Daath e a Travessia do Abismo

Daath e a Travessia do Abismo

Em Malkuth comeca o trabalho do despertar da centelha e elevação da mesma atraves dos Sephiroth.
Malkuth pode ser comparada ao mito de Persefone (ou Proserpina entre os romanos), onde a historia do mito narra a violação de Persefone por Hades obrigando-a a seu exílio sob a Terra, assim como também o mito dos gnósticos sobre a queda de Sophia.
Segundo Israel Regardie existem dois métodos básicos de consecução espiritual baseados no uso direto da Arvore da Vida: Um eh a meditação e o outro eh o Ritual. O objetivo de seguir esses dois processos, eh atingir o Coração da Arvore, o centro cristico nele mesmo – Tipheret, onde terah a visao e conversação do Sagrado Anjo Guardião. Os dois métodos acima referidos na verdade sao um. Assim trabalhando ele transcende o que ele pensa ser, ascendendo pelos sephiroth.

Esta subida realiza-se pela coluna do meio ou pilar do meio, isto eh, a coluna central da arvore formada por Malkuth, Yesod, Tiphareth, Daath, Kether.
No sistema oriental isto equivale ao canal Shushuma, por onde eleva-se Kundalini. O Sushuma eh o mais importante dos Nadis e consiste no eixo ou canal central que se situa ao longo da coluna, por onde circula energia neutra. Ele eh conhecido como o sustentador do universo e o “caminho da salvacao”.
Na tradicao Greco-Romana, o caduceu de Thot eh o simbolo do segredo, tanto quanto a Serpente de Bronze erguida por Moises no Egito.
Segundo Israel Regardie, esse metodo de elevacao da Kundalini, ou de conscientizacao da Essencia, se dah atraves da conciliacao das energies opostas na Arvore, essa conciliacao se efetua no pilar central, ou pilar do meio/equilibrio, e eh nesse equilibrio onde nasce o Filho em Tiphereth, ou seja, o dialogo com o Sagrado Anjo, o Self. Essa eh a meta e o objetivo de todo praticante de magia ou de todos aqueles que se dedicam ao auto-conhecimento, pois eh o proprio Anjo quem prepara o adepto para a proxima etapa, a travessia do abismo de Daath.
Daath eh uma sephira oculta, invisivel, que se encontra entre Tiphereth e Kether. Daath representa o abismo que separa a nossa percepcao dual da percepcao una. Acima do abismo de Daath nao ha dualidade, abaixo do abismo tudo eh dual.
Em Daath se encontra toda a hipertrofia de toda a ilusão do Universo e de todas as esferas abaixo dele que vao de Chesed a Malkuth. Eh Visudh Chakra, o Chakra do pescoço, que segundo os Hindus, eh onde sao gerados os pensamentos. Para os Budistas aqui eh onde habita Mara, o senhor da ilusão, ou Chorozon, o monturo de lixo do Universo de cuja travessia nasce o Magister Templi, segundo Crowley. Daath eh considerada uma “esfera que nao eh esfera”, pois sua funcao eh o desviar da atencao da verdade inexprimivel atraves do pensamento. Eh o deserto de Apep, o inimigo de Osiris que precisa ser derrotado por este ultimo para sua ressurreicao. Para os gregos era Hades, o deus do mundo ctônico, para os romanos era Plutão, o Senhor dos infernos. Aqui também estao os demônios da Goetia, os Qliphot, e os 50 nomes de Marduk.
Eh como se houvesse uma dobra na Criacao que criasse a divisao da realidade na ilusao do espaco e do tempo atraves daquilo que foi gerado em Binah, portanto Daath paira sobre o abismo na fronteira entre os mundos da criacao e da formacao.
Abaixo do abismo eh o plano da existência finita e condicionada. O abismo eh uma regiao de tensão permanente entre o Macrocosmo e o Microcosmo, sendo a sede das forcas dissolventes que o profano conhece como demônios. Isso eh referente na bíblia segundo o qual Cristo (o iniciado em Tipheret) deve primeiro “descer aos infernos” Qliphoticos antes de proceder aos ceus das Supernas.
Segundo Crowley, no Abismo todas as coisas existem, realmente, pelo menos em posse, porém não possuem nenhum significado possível; pois elas carecem do substrato da realidade espiritual. Elas são aparências sem Lei. Elas são, pois Ilusões Insanas. Choronzon é o Habitante do Abismo; ele é lá a obstrução final. Se ele for enfrentado com a preparação própria, então ele estará lá para destruir o ego, o que permitirá ao adepto mover-se para além do Abismo. Se não estiver preparado, então o desafortunado viajante será completamente disperso em aniquilação. “O nome do Habitante do Abismo é Choronzon, porém ele não é realmente um indivíduo.”
Para Jung a sombra tem um componente pessoal, formado pelos aspectos da psique individual que sao rejeitados e recalcados pelo ego, mas alem disso, o nucleo da sombra eh uma estrutura arquetipica que atrai esse material e o organiza segundo uma configuracao transpessoal, porque Daath eh a fronteira entre o eu pessoal, imerso no espaco tempo e o plano arquetipico da realidade. Eh a energia aprisionada na sombra que depois de assimilada e integrada pela consciencia, permite que a consciencia se libere do ego e vah em direcao ao nucleo da estrutura arquetipica da sombra, que corresponde ao Demiurgo dos gnosticos ou Choronzon. Essa estrutura arquetipica da sombra equivale a sombra coletica, ou sombra da Anima Mundi. Chorozon equivale ao sistema de aprisionamento que rege a sociedade, cultura e o coletivo, e que eh o nucleo arquetipico que organiza a formacao da sombra bem como do ego. Ele eh como os filtros que estao nos chacras limitando a percepcao da realidade da vida, essa estrutura que tambem eh condicionamento tambem eh equivalente ao Carma individual e coletivo.
Quando da descida da substancia que emana de Binah, para os mundos formativos atraves das sephiroth abaixo do abismo, estes perdem a conexao com a energia espiritual, como que se a cada revestimento de materia, sua forma original fosse diminuida, isso se chama Kenosis, onde o arquetipo diminiu a sua potencia, ateh ficar adormecido na forma da kundalini no corpo humano. Esses mesmos sephiroth isolados se tornam como cascas vazias da essencia espiritual, se tornam como os arcontes do Mito de Sofia. O despertar na base do corpo e a consequente subida eh como quebrar o estado de sistase ou amarras de cada chakra ou sephirah, recuperar a sua potencialidade original e assim a consciencia vai se desvencilhando da irrealidade do ego e do mundo como eh percebido. Na travessia do abismo de Daath, eh onde a consciencia transcende totalmente o ego e o nucleo arquetipico que gera e dah forma a sociedade e cultura como um todo, se unindo a sua Contra-parte Espiritual de acima do abismo, recuperando e preenchendo o Ser de sua plenitude/potencia original. A consciencia se une ao Self e recupera a substancia espiritual, transformando os arcontes em Eons.
Daath tambem eh “Conhecimento”, ou seja, a pura Gnose, e desta forma os demonios sao transformados em Deuses, recuperando a plenitude do Ser.

Este post tem 29 comentários

  1. viniciuscortez

    Como assim, eh? Como, eh, isto eh, se dah? Francamente, não entendi esses erros, mas que eles me desanimaram a ler o texto, desanimaram…

    1. Someone

      Isso quer dizer que você se perdeu nas distrações, não passou da simulação de abismo quem o MDD fez

  2. Tales

    Aqui também estao os demônios da Goetia, os Qliphot
    Achei muito estranha essa citação. Já havia lido algumas teorias sobre Daath estar presente em ambas as árvores como uma “zona de passagem”, porém nunca antes havia lido sobre as Qliphas se originarem em Daath. Não sei, estranha essa citação.

  3. Eu

    Puts MDD,
    tá batendo record em atualizações hein
    vlw o/

  4. Hundo Argento

    Então a travessia do Daath é a prova de iniciação de um adepto? Pelo o que eu entendi e vendo por algumas coisas que você escreveu, a pessoa é projetada astralmente, tomando consciência da alma imortal e vendo que ele só esta num corpo de carne. Então ela passa a ver o “mundo” “de verdade”?
    Ou a iniciação, como eu disse antes, se dá primeiro pela esfera Malkuth e depois que se sobe até Daath, atravessando isso se encontra o Ser Cristico dentro de nós?
    Muita perguntas… Mas bela Postagem DD, obrigado.

  5. RU

    Assim como podemos sentir a energia de Hod ao entrar em uma biblioteca por exemplo. Que tipo de lugares na terra representariam melhor a energia de Daath? Ou, existe uma manifestação material, física, dessa energia?

  6. Me lembrou do poema de Parmênides. Claro que, se for o caso, lá ele nega qualquer proveito nessa jornada…

  7. Rodrigo

    Então aquelas histórias de pessoas que tiveram uma “subida de kundalini na hora errada” e ficaram loucas, seria alegoricamente uma pessoa que enfrentou o Choronzon e perdeu ?

  8. jade de nefertari

    ha tempos acompanho seu site, mas sempre sem manifestações hoje realmente não consegui, interessantissimo este texto, muito esclarecedor para mim que estou nesta busca. Aonde posso encontrar mais material falando sobre a daath?
    @MDD – textos sobre Daath são raros; por isso quando eu encontro algum bom eu coloco aqui no blog…

  9. Tiago

    Olá MDD,
    É possível termos, na falta de uma palavra melhor, visões de Choronzon antes de termos atingido o conhecimento e conversação com o SAG?
    Por exemplo, em sonhos.
    Nestes sonhos ele apareceria de formas e em contextos diferentes, hora diretamente, como um inimigo contra o qual lutamos, hora como uma sensação de perigo oculto que não conseguimos definir mas sentimos que está presente e nos ameaçando? Em ambos os casos, mesmo conseguindo fugir ou sobreviver a luta, ele nunca é vencido realmente e de tempos em tempos retorna aos nossos sonhos, sempre em diferentes formas.

  10. TiagoMazzon

    Sabe o que imaginei ? Um buraco negro, como descrito na teoria astronomica… sugando tudo, destruindo tudo o que eh material, tudo que eh egoico… restando somente a energia primordial, energia essa que nao pode ser destruida por esse Buraco Negro Daath…
    Entre nesse tubo, nesse funil… e se conseguir passar por ele, chegara ao Amago de Tudo, a Origem.
    Espero um dia ser digno de chegar la 🙂

  11. Herculano

    engraçado…passei a semana imersa nesse assunto;

  12. Felipe Metal

    Como assim, eh? Como, eh, isto eh, se dah? Francamente, não entendi esses erros, mas que eles me desanimaram a ler o texto, desanimaram…
    Whatever… Acho que o shift do teclado dele quebrou. Normal, acontece. O conteúdo ficou bom, se vc desistiu de ler, “perdeu preyboy”. Mas que ele ñ repita isso uma outra vez…

  13. alessandro

    Ola @viniciuscortez!
    O @Mdd apenas copiou e colou o texto do Anoitam, só não ficou muito claro se o texto é do anoitam mesmo ou do Franco Atirador! O importante é o conteúdo, e pra quem estuda Kabbalah é muito esclarecedor. Não vale a pena a preocupação pelo texto estar diferente do convencional.
    Lembre-se ” Pra quem sabe ler, meia pala ba”
    Muita Luz a Todos!

  14. Rev.Breno

    Como assim, eh? Como, eh, isto eh, se dah? Francamente, não entendi esses erros, mas que eles me desanimaram a ler o texto, desanimaram…
    Whatever… Acho que o shift do teclado dele quebrou. Normal, acontece. O conteúdo ficou bom, se vc desistiu de ler, “perdeu preyboy”. Mas que ele ñ repita isso uma outra vez…

    Essa é a melhor prova de bebê dá trabalho…
    @MDD – O texto não é meu. O link está no final do post!

  15. Eu

    lol, um puta texto interessante falando sobre Dhaat(que ,acredito eu , é um dos elementos mais intrigantes do estudo da cabala)e o cara se “incomodando” com um “H” no lugar de um acento .
    TENSO

  16. Victor

    Salve, DD!
    Lembrei de Sandman. Para recuperar seu capacete e restaurar seu poder, Sonho tem que descer ao inferno e enfrentar Chorozon. Após vencer, desperta a fúria de Lúcifer, que jura o destruir.
    Lembrei também do post Geomancia, Runas e Lost ( http://tinyurl.com/yhyg7ph), onde vc fala sobre a escada de Jacob. No esquema completo da Árvore da Vida, Daath da primeira árvore corresponde a Yesod da segunda, e assim sucessivamente. Com esse novo texto, ficou mais claro para mim o que isso quer dizer, ou seja, a função de Daath como transição entre os mundos. Está correto?
    Paz e Luz

  17. adi

    Olá Marcelo, olá a todos,
    Foi uma grata surpresa ver o texto do Anoitan aqui no Teoria da Conspiração.
    Peço desculpas pro pessoal sobre os erros de acentuação, mas é que na época meu computador estava configurado em inglês, e o corretor de texto do wordpress só corrige algumas coisas.
    Alessandro, o post é do Anoitan mesmo, pesquisado e escrito por mim, e só de você ficar na dúvida, pra mim é como um grande elogio ser confundido com os textos excelentes do F.Atirador.
    Pra quem gosta de Cabala, tem um texto que é anterior, e que complementa este sobre Daath:
    http://anoitan.wordpress.com/2009/07/02/arvore-da-vida-um-resumo-pra-entender-daath/
    Obrigado a todos.

  18. Andre

    Texto muito esclarecedor, sempre tive curiosidade de entender daath melhor, estava na minha lista de coisas a pesquisar, e este texto me deu o pontapé inicial.

  19. f1l

    Regra é da vida que podemos, e devemos, aprender com toda a gente. Há coisas da seriedade da vida que podemos aprender com charlatães e bandidos, há filosofias que nos ministram os estúpidos, há lições de firmeza e de lei que nos vêm no acaso e nos que são do acaso. Tudo está em tudo.
    Em certos momentos muito claroes da meditação, como aqueles em que, pelo princípio da tarde, vagueio observante pelas ruas, cada pessoa me traz uma notícia, cada casa me dá uma novidade, cada cartaz tem um aviso para mim.
    Meu passeio calado é uma conversa contínua, e todos nós, homens, casas, pedras, cartazes, e céu, somos uma grande multidão amiga, acotovelando-se de palavras na grande procissão do Destino.
    (Fernando Pessoa, Livro do Desassossego, Companhia de Bolso, p.333)

  20. livio

    Tales,
    Pelo próprio texto subsequente, é possível ler que esta é uma esfera que contém a tudo, mas ao mesmo tempo, nada, As “aparências sem lei” do Crowley. E se a tudo contém, é claro que aí também estarão as aparências das Qliphot, de todas as esferas abaixo, reais, mas sem o substrato da realidade espiritual.
    Uma outra alegoria recorrente, é a tal da “mente coletiva”, especialmente aqui e no sedentario – seria um aspecto de Daath, ou ela tem outra signficancia?
    Mais outra história recorrente: “Quatro rabinos entraram no pardês (o pomar divino ou paraíso, em uma clara alusão aos quatro níveis de entendimento da Torá.): Ben Azai, Ben Zomá, Acher e Rabi Akiva. Ben Azai olhou de relance e morreu; Ben Zomá olhou de relance e ficou louco. Acher tornou-se herege. Rabi Akiva entrou e saiu em paz.”
    Não sei exatamente se os nomes deles tem um significado, mas estão claramente posicionados como quatro atitudes perante ao paraíso(eventualmente, sobre a travessia do Daath), sendo uma correta, e três erros que custam bem caro.

  21. Sofia

    Vc é/foi o Israel Regardie? Não sei pq mas tenho uma pequena suspeita disso…

  22. Franco-Atirador

    Kra, PQ É Q EU NÃO CONSIGO ENTENDER DAATH?!?!

    1. Lucas Ferreira

      Estou na mesma situação que você 🙁 sempre que tento procurar algo sobre daath, é um texto muito complicado de entender… até agora eu não sei o que diabos é o daath da árvore da vida…

      1. Rober Twms

        É um “abismo”, um “Buraco Negro” de sucção que puxará todas as “impurezas” do Iniciado, Ego, vaidades, orgulho, a Persona, os Poderes, etc, as “camadas da cebola”, que estão ao redor da nossa Verdadeira Essência. Se “você” estiver “apegado”, se seu Ego está ligado à alguma dessas camadas, será como ter uma “pedra de moinho” amarrada ao seu pé. Daath é o “Conhecimento”, porque é toda a “bagagem” acumulada durante a sua trajetória, o Ápice, de tudo o que você conseguiu, mas, para cruzar o abismo, é hora de abrir mão de tudo e “enfrentar” o “Guardião do Umbral”.

  23. Giovane

    MDD eu já cheguei nesse ponto aí que vc fala,de se libertar do ego e ver como.eu e todo o resto somos perfeitos e reduzir toda a dualidade para unidade através de pensamentos lógicos,mas depois de uma semana num problema voltei a me identificar com o ego,hj vejo que é necessário,pois fica tudo perfeito vc não se importa mais com nada daí pouco se move ,pois fica tudo muito bom,mas eu pensava que isso se dava em tiferet,não em daath,apesar que a sabedoria está em binah,mas agora eu fiquei meio confuso,poderia esclarecer ???

  24. Ananias

    Tá osso, só sei que depois que comecei a me interessar por esses assuntos, meio que por acaso através dos textos disponibilizados pela bíblia, TDC e outros, a coisa ficou preta.
    Tudo o que estava fluindo normalmente começou a desandar, óbvio que por consequência das minhas próprias ações e erros, é claro; não tenho conhecimento nestes assuntos, mas que parece que tem alguma coisa a ver com o tema do texto, parece.
    Mas vamos que vamos, mais foda do que ter problemas e dificuldades e ter problemas e dificuldades e ainda ser ignorante, por isso vou seguindo em frente tentando não ser pelo menos ignorante, tendo interesse em estudar, aprender e melhorar, procurando errar menos e confiando, como disse o mestre: Quem pede recebe, quem busca encontra, e quem bate, abrir-se-á, não necessariamente nesta vida, porque pelo que entendi, era necessário nascer de novo.
    Fui …

  25. Wilton Costa (Nowilt)

    O abismo como arquétipo do inconsciente, o processo de individuação de Jung, a aniquilação de toda dualidade na travessia de daath… Todas essas representações da jornada de auto conhecimento sempre foram pra mim fonte de grande inspiração: https://youtu.be/JPf-aHho1l0

Deixe uma resposta