An empirical study of an astrological hypothesis in a twin population

Não tive tempo para traduzir, mas é um estudo bem valioso; saiu publicado em algumas revistas científicas faz alguns anos, mas eu nunca tinha postado aqui. Artigo original aqui:

http://bit.ly/fv99c4

References and further reading may be available for this article. To view references and further reading you must purchase this article.

Suzel Fuzeau-Braescha

aDépartement de Biologie et Physiologie animales, Université de Paris-Sud, Bat. 440-443 bis, 91405 Orsay, France

Abstract
The purpose of this study is to determine if an astrological hypothesis may correspond to a factor which differentiates both personalities in a twin pair. A population of 251 pairs of homo- and heterozygotic twins was established and tested with the help of a questionnaire. Two hundred and thirty-eight replies were obtained. The test involved the choice of two psychological characteristics to which the families had to attribute the Christian name of each of the twins. The characteristics were polarized in relation to one another (for example, more energetic or less energetic) and were extracted from a preliminary astrological study of the two birth charts of twins. One hundred and fifty three exact replies and 65 reverse replies were obtained; 20 replies declared that no difference had been found. Statistical comparison of proportions showed that exact replies could not be attributed to chance and support the astrological hypothesis as a new element in differentiating personality within a pair of twins.

Este post tem 8 comentários

  1. Saulo

    Que legal! Será que o artigo comprado tem mais detalhes dos estudos?? Mais da metade foi positiva…Mas assim mesmo já é duca heheehhehe!

  2. Ignus Factu

    DD, tradução livre do texto.

    Abstrato

    O propósito deste estudo é determinar se a hipótese astrológica pode corresponder ao fator diferenciador de personalidades em par de gêmeos. Uma população de 251 pares de gêmeos, do sexo masculino e heterozigóticos, foi estabelecida e testada através de um questionário. Duzentas e trinta e uma respostas foram obtidas. O teste envolvia a escolha de duas características psicológicas para as quais as famílias deveriam atribuir o “Nome Cristão” de cada um dos gêmeos. As características foram polarizadas um em relação ao outro (por exemplo, mais energético ou menos energético) e foram extraídas de um estudo astrológico preliminar dos “Mapas Astrais” dos gêmeos. Cento e cinquenta e três respostas coicidiam, enquanto que apenas 65 contrárias foram obtidas; 20 respostas declararam não haver diferença entre os gêmeos. Comparação de proporções estatísticas mostraram que as respostas coicidentes não poderiam ser atribuidas à “casualidade” e reafirmam a “hipótese astrológica” como um novo elemento na diferenciação da personalidade de um par de gêmeos.

    Espero que esteja à contento.

  3. Fahknei

    Que maravilha, estamos avançando junto à ciência oficial.

    1. Georgia

      Ou o contrário…

  4. dasanjos

    (Referências e leituras adicionais podem estar disponíveis para este artigo.
    Para ver as referências e leituras adicionais que você deve comprar este artigo.)

    Suzel Fuzeau-Braescha

    Département de Biologie et Physiologie animales, Université de Paris-Sud, Bat. 440-443 bis, 91405 Orsay, France

    Resumo:
    O objetivo deste estudo é determinar se uma hipótese astrológica pode corresponder a um fator que diferencia as duas personalidades em um par de gêmeos.

    Uma população de 251 pares de gêmeos homo e heterozigóticos foi criada e testada com a ajuda de um questionário. Duzentos e trinta e oito respostas foram obtidas.

    O teste envolveu a escolha de duas características psicológicas para que as famílias tinham de atribuir o nome de cada um dos gêmeos. As características foram polarizadas relacionalmente (por exemplo, mais enérgico ou menos enérgico) e foram extraídos de um estudo preliminar astrológico dos mapas do nascimento de cada um dos gêmeos.

    Cento e cinqüenta e três respostas exatamente corretas e 65 respostas inversas foram obtidas; 20 respostas declaram que nenhuma diferença foi encontrada. A comparação estatística destas proporções mostrou que as respostas corretas não podem ser atribuída ao acaso e apoiam a hipótese astrológica como um novo elemento a diferenciar a personalidade dentro de um par de gêmeos.

  5. Gabriel (HiroNakamura)

    Seria ótimo se este tipo de estudo se traduzisse em reconhecimento, ou ao menos chamasse a atenção da comunidade científica. Infelizmente, a astrologia continua relegada a pseudo ciência na melhor das hipóteses.
    Normalmente é vista como charlatanismo mesmo.

    @MDD – Uma vez um cientista francês afirmou que “se a estatística provar que a Astrologia está correta, eu paro de acreditar nas análises estatísticas”. Isso já dá uma boa idéia dos dogmas e do pseudo-ceticismo que só valida o que contém, mesmo na dita ciência.

    1. Shlomo

      Por outro lado, análises estatísticas só têm poder para “desprovar” alguma coisa. Quer dizer, “encontrar evidências que neguem a hipótese”. É um problema da ciência em geral.

      É preciso lembrar que a ciência sempre vai supor que “se um experimento contrariar a teoria, o experimento está errado”. Uma teoria só é reavaliada quando vários experimentos relevantes a contrariam.

      O problema é a comunidade científica decidir o que são “experimentos relevantes”.

Deixe uma resposta para Pirâmides – parte 4 1/2 | Sedentário & Hiperativo Cancelar resposta