Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei

Aleister Crowley

Este post foi publicado no S&H dia 5/3/2008.
O dicionário Webster classifica religião como “o serviço e veneração a Deus ou ao sobrenatural; um conjunto de leis ou um sistema institucionalizado de atitudes religiosas, crenças e práticas; a causa, princípio ou sistema de crenças efetuada com ardor e fé”. Ele também coloca a palavra Ritual como sendo “uma forma estabelecida de cerimônia; um ato ou ação cerimonial; qualquer ato formal ou costumeiro realizado de maneira seqüencial”.

Porém, nenhum dicionário vai conseguir dar a vocês a verdadeira definição de Magia. Magia é um processo deliberado no qual eventos do desejo do Mago acontecem sem nenhuma explicação visível ou racional. Os católicos/evangélicos chamam estes eventos de Milagres quando são produzidos por eles e de “coisas do demônio” quando são produzidos por outras pessoas. As religiões ortodoxas acabaram presas em uma armadilha que elas mesmas criaram a respeito dos rituais e da magia. Embora a Igreja Católica (e as Evangélicas por extensão, com seus óleos sagrados, águas do rio Jordão e círculos de 318 pastores) use e abuse de rituais de magia baixa em seus cultos, o mero comentário que seus fiéis estejam usando rituais de magia pode te arrumar confusão.

Então… como os magos definem magia? Um Ritual de Magia é apenas e tão somente a canalização de energias de outros planos de existência, através de pensamentos, gestos, ações e vocalizações específicas, em uma forma manifestada no Plano Físico. O nome que se dá a isso é Weaving (tecer), de onde se originam as palavras Witch (bruxa) e Wiccan (bruxo). Não confundir com a baboseira new age que se difundiu no Brasil e que chamam de “wicca” por aí. Estou falando de coisas sérias.
A idéia por trás da magia é contatar diversas Egrégoras (chamadas de Deuses ou Deusas) que existem em uma dimensão não material. Os magos trabalham deliberadamente estas energias porque as Egrégoras adicionam um poder enorme ao Mago para a manifestação de sua vontade (Thelema, em grego).

O primeiro propósito de um ritual é criar uma mudança, e é muito difícil realizá-las apenas com a combinação dos arquétipos e de nossa vontade solitária. Para isto, precisamos da assistência destas “piscinas de energia” que chamamos de Divindades.
Tudo o que é usado durante a ritualística é um símbolo para uma energia que existe em outro plano. O que define se o contato irá funcionar ou não depende do conhecimento que o Mago possui destas representações simbólicas usadas no Plano Material. O estudo e meditação a respeito da simbologia envolvida nas ritualísticas é vital para o treinamento de um mago dentro do ocultismo.

Para conseguir trazer estas energias das Egrégoras para o Plano Físico, os magos precisam preparar um circuito de comunicação adequado, de maneira a permitir o fluxo destas energias. Isto é feito através da ritualística, do uso de símbolos, da visualização e da meditação.
Para manter este poder fluindo em direção a um objetivo, é necessário criar um Círculo de Proteção ao redor da oficina de trabalho. Este circuito providencia uma área energética neutra que não permitirá que a energia trabalhada escoa ou se dissipe. Este círculo pode ser imaginário, traçado, riscado ou até mesmo representado por cordas (como a famosa “corda de 81 nós” usadas nas irmandades de pedreiros livres na Idade Média).
O círculo de proteção também pode ser usado para limpar um ambiente, para afastar energias negativas ou entidades astrais indesejadas.

Para direcionar este controle e poder, o mago utiliza-se de certas ferramentas de operação, para auxiliar simbolicamente seu subconsciente a guiar os trabalhos no plano mental e espiritual. É por esta razão que a maioria das escolas herméticas utiliza-se dos mesmos instrumentos, como taças, moedas, espadas, adagas, incensos, caldeirões, ervas e velas. O uso de robes e roupas consagradas especialmente para estas cerimônias também é necessário para influenciar e preparar a canalização das energias destas egrégoras.

Para contatar corretamente cada egrégora, o Mago necessita da maior quantidade possível de símbolos para identificar e representar corretamente a divindade, poder ou arquétipo que deseja. Apenas despertando sua mente subconsciente o Mago conseguirá algum resultado prático em seus experimentos. E como o subconsciente conversa apenas através de símbolos, somente símbolos podem atrair sua atenção e fazer com que funcionem adequadamente.

Podemos fazer uma analogia destas egrégoras como sendo cofres protegendo vastas somas de recursos, cujas portas só podem ser abertas pela chave correta. Rezas, orações, práticas mágicas e venerações “carregam” estes cofres e rituais específicos “abrem” estes cofres. Cada desenho, imagem, vela, cor, incenso, plantas, pedras, símbolo, gestos, movimentos e vocalização adicionam “dentes” para esta chave, como um verdadeiro chaveiro astral (qualquer semelhança com o Keymaker do filme Matrix NÃO é mera coincidência). De posse da simbologia correta do ritual e da realização precisa de cada passo da ritualística, o Mago é capaz “girar a chave”, contatar a egrégora e acessar estes recursos.
Ao final do ritual, estes deuses ou formas arquetipais são liberados para que possam manifestar o desejo para qual foram chamados durante o ritual e também permite que o Mago volte a funcionar no mundo normal. Manter os canais de conexão com os poderes ativos após o ritual ter sido completado tornaria impossível para uma pessoa viver uma vida normal.
Os magos enxergam o universo como um organismo infinito no qual a humanidade o moldou à sua imagem. Tudo dentro do universo, incluindo o próprio universo, é chamado de Deus (Keter). Por causa desta interação e interpenetração de energias, os iniciados podem estender sua vontade e influenciar o universo à sua volta.
Para conseguir fazer isto, o iniciado precisa encontrar seu próprio Deus interior (chamado pelos orientais de atmã e pelos ocidentais de EU SOU, ou seja, o seu verdadeiro EU). Este é o verdadeiro significado da “Grande Obra” para a qual nós, alquimistas, nos dedicamos. Tornar-se um mestre da Grande Obra pode demorar uma vida inteira, ou algumas vidas.

A magia ritualística abre as portas para sua mente criativa e para o seu subconsciente. Para conseguir realizar apropriadamente os rituais de magia, o magista precisa desligar o seu lado esquerdo do cérebro (chamado mente objetiva ou consciente, que lida com o que os limitados céticos chamam de realidade) e trabalhar com o lado direito (ou criativo) do cérebro. Isto pode ser conseguido através de meditação, visualização e outras práticas religiosas ou ocultistas para despertar.
O lado esquerdo do cérebro normalmente nos domina. Ele está conectado com a mente objetiva e lida apenas com o mundo material denso (chamado de Malkuth pelos cabalistas). É o lado do cérebro que lida com lógica, matemática e outras funções similares e também o lado do cérebro responsável pela culpa e por criticar tudo o que fazemos ou pretendemos fazer. Na Kabbalah chamamos este estado de consciência de Hod.
O lado criativo do cérebro pertence ao que chamam de “imaginação”. É artístico, visualizador, criativo e capaz de inventar e criar apenas através de uma fagulha de pensamento. Com o desequilíbrio entre as energias da Razão e da Emoção, o indivíduo pode pender tanto para o lado “cético-ateu” quanto para o lado “fanático religioso”. Os verdadeiros ocultistas são aqueles que dominam ambas as partes de sua consciência.

Uma das primeiras coisas que alguém que pretende enveredar por este caminho precisa fazer é aprender a eliminar qualquer sensação de falha, insatisfação ou crença materialista no chamado “mundo real”. Esta é a esfera do gado e dos rebanhos.
Diariamente, todos nós somos bombardeados com estas mensagens negativas na forma de “essas coisas não existem”, “imaginação é faz-de-conta”, “só acredito no que posso tocar”, “magia é coisa de filme”” e outras baboseiras, condicionando o gado desde pequeno a se comportar desta maneira. Esta é a razão pela qual amigos e companheiros devem ser escolhidos cuidadosamente, não importa a idade que você tenha. Diga-me com quem andas e te direi quem és.
Idéias a respeito de limitações ou falhas devem ser mantidas no nível mínimo e, se possível, eliminadas completamente. Para isto, existem certas técnicas de meditação que ensinarei nas colunas futuras.

Desligando o lado esquerdo
Durante um ritual, o lado esquerdo do cérebro é enganado para sua falsa sensação de domínio pelos cantos, gestos, ferramentas, velas e movimentações. Ele acredita que nada ilógico está acontecendo ou envolvido e se torna tão envolvido no processo que esquece de “fiscalizar” o lado direito. Ao mesmo tempo, as ferramentas se tornam os símbolos nas quais nosso lado direito trabalhará.

Existem diversas maneiras de se treinar para “desligar” a mente objetiva durante uma prática mágica. Os mais simples são a meditação, contemplação, rezas e mantras, mas também podemos usar a dança, exercícios físicos até a beira da exaustão, atividades sexuais e orgasmos, rodopios, daydreaming, drogas alucinógenas ou até mesmo bebedeira até o estado de semi-inconsciência. O exercício da Vela que eu passei em uma das primeiras matérias é um ótimo exercício para treinar este desligamento da mente objetiva.

Emoções
O lado esquerdo do cérebro não gosta de emoções (repare que a maioria dos fanáticos céticos parecem robozinhos, ao passo que os fanáticos religiosos parecem alucinados), pois emoção não é lógica. Mas as emoções são de vital importância na realização dos rituais. A menos que você esteja REALMENTE envolvido de maneira emocional e queira atingir os resultados, eu recomendo que você feche este browser e vá procurar uma página com mulheres peladas, porque não vai atingir nenhum resultado prático na magia. Emoções descontroladas também não possuem lugar na verdadeira magia, mas emoções controladas são VITAIS para a realização correta de rituais. O segredo é soltar estas emoções ao final da cerimônia (eu falarei sobre isso mais para a frente).
O primeiro passo para realizar magias é acreditar que você pode fazer as coisas mudarem e acontecerem. A maioria do gado do planeta está tão tolhido de imaginação e visualização que não é capaz nem de dar este primeiro passo, pois acreditam que “estas coisas não existem”. Enquanto você não conseguir quebrar a programação que as otoridades colocaram em você desde criança, as manifestações demorarão muito tempo para acontecer.
É o paradoxo do “eu não acredito que aconteça, então não acontece”.
Para começar a fazer as mudanças que você precisa, é necessário matar hábitos negativos. Falarei sobre a Estrela Setenária e os Sete defeitos capitais da alquimia (ou “sete pecados” da Igreja) mais para a frente. Conforme você for mudando seus hábitos, descobrirá que você gostará mais de você mesmo e os resultados mágicos começarão a fluir.
Esta é a origem dos famosos “livros de auto-ajuda” que nada mais são do que a aplicação destes princípios místicos travestidos de explicações científicas. O livro “O segredo” nada mais é do que uma compilação de ensinamentos iniciáticos desde o Antigo Egito. Ele não funciona para a maioria dos profanos simplesmente porque o gado não possui a disciplina mental, a imaginação e a vontade (Thelema) para executar o que deve ser executado.

O Bem e o Mal
Algumas Escolas iniciáticas, religiões judaico-cristãs e filosofias de botequim irão te dizer que realizar magias para você mesmo é egoísta e “magia negra”. Esqueça estas besteiras… se você não é capaz de operar e manifestar para você mesmo, você nunca conseguirá manifestar nada para os outros.
Não existe “magia branca” ou “magia negra”. O que existe é a INTENÇÃO. A magia é uma ferramenta, como um martelo. Você pode usá-lo para construir uma casa ou para abrir a cabeça de um inocente a pancadas. Quando Aleister Crowley disse “Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei”, ele disse isso para iniciados que já tinham total noção do que deviam ou não fazer dentro da Grande Arte, não para um zé mané iniciante. Cansei de ver misticóides do orkut interpretando esta frase como sendo “vou fazer o que minhas paixões de gado me dizem para fazer”, usando as palavras do grande Crowley para justificar suas imbecilidades.
O Karma é uma Lei Imutável. Assim como a Lei da Gravidade, a Lei do Karma não dá a mínima se você acredita nela ou não, ela simplesmente existe: você sofrerá suas ações. Ponto final.
Por esta razão, é essencial pensar nisso quando se fala em magia. Normalmente, utilizar este tipo de conhecimento para causar o mal gratuito não vale o preço kármico a se pagar depois. Simples assim.

Willpower, baby
A força de vontade humana é uma força real e muito poderosa. Ela é possível de ser disciplinada e produzir o que a uma primeira vista parecem resultados sobrenaturais. A força de vontade é direcionada pela imaginação, que é o domínio do lado direito do cérebro. O universo não é aleatório. “Tudo o que está em cima é igual ao que está embaixo”. Ele é constituído de padrões e conexões, como um fractal multidimensional de ações. Através das correspondências, do conhecimento dos padrões e da força de vontade, você será capaz de utilizar as forças arquetipais para seus próprios propósitos, sejam eles bons ou malignos.

Os deuses, demônios, devas, elementais, anjos enochianos, djinns, exús, emanações divinas, qlipoths e entidades astrais são amorais. O poder simplesmente está lá. COMO você vai utilizá-lo é que se torna responsabilidade dos magos. Tanto a magia branca quanto a magia negra trazem resultados, mas no final das contas, todos teremos de nos acertar com a Balança de Anúbis e os preços devem ser pagos. Infelizmente, a maioria das pessoas tem esta idéia errada de que Karma significa “punição” ou “recompensa”. Isto vem de um sincretismo com as religiões judaico-cristãs. Karma significa apenas que cada ação traz uma reação de igual força. E que as pessoas são responsáveis por aquilo que fazem.

A simbologia dos deuses per se são apenas estímulos para serem usados pela humanidade como catalisadores para uma elevação da consciência e a melhoria do ambiente ao redor do mago. Os rituais, em seu senso mais puro, lidam com transformações no mundo. O conhecimento destas ações é o motivo pela qual as Ordens (a maioria delas) trabalha em ações globais além das ações locais. E esta também é a razão pela qual as otoridades tanto temem e perseguem os magos, bruxos e membros de ordens secretas. Eles não querem que o status quo se modifique, pois perderiam todo o poder e o controle sobre o rebanho que possuem.

Carl Jung disse que experiências espirituais são diferentes de experiências pessoais, sendo que a segunda estaria em um nível mais elevado. Isto acontece porque normalmente nem todos em um grupo possuem a concentração ou a dedicação necessária para elevar todo o grupo ao mesmo patamar de consciência (uma corrente é tão forte quanto o mais fraco de seus elos). ESTA é a razão pela qual as ordens secretas (especialmente as invisíveis, já que as discretas já estão sendo contaminadas faz um tempo pelo gado de avental) escolhem com tanto cuidado seus membros.
Muita gente choraminga a respeito do porque as Ordens Iniciáticas serem tão fechadas, e do porquê este conhecimento ficar preso nas mãos de poucas pessoas, mas a verdade é que pessoas perturbadas ou cujo grau de consciência não esteja no mesmo nível do grupo acabarão agindo como sifões de energia ou criarão caos suficiente para estragar a egrégora das oficinas.

Meditação
O conceito de participar de um ritual ou entrar em um templo sagrado (seja ele um círculo de pedra, uma pirâmide ou uma igreja católica) é o de atingir um estado de consciência conhecido na Índia como “a outra mente”. Durante um ritual, todos os participantes são ao mesmo tempo atores e platéia, ativando áreas da mente que não são usadas durante o dia-a-dia. Através deste jogo, conseguimos libertar nossas mentes e espíritos destes grilhões e alcançar que está além.

Este post tem 41 comentários

  1. Cleber Borges

    Quem diria…2 anos já.

  2. Tiago W.

    O bom de relermos estes textos é poder averiguar o quanto aprendemos entre um ano e outro.

  3. Luiz Martins

    Eu li esse texto um ano atrás e relendo ele hoje ele tem um sentido totalmente diferente. Quando eu li da primeira vez, eu li com o olhar do aprendiz cru, com o olhar da tabula rasa. Hoje em dia, já posso ler esse texto com uma lz vinda do pouco conhecimento que eu adiquiri e essas palavras tem um sentido diferente.

    Um ponto tocado no texto que pra mim é algo essencial e muito importante é a questão do equilibrio entre as partes.

    Os deuses, demônios, devas, elementais, anjos enochianos, djinns, exús, emanações divinas, qlipoths e entidades astrais são amorais. O poder simplesmente está lá. COMO você vai utilizá-lo é que se torna responsabilidade dos magos.

    Acho que essa visão é o inicio da “fase adulta” da magia pra uma pessoa. Entender que a responsabilidade do que é feito é totalmente do mago e não da entidade participante é a linha que separa a galera que faz simplesmente por fazer da galera que faz com um real proposito.

  4. TiagoMazzon

    Às vezes tenho lapsos de criatividade provenientes do lado direito, durante atividades que eu deveria exercer principalmente o lado esquerdo… durante o trabalho, por exemplo.

    Isso é “normal”? Digo… isso é saudável ou eu deveria controlar melhor a forma como uso os “lados” ?

  5. Lucas

    MDD, desistiu do Formspring?

    as respostas estavam ajudando bastante…

    @MDD – O Formspring irá digivolver para algo maior e será encerrado quando chegar a 1.000 perguntas. A razão para isso é que o site do formspring é uma bosta de se gerenciar.

  6. D

    Mdd, continua valendo a proposta da doação de sangue ao hemominas para o sigilo + mapa ?

    São três doações para os dois, não é mesmo ?

    Como é a questão da prova ? Você pede um recibo para eles, de que doou sangue ?

    @MDD – Todo centro pode dar um atestado de doação de sangue 🙂

  7. Eu já gostava desse post quando li pela primeira vez.
    ————————————————————————————
    Submeto à crítica dos leitores do TdC minha tentativa amadora e experimental de interpretar o Thelema a partir de um ponto de vista puramente racional:
    http://sobreaesfera.blogspot.com/2010/02/thelema.html
    Não quero aprovação, mas opinião sincera sobre a pertinência da tentativa (que também é uma crítica a moralismos dogmáticos). Paz.

  8. Bolivar

    Agora eu entendo perfeitamente o sentido da frase:
    “Faze o que tu queres há de ser o todo da Lei”

    Faz todo sentido!!!

  9. @MDD – O conhecimento destas ações é o motivo pela qual as Ordens (a maioria delas) trabalha em ações globais além das ações locais. E esta também é a razão pela qual as otoridades tanto temem e perseguem os magos, bruxos e membros de ordens secretas. Eles não querem que o status quo se modifique, pois perderiam todo o poder e o controle sobre o rebanho que possuem.

    O que você pode dizer para convencer um cético de que as otoridades e os líderes de ordens discretas e invisíveis não são as mesmas pessoas? (compreendo se você não publicar este comentário ou não der resposta a ele, mas minha sinceridade suicida exige há meses que eu lhe faça essa pergunta)

    @MDD – Putz… nesses ultimos meses eu tenho chegado cada vez mais à conclusão que discutir com céticos é tão inútil quanto discutir com crentes fanáticos, então eu não tento convencer ninguém de nada. Os dois Grãos Mestres maçônicos que eu conheço são, na vida profana, um dentista e um administrador aposentado, ou seja, estão bem longe de comandar os poderes das otoridades profanas hehehe…

  10. Bruno Diniz

    só uma dúvida… você acha que não tem grupo sérios de Wicca aqui no Brasil? ou você acha que Wicca não é algo sério?
    tenho um amigo que participa e ele estuda sobre magia e tal… parece que o que eles passam pra ele é sério e o pouco que ele me disse se parece com o que você diz no seu blog. Queria só saber para não acabar seguindo algo que não é sério.

    @MDD – A “wicca”, como é ensinada por aqui, não é muito séria porque é tratada como um teatrinho. É como se a gente se vestisse de branco, tocasse atabaque, dançasse em roda, jogasse pipoca pra cima e depois terminamos a cerimônia, e chamássemos isso de “umbanda”, entendeu? A Bruxaria Européia da qual Gardener fez parte incluía (e inclui) incorporações no Senhor e Senhora do Coven, nos MESMÍSSIMOS moldes da umbanda/candomblé, só que sem música e com outros adereços (chifres, capa, etc). A Wicca do gardner foi uma tentativa de mesclar esta bruxaria com aspectos da maçonaria (graus, títulos, ritualística mais “fechada”, etc) mas perdeu-se o básico, que é A NECESSIDADE DE UM MÉDIUM !
    Quando se popularizou, entrou na onda do “qualquer um pode ser bruxinha feliz na sua casa com seu altar”, e seguiu-se um monte de receitas de bolo que, depois da terceira ou quarta releitura já não tinham mais nenhuma energia mágica; tornaram-se cascas vazias que as wiccas repetem sem saber nem o por quê de estarem fazendo aquilo.
    Eu nunca reclamo dessas coisas em público porque, pra mim, é muito mais interessante que uma revista Wicca-X venda 50.000 exemplares do que se fosse a Evangelica-X vendendo a mesma coisa. Destas 50.000 pessoas, umas 50 acabam pesquisando mais e caminhando na senda…

  11. bruno

    ótimo texto, simplesmente hilária essa parte : a Lei do Karma não dá a mínima se você acredita nela ou não
    hahahahah

  12. Frango

    Gostei realmente tio DD. Engraçado que quando lí o tópico de força de vontade, lembrei imediatamente de uma amiga minha que é Ariana, que temos a mania de chamá-la de “boca maldita”. Dois anos após, quando voltei a ler o texto, consegui entender finalmente o que se passa com a minha amiga Boca Maldita.
    O texto sensacional como sempre.!

  13. Felipe

    http://www.agenciabrasil.gov.br/?q=node/652

    Acho que essa noticia responde melhor a pergunta de João de Sacrobosco do que a resposta do Marcelo. A minha resposta seria: vc não pode colocar a mão no fogo por ninguem.

    @MDD – Especialmente se a “loja” em questão nem fizer parte da maçonaria e for uma dessas lojas espúrias não reconhecidas que eu falo por aqui.

  14. Rennan Rennaldeli

    Olá MDD ! Já que o você abordou nesse post entre outras coisa o assunto Thelema , poderia , se possível , postar o Mapa Astral do dia em que foi finalizado o Livro Da Lei , quando o Sol estiver em Áries no dia 10 de abril ! Tenho muita vontade de ver seu parecer sobre o Céu daquele dia e hora , seria muito esclarecedor ; 10 de abril de 1904 13:00hs Cairo / Egito… Desde já obrigado !

  15. Lucas Félix

    Eu já tinha lido essa postagem uns tempos atrás, fuçando nas postagens antigas do SH. É um texto muito elucidativo e, como os outros textos postados aqui, é uma leitura bastante interessante.

    Tio, aproveitando para tirar uma dúvida: O sr. mencionou uma vez a Egrégora do TdC. O que eu gostaria de saber é… que práticas e rituais nos colocam em contato com essa egrégora? A partir de que ponto podemos nos considerar iniciados nessa egrégora e contribuir com ela?

    Grande abraço, tio DelDebbio. E parabéns pelas postagens.

  16. raph

    A ciêcia já nos demonstrou que tudo o que vemos são fótons, e tudo o que “tocamos” é a força eletrostática que impede que um aperto de mão ocasione uma fusão nuclear milhares de vezes mais potente que a bomba de hiroshima.

    A questão não é se o mundo é ou não material, isso ele é… A questão é compreender o que diabos é a matéria; afinal a ciência também já sabe que apenas cerca de 5% da matéria do universo interage com a luz, o restante é “escuro” e nunca foi detectado (pelo menos não por instrumentos de laboratório).

    Eu sempre fico impressionado como os materialistas ainda não fazem sequer idéia de quão “mística” é a matéria… E de quão místico (no “bom” sentido) é o mundo!

  17. Marcos Siepen

    Pow, muito bom esse post… Nunca tinha lido antes. Uma dúvida crucial sobre emoções foi respondida aqui!

  18. Júnior

    Muito bom o texto!!!!

  19. guilherme costa

    MARCELO VC CONCORDA :O ser humano é formado basicamente por três partes principais: Corpo, Mente e Espírito. Todas essas partes são igualmente importantes. É um grande erro acreditar que o homem deve renegar a matéria para alcançar a iluminação espiritual. Se assim fosse não precisaríamos de um corpo. Dissolver o Ego não quer dizer viver na miséria sem nenhum tipo de ambição, quer dizer vencer a matéria, conquistando-a sem se tornar seu escravo.

    A missão do homem é a conquista do equilíbrio entre estas três partes. O homem nunca alcançará nenhum tipo de desenvolvimento espiritual enquanto não estiver realizado no plano físico, e, por outro lado, também precisa estar equilibrado emocionalmente e espiritualmente para poder se realizar na matéria. É a trindade se manifestando no próprio homem.

    Para que o homem possa estabelecer este equilíbrio é necessário que pelo menos que os três principais aspectos de sua vida estejam em harmonia. Estes três aspectos são: Saúde, Amor e Dinheiro. Quando um deles está desequilibrado afeta o outro e acaba por desequilibrar completamente o indivíduo.

    Quando a pessoa passa um longo tempo sem conseguir se harmonizar, às vezes é preciso buscar ajuda especializada.

    Ao contrário do que se possa imaginar a Magia não é um Milagre é uma ciência, que a ciência profana ainda não consegue explicar , por isso é chamada de “Ciências Ocultas”. Muitos conhecimentos comuns aos antigos magos estão sendo desvendados recentemente por cientistas. É por isso que nem todas as pessoas alcançam sucesso em seus atos mágicos, faz-se necessário mais que vontade e intuição, é preciso também uma boa dose de conhecimento para reconhecer e harmonizar estes três planos entrelaçados.

    Existem vários motivos que podem causar o desequilíbrio energético do homem. Às vezes o problema pode ser psicológico ou causado pelas energias que circundam o ambiente em que vive. Outras vezes a causa pode estar no desequilíbrio energético da própria pessoa gerado muitas vezes por pressão psicológica, vida sedentária, desequilíbrio emocional ou financeiro. Há casos em que a pessoa apresenta perda excessiva de energia vital e outras vezes pode estar sugando tudo ao seu redor, incluindo energias nocivas que afetam o seu estado de humor repentinamente e até podem gerar doenças. Além disso, ainda existem os inimigos! Estes podem ser do plano físico ou espiritual. Estes são os casos em que a pessoa sofre efeitos de Magia feita contra ela ou contra sua família, incluindo maldições, amarrações, trabalhos para destruição, etc. E, existem ainda os vampiros energéticos tanto do astral como do campo físico, que sugam a pessoa deixando-a sem energias e nem vontade para reagir. Em casos extremos levam a pessoa à óbito. Em casos mais comuns levam a rompimentos afetivos, perdas financeiras, falência, inimizades, perda de emprego, e causas judiciais, resumindo, como se diz popularmente, “Fecham os Caminhos” da vítima completamente.

    Se você se enquadra nestes aspectos descritos e acredita que precisa de nossa ajuda, continue lendo e veja os tipos de Práticas Magickas que realizamos.

    XXX

    @MDD – O texto está certinho, mas o site de onde você pegou este texto é uma cilada total. FUJA BINO !!!

    1. danilo

      ‘Dissolver o Ego não quer dizer viver na miséria sem nenhum tipo de ambição, quer dizer vencer a matéria, conquistando-a sem se tornar seu escravo.’

      e matéria tão pouco quer dizer $$$

      $$$ é um conceito e seu poder vem de se acreditar nesse conceito…

      todos nós precisamos das matérias que nos mantém vivos.

      a maneira que ‘ocidentalmente’ trabalhamos para ter essas matérias essenciais à vida é que está desalinhada com a criação, IMHO.

      ontem foi o ‘dia do índio’… os índios dessas terras que hoje são o brasil (nem todos, mas essa provavelmente era a regra) referiam-se a si mesmos como ‘espíritos que andam à pé’… ou algo assim…

      a estimativa é que pelo 5 milhões de índios viviam aqui quando da chegada do Cabral…

      alguém consegue imaginar 5 milhões de pessoas vivendo sem $$$ e não morrendo de fome??

  20. guilherme

    @MDD – O texto está certinho, mas o site de onde você pegou este texto é uma cilada total. FUJA BINO !!!

    então o texto não é dele , foi copiado de outro ok?

  21. guilherme costa

    Marcelo,,, acho que fazer um ritual ou magia para prosperar e ter dinheiro não é errado. Se o mago comanda a sua vida com vontade, é dono de si mesmo, não há nada de errado nisso, mas claro com sabedoria. Até para ser um iniciado precisamos de $$$ para os estudos, livros material, etc…vc sabe muito bem disso.

  22. vivorgis

    melhor explicação que já li !
    entendi tudo .

  23. Edujanu

    Júpiter/Urano: “Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei.”

    Na minha adolescência, eu ouvia Raul Seixas direto. Um amigo possuía TODOS os discos do baiano, inclusive aqueles raros. Até hoje, considero o melhor compositor e cantor da música nacional. Uma frase, cantada por ele, mas não de autoria dele, muito me marcou: “Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei.”

    O autor dessa citação é o Mago Aleister Crowley. O britânico nasceu dia 12/10/1875, às 23:45, em Leamington. Veja o Mapa Natal dele:

    Reparem que Crowley tem Júpiter em Escorpião em Quadratura com Urano em Leão. Esse é um Aspecto de pessoas que gostam de ter uma crença (Júpiter) diferente, libertária e, muitas vezes, excêntrica (Urano). Gostam de chocar (Urano) através dos princípios culturais, filosóficos e religiosos e espirituais (Júpiter) que seguem e professam (Júpiter).

    Eu tenho essa Quadratura também: Urano em Libra na Casa 7 e Júpiter em Capricórnio na Casa 10. Lembro-me de quando Urano transitava por Capricórnio, por volta do grau 17 desse Signo, no ano de 1993. Ele ativava essa quadratura JÚPITER-URANO que possuo. Foi justamente na época em que fui procurar quem era esse tal Aleister Crowley, pois Raulzito era fã dele.

    Com os estudos de Astrologia, pude interpretar o Mapa Natal de Crowley. E compreendi o lado polêmico dele associado à magia. Como se não bastasse essa Quadratura já citada em sua Carta Natal, o ocultista possui a oposição desse Júpiter em Escorpião a Netuno em Touro. Eis um posicionamento simbólico que simboliza a predisposição em buscar (Júpiter) experiências psíquicas (Escorpião) através de vícios, arte, religiosidade, sonhos e espiritualidade (Netuno).

    Então, Crowley tinha a tendência em ser visto (Ascendente) como um cara excêntrico, rebelde e contestador (Urano na Casa 1). E veicular essa imagem (Ascendente) através de suas crenças (Júpiter) e ligações artísticas, espirituais, mediúnicas, psíquicas, escapistas/drogas e mágicas (Netuno).

    Os Planetas em Aspecto com Júpiter ganham uma proporção acentuada. Porque Júpiter simboliza o exagero. Crowley foi declarado pela imprensa como “O homem mais perverso do mundo.”

    Júpiter simboliza os códigos, os princípios, as crenças, os paradigmas, enfim, as leis que regem a sociedade. Urano representa o impulso libertário, individualista, livre. E essa frase célebre do britânico é a cara do Aspecto Júpiter-Urano. Vejam:

    “Faz o que tu queres (Urano), há de ser tudo da lei (Júpiter).”

    É bom lembrar que atualmente vivemos o Trânsito de Júpiter em Conjunção com Urano. Portanto, é uma boa época para nós renovarmos (Urano) nossas crenças (Júpiter). E seguir aqueles princípios e paradigmas (Júpiter) que nos proporcionam mais liberdade e autonomia (Urano). É um período, então, de quebra (Urano) de paradigmas (Júpiter).

    Beijãozão nocês…
    Yub

  24. Leon

    MDD, o que vc acha disso aqui:

    “Estas habilidades(magicas)podem ser desenvolvidas sem qualquer sistema simbólico,exceto a realidade por sí mesma.”

    Esse é um trecho do Liber Null,do Peter Caroll.

    Isso não seria como tentar abrir a porta sem chaves?Sem o sistema simbólico, como pode alguem dialogar com o subconsciente?A não ser que a pessoa seja um mega iluminado e não precise mais de ferramentas pra focar o inconsciente;mas quando vc entra em contato com os “caoistas” por ai vc acaba encontrando uma galera usando o “Nada é verdadeiro/Tudo é permitido” pra justificar qualquer esquisoterice,mto longe de não precisarem de ferramentas.

    @MDD – hehehehhe não precisam de ferramentas… mas também, nada funciona na mão deles, ne? o Peter Caroll, Austin Spare e outros tinham um conhecimento ENORME de teoria esoterica e hermetismo ANTES de estabelecerem seus próprios rituais. Eles começaram pelas bases, compreenderam as engrenagens e desenvolveram seu próprio sistema DEPOIS de terem chegado a patamares altos de conhecimento. Os caoístas de orkut pegam o bonde andando e depois terminam vindo me perguntar como fazem pra se livrar de Succubus…

  25. Regis

    Já que estou buscando esclarecimento mesmo, aqui vai uma dúvida de tempos. Consideremos o seguinte:
    – que o grosso do gado aprende há muito (assim como eu na infância, inclusive), que magia “é do mal” (sem ofensas – já sei que o uso dela depende de quem a pratica, assim como alçguém pode usar uma arma para fazer tiro ao prato ou matar alguém…);
    – que em qualquer grupo de pessoas, por mais bem-intencionadas que sejam no âmbito geral, há um ou dois fora da média, e mesmo um que outro fora do desvio-padrão (ou seja, mesmo numa suposta “igreja de caridade do bem universal”, sempre vai haver uma ovelha negra querendo fazer m…, mesmo que por debaixo dos panos);
    – que em grupos espíritas de desobsessão (aqui referindo ao kardecismo em geral, e mais particularmente na desobsessão como abordada pelo Hermínio Miranda em “Diálogo com as Sombras”), há entidades especializadas em manipular os do lado de cá – e que ainda por cima fazem isso no astral (quem já viu um “escravinho” sendo mandado para diálogo para não comprometer membros mais importantes de um grupo de entidades sabe do que se trata);

    Pergunto:

    – Mesmo nas ordens invisíveis, não pode haver alguma ovelhinha negra destoante do grupo, e que um belo dia resolva se aproveitar da situação ou para detonar a ordem (o que já aconteceria por si só, pela presença do destoante, ainda que levasse tempo) ou para tirar vantagem pessoal?
    – Uma ordem invisível qualquer (não me refiro a todas, obviamente) poderia (reforçando: apenas hipótese) ser uma reunião de encarnados seletamente escolhida por um grupinho mais “sombrio” de desencarnados (na falta de termo melhor, perdoe-me usar o termo do gado…) apenas para servirem de “bateria energética” para seus propósitos?
    – e se sim, como alguém saberia? Uma encarnação terrena poderia ser, dessa maneira, desperdiçada com uma ilusão (veja bem, muita coisa na terra é uma ilusão; aqui, me refiro ao fato de perder tempo que poderia ser gasto no progresso da criatura com alguma opção melhor)

    @MDD – Sim, eu já cansei de ver… satanistas de orkut, geralmente. Seitas, grupos fechados no qual se prega que ali é a “única verdade” costumam preencher bem este canal como sugador de energia dos membros. Sua dúvida é muto válida, sim.

    1. Regis

      Obrigado!!! Se diferenciar “joio do trigo” (e essa linha é muito tênue e relativa…) por vezes é difícil para quem é médium, imagine para quem não é e ainda por cima não procura informar-se.

  26. Angus

    Só pra pontuar, outra coisa foda pra tentar desligar a mente objetiva é ficar sem dormir por um tempo
    Quem já viu clube da luta deve lembrar daquela fala: “Com insônia, nada é real. Tudo é longe. É tudo cópia de cópia de cópia”

  27. terenci

    Marcelo vc falo do lato esquerto e direito do cerebro… gostaria de saber se pessoas canhodas eu ate com desturbios de apendisagem com deslexei terição alguma vantagem ou devandagem… deis de ja muito obrigado e paz profinda

    @MDD – Nenhum (só a desvantagem do preconceito em alguns lugares). Na magia, tudo que o destro faz, o canhoto faz, com a mão invertida. Só isso.

  28. Gabriel Nagib

    Marcelo, este post me fez pensar a respeito dos rituais que eu participava na minha antiga igreja (evangélica – Maranata). Nunca havia olhado para eles como rituais mágicos, mesmo quando saí totalmente do cristianismo.

    Em particular, estou lembrando de um ritual comum praticado nos aniversários (comum a varias igrejas evangélicas):

    Após o culto, reunem-se o aniversariante e alguns membros (amigos, familiares e os pertencentes aos grupos de “elite” da igreja). O aniversariante ajoelha-se no meio de uma roda formada por estes. Inicia-se o ritual com cânticos (para equalizar as mentes na mesma egrégora?), geralmente canticos de vitória, de ânimo, encorajadores (depende da idade e situação do sujeito). Após dois cânticos o pastor, ou membro mais “poderoso” inicia a oração de fato com imposição de mãos (aqui seria o equivalente a abertura de fato da egrégora específica). Durante ou após esta oração algum membro inicia do dom de línguas (mediunidade) geralmente com interpretação (por algum motivo, a mediunidade é separada entre um que fala na “língua dos anjos” e um que fala em português mesmo).

    O aniversariante SEMPRE recebe uma mensagem cheia de simbolismos (chave de ouro, biblia de ouro, violão de ouro, vassoura, carro, capacete e coisas afim) e encorajamento (estou vendo sua luta, você vai vencer, continue assim).

    Ora, minha análise cética-ateísta disto, dada a influência que este e outros rituais tiveram em minha vida, era de que isso não passava de um teatro para não deixar os membros saírem. Punição + Recompensa. Me lembro de receber varias mensagens tentando me convencer de ler mais a bíblia e me afastar de pensamentos “mundanos”.

    Estou agora analisando isto de um ponto de vista espiritualista (afinal, se sou cético, devo analisar outras possibilidades). E minha análise é de que ao me ajoelhar ali no meio daquelas pessoas, em círculo, com imposição de mãos e toda ritualistica, eu de fato estava abrindo minha mente para ser aprisionado por elas, potencializando o efeito da a egrégora presente ali, que era extremamente elitista (o pensamento comum dos pastores na Maranata era de que todas as outras igrejas evangélicas estão erradas, e não há outras possibilidades além do que o pastor-mor ensina).

    Ou será que neste caso era mais uma questão de teatro mesmo, pois a falta de símbolos e o amadorismo na execução do ritual não dariam a ele tanto poder assim (embora ainda haja o poder da influência pelo medo)?

    1. Gabriel Nagib

      MDD, lembrei de uma coisa, durante estes dons de linguas, a mensagem era muito comum ter o seguinte: “Meu servo, (…), eu enviei meu filho ao mundo (…)”…. aparentemente eles encarnavam o próprio Deus (!!!), nunca um espirito menor, e nunca vi ninguém sofrer qualquer esgotamento após estas mensagens rsrs. O que me leva a pender mais para a hipótese de ser teatro mesmo (seja deles, ou seja de alguém do outro lado).

  29. Marcel

    “Podemos fazer uma analogia destas egrégoras como sendo cofres protegendo vastas somas de recursos, cujas portas só podem ser abertas pela chave correta.”

    1) Isso está ligado aos termos “chave da cabala” “chave alquímica” e outras?
    2) Descobrir a “chave mestra” seria o equivalente a tornar-se Ipsissimus?

  30. Anônimo

    Tio DD, estou muito interessado em saber qual é a palavra indiana ou hindu para o termo “outra mente”. Qual é?? Obrigado.

  31. Anônimo

    Por favor DD, preciso saber isso pras minhas pesquisas…

    Tio DD, estou muito interessado em saber qual é a palavra indiana ou hindu para o termo “outra mente”. Qual é?? Obrigado.

  32. Igor

    Marcelo, tipo…Bispões destas igrejas caça-niqueis, usam o poder das egregoras que os MILHARES de fieis alimentam, para usofruto e beneficio proprio?

    Por isso que eles são tão fdps?

    ou to entendendo tudo errado?

  33. Bruno César

    MMD, o RPG é um grande aliado da magia então, pois treina o lado criativo e intuitivo, quando jogo minha mente objetiva se desliga e eu paço a praticamente viver a personagem, mais forte é essa impressão quando narro uma partida, sendo assim estou exercitando o poder de imaginação e projeção ? a egregora do RPG é muito forte, pois é bem mais fácil eu visualizar e sentir emoções reais com o rpg, do que com qualquer outro exercicio de visualização… alias obrigado pelo TREVAS…

  34. Anônimo

    Anônimo disse:
    5 de dezembro de 2013 às 22:29
    Por favor DD, preciso saber isso pras minhas pesquisas…

    Tio DD, estou muito interessado em saber qual é a palavra indiana ou hindu para o termo “outra mente”. Qual é?? Não tem nada no Google. Pode me ajudar respondendo?? Obrigado.

  35. wallace

    obrigado ir.`. Marcelo que gadu te abençoe, conheci seu site ha uns seis meses atras e comecei a estudar e seguir orientaçoes por ele, tive que para os estudos por um tempo por motivos maiores e agora voltei a estudar e ler seus artigos, para mim esta sendo muito edificante, principalmente agora que sou ap.´.mm.´. , e consegui isto coma ajuda do ETerno e com a sua por me tirar duvidas e apliar os horizontes.
    ABRAÇOS ir.´. MARCELO T.´.F.´.A.´.

  36. giovane

    sobre a lei do karma,meio que ando percebendo que a gente mesmo joga ela na gente,como se a punição viesse de dentro de mim mesmo por não fazer o que é certo,o que já considero um erro meu,e a filosofia acaba me confortando de certo modo.e no que diz respeito a fazer o bem,quando alguém de certo modo me faz algum mal,eu simplesmente não retribuo a força dela de volta,e eu acabo sentindo como se eu pegasse a energia negativa dela e a transformasse em positiva para meu proveito,não sei explicar direito,e ao mesmo tempo percebo que a própria pessoa fica surpresa pelo “mal” não ser devolvido,enfim,queria entender melhor como funciona a lei do karma e se o que penso está certo ou é só um monte de interpretações equivocas.

Deixe uma resposta para Titania Cancelar resposta