As Lições Simbólicas da Vida

by IAO131, translated by Psilax
Note: The original essay, ‘The Symbolic Lessons of Life’, can be found in the original English inFresh Fever From the Skies and online.
________________________________________
Todos os indivíduos estão unidos ao compartilhar uma única tarefa: encontrar e fazer a Verdadeira Vontade. “Tu não tens direito a não ser fazer tua Vontade” (Liber AL, I:42). O único direito e dever de cada indivíduo é encapsulado na Palavra da Lei deste Aeon: Thelema.
Ainda que todos compartilhem este mesmo objetivo, cada caminho indivíduo é único. Thelema é universal na medida em que reconhece o mesmo objetivo para todos os indivíduos (Verdadeira Vontade), embora reconheça a natureza única da meta para cada pessoa. Portanto, nenhuma real orientação universal pode ser dada além de “encontrar a Vontade e fazê-la.” Como foi escrito: “Não há nenhuma lei além de faça o que tu queres”. (AL III:60)

Embora não haja escrito orientações adequadas para nós, como indivíduos únicos com caminhos únicos, ainda há a orientação de ser encontrada no mundo: a vida de todo mundo oferece a linguagem e os símbolos necessários para guiar aquele que está aberto e atento o suficiente para ler a escrita dessa língua. A intuição da alma, o “Neshamah”, os sussurros do Sagrado Anjo Guardião, a sabedoria do inconsciente – independentemente de como escolhemos nomeá-lo, vai falar com a mente em termos de símbolos nos quais o indivíduo está imerso. Essa intuição simplesmente exige a abertura e a atenção a estes símbolos, e as lições adequadas ao Caminho de alguém em particular surgirão naturalmente. Por exemplo, um químico pode usar a linguagem de átomos e compostos químicos, um ator a linguagem de dirigir e atuar, um pedreiro a linguagem de ferramentas de construção, um músico a linguagem dos instrumentos e composição, e assim por diante. Novamente, a questão se torna: “Você está aberto suficiente para as mensagens que falam com você?”.
Há um número infinito de exemplos por causa da quantidade ilimitada de linguagens simbólicas da Natureza e da quantidade infinita de mensagens potenciais dentro de cada uma dessas línguas. Aqui estão apenas alguns exemplos para ilustrar o ponto:
– Um construtor trabalhava com ferramentas para a construção de um edifício. Ele pegou uma pedra bruta que precisava cinzel na forma correta, de modo que ela pudesse ser usada na construção da estrutura. O construtor estava aberto e atento aos símbolos de sua profissão, que falou com ele, e disseram: “Você é esta pedra bruta. Através do cinzel da virtude, você é moldado num homem perfeito, assim como a pedra é moldada na forma adequada. O edifício é a sua comunidade que vai desmoronar se suas peças forem mal ajustadas, se você não empreender no trabalho de esculpir os fragmentos do seu eu.”.
– Um músico desejando aprender a tocar guitarra para que ele possa eventualmente tocar numa banda e que por isso estava praticando indefinidamente. Ao estar aberto e atento aos símbolos de sua profissão, eles lhe disseram: “Cada sequencia é um aspecto de si mesmo – Cada corda precisa ser perfeitamente afinada, nem muito solta e nem muito tensa, e só então todo o trabalho criará a harmonia. Isso é apenas como alguém precisa afinar os vários aspectos de si mesmo, sempre se esforçando para o equilíbrio perfeito para que a vida seja alegre e harmoniosa como um acorde tocado em sua guitarra. A disciplina que você tem para tocar escalas e os exercícios de dedos várias vezes pode parecer monótona e cansativa, mas isso permite que, ao chegar a hora de executar, toque sem esforço. Da mesma maneira, as disciplinas de magia e meditação podem parecer monótonas e cansativas às vezes, mas eles preparam a alma para aqueles momentos em que ela pode saltar para frente com intensidade total de consumar-se em seu objetivo em êxtase arrebatador”.
– Um alquimista que dedicou sua vida à tarefa de transformar chumbo em ouro. Ele comprou muitos instrumentos e passou horas intermináveis observando a chama do atanor lentamente aquecendo os metais que estavam dentro. Por estar aberto e atento aos símbolos dessa língua, os ouviu dizer: “A purificação destes metais é como a purificação da sua alma. O calor lento remove as impurezas para revelar o ouro subjacente, assim como a sua lenta e constante prática de meditação é o calor que queima a escória de seu eu para revelar o ouro puro da alma.”.
Nesta época, muitos de nós não temos uma única carreira ou negócio para os quais nós nos devotamos exclusivamente por toda a nossa vida. Isso apenas significa que temos a responsabilidade e o privilégio de aprender muitas “línguas”. Talvez nós possamos ser um professor, musico, mago, cozinheiro e ciclista simultaneamente e cada uma destas tem sua própria “linguagem” simbólica e lições… Providenciadas para aquele que está aberto e atento a elas.

Agora as questões se tornam: Quais são meus negócios ou paixões? Para o que você devota seu tempo e energia? Se você está aberto e atento para esses negócios ou paixões ou habilidades ou hobbies ou o que mais seja, então você deve perguntar: Que lições eles estão escrevendo para mim para o fim de realizar a minha verdadeira vontade? Desde que só você pode responder a essas perguntas para si mesmo, agora é a sua responsabilidade ouvir as respostas e nunca parar de ouvir.

Este post tem 3 comentários

  1. giovane

    nossa,parece que esse texto foi escrito pra mim

  2. Jpfl

    Estão de parabéns pelo artigo!
    Me mostrou oq eu já sabia dentro de mim, mas não queria ver, pq queria viver tudo, menos a minha verdadeira vontade de viver. E a filosofia da thelema – que por sinal foi muito bem interpretada pelo autor – mostrou-se como, através da linguagem simbólica, atingir a minha essência a todo momento!
    Muito Obrigado.

  3. Daniel Goudinho

    Agora a reflexão. Como encontrar lições de vida sendo ainda um estudante do ensino médio?

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta