Analisando um Mapa Astral


Uma das minhas maiores broncas com os que acreditam que não existe nada além do físico e suas “experiências refutando a Astrologia” é que a imensa maioria das experiências feitas até hoje que já caíram nas minhas mãos (e não foram poucas) caem nos seguintes quesitos:
1) usam apenas o “Signo” das pessoas para avaliar os resultados ou
2) pegam uns astrólogos e tentam fazer com que eles “adivinhem” alguma coisa a partir de um mapa e algumas vítimas ou façam “previsões” sobre algum assunto.
Não é de se estranhar que nada dá certo nunca. Ou estes experimentos apenas reforçam o que eu já expliquei em várias colunas: que o que vendem por ai hoje com o nome de “Astrologia” é puro LIXO.
Mas não posso culpar os céticos de verdade e as pessoas inteligentes. Eu mesmo, dez anos atrás, fui fazer um curso de Astrologia com um dos maiores astrólogos do país, Frank Avabash, com esse preconceito. Na época, ele devia ter uns 25 anos de experiência com Astrologia e eu estava totalmente convencido que seria uma furada. Mas me enganei. A Astrologia Hermética (aquela que Isaac Newton, Galileu Galilei, Kepler, Tycho Brache, John Dee, Max Heindel, Fernando Pessoa, Winston Churchill e Hitler estudavam) não lembra nem de longe o que os profanos chamam de “astrologia”.

Então, afinal de contas, o que é Astrologia?
Para começar, falaremos sobre o que se entende por “astrologia” no mundo profano: segundo os horóscopos, os humanos são divididos em 12 castas estereotipadas chamadas “signos”. Todo dia no jornal sai o “horóscopo” que é o que vai acontecer com 1/12 da população do mundo naquele dia e volta e meia algum picareta vai na TV fazer “previsões” que nunca se concretizam…
Isso é o que as pessoas pensam que seja Astrologia.
Bem… agora vamos falar sobre Astrologia de Verdade.
Um Mapa Astral, ou Carta Natal, é uma representação geométrica e simbólica do céu no exato momento do nascimento de qualquer coisa no Planeta. Uma pessoa, um objeto, um contrato, um ritual… Nenhum dos planetas “influencia” nada. Muito menos a “atração gravitacional” ou “energias emanadas” deles, como eu já vi céticos afirmarem.
As posições dos Planetas atuam apenas como mostradores; ponteiros invisíveis de um relógio astral, movimentando-se em sincronicidade com os acontecimentos em cada planeta. Tudo o que está em cima é semelhante ao que está em baixo. E o que realmente conta na confecção de um Mapa Astral é a angulação que eles fazem com o horizonte. Para alguém totalmente materialista, não parece mesmo fazer sentido… é como se alguém da segunda dimensão desse de cara com uma esfera atravessando o plano… na visão deles, o máximo que poderiam compreender seria o círculo aumentando e diminuindo de raio, mas não conseguiriam explicar o que está acontecendo porque não possuem o conhecimento da terceira dimensão. O mesmo ocorre no exemplo acima. A explicação para o por quê a astrologia Funciona está em um plano que a ciência ortodoxa AINDA não consegue explicar.
O cálculo exato das efemérides e a posição exata dos planetas no Mapa é de vital importância para a ciência da Astrologia. Por esta razão, em seu nascimento, Astrólogos e Astrônomos eram uma profissão apenas.
Mas tio, e as Constelações?
Constelações não servem para nada no cálculo de Mapas. São apenas REFERÊNCIAS simbólicas que os antigos encontraram para explicar para as pessoas algo que é extremamente difícil descrever apenas com palavras. Se fomos avaliar diferentes métodos astrológicos (astrologia chinesa, védica, asteca, etc) veremos que, apesar de cada uma delas dar NOMES DIFERENTES para casa signo, as descrições de cada período temporal em relação ao comportamento dos indivíduos é rigorosamente o mesmo. Mudam apenas a referência. Em um horóscopo são animais, em outro são deuses, no terceiro constelações, em outro constelações diferentes e assim por diante…
Esta é uma das “refutações” que mais vejo entre os céticos: de que se a Astrologia fosse una, todas as Astrologias seriam iguais. Só que elas SÂO iguais… onde em uma cultura o signo é chamado de “touro”, em outra é chamado de “urso” e em outra de “elefante”. São símbolos que expressam uma mesma idéia, apenas culturalmente diferentes.
As próprias “constelações” não fazem sentido, quando agrupadas em um universo 3D. Peguemos, por exemplo, a constelação de Libra: alfa de Libra (Zubenelgenubi) está a 77 anos luz. Beta de Libra (Lanx Australlis) está a 160 anos-luz, gama de Libra está a 150 anos-luz e sigma de Libra (Brachium) está a 300 anos-luz… ou seja, elas não tem NADA em comum para serem agrupadas “próximas”.
Mas elas serviam como símbolos para contar histórias e fazer com que os cientistas primitivos fossem capazes de entender os conceitos abstratos que regem a psicologia.
Além disso, devido à precessão dos equinócios, o Sol atualmente cruza as constelações de Áries de 18 de abril a 12 de maio, Touro de 13 de maio a 20 de junho, Gêmeos de 21 de junho a 19 de julho, Câncer de 20 de julho a 9 de agosto, Leão de 10 de agosto a 15 de setembro, Virgem de 16 de setembro a 30 de outubro, Libra de 31 de outubro a 22 de novembro, Escorpião de 23 de novembro a 28 de novembro, Ofiúco de 29 de novembro a 16 de dezembro, Sagitário de 17 de dezembro a 18 de janeiro, Capricórnio de 19 de janeiro a 15 de fevereiro, Aquário de 16 de fevereiro a 11 de março e Peixes de 12 de março a 17 de abril (e não riam… já vi astrólogos esquisotéricos querendo “reformular” os signos baseado nessas bullshits).
Ou seja, outros céticos usam isso como desculpa para “refutar” a Astrologia, alegando que graças à precessão dos Equinócios, o signo que você pensa que possui não é o verdadeiro signo que deveria ter e assim por diante…

Retornando aos planetas
Na “astrologia” que as pessoas conhecem, existem 12 tipos de signos/pessoas… ou 144 tipos de pessoas (12×12) se você for legal e contar o ascendente.
Na Astrologia Hermética, temos 10 planetas (o nome Planeta vem de “viajante”, ou os “astros que caminham no céu”, por isso consideramos o Sol, a Lua e Plutão como planetas) mas, na realidade, são apenas os ponteiros do Sistema solar que contam.
O círculo do Zodíaco possui 360 graus. Sabendo que Mercúrio, pela posição relativa do sol em relação à Terra nunca estará mais do que 28 graus afastado do sol e Vênus nunca estará mais do que 46 graus afastado do sol, temos então:
360 (sol) x 56 (mercúrio) x 92 (Vênus) x 360 (terra/ascendente) x 360 (marte) x 360 (júpiter) x 360 (saturno) x 360 (urano) x 360 (netuno) x 360 (plutão) x 360 (lua) Mapas Astrais diferentes! Fazendo as contas, temos: 1,45344 E+24, ou seja, 1,453.440.000.000.000.000.000.000 de possibilidades diferentes. Um SETILHÃO de combinações possíveis, se levarmos em conta 1 grau de precisão. A conta inclui os 360 graus do sol por causa das CASAS. Se quisermos “facilitar” e considerarmos apenas as combinações dos 12 signos com os 10 planetas, teremos 61.917.364.224 tipos de Mapas diferentes (ou 61 BILHÕES de combinações).
Complexo, não? Mas se a biologia ou a astrofísica podem chegar a complexidades matemáticas absurdas, porque insistem em manter a astrologia presa no século XVIII?
Simbolicamente, cada Planeta reflete um aspecto da Árvore da Vida dentro de cada pessoa. Para compreender a Astrologia, então, é necessário um conhecimento da Kabbalah (não a judaica, mas a estrutura que originou tanto a Kabbalah judaica quanto a hermética) e o que cada sephira representa dentro do Mapa de Estados de Consciência Humana (ou seja, o Astrólogo também precisa estudar a fundo psicologia e simbologia). E aqui começa o real problema da Astrologia: VOCABULÁRIO.
O vocabulário humano é extremamente limitado. Vamos a um exemplo simples: Você conseguiria descrever em palavras o amor que sente por sua mãe? E por seu pai? E por sua esposa/esposo? Por sua/seu amante? Pelo seu/sua filho mais velho? É o mesmo amor que o do filho caçula? E o amor que você sente pelos seus colegas de exército? Seu time de futebol? O amor-compaixão que sente por um mendigo pedindo esmola? o amor-piedade que sente por uma criança espancada? o amor-ódio que sente pela ex-namorada/o ? Não há nenhum degradê entre estas formas de “amor”?
Certamente que quando você diz “eu amo minha esposa” e “eu amo meu time de futebol”, “eu amo meus amigos torcedores” e “eu amo batata frita” há diferenças enormes de significado.
Talvez um poeta conseguisse “traduzir” estes sentimentos em poemas enormes; colocar em palavras os nobres sentimentos humanos… textos longos, rebuscados, melodias singelas, pinturas… ainda assim não conseguiria chegar ao ponto exato.
Se o olho humano pode distinguir 10 milhões de cores diferentes, por que não temos um nome diferente para cada uma delas? E para cada um dos sentimentos/emoções?
Estão conseguindo chegar ao cerne do problema?
Se a astrologia tivesse avançado como as outras ciências, ao invés de ter sido expulsa das universidades pela IGREJA (e não por ser uma “pseudo-ciência” como a maioria dos céticos gosta de afirmar), talvez teríamos hoje um código para o Mapa de cada pessoa semelhante ao código genético ou ao código Pantone, com letras e números; e computadores buscando similaridades comportamentais, ao invés de astrólogos se matando para explicar sentimentos com palavras.
Queria ver se o Richard Dawkins tivesse de dar nomes simbólicos ou fazer poemas para cada código genético que encontrasse…
O Mapa Astral, então, é um perfeito mapa vocacional que mostra onde estão suas facilidades e dificuldades, a maneira como você pensa, sente, briga, transa, intui, aprende… mostra o que te agrada e o que te incomoda; mostra os vícios que você tem e às vezes nem sabe por quê. Mostra suas virtudes e os seus defeitos.
O que o Astrólogo faz é analisar um mapa e tentar achar palavras que se encaixem com cada uma destas combinações em suas diversas matizes. Quando falamos “seu Marte está em Gêmeos”, estamos usando um código que simplifica MUITO, mas MUITO mesmo o que realmente estamos vendo naquele código… é como falar “sua camisa é azul”. Azul o que? Azul royal? azul royal bebê? azul royal bebê fúcsia? azul royal bebê fúcsia prussiano do inverno do rio Volga?
Um Astrólogo está limitado pelo seu próprio vocabulário e pelo seu conhecimento da astrologia e simbolismo; também está limitado pelo seu próprio mapa astral. Um astrólogo cujo próprio mapa tenha muitos planetas em virgem fará uma interpretação de um mapa de outra pessoa bem diferente de um astrólogo com muitos planetas em peixes… mesmo que os dois tenham entendido as nuances de maneira iguais, certamente se expressarão de maneira diferente, com palavras diferentes. Os céticos adoram pegar estas diferenças para alegar “que os astrólogos não falam a mesma língua nas mesmas interpretações”.
E nessa “subjetividade” acabam as chances da Astrologia de se enquadrar nas ditas ciências ortodoxas… imagine a dificuldade que os geneticistas teriam se precisassem ficar dando nomes e descrições para cada um dos 27.000 genes humanos baseado em sua interpretação pessoal…
Desta forma, o que os Astrólogos fazem é compilar em tabelas palavras, símbolos e descrições que mais se encaixam àquela determinada matiz energética (novamente, usando vocabulário de acordo com seu próprio entendimento). O que eu acho “teimoso” como um adjetivo depreciativo, você pode achar que é um elogio relacionado com “obstinação”, por exemplo! Uma pessoa “curiosa” é um elogio ou é uma pessoa frívola?
E assim caímos nas brechas para as astrologias esquisotéricas… tentando rotular e simplificar ao máximo, chegam e dizem “todo virginiano é discreto, gosta de organização e limpeza”. Não é necessariamente verdade. Boa parte deles possui estas características, mas isso não define absolutamente nada em alguém… para vocês terem uma idéia, um Mapa bem feito não tem menos do que 15-20 páginas de texto sobre a pessoa.

Conhece a ti mesmo
E como se todas estas dificuldades não bastassem, também há o livre-arbítrio. Uma pessoa que tenha, por exemplo, “Mercúrio em Gêmeos” terá uma facilidade muito maior que a média de lidar com palavras… ela terá facilidade bem maior do que outras pessoas se desejar tornar-se escritor, jornalista, repórter, contador de casos… ou um grande fofoqueiro… ou um grande mentiroso, ou combinações destes adjetivos. A habilidade de manipular bem as palavras não implica necessariamente que você as usará para o bem. E nas facilidades que estão as tentações.
Não temos como distinguir no mapa um grande repórter de um hábil mentiroso. Podemos dizer “fulano tem facilidade para lidar com palavras” (você sentiria alguma diferença se eu tivesse escrito “fulano tem facilidade para manipular palavras”?); talvez alguns céticos considerem isso vago (é outra das alegações furadas dos céticos em relação à astrologia). E NADA garante que alguém que tenha Mercúrio em Gêmeos vá seguir a carreira de lidar com palavras… ele pode muito bem ser um vendedor de carros usados que usa isso como lábia.
Para mim, “Mercúrio em gêmeos” diz muita coisa… Questão de vocabulário. Não podemos aprofundar a descrição sem conhecer a pessoa… talvez, somente a própria pessoa vai realmente saber o quanto ela usa esta capacidade para o bem ou para o mal.
É nisso que entra o autoconhecimento e a parte Hermética do “Astrologia Hermética”.
Avaliando nossos mapas, podemos detectar as energias com as quais temos mais facilidade e lapidar nossa pedra bruta para chegarmos até a pedra filosofal.
Mas é duro olharmos para o espelho e reconhecermos nossos defeitos… e mais difícil ainda lutar para transmutá-los das oitavas mais baixas nas oitavas mais altas; vencer as paixões que nos levam ao uso egoísta de nossas habilidades e transformá-las em virtudes. É como transformar chumbo em ouro.
Desta forma está a dificuldade em adequar o real ao experimento… fazer “testes de múltipla escolha” parece completamente nonsense para alguém que sabe para que o mapa realmente serve. Minha sugestão seria pegar um psicólogo neutro para fazer um levantamento psicológico completo de cada pessoa, bem como uma entrevista onde ela revelaria suas ambições, fantasias, o que realmente gostaria de fazer, o que realizou dos sonhos, que tipo de parceiro sexual gosta e assim por diante.
Por outro lado, o Mapa seria gerado pelo banco de dados que estamos organizando através das doações dos leitores do Teoria da Conspiração, ou seja, sem a “interpretação” pessoal do Astrólogo. E como comparação, um grupo de psicólogos/astrólogos compararia o perfil psicológico da pessoa com o do mapa e faria as correspondências. Claro que eu gostaria de fazer isso não com 20 mapas, mas com 10.000 mapas. Só que daria um puta trabalho… e os céticos já estão previamente convencidos que astrologia não funciona (embora eu sempre pensasse que cientistas avaliassem primeiro e julgassem depois, mas tudo bem).

Este post tem 36 comentários

  1. Marcio Saraiva

    Muito bom. Além de tudo, na minha opinião, com o mapa na mão, o astrólogo ainda precisa de uma conversa com o consulente, pois tem muita responsabilidade sobre o que falar para ele.

  2. Fr. Samekh

    Shooow… Conseguiu condensar muito bem o que eu sempre tentei explicar para os “céticos”…
    Posso copiar o texto e colocar no meu blog? Colocando os créditos ao final, óbvio.
    @MDD – claro. Sem problema.

  3. Renan Kalil

    Queria saber se uma pessoa pode ser qualquer coisa que desejar independentemente de seu mapa astral,fazendo adequações. Em outras palavras,queria saber se uma pessoa independentemente de seu mapa astral pode escolher ser um jogador de xadrez ,por exemplo, e mais importante,ser bem sucedido no jogo tendo somente diferenças no “estilo de jogo”. as pessoas podem ser bem sucedidas no que quiserem ser,apesar de seu mapa astral dizer que sua área não é aquela ou não? obrigado desde já 🙂
    @MDD – Todos podem tudo… Eu poderia, por exemplo, ao invés de trabalhar com a criatividade e imaginação nos livros de RPG, poderia tentar um concurso público taurino de ficar 6h por dia olhando planilhas, batendo cartão e lendo contratos… impulsionado apenas pelo salário… ou poderia ter sido engenheiro ao invés de arquiteto… mas eu seria feliz? Ou estaria surtado em uma semana? ESTA é a questão que o Mapa responde. Ele indica onde está seus talentos, onde será mais fácil chegar até onde você mesmo se propôs a fazer aqui. Pode ficar batendo cabeça na parede até acertar? claro! a maioria das pessoas faz isso…
    No caso específico que você perguntou, a resposta é sim… cada pessoa vai jogar xadrez de um jeito diferente, que reflete seu modo de pensar…
    Também poderiam ser ótimos profissionais dentro das suas facilidades… por exemplo médicos poderiam atuar em UTIs (áries), Geriatria (touro), Clínico geral (Gêmeos), Pediatria (câncer), Plástica (Leão), Laboratórios (Virgem), Psicologia (Libra), Psiquiatria (Escorpião), Pesquisa (Sagitário), o dr. House (Capricórnio), Medicina alternativa (Aquário) ou Xamãs (Peixes… brincadeira!) ou sub-categorias dentro destas… hoje em dia, o Plano Mental está materializado de tantas maneiras diferentes que sempre existirá alguma profissão que se adapte às suas qualidades e desejos puros.

    1. Anarcoplayba

      Você pode aquilo que você QUER…
      O problema é: você consegue querer qualquer coisa?

    2. Ednilson

      Olá Marcelo! Acompanho o blog há algum tempo e ele tem servido para mim principalmente como fonte de reflexão pessoal. Muito proveitoso mesmo. Há algum tempo li sobre o serviço de Hospitalaria que você presta e gostaria de saber quais são os valores atualizados para contribuição, pois tenho interesse que meu mapa seja feito por você e/ou seus colaboradores. Agradeço desde já e um grande abraço.
      @MDD – http://www.deldebbio.com.br/index.php/mapas-astrologicos-e-sigilos-pessoais/

  4. A favor da experimentação

    Estranho, para mim a astrologia “esquisotérica” funcionava bem e a estudei desde os 14 anos de idade, quando comprei uns livros “esquisotéricos” sobre tarot e astrologia. Desde pequeno que tenho atração por “assuntos estranhos”, como essas coisas são vistas pela maioria. Mais tarde fiz meu Mapa e achava que essa coisa de signo batia muito, talvez não porque signos sejam tão importantes, mas porque vários planetas estão no signo solar (e essa observação não percebi nos primeiros anos de contato com a astrologia).
    Quando falavam que Plutão não era regente de escorpião, eu ficava #@##@&, mas depois, estudando e me aprofundando além das superficialidades que nos são passadas, percebi que tenho muito de Plutão porque tenho conjunção Sol-Plutão, não devido à regência do signo solar. Na vida as coisas funcionam assim: o conhecimento vai do mais superficial como o esoterismo, ao mais profundo, como o hermetismo, se lapidando, evoluindo. Creio que o que falta às pessoas contrárias ao assunto é se dar a oportunidade de experimentar, sem influência de conceitos pré-concebidos. Por não se sentirem atraídas pelo superficial do assunto, descartam sua porção mais oculta e perdem uma ótima oportunidade de autoconhecimento. Ninguém vai do superficial ao profundo, sem dedicação, estudo, curiosidade e mente aberta. Eu mesmo releio meu mapa no mínimo uma vez ao mês. As aspectações planetárias são dificílimas de se entender e mesmo sendo um leitor leigo há anos, tenho dificuldades em determinados aspectos do meu próprio mapa. Sempre procuro interpretações diferentes para somar conhecimento. Imagine transcrever em palavras as aspectações de diversos mapas diferentes, de pessoas que você não conhece para direcionar o sentido? O povo espera da astrologia a matemática de sempre (2+2=4), mas ela é uma ferramenta de autoconhecimento, de influências psicológicas, emocionais, tendências vocacionais, pontos fortes e fracos de caráter, e como a psicologia e a genética, não pode ser simplismente reduzida ao “certo e errado” e é “sempre assim”. Na genética, alguém pode ter genes de pele clara e esta ser mais escura pela exposição solar excessiva. Não podemos esperar que todas as ciências sejam tão objetivas como a matemática, mas isso não as impede de ser uma ciência.
    @MDD – Belo comentário. Engraçado que sua coincidência o manteve na busca. Se você tivesse Lua no signo oposto, por exemplo, faria com que tivesse olhado e dito “Pô, mas eu não tenho quase nada a ver com meu signo” e talvez desistisse da busca…

  5. Gustavo Costa

    Muito bom ! Pena que para gerar o Mapa tenho que saber a hora do meu nascimento…seria bem mais pratico saber que caminho seguir com algo concreto do que intuir que caminho seguir ( ao menos para mim ).

    1. AV

      Estou apenas tentando lhe auxiliar, mas independente do que lhe escreva procure pesquisar, pois tem grande autores mundiais em Astrologia que podem lhe esclarecer em maiores detalhes. Detrimento é quando o planeta está em signo oposto ao seu ideal, por exemplo Marte rege Áries e Escorpião estando assim em seu domicílio, mas por estar em signo oposto a esses está em detrimento em Libra e Touro respectivamente, então sua energia básica estará tendo que se expressar se adaptando a energia do signo em detrimento, ou seja não será uma expressão tão fiel se estivesse no signo de domicílio. no caso de Júpiter seu domicílio é Sagitário ou Peixes, seus opostos seria Gêmeos e Virgem. a Lua se expressa melhor em Câncer mas nem tanto em Capricórnio onde está em detrimento. Outra coisa você colocou que seu Sol está oposto a Lua, ou seja você nasceu numa Lua cheia e só com isso já indica uma tendência de comportamento em procurar se relacionar de forma mais justa e harmoniosa possível, tendo as relações como ponto forte em sua forma de ser e agir, ficando feliz quando suas relações estão fluindo, tem haver com a roda da Fortuna, não em termos materiais mas em termos de evolução e características importantes a saber o que lhe faz feliz, quando está bem na relação ou infortúnio quando não está bem, podendo até a adotar uma postura de não querer mais se relacionar… Voltando ao detrimento, por exemplo a Lua em Capricórnio é muito útil na profissão, no controle exagerado das emoções mantendo uma reação diante das coisa mais agressivas e aflitivas como se nada estivesse com uma importância aparentemente grande, isso aparentemente, pois internamente é uma explosão contida e não expressa, ganha-se tempo para não agir descontroladamente diante de qualquer desafio e assim vai… poderia discorrer sem parar mas o importante se quiser mesmo estudar é entrar numa escola ou adquirindo os livros de autores consagrados com Dane Rudyear, Stephen Arroyo, Liz Green, Ana Maria da Costa Ribeiro, e outras dezenas de autores maravilhosos……boa sorte desculpe se não fui mais didático… grande abraço irmãozinho…rs

  6. Lembro deste post… e relendo agora, percebi a importância… era obtuso na época, hoje sou um pouco menos… valeu MDD

  7. Vinícius Pedro

    ainda fico com pé atrás com a astrologia. vou começar a ler a parte teórica ainda, mas até agora não me convenceu muito… embora o mapa astral que fiz no site astro bateu direitinho com muitas coisas, inclusive coisas que não havia percebido em mim.
    quem sabe até essa minha desconfiança pode estar no meu mapa.
    rs

  8. Guilherme

    “…Se a astrologia tivesse avançado como as outras ciências, ao invés de ter sido expulsa das universidades pela IGREJA (e não por ser uma “pseudo-ciência” como a maioria dos céticos gosta de afirmar), talvez teríamos hoje um código para o Mapa de cada pessoa semelhante ao código genético ou ao código Pantone, com letras e números;…”
    Como assim a igreja foi a responsável, conta ai Tio =P

    1. Ian

      Desculpando a intromissão, antes de mais nada. Hehe! Mas na verdade, a Astrologia foi retirada dos currículos acadêmicos em 1666 por um conselheiro do Rei Luis, na França, conforme já comentado em um outro post sobre Astrologia (com texto do Olavo de Carvalho), aqui no blog.
      Abraços!

  9. Jonatas Carneiro de Arruda

    “…o Mapa seria gerado pelo banco de dados que estamos organizando através das doações dos leitores do Teoria da Conspiração…”
    Olá Del Debbio, sou novato no site, so tenho 17 anos e meus motivos para estar aqui.
    Frequento o site tem uns 3 meses, mas nunca comentei, sorry.
    Li o senhor falar de doações feitas pelos leitores, tambem quero fazer se puder é claro.
    @MDD – http://www.deldebbio.com.br/index.php/mapas-astrologicos-e-sigilos-pessoais/

  10. Henrique Mota

    MDD, uma dúvida que me ocorreu, e o post veio muito bem a calhar. Vejo muitas interpretações de mapas onde o intérprete considera que o planeta, quando localizado em um determinado signo, seria mais “prejudicial” para aquela pessoa do que outro. Vou citar um exemplo; o regente da Lua é Câncer. O signo diametralmente oposto é Capricórnio. Logo, segundo o conceito desse intérprete, Lua em Capricórnio seria a energia “mais difícil” de ser trabalhada, com relação à Lua. Pessoalmente, considero isso um pensamento equivocado, não acho que existam energias mais ou menos “difíceis” de serem trabalhadas. Acredito sim, em um livre arbítrio empregado em cima das energias do seu mapa.
    @MDD – Concordo com voce. Isso é coisa de esquisotérico: não existe energia “pior” de ser trabalhada… depende PRA QUE voce quer trabalhar cada energia… Lua em câncer é péssimo pra alguém cuja Verdadeira Vontade seja seguir carreira militar, por exemplo…
    É como se cada indivíduo fosse um carpinteiro, precisando escavar a madeira da sua essência, e cada planeta fosse uma ferramenta diferente, e cada signo fosse um material ou formato diferente para a mesma ferramenta. Tudo depende de como você vai usar e com que objetivo. É aquela história, madeiras diferentes exigem ferramentas diferentes. Senão a pessoa passa a ter a tendência de “setorizar” e “engavetar” as energias do mapa em compartimentos específicos, categorizando como energias “boas” ou “ruins”. Tipo, Câncer tem aquela idéia equivocada de “signo da mãe”, “signo feminino” no pior sentido da palavra, etc.; portanto, segundo esse conceito, o homem que tem Marte em Câncer seria menos “másculo e viril” do que o outro. (Seja lá o que isso queira dizer) Ou como numa comparação que eu achei até engraçada, seria o equivalente ao Michael Jordan de velotrol… xD
    Se bem que eu já vi até associação de Marte ao tamanho e formato do pênis e Vênus ao tamanho e formato de vagina, dependendo da posição no mapa, que dos esquisotéricos dá para esperar qualquer coisa… Gostaria de saber se você poderia me esclarecer quanto a isso. Até que ponto a posição dos planetas no mapa podem atrapalhar ou ajudar no trabalho dessas mesmas energias?
    @MDD – Os esquisotéricos são muito criativos.

  11. Adê

    Os livros Astrologia Científica e Simlpificada e Astrodiagnose de Max Heindel servem para um início para os estudos de astrologia?

  12. BrunoMais

    Yoa sério, que vc citou Ofiúco nesse artigo ?
    [ ]’s

    1. BRRyushi

      O que é Ofiúco? =S
      @MDD – é o nome esquisotérico que deram para um decimo-terceiro signo inventado.

  13. Alan J

    Marcelo, na Astrologia Hermética existe alguma interpretação em relação ao “Almuten figuris” da Astrologia Tradicional? Existe alguma correspondência na Kabbalah pra esse elemento astrológico?
    @MDD – Não. Eu dei uma olhada, o melhor método para calcular isso está aqui http://www.astrologiamedieval.com/Almutem.htm mas mesmo esse me pareceu cheio de firulas em demasia. Pra eu me convencer que isso funciona, queria testar em pelo menos uns 200-300 mapas pra ver o resultado prático.

  14. Pablo Ronney Queiroz Mortimer

    Olá Tio Marcelo. Se preferir pode ir direto lá em baixo para a DÚVIDA.
    Me veio diversas ideias ao ler este post e me relembrou um e-mail que você me respondeu. Andei lendo o conjunto de textos do feliz Willie Wonka alí em cima do lado esquerdo, os textos basilares e esclarecedores; obrigado por tê-los organizado, me fizeram aprender muito mais.
    No e-mail que te enviei eu falava da mesma criticidadeque eu tenho e que você tinha quando iniciou seus estudos sobre Astrologia. Eu nunca acreditei, isso foi reforçado pela ideia da precessão dos equinócios que tomei conhecimento em A Gênese de Kardec, que como você mesmo já mencionou tem uma grande influência de C.F. amigo de Kardec e que era um notável Astrônomo e Astrólogo. Você que me deu essa informação, eu mesmo não sabia. Kardec neste mesmo livro diz que a Astrologia é inválida, não tem fundamentos, pois, da mesma maneira que afirmam os atuais céticos, a terra se move e indica diferentes signos por sua precessão, atualmente esse tal de Ofiúco, assim seria uma ideia ou ciência inválida, como o mesmo apresenta.
    Porém lendo outros livros “mais atuais”, que eu considero como um aprofundamento paulatino do espiritismo, eu percebi que muitas ideias vem sendo apresentadas que confirmam a astrologia e outras ideias. Um exemplo, que não é sobre Astrologia, é sobre a ideia do degredo de espíritos apresentado ao final de A Gênese e o aprofundamento dessa ideia por Emmanuel em A Caminho da Luz, apresentando até de onde veios os espíritos(Capela). Então acredito que seria até embaraçoso para o próprio espiritismo apresentar na época ideias sobre Astrologia. A ideia principal não era de apresentar isso, mas sim de criar bases que firmassem o novo conceito de pensar e de ver o mundo e os seus habitantes. Muita coisa ao mesmo tempo desviaria das ideias principais de amor e caridade, coisa assim. Então tudo ao seu tempo. Como você mesmo afirma, não vamos colocar a carroça na frente dos bois.
    Hoje em dia eu comecei a ter uma visão mais ampla e um desejo maior de pesquisar a Astrologia Hermética.
    DÚVIDA – Eu prestei atenção isso desde pequeno, mas como não acreditava na época em Astrologia, e até um tempo atrás mesmo, eu nunca liguei pra isso, só achei interessante.
    Eu sou do signo de Aquário, mas além de mim existem diversas outras pessoas na famíllia que são de Aquário. A minha avó era de Aquário, a irmã dela também e diversos irmãos dela. Tenho pelo menos uns 5 primos de aquário e algums de seus filhos são de Aquário. Mas um fato interessante é que eu sou adotado, eu e minha mãe, porém mesmo assim sem ligações genéticas(não sei se isso tem influência) eu faço parte dessa maioria da família que é de Aquário. Dois anos atrás descobri quem é meu pai 3 de seus filhos, incluindo eu, são de Aquário. Meu pai é de Peixes, mas pela regência atual que você falou acima ele é de Aquário Também. Outros familiares são próximos disso, mas a predominância é Aquário e notemos que as idades são mais ou menos 80 anos, 35, 20, , 19, 15, 12. Independentemente do ano nasceram em Aquário.
    A dúvida é, isso é uma especificidade das reencarnações, foi algo para ajudar a família, os espíritos de minha família foram guiados para cá com estas energias para melhor se associarem?
    E outra cois ainteressante, apesar de sermos de Aquário cada um tem seu modo de pensar, cada um tem sua profissão, sua austeridade, seu tom de preguiçoso e vagabundo, sua humildade e respeito, ou ganância.

  15. Ramiro

    Post muito esclarecedor.
    Entretanto, como antropólogo, gostaria de uma maior clarificação em relação às astrologias comparadas, quando você diz:
    “Só que elas SÂO iguais… onde em uma cultura o signo é chamado de “touro”, em outra é chamado de “urso” e em outra de “elefante”. São símbolos que expressam uma mesma idéia, apenas culturalmente diferentes.”
    Apesar de você dizer que são culturalmente diferentes, ao dizer que expressam uma mesma ideia a tendência é para o estruturalismo – no mínimo – mas também há uma tendência, que acredito que seja indiretamente contemplada por esse argumento, ao etnocentrismo, pois um argumento desses tende a normativizar os símbolos referentes a astrologia.
    Se nem mesmo as divindades das inúmeras civilizações que existiram no mundo podem ser comparáveis, quem dirá dos signos astrologicos? Por exemplo, pelo que me consta, a astrologia asteca tem 20 signos. Ou então, o rato chinês tem muitas diferenças com o carneiro grego. Isso sem falar nas astrologias marginais, de inúmeras tribos menores…

    1. Lagos Enfileirados

      Oh! Mon Dieu, la polissemie..
      C’est la difference…

    2. Buscador Errante

      Bem, na verdade sendo um degradê, não necessariamente as energias serão classificadas em iguais números ou em definições exatas, até porque a comunicação humana é limitada.
      Um exemplo são as cúspides onde tem-se energia de dois signos, sendo a cúspide no ponto exato entre dois signos, você usaria só um dos dois para analisar? Ou levaria em conta ambos?
      Então se cria um novo signo e podemos dizer que temos 24, isso SE houver interesse em classificação… senão basta entender que a energia é um degradê e não há necessidade de Separá-los em 24.
      Para cada um, o que funciona para si…
      @MDD – 24, 36, até 72… (que chamam de “anjos cabalisticos”). Nas casas, ocorre a mesma coisa. Pode-se dividir nas tradicionais 12, ou considerar as intermediarias tambem. Fica mais preciso? sim… dá mais trabalho? muito mais…

      1. Emmanuel

        Como você chama os anjos cabalísticos, MDD? E onde posso encontrar estudos confiáveis destes na interpretação de mapas?
        @MDD – Anjos Cabalisticos são antropomorfizações das energias da árvore da Vida, com uma divisão maior e mais específica. Isso é estudado no grau de Probacionista do AA

  16. Pedro Possidonio

    Sou novo no blog e esse texto me abriu muitos os olhos eu me interesso muito por astrologia mas não passo de um “João Bidu” ou “Achologo”, isso do interpretador analisar o mapa astral conforme seu ponto de vista é algo que já tinha pensando quando alguns amigos pediam interpretação de mapa astral e eu acabava explicando os planetas, o que cada um significa, as “personalidades” doe cada signo e no final cada um tirava a sua conclusão.
    Tem algum texto seu sobre detrimentos ? É que possuo alguns (Marte, Júpiter, Lua e pra piorar meu solar é oposto ao lunar) e tudo que leio é algo ruim e lendo os comentários você falou que não é bem assim gostaria de saber mais.
    Abraços

  17. Michel

    Olá,
    Quer dizer que a precessão dos equinócios pode/deve ser desconsiderada? Podemos concluir que o ‘relógio’ astrológico é mais preciso e independente do calendário gregoriano? Entendo que a dimensão temporal só pode ser apreendida considerando-se as dimensões espaciais (suas mutações)… Nossa referência lunissolar acaba destoando completamente de outros movimentos celestes importantes? Às vezes me pergunto se isso não significa que estamos comemorando muitos eventos nas datas erradas, e se isso não foi uma medida arbitrária de nossos dominadores…

  18. gabriel gagliano

    Opa,
    Muito interessante essa visão de mundo, me fez enxergar de outro modo as coisas.Bom,já havia feito umas pesquisas sobre mapa astral e outros…Tinha até hoje a idéia de que eu era Peixes,porém nasci dia 3 de março de 1997,as 21:45 no Rio de Janeiro. Poderia me tirar essa dúvida?
    Obrigado,Máximo respeito

  19. Costa

    Tava procurando esse texto há muito tempo. Muito bom. Obrigado por organizar aquele índice salvador.

  20. Marileuza Andrade

    Artigo muito bom!
    Aceitar e exercer a própria singularidade e, a partir dela, encontrar similaridades e divergências com o outro é muito estimulante. Vem daí as grandes parcerias e as trocas que trazem o desenvolvimento e o crescimento pessoal e coletivo.

  21. Iluska

    Olá MDD,
    Meu interesse sobre mapa astral é antigo, mas recentemente está mais aguçado pelo fato de ser mãe de duas crianças (3 e 6 anos) e buscar essa ferramenta para me auxiliar no processo educativo, conhecendo seus pontos fortes e fracos astrais. Na oportunidade também estou estudando o meu próprio mapa astral.
    Estou sistematizando as informações que consigo colher sobre o assunto e que avalio como interessante e fundamentada. Mas disconheço quem seria um astrólogo sério, ou quem fornece no Brasil um ótimo curso sobre astrologia.
    Peço-lhe a gentileza de indicar cursos que podem auxiliar nessa caminhada, considerando essa perspectiva abordada nessa matéria.
    Desde já agradecida,

  22. Luisa

    Oi tio marcelo nasci no dia 21 de junho no horário de 07:30 / 07:35 da manhã + –
    em muitos livros , sites e revistas dizem que sou de câncer , inclusive minha personalidade é bastante puxada para cancêr , enfim fiz meu mapa astral , descobrir ser de gêmos, ( que não tem nada a ver comigo ) então sou de ou gêmeos câncer?!
    (DESCULPE POR COMENTAR EM UM POST DIFERENTE DO ASSUNTO )
    Espero que me ajude obrigado!
    @MDD – O seu signo hermetico SOLAR correto é “Rainha de Taças”, que é o signo intermediário entre Gemeos e Cancer. O problema da astrologia profana é que ela arredonda os valores das datas e muitas vezes causa um problemão nas pessoas que nasceram no “dia limite”, visto que, se considerarmos uma marcação reta, o tic que passa de 29,59 graus de gemeos para 00 graus de cancer ocorre em alguma hora XYZ durante o dia, não “quando dá meia noite”… recomendo voce pegar um Mapa da Hospitalaria do TdC para tirar sua duvida no signo “oficial” (risos) http://www.deldebbio.com.br/mapas-astrologicos-e-sigilos-pessoais/

  23. Lucas

    Olá, eu sou totalmente leigo no assunto e cético, porém estou estudando com a maior curiosidade!
    Vi as datas correspondentes a cada signo e me assustei pois sempre achei q eu fosse de libra, mas o post diz q sou de virgem (29/09).
    Porque existe essa diferença entre as datas daqui e as datas comuns que vejo por aí (que me indicam como libra)?

  24. Andressa

    Olá MDD,
    Estava esses dias lendo sobre alguns tipos diferentes de mapa quando me deparei com a tal da “Astrologia dracônica”, não achei quase nenhum material de confiança que tratasse do assunto, apenas blogs e alguns sites que tratam do tema de forma muito rasa. Dentre outras coisas dizem que a tal da astrologia dracônica nos dá a indicação do nosso mapa da última vida passada, além de ter informações de caráter mais espiritual. O que você acha dessa “modalidade” astrológica? É confiável ou é apenas mais uma das esquisoterices de astrólogos com uma abordagem mais moderna?
    @MDD – parce uma mistura de “esquisoterice” com “satanismo de facebook”

  25. Lauriel

    Olá, Marcelo! Tenho uma dúvida. A data para se fazer um mapa astral é aquela que aparece na Certidão de Nascimento ou uma data que aparece numa fita que se coloca no braço do recém nascido depois do nascimento? Claro que a maioria não tem essa fita e eu não sei muito sobre essa tal fita, mas uma conhecida disse que a mãe dela guardou e o horário que aparece é diferente da hora que aparece na certidão de nascimento. O que fazer em relação a isso?
    @MDD – A fita costuma ser mais confiável do que a certidão.

  26. soraia

    onde eu posso ver o meu mapa astral completo ? (adoro os textos!)

  27. cristiano

    eu mostrei esse texto para um amigo cético e ele me respondeu com uma pesquisa bem séria que não aparenta cair num dos dois pontos q vc criticou
    o que vc acha dessa pesquisa?:
    @MDD – Concordo muito com a conclusão: as pessoas não se conhecem o suficiente para escolher uma descrição apurada sobre elas mesmas. É um experimento louvável e feito sem o preconceito típico que encontramos nos materialistas, mas a real é que 75% do planeta está adormecido e não tem capacidade nem para interpretar o próprio mapa e muito menos para despertar sua Verdadeira Vontade. Enquanto estivermos neste patamar, não tem como os resultados serem muito melhores do que os que ele conseguiu. A pesquisa é de 1985, por que nunca aplicaram esta metodologia em mapas astrais de pessoas que estão no top 5% de suas carreiras e vocações? ao invés de pegar voluntários comuns na rua?

  28. Este texto ampliou muito a minha percepção do mapa astral, principalmente no sentido de ser uma ferramenta de meditação que pode aprofundar muito as experiências de conexão comigo mesma. Valeu! Bora estudar!

Deixe uma resposta