Allan Kardec e o Preto Velho


Pouca gente sabe, mas numa das reuniões realizadas na Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, Allan Kardec evocou um Espírito que, segundo as terminologias da cultura brasileira, poderia ser classificado como um “preto velho”. Esse encontro, narrado pelo próprio Kardec nas páginas da sua histórica “Revista Espírita” (Revue Spirite), de junho de 1859, aconteceu na reunião do dia 25 de março de 1859.

Pai César – este o nome do Espírito comunicante – havia desencarnado em 8 de fevereiro também de 1859 com 138 anos de idade – segundo davam conta as notícias da época –, fato este que certamente chamou a atenção do Codificador, que logo se interessou em obter, da Espiritualidade, mais informações sobre o falecido, que havia encerrado a sua existência física perto de Covington, nos Estados Unidos.
Pai César havia nascido na África e tinha sido levado para a Louisiana quando tinha apenas 15 anos.
Antes de iniciar a sessão em que se faria presente Pai César, Allan Kardec indagou ao Espírito São Luís, que coordenava o trabalho, se haveria algum impedimento em evocar aquele companheiro recém-chegado ao Plano Espiritual. Ao que respondeu São Luís que não, prontificando-se, inclusive, a prestar auxílio no intercâmbio. E assim se fez. A comunicação, contudo, mal iniciada, já conclamou os participantes do grupo a muitas reflexões. Na sua mensagem, Pai César desabafou, expondo a todos as mágoas guardadas em seu coração, fruto dos sofrimentos por que passara na Terra em função do preconceito que naqueles dias graçava em ainda maior escala do que hoje. E tamanhas eram as feridas que trazia no peito que chegou a dizer a Kardec que não gostaria de voltar à Terra novamente como negro, estaria assim, no seu entendimento, fugindo da maldade, fruto da ignorância humana. Quando indagado também sobre sua idade, se tinha vivido mesmo 138 anos, Pai César disse não ter certeza, fato compreensível, como esclarece o Codificador, visto que os negros não possuíam naqueles tempos registro civil de nascimento, sobretudo os oriundos da África, pelo que só poderiam ter uma noção aproximada da sua idade real.
A comunicação de Pai César certamente ajudou Kardec, em muito, a reforçar as suas teses contra o preconceito, o mesmo preconceito que o levou a fazer, dois anos depois, nas páginas da mesma “Revista Espírita”, em outubro de 1861, a declaração a seguir, na qual deixou patente o papel que o Espiritismo teria no processo evolutivo da Humanidade, ajudando a pôr fim na escuridão que ainda subjuga mentes e corações: “O Espiritismo, restituindo ao espírito o seu verdadeiro papel na criação, constatando a superioridade da inteligência sobre a matéria, apaga naturalmente todas as distinções estabelecidas entre os homens segundo as vantagens corpóreas e mundanas, sobre as quais só o orgulho fundou as castas e os estúpidos preconceitos de cor.”
Não obstante, é claro verificar o preconceito que existia da sociedade européia de fato na época do fato narrado. Não me surpreende também, o epiritismo, doutrina derivada da sociedade européia vigente daqueles tempos, e codificada por Kardec, a priori, ter qualquer preconceito com relação a espíritos que diferissem dos moldes por eles preconizados pela era européia contemporânea. Ora, não deveria sequer se dar tamnha ênfase nessa comunicação deveras ordinária por Kardec, haja visto que a única diferença, tratava-se pela origem humilde e racial do espírito comunicante. Seria de mesmo modo, como se a Umbanda se maravilhasse quando um espírito de um nobre europeu fizesse comunicação em uma de suas sessões.
Publicado originalmente no boletim “Serviço Espírita de Informações” (www.boletimsei.org.br/?wpfb_dl=393), na edição 2090, do ano 2008.

Este post tem 63 comentários

  1. raph

    Que legal, eu sabia que Kardec tinha revisto o próprio racismo (que era fruto da época e região onde vivia, não custa lembrar que os sábios antigos não eram contra a escravidão, por exemplo), mas não sabia de registro documentado na Revista Espírita. Talvez um dia escreva um artigo sobre racismo e espiritismo, porque como encontraram praticamente apenas esta brecha, os críticos pegam pesado em cima de Kardec, como se ele fosse praticamente um senhor de engenho :/

    1. Euleir Eller

      Jesus, o nosso Grande Mestre, viveu entre nós ao tempo que havia escravidão, quando se compravam e vendiam pessoas, como escravos, inclusive, dando-se ao vencedor de uma guerra o direito de tomar os vencidos como escravos… também um devedor que não pagasse suas contas poderia ser feito escravo e ser vendido como tal.
      Jesus nunca levantou a sua voz para abolir aquele costume e até admoestava que o servo devia ser dócil para com o seu Senhor.
      Também é dito que o Apóstolo Paulo tinha um escravo.
      A lição que fica é que todos vivemos conforme os costumes de nossa época. Assim como, hoje, ainda, há países que aceitam a poligamia e outros só admitem a monogamia…
      Sempre há que se viver conforme a Lei e os Costumes de uma época. Modifica-los para melhor: Essa é virtude desejável.

    2. Boletim SEI

      Prezado Raph, muita paz. Há alguns anos tomamos conhecimento de um companheiro, ao que parece de outra religião, que entrou na Justiça solicitando a supressão de passagens das obras de Allan Kardec, que ele, no seu entendimento, considerava racistas, trechos que, naturalmente, poderiam ser assim entendidos se lidos fora do contexto em que foram escritos, inclusive dos conhecimentos da época sobre outros povos, que eram ainda bastante limitados. A Justiça deu à Federação Espírita Brasileira ganho de causa depois de avaliar a inconstância da acusação. Allan Kardec e sua esposa davam aulas gratuitas a pessoas carentes e a própria descrição da “Revista Espírita”, de sua autoria, dá provas de como via o racismo, o que não é de se espantar dada a compreensão que tinha de que o corpo é só uma veste e que o espírito é imortal. Damos esses esclarecimentos pois temos visto pela internet espalharem-se boatos sobre Kardec ser racista o que, conforme a própria Justiça analisou e julgou, não se sustenta, sendo, mesmo, fruto de má interpretação. Há um livro chamado “Kardec & Racismo”, de Marcelo Prizmic, da editora Lake, em que tudo isso é analisado. Receba o abraço fraterno dos irmãos do boletim SEI.

      1. Leonardo

        E se por acaso Kardec tivesse sido preconceituoso isso não diminuiria o valor de sua obra e ações pois estamos todos aqui para nos aperfeiçoarmos… não viemos perfeitos, pois não há perfeição na pedra que jamais lapidada apresenta rara beleza… a perfeição está no trabalho, nas ações, no lapidar a pedra corrigir as imprecações e deixá-la linda.
        A CRIAÇÃO É PERFEITA POR QUE YAHUE “GRAVOU” NA TECITURA E COM ISSO LAPIDOU O COSMOS.

  2. Entre os críticos do espiritismo muito se fala sobre a própria doutrina espírita ter indicativos de racismo e preconceito racial. Esse post é importante pois evidencia que o espiritismo é um “sistema aberto” que pode evoluir.
    Ao menos eu acho q é isso.

  3. Antonio

    Na verdade, dado o local para onde “Pai Cesar” foi levado, era um “old black man”.

  4. Rocket

    Admirável o post e por isso eu sempre procuro o blog. Trabalho em uma casa espírita já há alguns anos, e aos poucos vejo, com certo ceticismo, a expansão do “movimento” espírita. Aos poucos, sinto aproximar-se um conjunto de “isso pode, isso não pode”, sem muitas justificativas, por parte de instituições…. hããã…. “federativas” (vejam bem, não estou generalizando, são alguns casos).
    Não sou contra regras, ainda mais quando derivam do bom-senso! E quando explicam o porquê delas!
    Meu medo é que muita gente com comportamento de “gado”, ávida por repetir experências do passado, repita o que aconteceu com o cristianismo (e outras tantas doutrinas por aí afora). O Espiritismo, para mim, veio a ser uma forte doutrina de esclarecimento dos mecanismos (adoro entender as coisas com um pouco mais de profundidade!!!) da vida após a morte, e não uma reedição da idolatria e do comportamento de gado.
    Questionar é a chave do conhecimento (assim acho eu neste instante), e não há nada que não possa ser questionado, e foi isso que Kardec fez: questionou, ponderou e compilou.
    E esse post deixa bem claro isso: o caráter universal e despreconceituoso da doutrina. Pelo menos, é isso que deveria ser…. O que virá a seguir? Veremos nos próximos capítulos……. (ou séculos…….)

  5. Marcello

    Marcelo,
    Uma observação: Os “Pretos-Velhos” da Umbanda não necessariamente foram negros e/ou velhos em encarnações passadas.
    No caso relatado pela revista, o Pai Cesar não parece em nada um “Preto-Velho”, uma vez que que trata-se de um “companheiro recém-chegado ao Plano Espiritual”.
    Meus parabéns pelo blog!!!
    Saravá a todos!

  6. testament_knot

    Esse fato ocorreu antes ou depois das famosas declarações preconceituosas de Kardec?
    @MDD – Quais declarações?

    1. MiguelR

      Pois é.
      Já li :
      – Livro dos Espiritos
      – Evangeelho segundo o espiritismo
      – Céu e inferno
      Estou lendo :
      – Genese
      E falta ler :
      – O livro dos médiuns
      Não ví sequer UMA frase do Kardec sobre preconceito.
      Também gostaria de ver essas “declarações” dele.
      Pode até ser em alguma Revista Espirita, mas ninguém nunca fala…..
      Provas, meu caro Testament_knot, provas.
      MiguelR
      Non Ducor, Duco!

  7. Pablo de Melo

    Um livro interessante sobre o assunto é Tambores de Angola que tira um monte de preconceitos sobre esse assunto.

    1. Paulo Gabriel

      Tira como? dizendo que a boa UMBANDA é aquela que não usa guias, simbolos e escritas?! Em que o preto velho na verdade nem preto é?! Aceito que os livros do Robson, embora não tragam nenhum conceito novo (na minha opinião pessoal, os espíritos que trabalham com ele apenas adaptam determinados conceitos para faze-los menos repeliveis as massas, não sendo necessário que só usem conceitos livres de equivocos) são muito úteis aos fins que se prestam. Quem lê o livro até tem mais chances de se livrar de possiveis preconceitos que poderiam vir a ter mas adiquirem alguns piores à respeito de UMBANDA, se levarem os ensinamentos de João Cobu ao pé da letra, dizendo isso por base em todos os Livros que já li do Robson.

  8. catarina

    lendo o texto me vem uma dúvida: quando uma pessoa desencarna ela não fica tendo uma visão mais clara das coisas? claro, tem os que ficam se remoendo com erros e todo aquele lance, mas nesse caso, ter um são Luis ajudando na comunicação não ajudaria ele a ‘saber mais’ das coisas?
    fato: a arrogância do europeu fazia ele se ver como o supra sumo da evolução.
    fato: quem não se dá valor não ganha valor dos outros.
    fato: os europeus não faziam expedições de caça no continente africano para trazer escravos, eles simplesmente compravam de outros pretos que escravizavam seus irmãos.
    fato: você não vê na história irmãos vendendo irmãos como os pretos.
    vou parar por aqui pra não sair do tema do post, apenas expus os fatos acima para reforçar a pergunta: o pai cesar não teria que ter uma clara noção disso? dizer que o sofrimento dele provinha do preconceito pra mim não é outra coisa a não ser ignorância dos fatos reais. fatos que continuam verdade até hoje se você estudar a realidade dos países africanos (favor se inteirar mais dos ‘agitos’ de 1994 em Ruanda) e até mesmo da américa (haiti).

  9. Luizão

    Realmente o espiritismo é visto hoje como algo elitizado e que ” seleciona” seus seguidores nas mais altas classes sociais. Como espírita devo reconhecer que isso é, em partes, verdade. Mas só assim porque os seguidores que se encaixam nessa condição abastada o mantém assim.
    Como todas as outras religiões e doutrinas, são os seguidores que as fazem melhores ou piores. Preconceituosas ou não. O espiritismo não prega o preconceito nem o racismo e repudia toda forma de discriminação. Mas algumas pessoas que se dizem espíritas ainda carregam com elas esses defeitos que não devem ser julgados por ninguém. Apenas a própria consciência da pessoa pode se julgar.
    Também devemos ter cuidado para não ter preconceito contra preconceito.

  10. Vitor Chacon

    A doutrina espírita nos mostra o valor da puerilidade da influência da matéria sobre o espírito, não nos servindo a mais nada a não ser o meio de provação para a melhoria de nosso ser.
    O que nos leva a concluir que essa situação do Pai César não foi mais do que uma prova, e que pelo visto superou com resignação.
    E também esse modo de como o espírito amigo protestou contra o preconceito que sofrera, de um jeito bem passional, provavelmente deve-se ao fato de que o espírito ainda poderia estar no processo de desprendimento e de volta à consciência do plano espiritual, momento que na maioria das vezes é de grande perturbação e influência que ainda resta da matéria sobre o espírito.

  11. Anderson

    Espíritos da umbanda, principalmente os pretos velhos, eram maltratados pela sua origem africana e tal. Pela sua raça. Não foi diferente na colonização no Brasil, onde a história evidencia muito isso. Aprecio a doutrina espírita e respeito quem a segue.

    1. Marco

      No meu ver não existe espírito da umbanda existe espíritos trabalhando em conjunto na Seara do bem,sou espírita e na casa onde frequento não temos preconceito damos passividade a todos espíritos que com amor e fraternidade querem ajudar , preto velhos caboclos e todos mais

      1. Leonardo

        A escada mística simbolo de elevação espiritual que identificamos com a ascensão espiritual é exatamente uma “escada” serve para quem quer subir e quem quer descer, lembra-se do livre arbítrio… Chega um momento na vida de muitos espíritos em que eles são apresentados a uma realidade que pode mudar toda perspectiva deles. Então vc citou que acredita em espíritos que trabalham na seara do bem, mas saiba que bem e mal são conceitos humanos. Em magia dizemos que os espíritos trabalham em egrégoras, hoje São Luís é um santo auxiliando Kardec, amanhã não sabemos. Tem casos em que se é necessário cair novamente para que se possa ascender a degraus bem mais altos na escada…
        Metaforicamente
        estou no degrau 8 mas para subir ao 9, preciso descer ao três mais uma vez… (chega de falar o que não deveria, né…

  12. Rocket

    O pessoal comenta acerca da influência da matéria sobre o espírito como se fosse algo digno de rebaixamento, ou até como estava num cooment acima, numa conotação de “puerilidade” (e às vezes até um certo nojo, como se a matéria fosse algo indigno).
    Não vejo os estágios na matéria como algo indigno nem pueril, mas sub-aproveitado.
    Se fosse indgno, nem estaria na arquitetura do universo. Acho, opinião pessoal minha, certa prepotência ser espírita (e olha que sou trabalhador espírita…!) e sair desprezando a matéria. É, no mínimo, falta de auto-conhecimento, uma vez que estaremos neste estágio longo tempo.
    O lance é sabermos aproveitarmos a matéria para ascender, e não deixar o peso dela nos dominar. Desprezar a matéria no atual estágio e considerá-la, como muitos grupos fazem, um “fardo”, um “peso negativo”, uma “âncora que aprisiona a evolução” etc….. um desvio.
    @MDD – o mago vive em 4 mundos… Material, Mental, emocional e Espiritual. Desprezar qualquer um deles é cair em desequilíbrio.

    1. Vitor Chacon

      Não disse que é ruim nem desprezei, porque a matéria também é essencial para o avanço espiritual.
      🙂

    2. Leonardo

      Desprezar a matéria no atual estágio e considerá-la, como muitos grupos fazem, um “fardo”, um “peso negativo”, uma “âncora que aprisiona a evolução” etc….. um desvio.
      mas a matéria não aprisiona a evolução… a evolução é um estado mental e quanto mais forte sua conexão com GADU, mais sutil torna-se o invólucro…
      nosso estado em Malkuth, é baixo e indigno… reconhecer-se indigno, baixo, sujo e cheio de imundices é nosso primeiro passo à ascensão. Lembre-se da “letra dos pobres” Entenda que é o plano mental o que determinará a sua evolução… que diga-se de passagem não quer dizer subida, nem queda, nem esquerda e nem direita

  13. kravinov

    Aqueles que conheçem o referido texto não se esqueçam que no proprio tem uma passagem muito preconceituosa vejam por si mesmos.
    9. (A São Luís). A raça negra é verdadeiramente uma raça inferior? – R. A raça negra desaparecerá da Terra. Ela foi feita para uma latitude diferente da vossa.

    1. DanielKrishna

      Na verdade amigo isso já está acontecendo.
      Na medida em que as raças se misturam, a tendência é não existirem raças “puras”. Sou descendente de Negros e aqui no meu Bairro, em Salvador, o que mais vejo é “Negão com Loirinha” e “Negona com Galego” que é como falam aqui. Daqui a alguns anos, talvez séculos não existirão nem mais raça Negra e nem Branca…

    2. Leonardo

      Parabéns, vc descobriu que espíritos também podem ser preconceituosos. Bem e mal são conceitos nossos, são conceitos humanos, a EVOLUÇÃO está acima de conceitos humanos pois ela abarca bilhões de espécies de seres vivos do Cosmos, todos eles com suas filosofias, religiões e costumes…
      Vou afrontar a realidade de vcs e falar que hipoteticamente, pode ter existido a 5 anos luz da terra uma criatura semelhante a um sapo gigante que após sua passagem pela matéria em seu planeta pantanoso encontra-se hoje em um grau de evolução acima do de Nosso Senhor Jesus Cristo… é hipotético, pelo amor não se ofendam… ou será que não…
      enfim a única diferença entre você e um espírito é que ele desencarnou e vc “ainda” não… eu acho, pois sua postagem é de 2011, vai saber…

  14. Augustobs

    A titulo de curiosidade: dos seis médiuns que participam das sessões de passe na principal casa espirita de Porto Alegre, três deles são negros.

  15. Leonardo

    E as palavras do Sr. Divaldo Franco?
    Diz ele categoricamente que os espíritos que se apresentam como “pretos-velhos” não podem ser levados a sério.
    Sectarismo por falta de conhecimento da VERDADEIRA Umbanda?
    @MDD – O divaldo franco está gagá faz um tempo já. Não é a primeira opinião tosca que emite em relação á Umbanda.

  16. testament_knot

    “[…]Sob o mesmo envoltório, quer dizer, com os mesmos instrumentos de manifestação do pensamento, as raças não são perfectíveis senão em limites estreitos, pelas razões que desenvolvemos. Eis por que a raça negra, enquanto raça negra, corporeamente falando, jamais alcançará o nível das raças caucásicas; mas, enquanto Espíritos, é outra coisa; ela pode se tornar, e se tornará, o que somos; somente ser-lhe-á preciso tempo e melhores instrumentos. Eis porque as raças selvagens, mesmo em contato com a civilização, permanecem sempre selvagens; mas, à medida que as raças civilizadas se ampliam, as raças selvagens diminuem, até que desapareçam completamente, como desapareceram as raças dos Caraíbas, dos Guanches, e outras. Os corpos desapareceram, mas em se tornaram os Espíritos? Mais de um, talvez, esteja entre nós”. (Revista Espírita 1862, págs. 97-105).
    As supostas declarações teriam ocorrido em uma edição da própria revista. Haveria uma parte onde ele tenta justificar a igualdade de negros com os demais no outro mundo, deixando entender (na verdade, é bem explícito) uma inferioridade material do corpo em algum nível. O trecho em questão eu li de uma extração feita pelo site: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/paulosns/allan-kardec-um-racista.html. Obviamente o site é tendencioso, mas o que mais valeria seria a extração do trecho em si.
    Eu ouvi falar que Kardec cometeria mais deslizes (a ponto de falar grandes besteiras mesmo) no “A Gênese”. Sendo verdade, seriam suas crenças e ignorâncias pessoais sobrepujando seus trabalhos anteriores?
    @MDD – Não tem como evitar os filtros culturais de cada tempo-espaço. O que vcs precisam entender é que não é porque um fulano morreu que ele adquire consciencia universal… pelo contrário, se o zé morreu preconceituoso, ele CONTINUA um espírito preconceituoso, se morreu bandido ele CONTINUA bandido, se odiava chineses, ou negros, ou gays, ou mulheres, ele CONTINUA odiando… se era um europeu do século XIX, continua sendo um europeu do século XIX em mentalidade.

    1. livio

      Isto não é deixado junto com a casca ? A essência espiritual da pessoa é moldada pela vida que ela teve e pelas coisas que se prendeu ?
      Eu considerava curioso (e arbitrário), quando o espírita “reconhecia” algum desencarnado, por conta de hábitos, vícios e manias que tinha enquanto encarnado, mas pelo que coloca, eles tem razão então ?

    2. Costa

      E os espíritos avançados não o admoestaram? Afinal, Kardec era somente um codificador. Acho que apelar pro eurocentrismo da época, é justificar o injustificável. Agora, pensando do por que não, os espíritos não repreenderam Kardec, pois ele estava certo (a raça negra não pode comportar espíritos elevados), e daí, em nossa era do politicamente correto enxergamos isso como racismo, quando em realidade, pode virar ciência daqui uns anos. Inclusive, esse comentário pode soar racista.

    3. Leonardo

      eu acabei de falar a mesma coisa numa conversa acima, MDD…

  17. testament_knot

    MiguelR,
    Eu li o Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns e O Céu e o Inferno. Não estou aqui só trollando, eu acompanho os post do MDD há algum tempo.
    As citações com possíveis conotações preconceituosas existem (pouquíssimas) nos primeiros livros. As críticas mais recorrentes que eu já vi se referem sempre a A Genese e a obscura Revista Espírita. Eu ainda pretendo ler A Gênese para me informar melhor.

  18. Vinicius

    “à medida que as raças civilizadas se ampliam, as raças selvagens diminuem, até que desapareçam completamente, como desapareceram as raças dos Caraíbas, dos Guanches, e outras. ”
    Cara, acho que se isso foi pego de um espírito, o entrevistado era o Hernan Cortez ou o Francisco Pizarro. Ou um bispo das Grandes Navegações quem sabe…
    Mesmo na época da conquista da América, as pessoas já sabiam que a razão desse avanço das “civilizadas ” e diminuição das “selvagens” era interligada sim, mas apenas pelo massacre e exploração perpetrado pelos europeus. Vide os escritos de Frei Bartolomé de las Casas.
    Portanto os filtros culturais da época não justificam totalmente uma declaração dessas. Embora não maculem o trabalho dos caras. Afinal, sabemos que em ciência a conduta pessoal não altera em nada o que é produzido para a ciência. Dizer que o espiritismo é mentira por que Kardec era racista tem a mesmo inocuidade de dizer que a Teoria da Evolução é mentira por que Darwin era um péssimo pai (o que não é verdade). Só acredita quem acha que kardecismo e evolucionismo são religiões. E quem acredita nisso é normalmente um religioso inseguro de sua própria religião querendo atacar as convicções alheias…
    Mas fora esse comentário sobre as razões espirituais do desaparecimento dos Caraíbas, eu percebi, lendo o Livro dos Espírtos que as respostas tiveram uma influência evolucionista (dã!) sim.
    Me refiro à evolução como corrente antropológica, que alegava que as sociedades simples, como as indígenas tendem a evoluir para sociedades “avançadas” como a ocidental. No Livro dos Espíritos chegam a dizer que nós servimos de “exemplo” (risos) para os indígenas.
    Hoje sabemos que essa teoria é apenas fruto do “otimismo” europeu do século XIX e muitas sociedades ditas simples são inclusive mais complexas que as nossas. Encarnados otimistas, desencarnados otimistas também.

    1. Luiz F. Marques

      Belo comentário diga-se de passagem, que me fez lembrar que: “Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender.”
      Ou seja de acordo como nosso camarada acima propôs: “Afinal, sabemos que em ciência a conduta pessoal não altera em nada o que é produzido para a ciência.” Se formos analisar, todo o contexto histórico-social em que uma pessoa vive, digamos que o meio influencia sim em suas idéias, mas isso não significa que de acordo com nossas convenções atuais, sobre o que é moral ou não, se Alan Kardec, ou espírito tal, tiveram ou não algum preconceito de caracter que hoje seria reprovável, não significa que o todo de sua obra não presta perante isso apenas. Isso é falta de senso crítico e como se vê como estamos alienados de filtros de percepção. E não venhamos discutir sobre o que se é ou não preconceito, pois nos mais variados graus somos todos preconceitusos, pois não conhecemos e muito menos compreendemos o todo.
      Paz

  19. Maristela

    Otima oportunidade para eufalar da minha experiência.
    Eu havia me iniciado na doutrina espirita,já fazia evangelho no lar, e portanto já recebia a visita de espíritos amigos em minha casa para nos ajudar no estudo e pratica do Evangelho de Jesus,quando fui chamada para me orientarem em um centro de umbanda, que essa seria a iniciação de minha filha. Lá chegando,pude ouvir de um médium(que exerce a profissão de medica no seu dia a dia)que ele havia sido um escravo aqui no Brasil e me contou toda a sua história da vida passada em questão.
    Fiquei como que encantada com a tão sofrida história. De imediato não entendi bem,mas depois minha filha acabou abraçando a Umbanda como sua religião .
    Existe ainda muito preconceito quanto a umbanda no kardecismo, mas elas trabalham juntas fazendo caridade sem nenhum fim lucrativo. O médium sempre tem que desenvolver seu trabalho de doação sem pensar em nenhum fim que não seja o AMOR ao próximo . Por isso oque importa nisso tudo e’ o nossa evolução moral, o autoconhecimento , o crescimento espiritual, aprendendo na pratica a não ter preconceito, deixar de vez o Orgulho,pois “Os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos ”
    Para bom entendedor meia palavra basta
    O problema de tudo e’ sempre o orgulho
    ,

    1. Leonardo

      1)O médium sempre tem que desenvolver seu trabalho de doação sem pensar em nenhum fim que não seja o AMOR ao próximo.
      isso é UTOPIA PREGADA PELA FILOSOFIA ESPÍRITA, é muito linda, mas chegará um momento na vida em que todos confrontamos nosso ego, e o ego inflado e banhado na doutrina da total doação é uma negação do próprio ser que se mede de acordo com padrões inatingíveis que aprisionam o ser vivo num caminho que talvez não fosse o melhor para ele, e geralmente fechar-se a todas as demais possibilidades NÃO É O MELHOR PARA NINGUÉM.
      Se Deus não nos privou do AMOR dele, também não o privou ao próximo. Nem de seu CONHECIMENTO e nem de sua INTELIGÊNCIA. Nem a mim e nem ao próximo… Não faça medida da doação humana com a doação divina. Isso é utopia e nega que o próximo também seja capaz de receber o Amor doado por Deus, muito mais significativo que o amor que eu possa lhe doar.
      A impressão que tenho é a de que muitos espíritos tem a permissão de participar de algumas reuniões ou conselhos produzidos por seres de muitíssima elevação e houvem alguns conceitos que acham bonito e os pregam nas obras mediúnicas sem realmente terem compreendido o significado do que ouviram.

  20. Livio

    Para a gente ver.
    Ao nos depararmos com a idéia de reencarnação, é comum a gente aderir ou repelir à idéia. E se mudarmos um dia, geralmente é apenas para se converter à determinada vertente.
    Não enxergamos as possibilidades contidas, mesmo se a idéia não fosse “factível”.
    Me explico. O conteúdo da idéia da reencarnação, mais do que saber que existe uma alma imortal, e sucessivos corpos e vidas, traz também (ou deveria trazer) um conceito muito bonito. A de que não nos prendemos a vida atual. Se já fomos de gêneros opostos, raças diferentes, credos diversos, nacionalidades distintas, podemos abraçar nossos irmãos de várias culturas, grupos e etnias, e talvez até quem nos agrida, ou seja agredido por nós, como irmãos e iguais.
    Isto é um soco na boca do estômago, em idéias e conceitos discriminatórios, preconceituosos, elitistas ou, em termos muito em voga hoje, em situações de assédio ou de bullying.
    Então, mais do que se esforçar em convencer alguém da idéia da reencarnação, hoje eu fico feliz em partilhar que, ainda que ela discorde (e tenha toda a liberdade para tal), este conceito tão bonito e interessante!
    Uma pena que este tipo de preconceito esteja tão arraigado, que mesmo muitos reencarnacionistas esbarrem neste tipo de atitude. Quando é tão claro o quanto que isto é contraditório!!!!
    @MDD – é porque qualquer conceito de “reencarnação” já vem rotulado de religiao. Eu vejo isso como algo natural, do qual precisamos estudar e conhecer para avançar mais rapidamente na jornada. Se voce já tem a hipotese validada por um número gigantesco de experimentos, relatos e evidencias empíricas, é seguir em frente… se o fulano quer acreditar que nao existe nada, azar o dele… depois de alguns anos/decadas apodrecendo no próprio corpo enterrado talvez ele mesmo se convença e na proxima vida ele venha mais espiritualizado. Por isso que nem perco mais meu tempo discutindo com ateus.

  21. Eduardo Oliveria Rocha

    DD, eu sigo coisas do espiritismo, mas não sou espírita
    vc já assistiu o filme “Nosso Lar”?
    Você, uma pessoa que já realizou viagens astrais e que tem um conhecimento d espiristismo, é verdade tudo daquele filme?
    O nosso lar é tipo uma colônia hight tech?
    @MDD – Tem muito de real naquele filme, sim. Hoje em dia ela está mais high tech do que aquilo; aquela deveria ser a visão da cidade por volta de 1930-1940.

  22. Miguel

    Marcelo, eu assisti o vídeo que tu postou no twitter, “Budismo para Dummies” hehe, e fiquei curiso, já que a noção de tempo no astral é diferente da nossa no plano material. Pelo que tu sabe, é possível mesmo reencarnar em épocas diferentes no planeta Terra?
    Abraço!

  23. guilherme

    Marcelo, certa vez voçê disse que os livros dos espíritos foi dertupado com traduções de ex-católicos, que precisa ser revisada etc.. então recomende uma tradução certa!Outra voçê falou que aqueles espíritos tem limites de conhecimentos, faz parte de uma egrégora que não tem conhecimnetos de elementais, devas , magia etc. qual é o correto? agradeço!

  24. Rodrigo

    Olá Marcelo qual a sua visão referente as perguntas 551 a 557 do Livro dos Espíritos
    (Poder Oculto, Talismãs, Feiticeiros/ Bênção e maldição)
    @MDD – a experiencia prática mostra que as respostas estão erradas, ou a interpretação delas errônea. Objetos mágicos funcionam, mas são ativados pela vontade (Thelema) de quem os utiliza. Nossa mente não é capaz de manipular mentalmente energias muito poderosas, então o auxílio material é necessário… senão as entidades não precisariam de mandalas ou velas para agir.

  25. guilherme

    Marcelo, o que vc acha das visões de nossa senhora de aparecida, maria , santos.. etc. tem uma homem que afirma que vê nossa senhora.
    Essas visões seriam egrégoras ou guias espirituais, que agem de acordo com o arquétipo das pessoas, vão aparecer de acordo com seu grau de evolução.

  26. Marc

    ola mdd.
    eu estou indo a 3 semanas em um terreiro e ontem na gira de exu, ele falou para mim que la nao é o meu lugar e que nao é para mim ir mais la. Eu nao devo mais ir? por que isso aconteceu?
    @MDD – e voce pergunta pra mim?… por que nao perguntou pra ele?

  27. guilherme

    Marcelo, tenho muita dúvida ainda a respeito do espiritismo com ocultismo, gostaria de saber se os espiritos protetores são os devas ou anjos da cabala , espíritos familiares que o Allan Kardec fala, pois não concordo muito em ter vários espíritos ao meu redor. Todos os ocultistas foram contra envocação de espíritos , falam mais dos casções , elementais, etc. Todos eles são contra: Helena Blavatsky , Elipas levi, Rosa Cruzes e outros … Pode me explicar isso melhor, agradeço a resposta!

  28. Segundo o próprio Kardec espírito é luz. Dependendo do comportamento nas encarnações que passou poderá ser intensa, média ou fraca esta luz. Intensa , dos espíritos mais evoluídos, média dos em avançado estado de evolução e fraca, dos que não evoluíram ou evoluíram muito pouco Estes ficam , como vampiros, tentando sugar a luz dos outros e, não raro, conseguem. Os espíritos não têm nomes, ou forma humana. Para que teriam ? Seria difícil diante de tantas reencarnações neste ou numa das” outras moradas do Pai “, outros mundos, segundo Kardec.Já fomos homens e mulheres. E seremos. São fantasiosas as obras que misturam a fé judaico- cristã com a cristã original. Nós, espíritas não cremos em inferno ou céu. Reencarnaremos em busca da evolução quantas vezes for necessário. Não existe Nosso Lar nem Umbral. Kardec alertou-nos sobre espíritos que viriam para dividir o movimento espírita. Há que escolher:xavierismo ou kardecismo.Eu fico com este último.
    @MDD – Putz… fundamentalistas espíritas… é o que faltava kkkkk

    1. Mariana

      Tenso. Aposto que esse aí é um das União-Federação-Espírita queimadoras de livros não canônicos, tipo os do Chico e do Robison Pinheiro, e de qualquer um que não tenha nascido na época do Kardec…
      Enfim. Antigamente católicos inquisidores queimadores de livros lutando contra a Cisão, hoje em dia espíritas paranóicos queimadores de livros. Pelo menos hoje em dia eles não podem usar esse neo Index Librorum Prohibitorum para impedir publicações.
      Mas ó, parabéns, DD. Graças ao tio acima o Teoria acabou de completar o álbum “comments de minorias fundamentalistas bizarras”. Achievement unlocked!

  29. guilherme

    Marcelo, quando vc fala do tranca -rua exu, seria um nome cabalistico , pois essa entidade é um iniciado mago?
    @MDD – Nao. É o nome que a entidade escolhe para representar as energias nas quais trabalha. Um “tranca-rua” trabalha nas energias de Geburah (Ogum) dentro de Hod (Exú).

  30. CESAR

    DÊEM UMA LIDA NISSOA AQUI ABAIXO:
    “… Possam nossos irmãos futuros se lembrarem deste dia memorável em que os Espíritas lioneses, dando o exemplo de união e de concórdia, colocaram, nesses novos banquetes o primeiro passos da aliança que existir entre os Espíritas de todos os países do mundo; porque o Espiritismo, restituindo ao Espírito o seu verdadeiro papel na criação, constatando a superioridade da inteligência sobre a matéria, apaga naturalmente todas as distinções estabelecidas entre os homens segundo as vantagens corpóreas e mundanas, sobre as quais ó o orgulho fundou castas e os estúpidos preconceitos de cor. O Espiritismo, alargando o círculo da família pela pluralidade das existências, estabelece entre os homens uma fraternidade mais racional do que aquela que não tem por base senão os frágeis laços da matéria, porque esses laços são perecíveis, ao passo que os do Espírito são eterno. Esses laços, uma vez bem compreendidos, influirão pela força das coisas, sobre as relações sociais, e mais tarde sobre a Legislação social, que tomará por base as leis imutáveis do amor e da caridade; então ver-se-á desaparecerem essa anomalias que chocam os homens de bom senso, como as leis da Idade Média chocam os homens de hoje…”. (Revista Espírita 1861, pág. 297-298). (grifo nosso).

  31. guilherme

    Queria saber se os espíritos da umbanda são devas ou espíritos que desencarnaram como nós, tenho os livros básicos mais não entendi o processo.agradeço Marcelo!!!!

  32. guilherme

    Marcelo, é possível se iniciar na umbanda sozinho? com os livros do matta e silva.
    @MDD – Não. A menos que você seja médium e suas entidades o iniciem. Já vi acontecer, mas é tenso. O médium nunca sabe se tudo o que está acontecendo é de verdade ou se ele ficou doido de pedra…

  33. guilherme

    Marcelo , tenho muitas dúvidas ainda sobre ser médium. Já comentei que tive decepção com a” umbanda” onde moro no seu blog , claro que não era umbanda mesmo como aprendi no seu blog, pois ocorria matança e muita bagunça. Na época que frequentei fui desenvolver, rodava muito e senti a entidade perto de mim , mas ouvia as pessoas e som do tambor, as vezes uma força apagava meus sentidos na corrente e agitava meu corpo, colegas me segurava. Isso seria mediunidade? eu acho que não, pois eu que fui atrás de desenvolver, ou seria capaz de as entidades me desenvolver quando eu chegar aos 30 anos , estou com 28 anos.agradeço essa resposta.

  34. ailton

    Frequento uma casa espirita a muito tempo, tarefeito, participo dos trabalhos e eventos, faço parte da diretoria, e a pouco tmpo fiquei sabendo através de uma amiga de trabalho (fluidoterapia) que meu mentor é um preto velho, e comentou ela que pediu para dizer que esta sempre a meu lado, isso me deixou muito feliz. Quem sabe na proxima encarnação poderemos trocar de lugar, ofereçendo o mesmo carinho e amor com que me trata desde o nascimento. A vc meu mentor “PRETO VELHO”, agardeço muito por este momento unico, e em pensamento agora te abraço comovido. MUITO OBRIGADO.

  35. Humberto

    Realmente a doutrina espirita nos recomenda a não manter preconceito algum, mas também nos fala que não devemos seguir preconceitos de ninguem. Vi no relato acima, a espiritualidade amparando um espirito, pois espirito não tem cor, nem raça, não é velho nem novo, nem branco nem, preto asim como não é amarelo vermelho etc. O que aconteçe hoje em dia é o equivoco de se querer introduzir umbanda, e outras doutrinas, na doutrina dos espiritos, dizendo que tudo é a mesma coisa, e não é. Quando alguem mostra atravez dos ensinamentos de Kardec, de Emmanuel etc que doutrina dos espiritos é uma coisa e umbanda, catolicismo etc, são outra coisa, esta pessoa normalmente e taxada de preconceituosa.

  36. Prezados irmãos, muita paz! Informamos que o último parágrafo deste texto não pertence à versão original do artigo. Deve ter sido enxertado pelo site ou blog que o reproduziu anteriormente. A versão original, caso desejem consultar, está no site do “Serviço Espírita de Informações. Eis o link: http://www.boletimsei.org.br/?wpfb_dl=393.
    Fraternalmente, a equipe do boletim Serviço Espírita de Informações
    @MDD – Já corrigido. Muito obrigado!

  37. Paco de Paula

    Não acho que seja preto velho, conforme se denomina na umbanda, não. Acho que é uma espírito comum que , na última encarnação, foi negro e desencarnou muito velho. Vamos parar de fantasiar, né?
    @MDD – E o seu grande embasamento para afirmar isso é… achômetro?

    1. SEI

      Os pretos-velhos, conforme a cultura afro-brasileira, são espíritos de irmãos que tiveram na vida física a experiência da escravidão. Assim como escravos foram trazidos para o Brasil, também foram levados da África para outros cantos do mundo, como os Estados Unidos. Pelo nome (Pai César) e as características (negro e escravo na última existência) pode-se, perfeitamente, por dedução lógica, atribuir-lhe a denominação de preto-velho, sem prejuízo algum. Com certeza, nosso irmão, se não reencarnou ainda, pode estar trabalhando junto a falanges do bem, até sob a aparência de um humilde preto-velho, como se observa rotineiramente nos terreiros de umbanda assim como nas casas espíritas onde não haja preconceito com este tipo de manifestação. Que Jesus abençoe a todos.

    2. Paco de Paula

      Preto velho não é um espírito superior, com grande conhecimento da alma humana e humildade incomparável? Pelo menos, é o que eu tenho lido. O diálogo é curto. Dá para perceber uma grande resignação, mas, só isso. Nada que demonstre pertencer a uma classe muito elevada. Segundo meu entendimento, trata-se mais de um espírito benévolo (segunda ordem – quinta classe) e não de uma espírito superior (segunda ordem – segunda classe). Reconheço meu limitado conhecimento, mas, continuo a considerá-lo um espírito comum.

  38. wilson

    A Umbanda.
    1) O Espirito é o ser pensante.
    O principio da inteligência e do senso moral no ser humano esta no Espirito e não na matéria física ou matéria corporal.
    O pensamento, a vontade, o raciocínio, a inteligência, as emoções, os sentimentos, o senso moral são atributos do Espirito ou alma.
    Quem pensa e sente é o Espirito.
    A matéria não pensa e nem sente.
    O Espirito não tem cor racial, nem nacionalidade, nem idade física e nem sexo, no mundo espiritual ou extra físico os espíritos desencarnados não são nem brancos, nem negros, nem amarelos, nem mestiços, nem crianças e nem velhos ou idosos e também não são mulheres e nem homens.
    Isso são condições da vida terrena, na desencarnação os Espiritos deixam essas características físicas ou matérias e voltam a ser Espiritos livres do corpo carnal.
    Porem, os espíritos desencarnados possuem um corpo fluídico semi material chamado de perispirito ou corpo astral, esse corpo é flexível ou plasmavel a vontade do Espirito que é o ser pensante, os espíritos desencarnados podem conforme as suas condições mentais e morais tomar varias formas perispirituais, eles podem plasmar a forma fluídica de um negro, um branco, um amarelo, uma criança, um idoso, uma mulher, um homem, um militar, um medico, um índio etc…
    Portanto, no Mundo Espiritual que é o verdadeiro mundo, NÃO EXISTE RAÇAS E NEM SEXO E NEM IDADE FÍSICA.
    Essa idéia de raça superior ou raça inferior não tem fundamento racional, por que, um Espirito Superior pode se reencarnar como, negro, branco, amarelo, mestiço.
    Quando um espírito desencarnado se apresenta como preto velho ou índio ou caboclo isso é um erro, o Espirito repito não tem raça e nem cor de pele e nem nacionalidade o Espirito é Luz.
    Os espíritos desencarnados podem tomar a forma perispiritual de um caboclo, índio, preto velho, medico, professor, militar etc…
    Podemos analisar, que não existe espíritos de caboclos e pretos velhos, isso é uma condição da vida terrena, na desencarnação o Espirito deixou seu Corpo carnal e suas condições raciais e de sexo.
    A nacionalidade, a cor racial, a idade física e o sexo ficaram no plano terreno.
    O espírito desencarnado não tem corpo físico, não tendo corpo físico o espírito desencarnado não tem raça, nem cor de pele, nem idade física e nem sexo.
    Deu para entender.
    Isso que Divaldo P Franco tentou explicar.
    O Espirito desencarnado não tem raça e nem cor de pele, por que, ele não tem mais o Corpo carnal ou corpo físico.
    2) O negro só é negro pelo corpo físico.
    O branco só é branco pelo corpo físico.
    O amarelo ou mestiço só o é pelo corpo físico.
    A criança ou o idoso só o é pelo corpo físico.
    Ser mulher ou ser homem é uma condição do corpo físico.
    Deu para entender.
    O preto velho ou o caboclo ou índio só o é pelo CORPO CARNAL.
    Um negro velho ou um branco velho ou um índio ou caboclo quando desencarnam, eles deixam essas características físicas no plano material ou plano terreno.
    Espirito desencarnado não tem corpo físico.
    As características físicas e racias estão no CORPO CARNAL.
    Muitos umbandistas falam que os seus médiuns videntes conseguem ver a forma espiritual de um caboclo e de um preto velho em seus trabalhos mediúnicos.
    Eles estão vendo a forma do perispirito.
    O perispirito é um corpo fluídico plasmavel ao pensamento do Espirito que é o ser pensante.
    Os espíritos desencarnados podem conforme a sua vontade tomar formas perispirituais que eles quiserem, eles podem plasmar fluidicamente a forma de um militar, um medico, um índio, um negro, um branco, um amarelo, um preto velho ou branco velho.
    Os médiuns videntes umbandistas vêem a forma perispiritual de índios, caboclos, pretos velhões.
    No mundo espiritual ou plano astral as condições raciais e de nacionalidade e sexo deixaram de existir.
    Vamos concluir, que não existe pretos velhos e nem caboclos ou índios no plano astral.
    3) Vejamos um exemplo, um espírito teve 5 reencarnações no plano terreno, ele foi numa reencarnação negro, na outra ele foi branco, na outra ele foi amarelo, na outra ele foi mestiço e em outra reencarnação ele foi um índio.
    Perguntamos, esse espírito voltando para o mundo espiritual ele vai ser de qual raça????
    Nenhuma, não existe raças no plano espiritual.
    As condições físicas e raciais são do Corpo carnal e não do Espirito que é o ser pensante.
    Da mesma forma não existe crianças nem idosos no mundo espiritual, isso é uma condição terrena.
    Os espíritos desencarnados podem tomar formas perispirituais de pessoas brancas, pessoas negras, pessoas mestiças, de índios, de orientais e ocidentais, o perispirito é um corpo fluídico plasmavel ao pensamento e a vontade do espirito , quando um espírito se apresenta numa reunião mediúnica como preto velho ou caboclo isso é a forma perispiritual que ele tomou.
    São formas perispirituais somente isso.
    Repetimos o Espirito não tem raça, nem cor de pele e nem nacionalidade e nem sexo.
    4) Questões morais.
    Os espíritos elevados e os bons espíritos já estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, eles não tem vícios, nem maus desejos, nem maus pensamentos, nem apegos a coisas matérias.
    Portanto, os Espiritos Elevados não vão pedir coisas matérias, como, cigarros, charutos, cachaça, velas, despachos, sacrifícios de pobres animais.
    Quem pede essas coisas são espíritos moralmente atrasados ainda apegados a matéria e aos vícios terrenos.
    Quando um espírito desencarnado se apresenta numa reunião mediúnica pedindo essas coisas matérias vamos concluir o que???
    Um Espirito Elevado um Espirito de Luz vai pedir essas coisas???
    É uma questão de usar o bom senso e a lógica.
    Eu estou apenas analisando uma questão espiritista só isso, não estou criticando ninguém.
    Como reconhecer a elevação dos espíritos desencarnados???
    Como podemos saber se um espírito que se apresenta numa reunião mediúnica é um espírito bom ou mal???
    Vejamos esses princípios.
    Uma pessoa boa, correta, honesta, digna e culta jamais vai usar uma Linguagem grosseira, agressiva, pesada, com palavrões, com palavras obscenas, falando aos gritos e de forma violenta.
    Ela terá uma Linguagem que reflete suas condições morais e intelectuais, ela terá uma Linguagem digna, correta, elevada, com palavras positivas e limpas.
    Veja a linguagem de Chico Xavier, ele usava uma Linguagem pesada, grosseira, agressiva, com palavras obscenas e ímpias???
    Claro que Não.
    Ele tinha uma Linguagem doce, meiga, suave e moralizadora.
    A Linguagem é o ponto chave.
    Os Espiritos elevados e os Bons Espiritos possuem sempre uma Linguagem digna, pura, elevada, lógica, nobre e sublime de moralidade.
    E seus Ensinamentos visam sempre a melhoria Moral e espiritual das pessoas, os Espiritos de Luz pregam sempre o Amor, a fraternidade, o respeito, a dignidade, a disciplina, a elevação moral, a ordem, as Virtudes, a caridade, eles procuram sempre moralizar, educar e disciplinar as pessoas.
    Os Espiritos Superiores e os Bons espíritos são Virtuosos em seus ensinamentos.
    Um Espirito elevado jamais vai usar uma Linguagem grosseira, agressiva, vulgar, chula, sem lógica, com palavrões e palavras obscenas.
    Os espíritos inferiores apegados a matéria e aos desejos e vícios terrenos, possuem sempre uma Linguagem que refle as paixões humanas, sua Linguagem é pesada, grosseira, vulgar, agressiva, ímpia, com palavras sujas e palavrões.
    Na Linguagem desses espíritos se reflete sentimentos impuros de ódio, raiva, desejos de vingança, rancor, cólera, racismo, querem dar ordens e serem obedecidos, eles se impõe .
    Basta avaliar o teor moral da linguagem que usam, que vamos ver o tipo moral desses espíritos.
    5) O Espirito é o ser pensante.
    Quem pensa e sente é o Espirito.
    O corpo físico ou corpo carnal não pensa e nem sente. A matéria não possui qualidades morais e nem qualidades intelectuais essas são atributos do Espirito ou alma.
    O espírito desencarnado não possui mais o corpo físico, as características físicas como, cor da pele, cor dos cabelos, cor dos olhos, a idade física e o sexo são somente do CORPO FISICO, os espíritos desencarnados não tem mais características físicas ou raciais, no mundo espiritual ou plano extra físico não existe espíritos de brancos, nem negros, nem amarelos, nem mestiços, nem crianças, nem idosos, os Espíritos são seres de Luz, seres inteligentes.
    Quando um espírito desencarnado se manifesta numa reunião mediúnica como preto velho, caboclo, índio, isso é a forma perispiritual que ele tomou, por que, para o Espirito não existe raças e nem nacionalidades e nem sexo.
    As características físicas e raciais pertence ao corpo físico.
    As características morais e intelectuais pertence ao Espírito que é o ser pensante.
    Perguntamos, os espíritos desencarnados possuem corpos físicos???
    Claro que não.
    Se eles não possuem corpos físicos, eles não possuem características físicas e nem raciais.
    Logo os espíritos desencarnados não possuem raças.
    O negro só é negro pelo corpo fisico.
    O branco só é branco pelo corpo fisico.
    O mestiço só é mestiço pelo corpo fisico.
    O amarelo só é amarelo pelo corpo fisico.
    A mulher só é mulher pelo corpo fisico.
    O homem só é homem pelo corpo fisico.
    A criança só é criança pelo corpo fisico.
    O idoso só é idoso pelo corpo fisico.
    Casos os senhores discordem tudo bem, só não precisa ficar com raiva de mim, eu só estou colocando um pensamento, somente isso, eu gosto de Estudar o Espiirtismo.

    1. Ailton

      Prezado companheiro, que o mestre JESUS esteja presente em todos os nossos momentos.
      Como vc informou e afirmou no item 4 (Quastões morais), onde:
      * Como reconhecer a elevação dos espiritos desencarnados???
      * Como podemos saber se um espirito que se apresenta numa reunião mediunica é um espirito bom ou mal???
      * Uma pessoa boa, correta, honesta, digna e culta jamais vai usar uma linguagem grasseira, agressiva, pessada, com palavrões, com palavras obscenas, falando aos gritos e de forma violenta.
      *Veja a linguagem de Chico Xavier, ele usava uma linguagem pesada, grosseira, agressiva, com palavras obscenas e impias???
      * Claro que não.
      * Ele tinha uma linguagem doce, meiga, suava e moralizada.
      – Frequento um Centro Espirita Kardecista em minha cidade a 11 anos, sou tarefeiro, e nos trabalhos de auxilio espiritual (trabalho fechado onde participam os membros da casa), quando trabalhamos encorparados (psicografia / psicofonia), é o médium que coordena, podendo bloquear algumas palavras que acha necessário, assim como na psicografia, mas isso depende totalmente do médium encorparado, isso não quer dizer que não possa acontecer.
      – Isso de bloquear deve ter acontecido e aconteceu com nosso irmão Francisco Candido Xavier (Chico Xavier)
      * Os espiritos superiores e bons espiritos são virtuosos em seus ensinamentos.
      * Um espirito elevado jamais vai usar uma linguagem grasseira, agressiva, vulgar, chula, sem lógica, com palavrões e palavras obscenas.
      – Vc já pensou que para ele chegar a este patamar teve que passar lá por baixo, ou ainda não pensou. Tire suas conclusões então.
      *Os espiritos inferiores apegados a materia e aos desejos e vicios terrenos, possuem sempre uma linguagem que reflete as paixões humanas, sua linguagem é pesada, grosseira, vulgar, agressiva, impia, com palavras sujas e palavrões.
      – Volto a dizer que isso depende de cada médium conduzir a questão, ou seja, bloqueando ou não.
      * Na linguagem desses espiritos se reflete sentimentos impuros de ódio, raiva, desejos de vingança, rancor, cólera, reciscmo, querem dar ordens e serem obedecidos, eles se impõe. Basta avaliar o teor da linguagem que usam, que vamos ver o tipo moral desses espiritos.
      – Graças s DEUS que existem os Centros Espiritas (Kardecistas / Umbandistas e muitos outros) para doutrinar, uma conversa sincera de irmão para irmão, explicar que não esta só do outro lado e que existem muitos irmãos que o querm bem, amparar suas aflições, amaciar seu coração endurecido pela causas que o levaram aquele estado, ensinar a perdoar para ser perdoado, a amar para ser amado.
      – Quanto aos espiritos superires ou bons espiritos, esses só aparecem aos trabalhos para comentarem e parabenizarem os trabalhos desenvolvidos com grande amor e dedicação que o é feito e quase sempre no final, sendo que este tipo de trabalho é voltado pqra nossos irmãozinhos desencarnados em aflição, por isso que se chama AUXILIO ESPIRITUAL, um pontinho de LUZ na imensidão da escuridão.

  39. Cris

    Muito legal esse blog, parabéns ao administrador do fórum. Li todos os questionamentos, e achei o nível muito sadio, as pessoas que escrevem me parecem cultas, se expressam com didática, PAZ & LUZ.

  40. Cleber

    Não curto religião, mas tenho certeza que esta parada toda, é uma pegadinha do Grande Pai/Mãe. Pois creio eu, que é da confusão que brota o discernimento.( Quem disse que um preto velho, é preto, e é velho? E daí ? E se for um preto, e velho? Porque devemos acreditar que se for um espírito que aparenta a pele branca e cabelo loiro é mais bonito?). A realidade que vivemos mostra que ninguém quer comprar uma imagem de um anjo preto!!!!
    Imagina??? Um Jesus negão? Simplesmente meus irmãos, o preconceito e o racismo continua invicto!!!!

  41. Kaoru

    Negro do século 19, de Louisiana…Poderia ter sido um espirito de um sacerdote de Vodu! 🙂
    @MDD – Ne?

  42. Cristovão Henrique Siqueira

    No domingo fui pela primeira vez em um terreiro, era dia de Preto Velho. Conversei com um deles brevemente e, apesar dos bons conselhos que me deu, os quais agradeço, foi tudo muito genérico. Confesso que saí na dúvida se falei com uma entidade ou com um médium picareta que conta a mesma história pra todos que vão falar com ele. Continuarei indo, talvez eu tenha alguma experiência que perfure a barreira de ceticismo.

Deixe uma resposta