Devo Estudar Chi, Psi ou Magia?

Texto do grupo Veritas, traduzido por Jeff Alves

Todos os sistemas compartilham fundamentos em comum e, sendo assim, é mais benéfico progredir em uma para que depois se possa em outra arte. Desta forma, escolher focar uma arte metafísica é, de forma alguma, uma escolha exclusiva, mas é, muitas vezes, uma escolha que devemos fazer para que possamos dedicar tempo suficiente para entender um paradigma específico.

A escolha de qual arte se concentrar é também algo muito pessoal, pois depende fortemente de seus traços de personalidade e aspirações. Os três paradigmas, ou sistemas, apresentados aqui tem suas próprias virtudes e as suas próprias visões de mundo.

Temos trabalhado em conjunto para trazer-lhe este artigo contendo perspectivas distintas em cada um desses três sistemas, para que possamos compartilhar com vocês as nossas próprias opiniões pessoais e as razões para valorizar cada arte. Que sua jornada seja próspera!

Por que estudar Chi ? (por kobok)

Chi é o nome dado à “energia vital” em muitas culturas asiáticas, sob uma variedade de grafias como chi, ki, e qi. Na cultura hindu, o termo “prana” é usado para esta energia e Yoga é o nome dado à arte hindu associada. Segundo a lenda, as idéias de Yoga foram fundamentais para a formação de Qigong, o sistema chinês de cultivo chi.

A maioria das artes marciais incluem alguma instrução em chi, embora o grau de foco neste estudo varia muito. Algumas apenas vêem o chi como uma manifestação das propriedades físicas e estruturais do corpo, mas muitas outras incluem o aspecto da energia espiritual para ele. O chi pode ser um aspecto importante da consciência, velocidade, força, equilíbrio e estabilidade nas artes marciais e pode ter efeitos físicos reais. A meditação relacionada ao Chi é um aspecto importante de muitas dessas artes marciais e, nos níveis superiores, a maioria das artes que estudam o Chi também incluem o estudo da cura através do mesmo.

Há também artes de manipulação energética que incidem de forma mais completa sobre a cura, como o Reiki, um contemporâneo sistema de cura japonês em que os praticantes canalizam sua energia com intenção de cura. Em suma, a arte da Manipulação Energética sinergicamente reúne corpo, mente e espírito para alcançar a meta da evolução.

Por que estudar Psiônica? (por Kobok)

Psiônica é a arte de causar mudança ou sentí-las por esforço de foco mental/psíquico. Há também uma grande profundidade filosófica e espiritual para os estudos psi, que moldam a busca em um caminho de auto-aperfeiçoamento. Psi inclui todas as habilidades que foram enquadradas como habilidades psíquicas, como, por exemplo, Percepção Extra-sensorial, Clarividência, Pré-Cognição, Psicocinese e Visualização Remota.

Abordagens modernas para Psi normalmente giram em torno da consciência e manipulação de energia para fins de detecção ou obtenção de mudanças. As habilidades assim concedidas incluem movimentação de objetos, comunicação mental, escaneamento de personalidades, visualização de lugares remotos, (pre)sentir o futuro, curar a si mesmo e aos outros, escolher um futuro e fazer com que ele ocorra, criar construções complexas usando energia psi e muitas outras. A busca constante de psi também concede uma profundidade incomparável de foco mental e disciplina, acompanhado por uma profunda compreensão e consciência de sua própria natureza espiritual. Esta consciência tem um impacto profundo na vida do psion (praticante de psiônica) e sobre a interação do psion com os outros.

Psiônica tenta fazer uma abordagem mais direta e fundamental para as artes energéticas, com ênfase em ganhar foco e controle intencional sobre os detalhes de suas próprias habilidades inerentes. O Psion, após dominar isto, usa esse controle cuidadoso para construir uma matriz de habilidades mais complexas e avançadas, mantendo o mesmo nível de concentração mental.

Por que estudar Magia? (por Prophecy)

Magia é, no que diz respeito à religião, um caldeirão de credos e abordagens. Não importa se você é budista, hindu, taoísta, xamã, judeu, cristã ou qualquer outra denominação essencialmente religiosa – você poderá utilizar magia para progredir em seu caminho espiritual, no âmbito do seu dogma existente, já que a espiritualidade é a base fundamental sobre a qual a maioria das ideologias de magia se baseiam.

Magia dá ao aspirante meios de escolher seu próprio destino e criá-lo. Através da auto-mestria, do avanço espiritual e do conhecimento harmonioso de como utilizar as Leis deste universo, o adepto pode alterar as coisas em sua vida para criar o destino que ele vê condizente em seu caminho. Não há nada fora do alcance para um mago e o progresso espiritual através da sabedoria e do poder é prometido para aqueles que dedicam a este caminho o tempo que for necessário, através de algum sistema legítimo das artes metafísicas. O caminho de recompensas das ciências ocultas não é apenas prático, mas também muito teórico, para que o estudante possa buscar as verdades mais profundas do mundo interior e do que ele vive (exterior).

Finalmente, a magia engloba todas as coisas consideradas místicas e metafísicas. As leis da magia são as leis do universo, e todas as coisas encontram-se representadas aqui. As potências da alma, da mente e do corpo são treinadas desde o início do caminho escolhido. Se o mago aspirante estudou qualquer sistema oriental (como Yoga) ou ocidental (como Psiônica), ele tem dado mais um passo no caminho da magia e agora pode ver como tudo o que ele aprendeu até agora pode ser aplicado para conquistar o que busca no mundo, decidindo por si mesmo como fazer isto.

—————————————————–

Veja também:

2 Anos de Alvorecer (por Jeff Alves)

Conselhos aos que Desejam Estudar o Oculto (por Papus)

Práticas Mágicas Diárias (por Prophecy, traduzido por Bardonista)

20 Instruções Espirituais do Yoga (por Divine Life Society)

Qigong Simplificado para Iniciantes (por Koijiryuu, traduzido por WindWalker)

 

Este post tem 23 comentários

  1. Omar

    O Alvorecer é o blog que mais me identifico.Algumas práticas já tinha conhecimento,outras aprendi nele,fico feliz de outras pessoas seguirem a sadhana realmente.Acredito que muitas pessoas podem se beneficiar com tudo isso.Como disse Vivekananda:

    ” Não há forma de serviço maior que falar de Deus. Se você convencer alguém de que o caminho do erro leva ao vale da morte e que o caminho da meditação, à vida eterna, terá dado algo mais valioso do que um milhão de dólares. O dinheiro é perecível, mas a realização divina nos acompanhará além dos portais do túmulo.”

    @jeffalves20 – Muito obrigado pelo comentário.

  2. Felipe

    Me interessei pelo Psi e percebi que esta foi senão a primeira, uma das primeiras vezes que foi mencionado aqui! Seria bacana mais alguma sugestão de fontes!

    Grato!

    @jeffalves20 – Fique por dentro da coluna e do blog que você o verá mais vezes.

  3. Macedo

    Me parece que o Kobok se equivocou.

    Porque fazer dicotomia, psionics oriental com o chi kung ?
    Essas técnicas de psi são todas derivadas do yoga tântrico, magia tibetana ou do chi kung mesmo. Não tem nada a ver com a magia ocidental(celta, hermética…)

    Basta ver o John Chang em ação(tem doc no youtube) que faz tudo o que ele elencou com psi usando simplesmente mo pai nei kung.

    @jeffalves20 – A divisão também tem haver com os corpos utilizados no processo.

    1. Murilo

      Não são iguais não. O modo como o homem vê as coisas diferencia tudo. Ainda mais uma visão que existe há muitos séculos. Exemplo: Ares e Marte não são o mesmo deus, pois são a visão de duas culturas totalmente diferentes. Na maioria das magias, exceto o caos, você não poderia usar os dois para um mesmo trabalho, pois, inclusive, UM ODEIA O OUTRO! O mesmo se dá com os tipos q eles narraram acima. PARECEM SER A MESMA COISA, mas incrivelmente não o são.

      @jeffalves20 – Embora não sejam o mesmo, podem representar o mesmo arquétipo.

      1. Macedo

        São iguais sim, pelo simples motivo prático de utilizarem os mesmos princípios de manipulação da energia.

        @jeffalves20 – Não é porque ambos compartilham do mesmo arquétipo que são iguais. Então, se permitem, Cristo é igual a Buda? Ambos podem ser situados, na árvore da vida, em Tipheret, mas nem por isto quer dizer que sejam iguais.

        Nosso assunto psi x chi kung, yoga, etc… isto não tem relação com a diferenciação citada Ares – Marte que seriam dois deuses diferentes e por isto duas egrégoras com diferentes cultos e formando diferentes bolsões de energia astral.

        @jeffalves20 – Você acabou de diferenciá-los…

        O modo como o homem vê as coisas, como você disse, muda neste caso citado, mas não é a regra, e isso é devido a estar alimentando diferentes egrégoras com seus cultos.

        Os treinamentos de psi e chi kung não variam na essência, por mais que se coloque algum detalhe a mais ou a menos. A abordagem pode ser diferente no plano das idéias mas as energias manipuladas são sempre as mesmas não tem como fugir disto.

        @jeffalves20 – Em essência, evangélicos, ateus, céticos, equisotéricos, místicos e ocultistas são iguais também.

        1. Murilo

          é bem o que você falou: São diferentes e são iguais. Vc diferenciou marte e ares e viu muitas coisas em comum entre chi e psi. Agora tente inverter o que vc fez: Tente achar as coisas iguais entre Marte e Ares e diferenciar chi e psi. Também funciona, né?

          @jeffalves20 – Chi e Psi são diferentes e nem representam a mesma coisa…

          A questão que eu levantei das diferenças é que PARA A FINALIDADE, elas são diferentes. Se são do mesmo arquétipo, essa comparação fica pra depois. E por depois, eu digo EM OUTROS PLANOS. é como discutir a textura das peles das ondinas. Eu uso o sentido de um plano ( o nosso) pra medir o de outro plano (astral). Entendo q cada coisa deve se ater ao seu plano, no quesito estudo. Então, quando se trabalha com a manifestação energética no plano material, concluo que sim, são diferentes. da mesma forma que concluo que água e terra são diferentes, porém veremos num estudo atômico que são feitas de prótons, elétrons e neutrons igualmente. Porém, AQUI NESSE PLANO, vc só pode beber um desses dois.

          @jeffalves20 – Se você for analisar do que tudo é feito, vai chegar no Todo. Você lembra que tudo é Maya. Só que se alguém jogar uma bola de papel em sua cabeça, a dor existe? Não adianta fazer uma analogia indevida – a matéria é feita de prótons, elétrons e nêutrons (se assim prefere resumir), mas se for para analisar a água e a terra distintamente, como o fez, veremos que ambas não são iguais. Embora as duas sejam feitas de prótons, elétrons e nêutrons, comportam-se de maneiras totalmente diferentes e não são iguais. Além disto, para exemplificar, várias ciências estudam aspectos importantes e diferentes da água e da terra (novamente, embora ambas estudem duas coisas que são constituídas de prótons, elétrons e nêutrons, como colocou). Física e Química não são a mesma coisa, embora ambas estudam a matéria (cada uma abordando um aspecto diferente desta), por exemplo.

        2. Macedo

          Novamente gostaria de diferenciar

          “@jeffalves20 – Não é porque ambos compartilham do mesmo arquétipo que são iguais. Então, se permitem, Cristo é igual a Buda? Ambos podem ser situados, na árvore da vida, em Tipheret, mas nem por isto quer dizer que sejam iguais.”

          “@jeffalves20 – Você acabou de diferenciá-los…”

          Não há como comparar uma questão de egrégoras e deuses com técnicas de exercícios energéticos. Esse é um engano que ressaltei em minha resposta, possivelmente tenha passado batido embora tenha dito mais de uma vez.

  4. D

    O melhor mesmo é estudar os três junto. Não necessariamente praticar os três, mas ler a respeito e procurar relacionar as teorias com o sistema prático que se desenvolve. Ajuda muito, pois são todos complementares .-.

    @jeffalves20 – Sim, são. Porém é mais útil se aperfeiçoar em uma única coisa, para depois partir para outra. Seria semelhante a começar a estudar ocultismo fazendo parte de 10 ordens, quando seu desenvolvimento seria melhor se pertencesse a uma única, como a AA, por exemplo. É o dilema do pato – sabe nadar, voar e andar, porém, é especialista em apenas uma?

    1. D

      Uhhm… eu, pessoalmente, dou primor a entender antes de fazer, então para mim funciona me atualizar.

      Veja bem que não é praticar – não seria participar de 10 ordens, seria participar de uma, mas ainda assim ler livros que tenham a ver com outras. Afinal, só tem a ganhar o umbandista que leia Chico Xavier, o Hermetista que busque ler a respeito de feitiçaria e o aprendiz de Qui Gong que não se prive das lições sobre o poder do círculo do Aikido. Ainda que o umbandista não participe de nenhuma casa espírita, o hemetista não busque nenhuma forma de desenvolver a feitiçaria, e o aprendiz de Qui Gong não vá praticar o Aikidô – o importante é quebrar os próprios paradigmas, evitando a grande armadilha de achar que seu sistema tem a teoria mais correta simplesmente porque funciona.

      Sou um leitor bastante voraz, então consigo me virar dessa forma. Já praticar… de fato, é muito mais difícil, e eu não acredito que seja recomendado .-.

      @jeffalves20 – Sim, concordo. Ouço muita gente dizer que é impossível pertencer a 3 coisas ao mesmo tempo. Digo que sim, é possível – e sempre cito Papus como exemplo. Teve ligações com (participando, reestruturando, criando ou estabelecendo): Sociedade Teosófica (embora se retirou), Ordem Kabalística de Rosacruz, Grupo Independente de Estudos Esotéricos, Escola Hermética, Sociedade Alquímica da França, Fraternitas Thesauri Lucis, Igreja Gnóstica, Golden Dawn, Ordo Templi Orientis, Rito de Memphis-Misraim, Maçonaria Mista (Direitos Humanos), Vouduo Gnóstico, Círculo dos Irmãos Iluminados da Rosacruz, Faculdade de Ciências Ocultas, Ordem Martinista, Escola de Magnetismo de Lyon, Faculdade de Ciências Herméticas, Suddha Dharma e Associação Mística Oriental (que pertencia como um fórum para a Ordem Martinista, Ordem Kabbalística da Rosa+cruz, Sociedade de Essênios, Suddha Dharma Mandalam, Rito Egípcio de Osíris, Ramakrishna Ashram, Kriya Yoga, o Sarva Yoga Ashram ou Ordem dos Sarva Swâmis, Comunidade Sufi, Satyagraha Ashrama, Maitreya Mahasangah, Departamento do Verbo, Zen Boddhi Dharma e Igreja Expectante). Atualmente, veja também o currículo de Marcelo Del Debbio e do frater José Laércio do Egito. O que falo é que complica concentrar-se em mais que um caminho ao mesmo tempo, mas depois que se tem determinado nível de evolução em um desses caminhos, você pode, caso queira, começar outro para complementar aquele que você escolheu.

      1. Ernani

        Que… lista… grande…

      2. Lucas Trajano

        Realmente, é uma ótima lista, mas no caso acredito que vai mais de cada um…
        É como um amigo meu que consegue estudar otimamente bem varias matérias ao mesmo tempo, mas só se eles estudar varias, do contrario, segundo o mesmo ele se cansa.
        Enquanto eu, só consigo estudar uma, mas se me colocarem uma ligação com outra matéria me dou mal.
        Ambos tiramos notas boas, cada um do seu jeito!

    2. Macedo

      Olha Jeff, me permita discordar nesse pequeno ponto. Talvez seja possível para o estudante que saiba o que está fazendo estudar tudo isto, compreender e fazer uma síntese. Entender o que se está fazendo é a frase.

      Os métodos de desenvolvimento, o chi kung, psionics, tantra… tudo isso vai gerar um desenvolvimento do corpo energético, certo.

      @jeffalves20 – Ambos desenvolvem, mas a Manipulação Energética é mais focada em desenvolver tal corpo. No caso da psiônica, embora você o desenvolva, foca-se noutro corpo distinto, o corpo psíquico.

      Esse treinamento com energia de qualquer maneira vai dissolver alguns bloqueios no duplo e vai gerar algum parapsiquismo, seja qual for o sistema.

      @jeffalves20 – No treinamento de Manipulação Energética, treinamos os Chakras. No treinamento de Psiônica, embora os Chakras também sejam treinados, o que deve-se desenvolver são os Centros Psíquicos. Por exemplo, não é o treino do Ajna que vai te gerar clarividência, mas o treino do Centro Psíquico correspondente. Explicando melhor, temos no corpo físico a glândula ou órgão, no corpo etérico temos o Chakra ou Centro de Energia e, no corpo psíquico, temos o Centro Psíquico. Embora o treino de um Chakra favoreça o aparecimento dos “dons psíquicos”, o treino do Centro Psíquico é bem mais eficaz para isto.

      Claro a partir de certo ponto é preciso escolher algo em que se especializar, mas é depois de anos de prática.
      Para o iniciante em energias qualquer trabalho bem feito e lúcido está de bom tamanho e ele deve testar de tudo um pouco, conhecer um pouco de vários sistemas para não ficar alienado e dogmático.
      Apenas minha opinião, não sou dono da verdade. Obrigado pelo debate.

      @jeffalves20 – Não recomendo, assim como diversos outros nomes ocultistas, a um iniciante estudar vários sistemas ao mesmo tempo.

      1. Macedo

        @jeffalves20 – No treinamento de Manipulação Energética, treinamos os Chakras. No treinamento de Psiônica, embora os Chakras também sejam treinados, o que deve-se desenvolver são os Centros Psíquicos. Por exemplo, não é o treino do Ajna que vai te gerar clarividência, mas o treino do Centro Psíquico correspondente. Explicando melhor, temos no corpo físico a glândula ou órgão, no corpo etérico temos o Chakra ou Centro de Energia e, no corpo psíquico, temos o Centro Psíquico. Embora o treino de um Chakra favoreça o aparecimento dos “dons psíquicos”, o treino do Centro Psíquico é bem mais eficaz para isto.”

        Discordando amigavelmente, acredito que o treinamento do Duplo- que você está corretamente diferenciando do corpo psíquico, astral, este sim gera um rápido e seguro desenvolvimento do parapsiquismo. Não é só minha opinião como a de muitos outros paranormais, entre eles te cito o Waldo Vieira (clarividência dele tão forte que consegue ver vidas passadas de quem chega perto)

        @jeffalves20 – Citar que algo é válido porque várias autoridades acreditam que seja é uma falácia. Além do mais, falei que o treinamento dos Chakras também desenvolve psi. Se você acha que treinar o duplo etérico é rápido e seguro para o parapsiquismo, imagine treinando o próprio corpo psíquico? Se bem que discordo em classificar a velocidade e segurança de algo neste sentido, pois isto é idiossincrático (no sentido literal).

        Todos os exercícios de manipulação energética de chi kung, pranayamas , EV… eles são voltados ao desenvolvimento do corpo energético e geram resultados.

        @jeffalves20 – Não disse que não gerava…

        Também acho um pouco obtuso e yogue demais pensar em trabalhar Ajna isoladamente tendo em conta que existem milhares de chakras no corpo de energia.

        @jeffalves20 – Se você voltar, prestar um pouco mais de atenção e esquecer um pouco da vontade de debater apenas pontos que na sua opinião são errôneos, iria perceber que na verdade o trecho que citas é ilustrativo. Por fim, sim, há exercícios em que eu treino apenas um chakra (ou não treino todos ao mesmo tempo).

        No caso do ajna o desenvolvimento dele é vinculado ao muladhara (terra) são um par, como os acunpunturistas bem o sabem. Trabalhando-se o corpo energético por inteiro com absorções de energia e alguma continência ou maithuna a clarividência acontece muito mais prontamente do que em alguém que vibra bija mantra e energia diariamente em ajna por horas que seja .

        @jeffalves20 – 1) A clarividência não ocorre devido a Ajna e sim ao centro psíquico correspondente. 2) Na teoria dos pares de chakras, em suma, diz-se que um chakra trabalha em harmonia com o outro, afim de gerar equilíbrio entre ambos. Desta forma, se Ajna está trabalhando menos, Muladhara irá trabalhar mais, ou vice-versa. Analisando a teoria, se eu trabalho um único chakra e faço ele trabalhar o que deveria trabalhar (ficar em equilíbrio), o outro também ficaria, como numa espécie de balança. A hiperestimulação de um chakra, todavia, diminuiria a funcionalidade do outro par (o que ocorre em casos de utilizar vários exercícios numa enorme quantidade de tempo para este fim). Nem lembro onde eu ouvi falar desta teoria, mas fica para análise de vocês… 3) Chakras são trabalhados para melhorar a disponibilidade energética local, novamente o correto seria o trabalho do Centro Psíquico. 4) Os mantras estimulam as glândulas, os Chakras e os Centros Psíquicos. Por isto que geralmente ao trabalhar os Chakras com tal método você consegue o “dom almejado”… 5) Trabalhar o corpo energético geraria psi, só que mais lentamente que o normal. O trabalho dele conjuntamente com o físico e, principalmente, o astral, é que causaria os dons. Desta forma, o problema não seria entoar o bija mantra específico de um “chakra”, mas fazê-lo por horas (hiperestimulação).

        Agradeço pelo debate.

        1. D

          Woah, woah, peraí..

          Anjna e Mudalahara são um par de chackras ?

          Dessa teoria eu nunca tinha ouvido falar.

          Sempre que analisamos pares de chackras, analisamos o par chackra Fronta/Dorsal. Assim, temos o par Anjna Frontal e Anjna Dorsal, por exemplo. Ambos se localizam em regiões parecidas e tem funções muito semelhantes. As únicas duas exceções são mesmo o Mudalahara e o Sanshara, que formam o Shushuma, por se encontrarem ambos voltados um para o outro.

          @jeffalves20 – Isto é o que acredito.

          Sim, um chackra pode dominar ou influenciar o outro de formas importantes. Contudo, um bloqueio no Anjna não vai trazer uma hiperatividade do Mudalahara, e sim do sistema como um todo. Os efeitos mentais secundários – como a insensibilidade e falta de empatia, nesse caso – podem vir a favorecer um estado de desequilíbrio de agressividade, ou seja, um exceço de absorção pelo Mudalahara, que virá a gerar um bloqueio caso essa energia não circule – mas isso não significa que eles sejam um par de chackras, apenas que possuem alta influência um com o outro.

          @jeffalves20 – Se fosse verdadeira aquela outra teoria, pouparia o trabalho de terapeutas. Se você sabe que algo está trabalhando menos, o outro estaria necessariamente trabalhando mais… Mas, na prática, não é isto que ocorre.

          Talvez seja só o vocabulário que precisa de algum trabalho aqui, mas, meu ponto é : Um par de chackras, conforme mencionado aqui, seria a estrutura de vórtices frontal/dorsal, ou desconsidera-se esse tipo de estrutura nos estudos da Acupuntura ?

          @jeffalves20 – Desculpando minha ignorância sobre o assunto, já que não tenho conhecimentos de Acupuntura, fui fazer minhas pesquisas para ver onde eu teria encontrado estas informações sobre os 7 chakras trabalharem em pares e encontrei uma “canalização” que dizia isto, além da Projeciologia e da Conscienciologia. O que EU considero é que o mesmo chakra possui dois vórtices frontal e dorsal, conforme a minha instrução e maioria de livros sobre terapia que tenho (desconsiderando o conhecimento de yoga, que tenho pouco). Se algum de vocês conhece yoga, favor mencionar o erro e citar a fonte, ok?

          A título de exemplo : A partir da teoria de anatomia sutil discutida, um bloqueio em um chackra tal gera, necessariamente, um bloqueio no par correspondente, ou apenas tendencia ao desequilíbrio do sistema como um todo, atuando mais fortemente no “par” correspondente ?

          @jeffalves20 – Na prática, um bloqueio em um chakra gera efeitos que não necessariamente possuem haver com o “par” correspondente.

  5. Livio

    Eu fico com a primeira parte das propostas – ESTUDEM!

    Partam para as montanhas

    Decidam se serão ateístas ou teístas

    Se são mais empiricistas, ou racionalistas

    Se são relativistas, ou objetivistas

    Se são materialistas (“campos energéticos”), ou se concebem uma realidade imaterial, sem precisar de apelar para energia, partículas ou radiação.

    Se são naturalistas, ou se permitem operar com conceitos sobrenaturais.

    Se são mecanicistas, ou teleologistas.

    Perguntas cruciais – e ruidosamente silenciosas

    @jeffalves20 – Grato pelo comentário, Livio.

    1. Livio

      Grato pelas questões, Jeff!

      Acho tão contraditório, um ocultista materialista, mecanicista, empirista, e naturalista – não que seja inconcebível, mas é repleto de contradições.

      Transformar os planos superiores, divinos, celestes, ou mesmo sublunares, sutis e invisíveis, em parte do mundo material, é jogar o bebê junto com a água do banho. Transcendência! Imanência! Eternidade! Infinito! Certos conceitos são concebíveis, apenas fora do mundo da geração e corrupção.

      @jeffalves20 – Novamente grato por enriquecer ainda mais esta discussão.

    2. Marcos

      No momento sou Ateísta mas desenvolvendo uma profunda ligação com o Panteísmo e o Budismo.

      Entre os dois eu prefiro o Pragmatismo e ou Pragmaticismo

      Relacionismo, podem existir realidades relacionais sem a necessidade de apelarmos para essências sejam elas materiais ou espirituais.

      Naturalista (A magia se ela existe é totalmente passível de ser conhecida e manipulada por leis naturais ainda não estudadas), a Ciência não deve ser oposta ao fato muito ao contrário deve estudar o fato, modificando os antigos e criando novos.

      Entre o Mecanicismo e o Teleologismo eu fico com o Selecionismo: O Universo opera por variação e seleção do padrão mais estável, padrões instáveis se desmancham… padrões estáveis perduram…

      1. Marcos

        Cada linha do meu post anterior procura responder uma pergunta do Livio referente ao meu Paradigma de interpretação da realidade.

  6. Gustavo

    Jeff,

    Não etsou conseguindo me registrar no fórum do Alvorecer. Quando tento, o sie diz que a senha não tem os caracteres exigidos. Estou mesclando letras e números, mas sempre recebo essa mensagem.

    @jeffalves20 – O problema do fórum foi resolvido. Tente novamente, por favor.

  7. Ericson

    Jeff, poderia me indicar livros, sites, etc. com informações sobre Psi. É que o google não ajuda nisso (quando pesquiso, só encontro coisas sobre rpgs de mesa)…

    @jeffalves20 – Fica ligado no fórum que em breve devemos ter bastante informações sobre.

  8. Charles

    Como posso aprender sobre Psiônica?

    @jeffalves20 – Em breve teremos posts voltados à tal prática.

  9. Anônimo

    Espero que esta coluna ainda esteja ativa.

    Boa tarde, Jeff. Eu gostaria de saber se você pode indicar escolas que trabalham os sistemas. Que escola trabalha o que?

    Na Golden Dawn, Thelema, OTO, Astrum Argentum.. Eu vou estar trabalhando a magia em si, certo?

    Na Self-Realization Fellowship e na AMORC estarei trabalhando Psiônica?

    Em alguma ordem eu estaria aprendendo Chi ou este se restringiria a Yoga e as Artes Marciais?

    Por favor, me recomende algumas ordens em que eu possa trabalhar cada caminho.

    Aguardo resposta.

    Muito obrigado!

  10. Gabriel

    No fim, me parece, que a Magia já engloba tudo, diferenciando em maior ou menor grau a abordagem pra cada “área de habilidade” de acordo com o sistema de magia escolhido pelo praticante. Inspirando-me no gráfico de Ordens Iniciáticas do DD, acho que da pra fazer uma montagem se colocarmos psionica de um lado, chi do outro e a Magia no meio dos dois.

    O rosacrucinismo, budismo, taoísmo, algumas linhas da Yoga e outras escolas me parecem trabalhar de forma relativamente equilibrada todos esses aspectos quando vivenciadas em plenitude.

    Paz profunda.

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta