O Real Motivo


Até alguns anos atrás pouquíssimo era o meu conhecimento acerta de ordens, grupos e suas respectivas obrigações, deveres e o que compete desde à preparação do aspirante a Adepto, e um pensamento que antes parecia ser pessoal se mostrou de importância geral, e de particular preocupação aos grupos que tencionam formar verdadeiros Iniciados: O que motiva seus membros? O que faz o espirito humano buscar o conhecimento oculto, e o que faz de cada candidato sincero verdadeiro merecedor de ultrapassar os Umbrais do Templo?
(mais…)

Continuar lendo O Real Motivo

Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém; Mateus 21. 1-17


Ao se aproximar de Jerusalém, Jesus enviou dois discípulos, solicitando-os a trazer um casal de jumentinhos. Esotericamente, esses dois discípulos de Cristo representam faculdades que foram desenvolvidas pelo aspirante e que são instrumentos adequados para levantar o fogo espinhal de Netuno da base da coluna, trazendo-o até o plexo solar, onde o Cristo Interno o utiliza para ascender ao longo da coluna até a cabeça, representada por Jerusalém. Os jumentinhos simbolizam a força criadora, dual em sua natureza, podendo ser usada para fins de natureza animal e também para o desenvolvimento espiritual. Na cabeça, conforme nos descreve o CONCEITO ROSACRUZ DO COSMO, essa força fará vibrar a glândula pineal e o corpo pituitário. Quando isso acontece, a consciência superior se rejubila, pois é um momento de grande júbilo para o neófito, já que desse passo resultam as clarividências. No texto bíblico, esse júbilo é representado pela multidão que estende suas vestes no caminho e corta ramos de árvores espalhando-os pela entrada. A seguir, cantam hosanas ao Filho de Davi. (mais…)

Continuar lendo Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém; Mateus 21. 1-17

do Coração do Magista


No caminho do magista, desde o neófito e do buscador sério até os altos iniciados certas constantes são notáveis. À medida que se estuda e se aprofunda nos mistérios do mundo, se ampliam horizontes e a sabedoria cresce em nossos corações, é impossível deixar de perceber as posturas das pessoas à nossa volta.
(mais…)

Continuar lendo do Coração do Magista

Como criar um Diário Mágico


O Diário Mágico é algo simples de se fazer e um meio valioso de avaliar a nossa evolução perante a nossa jornada. Ele é basicamente um registro de experimentos, exercícios, insights, sonhos e demais experiências importantes durante a jornada iniciática. Parte das nossas memórias é produto de nossa imaginação, por isto registrar detalhadamente as nossas experiências nos priva de armadilhas de nossa própria mente. Ele é pessoal, porém, embora somente o autor tenha acesso a ele, deve-se escrevê-lo de forma a que outras pessoas também possam entendê-lo.
(mais…)

Continuar lendo Como criar um Diário Mágico

Identidades e Máscaras


É incrível ver o tempo passar, ver que tanto se fez e na verdade não aconteceu nada. Ou quase nada.
Dificil dar a cara a tapa, quando quem bate é seu espelho, refletindo as rugas incômodas, mas nunca inesperadas.
Já não sirvo para especular o que os atuais adolescentes pensam, meus 15 anos já passaram e mesmo lá eu já não os entendia. Triste o fim, quando o fim é o que sobra. Por que essa busca insensata em procurar um fim, algo que termine com o que se pensa, se faz, se sofre, quando não se aprendeu nem mesmo a começar? Nada do que se conquista é fixo, se quando o sucesso ocorre e já não é mais o suficiente. Essa eterna busca, essa velocidade em se mudar, em se sentir, em querer viver, burlar as regras, sem nem se importar com quais delas, apenas pelo prazer de “perverter a ordem e os bons costumes”. E no final essa birra, essa corrida pobre atrás de reconhecimento não passa de uma reação química em um corpo que nem desenvolvido está. A lei te coibe, afinal nem idade você tem. A biologia te reprime, afinal nem adulto você é. A psicologia te restringe, afinal nem maduro se é, ainda.
(mais…)

Continuar lendo Identidades e Máscaras

A Maturidade traz em si a Verdadeira Liberdade


Por Yoskhaz
“A maturidade nada mais é do que o entendimento de si e a disposição de se transformar. Isto é libertador”, disse o Velho enquanto procurávamos cogumelos em uma floresta próxima ao mosteiro depois de uma noite de chuva. O sol brilhava por entre as folhas, lambia nossos rostos e aquecia na manhã ainda fria. “Entender quem somos, nossas dificuldades e belezas, permite que deixemos para trás o que em nós não serve mais e abre a perspectiva de inventar o que queremos ser. Este é o poder do Caminho”, complementou. Um belo rouxinol pousou em um galho de uma árvore próxima e nos presenteou com uma pequena sinfonia, só encontrada nas matas. Depois alçou voo. Comentei que todos gostariam de ter asas como os pássaros para alcançar as alturas. Ele retrucou de plano: “Pássaros voam por determinismo biológico. As asas da liberdade são metafóricas, fruto da sabedoria e do amor, flor das escolhas que se faz a cada passo do Caminho”.
(mais…)

Continuar lendo A Maturidade traz em si a Verdadeira Liberdade

do Equilibrio


Passei a semana toda em tentar escrever outro dos artigos longos onde me perco no meio do assunto para falar de qualquer coisa, mas no final virou apenas um recado:
Muito se busca, muito se deseja e tudo muito rápido, tudo antes mesmo de se saber o que se quer e não são poucos os exemplos que eu poderia dar, a maioria proxima demais de qualquer um que venha a ler estas linhas, outros talvez dentro dos próprios leitores.
Nem sempre é fácil domar a ansiedade, aliás é perfeitamente normal, principalmente quando se depara com conhecimentos novos, perspectivas mais amplas ou mesmo um simples entendimento de porque cada coisa é como é e como deveria ser.
(mais…)

Continuar lendo do Equilibrio

A Flauta Mágica


A famosa ópera de Wolfgang Amadeus Mozart e Emanuel Schikaneder, “A Flauta Mágica” tem sido objeto de inúmeros estudos, sem dúvida motivado tanto pelo seu imenso valor musical quando pelo tema subjacente ao seu livreto.
As claras referências esotéricas feitas em seu desenvolvimento motivaram inclusive que Goethe escrevesse uma segunda parte, continuação do livreto de Schikaneder e, não satisfeito com isso, ele preparava pessoalmente os esboços para uma representação da ópera de Mozart em Weimar, esboços que foram parcialmente preservados. Mas, infelizmente, a grande maioria dos estudos realizados são devidos a musicólogos. Estes são, sem dúvida, muito competente na sua disciplina, mas o são muito pouco em matéria de esoterismo.
Por isso, entendemos que poderia ser interessante uma análise da ópera do ponto de vista iniciático, deixando quase que totalmente na parte técnica da música (como nós entendemos que existem outros mais competentes do que nós para lidar com eles).
(mais…)

Continuar lendo A Flauta Mágica

da Razão de Ser da Magia


Tem sido dificil escrever, às vezes por falta de tempo, outras por falta de organização das idéias, mas fora isso o tempo continua a passar, as idéias a correr e muitos disparates à se ouvir.
É fato que existem muitas formas de se pensar e de ver as coisas, parafraseando um colega: “há magia de todas as formas, para todos os tipos e sabores, vai ao gosto do freguês”. Afinal somos humanos, e apesar de sermos muito próximos como espécie e criatura, ainda temos diferenças, seja de posturas, idéias ou o que for. Não é a toa que antes se lutava por igualdade, hoje se luta pela diversidade humana. É o Macrocosmos dentro do microcosmos.
(mais…)

Continuar lendo da Razão de Ser da Magia

Hermes e o Caibalion


Vê-se muito falar sobre tradição, preceitos e leis que regem a vida, o universo e tudo o mais, ainda mais quando olhamos a nosso redor: outdoors, placas, cores e sons, perfumes e devaneios de mercado que insistem em bombardear em toda temporada uma forma nova de dominação, combinação entre tendências mais ou menos esquecidas e manter os que estão acima cada vez mais alto.
O que muitos não imaginam, ou simplesmente ignoram é que existem constantes no mundo, sempre presentes em nosso meio, ao nosso redor e dentro de nós, e não se pode fugir a natura.
(mais…)

Continuar lendo Hermes e o Caibalion