Demonstração Científica do Reiki

Seus praticantes acreditam nos efeitos benéficos da energia das mãos do terapeuta colocadas sobre o corpo do paciente contra doenças. Para entender as alterações biológicas do reiki, o psicobiólogo Ricardo Monezi testou o tratamento em camundongos com câncer. “O animal não tem elaboração psicológica, fé, crenças e a empatia pelo tratador. A partir da experimentação com eles, procuramos isolar o efeito placebo”, diz. Para a sua pesquisa na USP, Monezi escolheu o reiki entre todas as práticas de imposição de mãos por tratar-se da única sem conotação religiosa.

No experimento, a equipe de pesquisadores dividiu 60 camundongos com tumores em três grupos. O grupo controle não recebeu nenhum tipo de tratamento; o grupo “controle-luva” recebeu imposição com um par de luvas preso a cabos de madeira; e o grupo “impostação” teve o tratamento tradicional sempre pelas mãos da mesma pessoa.

Depois de sacrificados, os animais foram avaliados quanto a sua resposta imunológica, ou seja, a capacidade do organismo de destruir tumores. Os resultados mostraram que, nos animais do grupo “impostação”, os glóbulos brancos e células imunológicas tinham dobrado sua capacidade de reconhecer e destruir as células cancerígenas.

“Não sabemos ainda distinguir se a energia que o reiki trabalha é magnética, elétrica ou eletromagnética. Os artigos descrevem- na como ‘energia sutil’, de natureza não esclarecida pela física atual”, diz Monezi. Segundo ele, essa energia produz ondas físicas, que liberam alguns hormônios capazes de ativar as células de defesa do corpo. A conclusão do estudo foi que, como não houve diferenças significativas nos os grupos que não receberam o reiki, as alterações fisiológicas do grupo que passou pelo tratamento não são decorrentes de efeito placebo.

A equipe de Monezi começou agora a analisar os efeitos do reiki em seres humanos. O estudo ainda não está completo, mas o psicobiólogo adianta que o primeiro grupo de 16 pessoas, apresenta resultados positivos. “Os resultados sugerem uma melhoria, por exemplo, na qualidade de vida e diminuição de sintomas de ansiedade e depressão”. O trabalho faz parte de sua tese de doutorado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp).

E esses não são os únicos trabalhos desenvolvidos com as terapias complementares no Brasil. A psicobióloga Elisa Harumi, avalia o efeito do reiki em pacientes que passaram por quimioterapia; a doutora em acupuntura Flávia Freire constatou melhora de até 60% em pacientes com apnéia do sono tratados com as agulhas, ambas pela Unifesp. A quantidade pesquisas recentes sobre o assunto mostra que a ciência está cada vez mais interessada no mecanismo e efeitos das terapias alternativas.

Saiba mais sobre o trabalho de Ricardo Monezi

Este post tem 38 comentários

  1. Lucas

    Mais ou menos relevante. Já ouviu falar do Wim Hof? Ele aprendeu Tummo no Tibet, por meio da meditação ele diz conseguir controlar a temperatura corporal. Os feitos dele incluem escalar o Kilimanjaro de shorts, uma maratona na Finlândia numa temperatura de -20 C, de short também.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Wim_Hof

    1. Lucas

      Ah, esqueci do link, já estudaram ele, os resultados foram que ele parece influenciar o sistema nervoso autônomo através da meditação, mas como só foi observado nele, não pode ser considerado prova científica.

      http://www.sciencedaily.com/releases/2011/04/110422090203.htm

      @MDD – Mas podia ganhar o milhão do James Randi, não? ou não conta? kkkkk

  2. Leonardo

    Ah, mas para os “médicos” iguais aqueles que processaram os pais do Lorenzo (o do óleo) por “curandeirismo”, não funciona! Só funcionam as pilulazinhas que a indústria farmacêutica manbda eles empurrarem, pagando suas estadias em resorts caros, sorteando carros de luxo em suas convenções. Precisamos da alopatia sim, mas a máquina de ganhar dinheiro que fizeram dela é absurdamente alimentadora frenética da egrégora do “Deus-Mercado”…

    1. Mariana Nobre

      Não só isso. Esses mesmos “médicos” tratam o paciente como qualquer coisa. É só pensar nos atendimentos tipo “fast-food”. Outro dia estava morrendo de dor em uma articulação e fui em uma clínica “especializada” aqui perto. Quando fui atendida, a porta do consultório já estava aberta (tinha um objeto prendendo ela pra deixar sempre aberta). Sentei na cadeira e a “médica” mal olhou pra minha cara, não prestou atenção em tudo o que eu falei, deu um remedinho para a dor e passou uma ultrasonografia (e descobri com uma médica de confiança que o ideal é uma ressonância). Isso tudo em 5 minutos ou menos.

  3. André Paduan

    Na Veterinária da USP tivemos este experimento, com resultados bastante promissores. No entanto, o preconceito do meio acadêmico impede que isso seja bem divulgado…

    Excelente assunto, Marcelo!

    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-12012009-094100/en.php

    @MDD – “Efeitos do reiki na evolução do granuloma induzido através da inoculação do BCG em hamsters e do tumor ascítico de Ehrlich induzido em camundongos”.

  4. Mariana Nobre

    Cientistas mais uma vez “descobrindo” o que a gente já sabia … só falta pararem de chamar de “terapias alternativas” como se a medicina atual fosse indiscutível ¬¬

  5. Leonardo

    MDD,sei que pode não ser o post apropriado para esse tipo de pergunta,mas eu ainda tenho umas duvidas sobre conspirações e no email que te enviei você não respondeu todas e entendo pois você deve ser um homem ocupado que talvez não tivesse tempo de responder tudo.Marcelo o que acontesse em Boehmia grove e o que as pedras guia da georgia significam?Desculpe se eu te pergunto coisas como se eu pensasse que você fosse o sabe tudo perfeito,é só que eu tenho duvidas que as vezes me assustão e as vezes até me fazem deixar de fazer coisas boas na vida para ficar preocupado pensando mesmo sempre quando estou quase me convencendo de que não há nenhuma conspiração illuminati descubro um local com imagens estranhas e uma capsula do tempo maçonica(aeroporto internacional de denver).
    Obrigado pela a atenção e desculpa qualquer coisa.

    @MDD – está desculpado 🙂

  6. Sandro

    É… parece que o meio acadêmico está recomeçando a aprender como fazer ciência: do questionamento e da experimentação, sem aceitar ou refutar a priori, mas experimentar e se basear nos resultados para tirar qualquer conclusão. Não é por que não se conhece o mecanismo de ação, que os resultados devem ser varridos para debaixo do tapete. Quem não concorda com a teoria por trás do método, que crie outra mais plausível que explique os resultados e a demonstre, oras… Negar resultados não levará a lugar nenhum… Parabéns aos pesquisadores…

  7. Waliane

    E ainda existem aqueles que insistem em dizer que é besteira, que não existe e brigam a qualquer custo contra isso procurando argumentos sem conhecimento de como o Reiki realmente funciona.

    P.S.: A maior parte dos Reikianos já conhece esse experimento realizado e vivencia isso. Apesar de tudo é importante este tipo de notícia.

  8. jferreirabr

    Esclarecedor!!!

  9. Anarcoplayba

    Um amigo meu se formou na Medicina USP e estava se especializando em acupuntura. Durante um jogo de Rugby eu quis testar e perguntei: “Afinal, Acupuntura funciona? Sim, não e por quê?”
    A resposta dele foi algo do gênero: “Olha, que funciona, funciona. Tem vários estudos a respeito que mostram que acupuntura melhora cerca de 70% dos casos, enquanto o placebo ajuda em 30% (o placebo eram agulhadas nos lugares errados e agulhadas “falsas” nas quais a agula não alcançava mais do que a epiderme), então, funciona. O por quê funciona já é um problema: na Ortopedia, a gente acredita que quando vc dá uma agulhada, vc libera anti-inflamatórios no lugar, já que isso funciona com qualquer trauma. O problema é qeu não faz sentido você dar uma agulhada no pé e aquilo liberar estrogênio ou aintidepressivo.”

  10. kk

    Se você estiver atento ou próximo das pesquisas de Monezi, lembre-se por favor de postar quando elas tiverem terminadas. Um trabalho assim não tem preço.

  11. Ana Ramos

    Adoro esse tipo de experimento terapêutico em animais, pois não tem como usar a velha desculpa do placebo para justificar os resultados 🙂

  12. Luíz Gustavo

    E desde quando tem como saber se o “efeito placebo” não se aplica aos camundongos?

    Qualquer animal pode desenvolver melhoras de comportamento ou humor por conta de receberam mais atenção, o que obviamente se repercute em qualquer resposta imunológica. Como eu pensei e analisei pelas imagens da pesquisa, a imposição de “reiki” se deu próxima aos camundongos e de forma visível a eles, quem garante que os animais não consideraram o efeito térmico e a proximidade das mãos humanas como “cuidado” ou “mais atenção” e responderam com um estado de ânimo seguido da resposta imunológica correspondente? Porque não usar uma placa de vidro escura entre os ratos e as mãos do operador para que eles não sentissem qualquer tipo de interferência térmica externa ou de contato? Acaso o vidro é “isolante” da energia invisível?

    Óbvio que luvas de madeira surtiriam o msm efeito de uma “tampa”(e não são em nada similares a mãos humanas), mas não se pode dizer o msm das mãos aquecidas de uma pessoa em contato com os animais. Só porque ninguém sabe como um camundongo vê o mundo, não se pode afirmar que não houve alteração psicológica à lá placebo nos animais que permitiu uma melhor resposta imunológica.

    Para um estudo mais específico e preciso deveria ser usado um vidro que impedisse a percepção dos camundongos de que estão em contato com um operador, além de vidros que impossibilitem os animais de perceberem termicamente que estão em contato com a mão do operador. Só assim vc pode falar que não há alteração por algum tipo de “placebo” nos animais e ainda a existência de alguma “energia invisível sutil”.

    Qualquer um sabe que animais que recebem mais atenção podem apresentar uma resposta melhor do que aqueles que não recebem. Só porque são ratos, não quer dizer que sejam alheios a realidade que os cerca. A única coisa que essa demonstração científica parece comprovar é a resposta dos animais mediante a interação humana.
    Engraçado que o que mais queria saber(se o reiki era capaz de pelo menos tratar câncer em camundongos), não foi o alvo da investigação. Porque será?

    @MDD – Placebo: a grande desculpa esfarrapada dos materialistas.

    1. Igor Teo

      O pior, Marcelo, é que o efeito placebo é uma faca dois gumes para os materialistas.
      Se por um lado, evita que haja a explicação dos fenômenos a partir de uma causa espiritual/astral/energética; por outro demonstra que o plano material está subordinado ao plano mental, pois se “ideias” possuem tanto poder a ponto de curar um câncer, imagina o que mais podem fazer… E não é disso que o Ocultismo trata? rs

    2. Shlomo

      Interessante. É mais fácil que os camundongos tenham psicologia humanóide a ponto de sofrerem efeito placebo do que o reiki aumentar o número de células brancas através da troca de energia? Até pouco tempo, Psicologia não era ciência, lembram?

      1. Henrique Mota

        Tinha que ter um sistema de curtir no blog, depois desse comentário do Shlomo… 🙂

      2. Victor Hugo

        Desculpe ai pessoal, mas o teste foi feito de marneira parcial. Não vou repetir o que o Luiz Gustavo disse, porém dizer que um camundogo de laboatório (que está acostumado com o convívio humano desde seu nascimento, provavelmente sendo o humano o ser que o alimenta) não conseguir diferenciar uma LUVA TÉRMICA de uma mão humana é subestimar demais o animal, não?

        @Shlomo, onde você leu que camundogo tem psicologia humanóide no texto do Luiz? O senhor leu todo o artigo do Monezi e o link que o Luiz passou?

        Eu por experiência própria acredito que o Reiki funciona, mas isso não me impede de dizer essa Demonstração pode ser tudo, menos científica.
        Ter um mínimo de ceticismo é bom independente da fonte. Só porque o MDD divulgou e colocou um titúlo “cata-google”, não significa que devemos acreditar cegamente nisso.

        As vezes é necessário se desvincular de suas crenças.

        PS: A maioria das vertences da psicologia ainda não são consideradas ciências.

        1. Anarcoplayba

          Tá bom, vamos baixar o nível:

          Se a imposição de mãos funciona por ondas eletromagnéticas ou se é pelo calor humano, FAZ ALGUMA DIFERENÇA?

          Funciona e ponto! Que nem inúmeras coisas hoje tidas como científicas que na époac em que descobriram ngm sabia como funcionava (o cara que descobriu que lavar as mãos aumentava a sobrevida nas cirurgias foi ridicularizado porque não se sabia da existência de bactérias na época).

          1. Victor Hugo

            Anarco, você leu o link que o Luiz passou?
            Isso nem sequer foi questionado, porque o teste foi feito de maneira tão “relapsa”, que nem se pode considera-lo como algo cientifico.
            Endendeu a diferença? O problema não está em como funciona algo, mas sim em saber se realmente funciona, só após isso estudariamos o motivo. Mas até agora, nenhum teste corroborou.

            Fazer um teste para saber se a higiene realmente funciona é simples, Basta apenas estudar os casos em que a contaminação cruzada chegou a zero, devido a Gripe Suina ter aumento a higienização dos médicos.
            o link: http://scienceblogs.com.br/eccemedicus/2011/05/infeccoes_e_seres_humanos/
            (apesar que nem sei porque estou dando corda para esse exemplo. Ele não tem muita relação com metodologia científica, ou com o assunto do texto)

            Pessoal, leiam os links e depois, interpretem-os. No final, caso tenham dúvidas ou críticas que façam sentido, comentem SOBRE O ASSUNTO.

            Caso apareça mais dúvidas, procure sobre metodologia científica e sobre filosofia da ciência.

    3. Leon

      Até camundongos apresentando o efeito placebo?Se ratos estão se curando com placebo,os humanos podem se tornar imortais com isso huahuahuahuahu

    4. Dartagnan

      Efeito placebo = Deus das lacunas para ateus.
      “não sei explicar, deve ser placebo”… Mesmo se a pesquisa for realizada com bacterias é efeito placebo… É mais fácil pensar que microorganismos tem consciencia do que achar que reiki funciona

  13. Luíz Gustavo

    Não é desculpa esfarrapada Del Debbio, placebo é uma realidade, por isso disse que os camundongos deveriam ter recebido a “imposição” sem se darem conta disso, só assim se poderia falar em uma “força desconhecida” que teria sido a responsável pelo resultado.

    Além do mais, pesquisei mais afundo o resultado da pesquisa do Monezi com opiniões críticas a respeito do assunto e pude verificar há uma série de falhas no seu experimento:

    – Primeiramente não levou em consideração um efeito similar ao placebo devido a atenção diferenciada dos camundongos.

    – Segundo, o tamanho amostral utilizado (20 indivíduos/grupo) foi pequeno o suficiente para que flutuações estatísticas pudessem ser significativas, mesmo descontando os outros problemas metodológicos;

    – Não há nenhuma menção ao cegamento dos experimentadores ou dos responsáveis pelas análises posteriores(duplo-cego), em outras palavras o realizador do experimento sabia quais ratos estavam sobre o tratamento de imposição, o que pode levar a uma interpretação tendenciosa de certos resultados e certas flutuações estatísticas.

    – Lendo o artigo do Monezi deu pra perceber que o cara é completamente “crente” com ralação ao alvo do seu estudo, onde está a imparcialidade requerida em qualquer experimento científico? Como garantir que não houve interpretação tendenciosa de flutuações estatísticas, levando em conta que o espaço amostral levava a flutuações estatísticas significativas?

    Fonte: http://campelog.blogspot.com/2011/02/reiki-uma-avaliacao-critica.html

    Por fim, a literatura médica possui refutações bastante definitivas desta prática, tanto de um ponto de vista de plausibilidade biológica(teórico) quanto de efeitos clínicos(práticos), duvido que um teste tão tendencioso e deficiente de certos requisitos poderia reverter esse quadro de maneira tão simplória assim.

    Se fosse um teste voltado para cura de doenças(como câncer) em ratos sem quaisquer outros meio que não Reiki e com sucesso, seria uma coisa, mas um teste vago e deficiente de metodologia como este, não possui naipe para tal interpretação metafísica.

  14. Espero que surjam mais e mais cientistas com a mentalidade aberta, para mostrar que a sabedoria antiga ainda tem muito a contribuir para o mundo tecnológico atual.

  15. Padre Judas

    Se o Luíz Gustavo entende tanto de procedimentos cientítficos de investigação, ele bem deveria fazer sua própria.

    Na verdade, não incomoda tais sugestões. Ciência é feita sobre críticas. Entendo que qualquer sugestão feita para tornar a pesquisa mais acurada é aceitável. Mas eu me pergunto é se, em algum momento, os pseudocéticos vão aceitar o fato, ou vão simplesmente continuar inventando condicionais.

  16. Zé da Silva

    Muito interessante. As terapias ditas alternativas já ajudaram muitas pessoas. Acho que já hora de começarmos a enteder pq a ajuda ocorre.

  17. Luíz Gustavo

    “Se o Luíz Gustavo entende tanto de procedimentos cientítficos de investigação, ele bem deveria fazer sua própria.”

    Não é bem assim meu caro, o ônus da prova recai sobre quem faz as alegações. Não cabe a mim ou a ninguém provar que o Reiki ou técnicas similares não existem, mas sim àqueles que as alegam, embora muitos experimentos(como os de Emily Rosa) já tenham comprovado parte da inexistência de tais conceitos.

    Como eu informei, através também do link que passei, existem uma série de erros empregados pelo Monezi: efeito placebo, ausência de duplo-cego, confirmação tendênciosa e falha nas análises estatísticas(tanto que o teste não passou nem pela revisão por pares para ser publicado em uma revista com calibre científico! Estranho não é? Pois até uma escrita psicografada do Chico Xavier “passou”, msm que de forma duvidosa, por uma revisão por pares certa vez!).

    Informado isso, acredita quem quiser, mas penso eu que, se esse tipo de fenômeno tão maravilhoso existisse, um teste tão duvidoso com camundongos seria a última coisa necessária para verificar a sua existência(o eletromagnetismo é muito mais complicado, no entanto pode ser estudado com resultados 100% mais seguros e isentos da crença do experimentador), e isso sem levar em conta que tal campo “sutil, sinérgico e infinito” viola pesadamente a sagrada 2º Lei da Termodinânica!

    Se o Reiki e outras terapias alternativas são validados por esses tipos de “experimentos”, eu não estou surpreso.

    1. marcus

      Luíz, além dos erros que tu apontou no método da pesquisa do Monezzi, eu acrescento os fatos dele não ajustar o p-valor dos testes para comparações múltiplas e nem considerar o efeito que as gaiolas poderiam ter na resposta dos ratos ao experimento.

      E parcialidade na pesquisa científica não existe. Todos os pesquisadores tem alguma ideologia e ela sempre influencia na hora da pesquisa. Por isto existem os métodos para minimizar este efeito.

  18. Yukio

    Vou dar minha opinião pessoal sobre o assunto.Sou reikiniano há 3 anos.
    No início eu era cético quanto aos efeitos alegados pelos reikinianos.
    Pois bem, então resolvi tirar minhas próprias conclusões.Me iniciei no nivel 1 em 2009 e agora já estou no 3 nivel.
    Desses tempos para cá a minha dúvida se tornou certeza de que a tecnica de imposição de mãos funciona.

    Se alguém duvida dos efeitos do reiki façam um curso e vejam por si próprios se funciona ou não

    Só não sejam preguiçosos e façam como a maioria das pessoas faz :pegam uma coisa que alguém de renome diz e acham que aquilo é a mais absoluta verdade.

    Só acho que se uma coisa é verdade ou não nós temos que ter a experiência daquilo que se diz sobre o assunto e não ficar apenas repetindo a opinião de algumas pessoas sobre o mesmo.

  19. Renato Cardoso

    Marcelo,
    Existe uma técnica em que a pessoa desenha os símbolos do Reiki na capa e contra capa de um caderno e lá escreve os seus pedidos. É explicado que devemos fazer 5 minutos de aplicação de Reiki diariamente segurando o caderno entre as mãos ativando os símbolos para ajudar na realização dos pedidos. A minha dúvida é os símbolos do Reiki podem ser considerados sigilos?

  20. joao carlos gagetti

    Renato !
    Os símbolos são sigilosos, não devem ser divulgados. São passados pelos mestres aos alunos apenas.

  21. joao carlos gagetti

    Concordo que se deve fazer experimentos mais precisos, não só em animais como em plantas, com uma amostragem maior.

  22. Marcelo Lopes

    Realmente o trabalho de Monezzi deixa a desejar em alguns quesitos e protocolos científicos. De qualquer maneira, seu empenho foi de grande valia para a classe de terapêutas. Por ter sido um trabalho sem precedentes, devemos analisar as questões que foram levantadas como deficientes e aprimorá-las, objetivando alcançar a excelência nos experimentos. Mas julgo uma certa perda de tempo. Tentar credibilizar a Reiki hoje em dia é praticamente desnecessário. Isto porque a grande maioria de seus praticantes também não dá o verdadeiro valor que a Reiki merece e sai divulgando suas próprias crenças associadas ao método. Isso descredibilizou ainda mais a Reiki. Os próprios praticantes acabaram afastando a realidade da Reiki e, principalmente seus resultados fantásticos. Hoje vejo pessoas que usam a Reiki apenas para mostrarem que são diferentes em algum sentido. Outras fazem cursos apenas por fazer. Muitas pensam que é uma nova religião. Aventureiros da New Age, incorporam à técnica suas crendices mais infundadas. Temos hoje pouquíssimos professores de Reiki comprometidos apenas com a Reiki na sua forma mais real. Presenciei casos inexplicáveis com a Reiki. E esta incapacidade de explicação provém justamente da impossibilidade atual da própria ciência em analisar coisas que nem mesmo ela imagina existir. Acredito que o empenho daqueles que respeitam e vivem pela Reiki, deveria estar voltado apenas em: Estudar sempre, vivenciar sempre, treinar eternamente e ensinar apenas aquilo que deve ser ensinado. Só assim teremos evidências que não serão levadas para serem estudadas pela classe científica, mas sim, serão buscadas pela mesma classe científica. Hoje a Reiki está descredibilizada. É exatamente esta visão que faz com que a classe cientpifica ainda a veja como sendo apenas uma nova religião ou uma nova crença. A Reiki não é nada disto. A Reiki é apenas a manipulação de psicobioenergias, realizada por pessoas realmente treinadas e comprometidas, ou seja, por pouquíssimas pessoas. O problema não está em provar que a Reiki funciona, mas sim, em mostrar que a simplicidade da Reiki, em muitos casos é superior à complexidade dos métodos científicos ou da medicina atual. Este é apenas um desabafo de quem aprendeu a amar a Reiki.

  23. gabriel

    Caro Tio DD.
    Gostaria de saber, ql sua opinião sobre Karuna Reiki TM? Bem como, sua opinião sobre as pessoas q sentem uma energia maléfica nos simbolos(Harth e bla..)? Seria viagem, ou tem um fundo de verdade? Desde ja agradeço.

  24. Lukas Rafael

    As pessoas que acreditam na cura através do Reiki alegam que estas “energias sutis” são antigas e estão em estão em todos os tipos de vida.

    Bom, sendo assim, não haveria problemas e seria suficiente para uma pesquisa realmente científica utilizar mais cobaias de diversas outras formas de vida que há na natureza.

    Também ajudaria e muito os praticantes de Reiki que finalmente conseguiria reconhecer o Reiki como uma ciência importante, de fato.

    É preciso contar também que esta pesquisa foi apresentada numa dissertação em 2003 para mestrado e que não foi aprovado na Universidade de São Paulo (USP).

    Então, se nem a USP aprovou a dissertação do Ricardo e somente a revista galileu e alguns sites e blogues que só buscam a confirmação da crença de seus autores se interessaram pelo assunto, porque deveríamos considerar científico?

Deixe uma resposta