Capricórnio… definitivamente não era alguém que veio ao planeta à passeio).
Para completar, a Lua em Leão (bem próxima de câncer, o que chamamos de arquétipo do Cavaleiro de Bastões) dá a ele a auto-estima e auto-confiança que reforçam as energias arianas, ao mesmo tempo em que carregam consigo a preocupação e a necessidade de cuidar dos outros. Energias muito bem utilizadas em um médico ou mágico de palco.
Este Mapa é muito interessante de ser estudado em detalhes, pois mostra como alguém consegue trabalhar diversos Planetas em oposição de uma maneira brilhante e deixando um legado extremamente significativo em sua área de pesquisas. Franz Bardon direcionou seus esforços para muitas áreas diferentes, sempre conseguindo condensá-las e organizá-las de maneira prática e didática. Sem dúvida nenhuma, um dos maiores estudiosos de Magia e Hermetismo que tivemos no século XX.

Este post tem 10 comentários

  1. Ralph Ellis

    Faz tempo que não comento desde que o caráter medieval do ocultismo ganhou um cunho mais histórico e também uns posts sobre ritos afros que não manjo muito a não ser por seus paralelos com a ciência em todas as culturas. Este post é especial por uma razão muito simples existe como disse Morpheus a diferença entre conhecer o caminho(ver um vídeo de John Chang no youtube) e trilhar o caminho descrito de uma forma nunca antes vista por Franz Bardon(quem aplicou seus livros e mantém conduta em todas as esferas e está em paz profunda está no caminho). Claro que qualquer descrente diria que o sucesso nos exercícios de MAGIA PRÁTICA é consequência de pura esquizofrenia, mas este trabalho é um clássico e os clássicos não nasceram para critica eles são o legado humano para que todas as gerações os lessem. Delddebio parabéns!!!

  2. Rodrigo Simão

    Grande Del Debbio, valeu pelo mapa de um dos maiores mestres da magia!!

  3. edujanu

    Você pode se perguntar: “quem era Franz Bardon? Para aqueles que não estão familiarizados com seu trabalho, basta dizer que Bardon é considerado um dos adeptos mais importantes da nossa época. Segundo Bardon, ele foi dirigido pela Divina Providência para revelar à humanidade o significado por trás dos quatro primeiros Arcanos Maiores do Tarô. Enquanto ele cumpriu a sua missão, sua única revelação de três das cartas do Tarô foram publicados e o quarto foi perdido devido à reviravoltas do destino. A primeira carta, o Mago, foi revelado em “Iniciação ao Hermetismo”, a segunda carta, a Alta Sacerdotisa, foi revelado em “A Prática da Evocação Mágica” e, a terceira carta, a Imperatriz, foi revelado em “A Chave para a Verdadeira Cabala . Apenas um pequeno fragmento de sua revelação da quarta carta, o Imperador, permanece e é encontrado como um apêndice do livro “Frabato”, intitulado “O Livro de Ouro da Sabedoria”
    Como alguns escritores ocultistas, ficamos sabendo quase todos os detalhes de sua vida pessoal, enquanto que com os outros não sabemos mais do que nomes de suas penas. A situação com Bardon situa-se entre estes dois extremos. Enquanto nós temos, pela graça da Divina Providência, o acesso a todas as suas obras publicadas, podemos encontrar apenas pequenos detalhes de sua vida pessoal.
    O que sabemos é que ele nasceu na Tchecoslováquia em 1909 e que morreu em 1958. Ele foi o primeiro dos 13 filhos e um único filho. Segundo a lenda, o seu espírito habitou o corpo de Franz jovens na idade de 16, em resposta às orações de seu pai, Victor, para a orientação de um professor particular.
    Durante seus anos, Franz trabalhou como mago de palco com o nome “Frabato”. Suas atuações foram alegadamente de uma natureza única, em que ele mostrou e explicou a práticas ocultistas tão comuns naquele dia. Segundo todos os relatos, ele foi um dos poucos artistas a quem não era chamado de charlatão.
    Em seus trinta anos, por causa de seu interesse pelo oculto, os nazistas o prenderam em um campo de concentração. Ele sobreviveu a três anos e meio no campo de concentração, mas pouco se sabe publicamente sobre o seu tempo lá que não seja o seu horror óbvio. Em algum momento depois disso, ele se tornou conhecido como um mestre do Hermetismo e trabalhou com sucesso em uma prática de cura com base nesses mesmos princípios.
    Foi durante este período de sua vida que ele escreveu três livros pelos quais o conhecemos.
    Segundo a lenda, era sua prática de cura, combinado com os livros que ele foi dirigido pela Divina Providência para escrever, que provocou a ira do governo comunista da Checoslováquia, que se seguiu à guerra, e no final de 1950 ele foi novamente preso. Foi na prisão que ele aparentemente morreu.
    Ele deixou uma esposa (Marie), uma filha (também chamada Marie), um filho (Lumir), e um grupo de discípulos diretos. E, ele nos deixou três livros muito importante na história da literatura oculta: IAH, PEM e CVQ.
    É impossível conhecer verdadeiramente a vida interior de um adepto como Franz Bardon, mas podemos perceber certas coisas de sua vida, desde o testemunho daqueles que o conheceram, e de seus escritos. O que se destaca claramente para mim é que o compromisso de Bardon para Hermetismo não era sobre o quão grande e poderoso um cara como ele era. Isso o diferencia de muitos dos seus contemporâneos e você não vai encontrar declarações sobre ele, fora as de seus discípulos.
    Como evidenciado a partir do que ele escreveu e o que é conhecido de sua vida, ele era um homem humilde, sincero e digno de grandes realizações. Ele foi capaz de escrever, para todo o resto do mundo, um contorno claramente falado do caminho da Magia Hermética. Nunca antes, e não desde então, tem tão abrangente e tão claro um guia que foi apresentado ao público em geral. No entanto, ele conseguiu fazer isso sem exaltar a si mesmo como “O Mago dos tempos”, etc
    Ao mesmo tempo, Bardon foi um ser humano comum. Ele fumava muito e teve muitas dificuldades com sua saúde e circunstâncias de vida. Acho que foi talvez estas experiências que lhe permitiu conceber um caminho que era tão acessível ao homem comum ou a uma mulher. Enquanto as exigências do seu caminho é que o trabalho do aluno consiste para enobrececimento do caráter, ele nunca recorre a julgar o caráter do aluno – essa tarefa ele deixa o aluno.
    Nada de concreto se sabe sobre o que os professores de Bardon corporais eram ou de onde ele aprendeu a arte hermética de Magia e Cabala. Uma boa quantidade de especulação passou por debaixo dessa ponte, mas o fato é que esta questão é relativamente irrelevante. Certamente existem paralelos entre o sistema de Bardon e outros sistemas importantes da prática em todo o mundo,mas de onde a idéias de Bardon se originaram não tem nenhuma importância real, já que o sistema por ele desenvolvido prova que funciona perfeitamente.
    Contudo, a questão surge muitas vezes como o que o “hermestismo” de Bardon tem a ver com o hermetismo clássico. Enquanto que hermetismo clássico derivam de escritos conhecidos como o “Corpus Hermeticum” (ou seja, aqueles antigos escritos atribuídos a Hermes o três vezeso grande), é preciso uma compreensão profunda do trabalho para ver as semelhanças. As semelhanças são mais fáceis de detectar com os escritos hermético encontrado em fontes como o “Caibalion” por Três Iniciados, a “Tábua de Esmeralda de Hermes”, “Sete Cartas Herméticas”, de Georg Lomer, e os hermetistas ocultistas de sua época. Para Bardon, Hermetismo é a ciência do ocultismo, baseada nos ensinamentos da figura lendária conhecida simplesmente como Hermes.
    Com seu livro de PEM, os paralelos entre o que ele escreve e as obras-padrão sobre a magia salomônica são muito óbvias. No entanto, mesmo aqui, Bardon oferece ao estudante mais do que a maioria dos autores. O mesmo é verdadeiro de seu livro CVQ. Muitos estudantes da Cabala moderna nem sequer reconhecem CVQ como Cabala, mas, na verdade, a abordagem de Bardon remonta a uma forma mais original de prática cabalística. Neste caso, o “mais” que ele dá ao estudante aspirante a Cabala é um universoque é passível de qualquer língua e, portanto, não exige a aprendizagem do hebraico bíblico.
    Talvez o maior dom do estilo de escrita de Bardon é que ele explica as coisas de uma maneira muito prática e faz isso sem toda aquela linguagem floreada tão prevalente no ocultismo. É óbvio desde o início que o leitor tenha encontrado um autor que fala por experiência própria e profunda, em vez de apenas idéias da sua cabeça. A profundidade de sua experiência é muitas vezes difícil para o leitor entender: por que ele fala, do começo ao fim, a partir da perspectiva de alguém que tenha feito a cada ponto do trabalho para si mesmo. Desta forma, ele naturalmente transmite o conceito de que tudo que ele descreve é alcançável e fácil.
    Bardon escreveu tanto para o leitor comum ( que não é realmente interessado em hermetismo e que não tem uma excentricidade intelectual) e para o estudante sério da magia hermética. Mesmo alguém que tenha não tido nenhuma experiência anterior com o ocultismo pode começar o trabalho de IAH, uma vez que este trabalho começa com os rudimentos de iniciação e se desenvolve gradualmente habilidades mágicas do aluno. A maioria dos que começam o trabalho de IAH no entanto, deve ter tido algum treinamento oculto, mas esta é uma espada de dois gumes, por vezes, o ocultista experiente vai achar que eles devem desaprender algumas das coisas que eles aprenderam com outras fontes.
    Dos muitos alunos diretos de Bardon, dois são de especial menção. A primeira foi sua secretária, Otti Votavova, que era responsável pelo livro “Frabato” e graças a elas que seus escritos ficaram acessíveis. Enquanto eu tenho alguns problemas com “Frabato” que vale a pena ler, se aproximou como um “Zanoni”, como o romance oculto. Acho difícil acreditar que Bardon teria dito algumas das coisas sobre si mesmo que foi dito em “Frabato”. Para mim, parece que o amor que a Sra. Votavova sentia pelo seu professor exagera nas explicações dos feitos na vida de Bardon. Como eu disse, é impossível compreender verdadeiramente a vida interior de tão grande adepto. De acordo com o registro, Bardon deixou a Sra. Votavova um esboço desse período de sua vida descrito em”Frabato” e deixou que ela pudesse completá-lo em um livro. Tenho certeza que a Sra. Votavova fez o seu melhor (outros asseguram-nos que a Sra. Votavova amou-o de verdade), mas estou igualmente certo que algumas partes de “Frabato” descrever os eventos com muita linguaguem simbólica. Embora eu admire o seu trabalho, eu não recomendo confiar nele como uma biografia exata de Franz Bardon. Na melhor das hipóteses, ele faz um bom trabalho de dar ao leitor o sabor do homem e uma idéia da profundidade do seu compromisso.
    Outro aluno que merece ser comentado é o falecido Dr. M. Kumar. Ele retransmitida vários contos de Bardon e foi sempre útil para os estudantes de Magia Hermética.
    Há muitos outros personagens que devem ser mencionados, mas o outro que eu gostaria de mencionar é Dieter Ruggeberg. Sr. Ruggeberg passou várias décadas de esforço sincero e despesa para fazer com que os livros de Bardon permaneçam à disposição do leitor moderno. Ele também ajudou a orientar os estudantes sinceros e ajudou a manter a evolução da resposta do público ao trabalho de Bardon no caminho certo
    Rawn Clark
    Texto original no site http://www.jwmt.org/v1n2/bardon.html

  4. Felipe

    Franz “The Professor” Bardon.
    Genial o modo que ele coloca tudo na prática!

  5. phellip

    Necessário comentar também a semelhança das obras de Franz Bardon com as do ocultista alemão Quinstcher. Muitos dos exercícios ensinados e também um pouco da didática usada por Franz Bardon já eram encontrados antes na obra do citado autor. Essa associação é pouco conhecida em países latinos pois os livros não foram traduzidos. A ligação de Quinstcher com a OTO e certos tipos exóticos de magia sexual também induzem os seguidores de Franz a mitigar a importância de seus predecessores.
    Podemos citar também como fiel influência de Bardon, Randolph Pascal, com sua obra magia sexualis, de onde Bardon retirou o conceito de volt – algo que até mesmo Eliphas havia citado há muito tempo no “Grande Arcano”. O uso de operações mágico sexuais não é aconselhado por Bardon, mas em certas entrelinhas ele demonstra ser conhecedor dos métodos de Pascal. Há muito mais influências como o uso de espelhos mágicos e sua preparação.
    Além dos autores citados as famosas cartas de Georg Lomer são semelhantes à obra de Bardon, demonstrando que havia certa padronização no ocultismo alemão sobre alguns temas.
    Podemos verificar que Bardon teve sim professores e longe da romântica história de que um espírito evoluído tomou conta de seu corpo quando tinha 13 anos como dito em Frabato, foi um dedicado ocultista que estudou,trabalhou e evoluiu. Não há espaço para estórias no século XXI, em plena era cibernética acreditar em certas afirmativas demostraria somente credulidade e inocência.

  6. jef

    Imotep=Hermes=Enoch. Ok?

  7. phil

    A situação do mapa astrológico não é tão simples como parece, sem a hora exata fica difícil.
    O fato de jupiter estar em aspecto com 7 planetas não é tão importante assim, afinal os planetas que o aspectaram são lentos, bem como jupiter, e esses aspectos existem para milhares de pessoas que também tenham nascido naquela semana, nada dizem de individual.
    O mais importante seriam os aspectos da lua, casas e dos pontos arábicos, que são questões muito difíceis de se repetirem de pessoa para pessoa, visto que mudam muito rapidamente dentro de mesmo um dia.

    1. Joahnn

      Mesmo que mudem muito dentro de um mesmo dia, só existem 360 graus em um círculo.
      Como o Marcelo já falou várias vezes, um mapa mostra potenciais, o que determina realmente se aquele potencial vai ser exercido e de que forma ele vai ser exercido são as oitavas e a verdadeira vontade do individuo.

  8. Alef

    Uma coisa que devemos ter em mente é que só há poucos anos é que as obras de FB foram trduzidas para outros idiomas além do Checo (original) e alemão.
    Outro assunto: fiquei um pouco decepcionado com um magista que eu até admirava, quando li um texto do tal falando mal do sistema FB, dizendo que era para pessoas das classes operárias e de pouca instrução. O cara eu não vou dizer qem é, mas demonstra aquela certa prepotência que às vezes vemos no mundo Ocultista. Paciência.

  9. Gustavo

    A partir de quantos graus é considerado um aspecto forte num mapa?
    @MDD – UM grau de precisão.

Deixe uma resposta para Eric Cancelar resposta