A Morte de Jacques Demolay


“Nekan, Adonai! Chol-begoal!”. É desta forma que Jacques DeMolay, 23º e último Grão-Mestre da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, começou sua exortação final, ao ser queimado na fogueira junto com o seu mais fiel Preceptor, Guy d’Auvergnie.
O processo contra os Templários durou sete longos anos. Na época da prisão, em 13 de outubro de 1307, Jacques DeMolay contava 63 anos. Em uma ação comandada pelo Rei da França, Filipe IV, o Belo, e coordenada pelo seu maior conselheiro e executor, Guilherme de Nogaret, as Comendadorias Templárias foram tomadas de assalto na madrugada do dia 12 para o dia 13 e todas as posses foram confiscadas, assim como os membros da Ordem encontrados foram levados a torres e masmorras.

A ação tinha a aprovação tácita do Papa Clemente V, nascido Bertrand de Got, antigo Arcebispo de Bordeaux e elevado a Sumo Pontífice com a ajuda decisiva de Filipe, o Belo, em 1305. O papado estava em uma situação delicada, com os dois Papas anteriores mortos com grandes suspeitas de assassinato, e Clemente V não tinha forças políticas para se opor a tão grande rival como o Rei de Ferro, cognome do Rei da França.
Presos os Templários, Filipe viu-se preso às regras eclesiásticas e à Inquisição. De acordo com a Bula Papal Omne Datum Optimum, emitida pelo Papa Inocêncio III, em 1139, os Cavaleiros do Templo só deviam obediência ao Papa e, portanto, só pela Santa Sé poderiam ser julgados. Desta forma, tiveram início as provações de sete anos de torturas e interrogatórios.
Após cinco anos de processo, Clemente V, reunido com quatro Cardeais, decidiu que a acusação principal de heresia não havia sido provada e, no palácio de Chinon, redigiu o agora famoso Pergaminho de Chinon, que inocentava os Cavaleiros Templários. Contudo, Filipe, o Belo, sendo informado da decisão, enviou o Guarda-Selos do Reino da França e acusador principal do processo, Guilherme de Nogaret, que levava consigo um pergaminho com conteúdo exatamente oposto. Ameaçando Clemente V da perda da tiara papal, ele conseguiu tempo para que Filipe colocasse seus planos em prática.
Como Jacques DeMolay e três de seus Preceptores estavam presos em Paris, eles foram conduzidos à Praça Parvis, em frente à fachada ocidental da Catedral de Notre Dame. Aos quatro dignitários da Ordem foi oferecida a chance de confirmarem sua culpa e arrependimento no processo – desta forma, sua possível pena de morte seria comutada para prisão perpétua.
Contudo, para a surpresa dos presentes, Jacques DeMolay ergueu-se e indicou a tortura inclemente que sofrera durante os sete anos como responsável por sua anterior admissão de culpa e que, naquele momento, renegava tudo o que dissera como produto da dor, preferindo morrer a faltar com a verdade e com o compromisso com seus companheiros. Nisso, foi DeMolay secundado por Guy d’Auvergnie, que lembrou a injustiça da condução dos processos.
O impasse gerado pro essa declaração inesperada permitiu que Guilherme de Nogaret tomasse a palavra e declarasse a decisão de queimar, ao fim da tarde, tanto Jacques DeMolay quanto Guy d’Auvergnie na chamada Ilha dos Judeus – hoje, conhecida como Ilha dos Templários, no Rio Sena.
A tranqüilidade e passividade dos Templários contrastavam com o cenário da execução. O padre convocado para confessa-los recebeu como resposta “Guarde suas orações para o Rei”. Às margens do Rio Sena, um palanque havia sido armado e a família real, assim como grandes autoridades do Reino da França, observavam quando fogo for ateado à pira de execução.
É nesse instante que Jacques DeMolay estendeu seu braço em direção ao palanque e pronunciou sua maldição – “Nekan, Adonai! Chol-begoal!”; palavras hebraicas que significam “Vingança, Senhor! Abominação a todos!” Em seguida, o Grão-Mestre convocou seus três algozes, Papa Clemente V, Rei Filipe, o Belo, e Cavaleiro Guilherme de Nogaret, a comparecem diante do Tribunal dos Céus dentro de um ano para serem julgados. Por fim, amaldiçoou a dinastia de Filipe por 13 gerações. As chamas, então, consumiram seu corpo, mas nem um grito de dor do Grão-Mestre dos Templários foi escutado e o choque de suas palavras era visível no rosto das autoridades presentes.
As teorias divergem sobre se a maldição tinha natureza mística ou terrena – ou seja, se era um pedido aos céus e às forças superiores ou se era uma ordem aos Templários que não haviam sido capturados pelas forças francesas. Em todo caso, os fatos corroboram sua eficácia.
O Papa Clemente V foi o primeiro a sucumbir, supostamente morto por causa de uma úlcera gastrointestinal pouco mais de um mês após a execução de DeMolay. Sete meses mais tarde, era Guilherme de Nogaret que passa mal durante um Conselho Real e morre envenenado.
Uma história famosa relata que o veneno utilizado era sulfucianeto de mercúrio, conhecido como “Serpente do Faraó”, letal quando inalado. Esse composto teria sido misturado com as cinzas da língua de um condenado à morte, elementos de uma forma muito específica de magia. Ambos teriam sido combinados ao pavio de uma vela que, ao queimar, envenenou Nogaret. O promulgador do artefato letal teria sido um Templário em busca de vingança por seu Grão-Mestre.
O último a falecer foi o grande Rei Filipe, o Belo. Durante uma caçada, o Rei de Ferro, assim chamado por não demonstrar emoções jamais, teve um mal súbito e caiu de sua montaria. Levado para uma das residências reais, Filipe agonizou durante dias, murmurando em seu tormento o nome de DeMolay e da Ordem dos Templários. Ao morrer, foi sucedido por seu filho mais velho, Luís X, o Teimoso, que não governaria por mais de dois anos. Seus dois outros filhos, Filipe V, o Alto, e Carlos IV, o Belo, tornaram-se reis da França, mas antes que catorze anos se passassem, estavam todos mortos.
Por Hugo Lima,
Secretário estadual de Ritualística da Ordem Demolay, RJ

Este post tem 26 comentários

  1. Lucas Félix

    Serenidade diante da morte na fogueira. Taí algo que demonstra a grandiosidade do homem. Conhecia a história de Jacques, e ainda me impressiono lendo ela. Tanto por ver a coragem do homem, quando pelos resultados de sua maldição… fico sempre com uma pulga atrás da orelha, ou duas. Hehe.
    Poxa, os jovens que carregam o nome “DeMolay” deveriam se sentir honrados com isso, por fazer parte de tal Ordem.

  2. raph

    Nada como uma “doce vingança” para garantir mais uma dezena de vidas na roda… Em todo caso, seu ódio era mais do que compreensível.

  3. Lucas

    Para os aspirantes a carreiras jurídicas e estudantes de pós-graduação, o estudo do processo dos Templários é uma excelente referência de tudo que existe de ruim e falho na justiça criminal. Inclusive esse instituto absurdo de reincidência, que condenava a morte os que retratavam suas confissões (p/ o estado, era culpados da heresia e reincidiam nela ao negá-la, depois de confessada).

  4. Lucas

    E é pelas razões que apresentei no comentário anterior que alguém já disse que “a tragédia dos Cavaleiro do Templo despertou nos povos latinos a consciência da necessidade de liberdade”.

  5. Neófito

    Caro irmãozinho Marcelo,
    O que vc acha desse site?
    xxxxxx
    Eu achei picaretagem, mas gostaria que alguém mais experiente que eu desse uma olhada. Me pareceu caça-níqueis, pois além dos cursos eles vendem serviços(limpeza de ambientes, remoção de maldições, etc )
    É correto cobrar por uma consulta? Tarot, Mapa astral, reiki?
    Obrigado e Paz Profunda.
    @MDD – Você “achou” picareta??? rsrsrsrs me-do… vou encomendar uns imãs de geladeira atlantes pra colocar na minha casa.

  6. Luiz Martins

    Muito ironico o fato de um dos causadores da morte do DeMolay se chamar “clemente”

    1. Rafael"

      o nome verdadeiro dele era ‘Bertrand de Got’, Clemente apenas era seu nome papal, isso como Bento XVI que seu verdadeiro nome é ‘Joseph Alois Ratzinger’. Abraços Fraternos . .

  7. Renato Andrade

    Realmente Lucas, nós Demolays nos sentimos muito honrados por carregar o nome desse mártir em nossa augusta ordem.
    E participando da Ordem Demolay, podemos conhecer “de perto” a história de Jacques e dos templarios e de certa forma presenciar o belo exemplo de lealdade e companheirismo deles.

  8. Diego C.

    E hoje é tambem o dia Nacional Demolay.
    Parabens a todos os irmãos do mundo ! Muita força para que possamos continuar nos trabalhos dessa venerável Ordem.
    Abraço a todos

  9. LH"

    ótimo texto, Tio… Cabe salientar que, 605 anos após a execução, em 18 de março de 1919, 33 jovens reuniam-se para organizar oficialmente a Ordem DeMolay. Vinte anos depois Frank S. Land descobriria que 18 de março foi a data do falecimento de Jacques DeMolay. ( http://mesademolay.wordpress.com/2010/03/18/18-de-marco/ ).
    E hoje, pela primeira vez, no ano em que comemoramos 30 anos de Ordem DeMolay no Brasil, tambem comemoramos, oficialmente, o Dia Nacional do DeMolay, Lei 12.208/2010, sancionada pelo Presidente Lula…
    Quanto ao Pergaminho de Chinon, tem um livro bem interessante: “Os Templários e o Pergaminho de Chinon” de Barbara Frale.. o Tio conhece?
    inclusive, estava pesquisando sobre a autora e achei a seguinte notícia: http://escuadrondelaverdad.wordpress.com/2009/11/23/%C2%BFse-encuentran-palabras-escritas-en-la-sabana-santa/
    Além desta tese, existe alguma outra teoria ou “lenda”, de escritos no santo sudário?
    um abraço!

    1. Tania Santos

      Se algum DeMoley se interessar pelo Santo Sudario, temos um ótimo livro de Thomar de Wesstow – O sinal – o Santo Sudário e o Segredo da Ressureição.
      Ótimo livro para reflexão.
      Paz e Luz aos Cavaleiros do Templário.

    2. Conspiration

      Muito estranho a numerologia né, 33 adolescentes (graus da maçonaria) se reuniram dia 18 (6+6+6) e fundaram uma ordem (maçônica jovem) demolay. Já li que Jacques foi morto por estar abusando dos jovens que eram enviados para servir na orde dos templários. Isso é muito sinistro pois a Demolay só aceita jovens.

  10. Lucas Barbosa Oliveira

    O que eu acho interessante, é que esse texto explica muito mais que qualquer ritual feito dentro da ordem DeMolay. A outra coisa que eu acho interessante é que agente não beira uma fração de infinito de compreensão por quê o nome é DeMolay. E a outra coisa, é que se tivessemos vergonha na cara pra poder estudar conforme deveria ser e buscar conforme ser buscado, “nossas” ordens não estariam do jeito que estão. A ordem DeMolay é uma das instituições mais fortes que existem hoje e infelizmente está sendo sub-aproveitada. Peço aos DeMolays que aqui passarão que reflitam intensamente sobre o potencial dessa organização, e como ela pode ser usada para o bem, sempre respeitando os limites alheios e o desenvolvimento natural da pessoa, para que possamos contribuir para um mundo melhor SEM NECESSIDADE DE FAZER REVOLUÇÃO que não é e nunca foi parte dos nossos ideais.
    Que consigamos levar pros congressos esse ano assuntos que realmente possam fazer-nos aprofundarmos espiritualmente para assim conseguirmos cumprir nossos objetivos de uma forma mais eficaz.
    Ou vocês querem ficar fingindo que estão fazendo alguma coisa nos congressos enquanto somente a sala de lideranças estariam lotadas?
    Perdão desabafar por aqui, talvez seja retrato da nossa incapacidade de nos comunicarmos com os poderes e com os demais membros através deles, talvez algumas reformuladas a longo prazo cairiam bem para nós.
    Que deus nos abençoe, e abençoe a causa da nossa instituição assim como seu patrono.
    Muito Obrigado.

  11. IRR

    O que aconteceu com os executores do Demolay é fruto da maldição que Jacques lançou em sua morte ou da lei do karma?
    Uma pessoa pode lançar uma maldição contra a outra? (Assim como acontecia constantemente no antigo testamento) Isso não é uma ato de egoismo(vingaça)? Pois todas as pessoas se acham certas para os própositos que lhe é de interesse. “Sempre o outro que é do mal, eu sou sempre do bem.”

  12. Joan

    “Pape Clément ! Roi Philippe ! Avant un an, je vous cite à paraître au tribunal de Dieu pour y recevoir votre juste châtiment ! Maudits ! Maudits ! Tous maudits jusqu’à la treizième génération de vos races !”
    Eu sempre quis saber o que aconteceu com a décima terceira geração. hahah
    Agora recomendo todos assistirem “Les rois maudits” completo ou o primeiro episódio da série que se chama “Le Roi de Fer”. http://www.youtube.com/watch?v=UwdALgQXa4Y
    Agora a dúvida mortifera que me aterroriza é de porque eu li em A chave de Hiram, vi nesse romance histórico “Les Rois Maudits” e li neste link http://www.infologisme.com/fr/article.php?AIndex=56 que aparece como companheiro que morreu na fogueira foi Geoffroy de Charnay e não Guy d’Auvergnie como aparece num certo lugar que você sabe onde é? Essa pergunta estava me engasgando faz eras, ficaria feliz de saber.

  13. Felipe Dacal

    Joan: Quando aos nomes “Geoffroy de Charnay e Guy d’Auvergnie” até onde sei pelos meus estudos é um problema de tradução e o que o MDD usou é correto.
    Lucas: Quanto a ritual não citarei muito coisa, a única coisa que falo tem muita alegoria, pois o ritual nos faz levantar questões e correr atrás das respostas. Agora quanto a parte espiritual nos congressos, sugiro que procure o convento de cavaleiros de sua região que lá você estudará e muito sobre templários e questões mais profundas, se desejar me mande um e-mail ([email protected]) e agente conversa melhor.
    Muitos comentaram sobre as maldições… Uma coisa que é importante lembrar que muitos templários sobreviveram, muitos viveram em outras ordens como a dos pobres cavaleiros de cristo (portugal), portanto foi vingança de templários até mesmo porque eles possuiam uma certa rede de informação, mesmo após o termino da ordem.
    Quanto ao seriado ele baseia-se no livro o Rei de Ferro de Maurice Druon (é um romance, mas vale a pena ser lido).
    MDD: Parabéns pelo texto muito bom!!! recomendaria a leitura para qualquer DeMolay, principalmente iniciáticos… Uma coisa interessante de citar é que o Rei controlava o Papa, porque a maioria dos dos cardeiais que o nomeou papa era francês e servia ao rei. Outro fato sobre os dois últimos reis, e dizer que o anterior excomulgou o Rei Felipe e recebeu ameaças, sendo até cercado em um castelo por tropás francesas.
    Abraços,
    FDF

  14. Hugo Lima"

    MDD,
    Ecoando as palavras de outros que aqui comentaram, parabéns pelo texto.
    Ê vida que segue…

  15. Joan

    Geoffroy de Charnay = Guy d’Auvergnie
    Cheguei a cogitar esta possibilidade nesta semana, obrigado mano Felipe”

  16. Arthur

    Parabens pelo Demolay que escreveu esse texto!!
    Mostra não só o grande preparo que muitos Demolays tem no Brasil como também do Estado do Rio de Janeiro – que é o Estado de onde o Irmão é Secretário de Ritualistica
    Abraços \o

  17. Pedro

    Jacques DeMoley se vingou de seus três assassinos: a Ignorância, o Fanatismo e a Tirania, como certa vez li.
    Mas, MDD, quanto esse fato pode ter lhe rendido problemas kármicos?

  18. Rafael" Minas

    Ao amigo que se pergunta sobre a 13ª geração:
    como foi falado… JD amaldiçoou as 13 gerações futuras de seus executores… isso é MUITO dificil de provar historicamente. Porem, o romance “os reis malditos” (que tem o nome devido a maldição de JD) tem 7 capitulos… que retratam as sete gerações de reis franceses a partir de felipe IV o belo… e as sete sao de fato amaldiçoadas (ou convenhamos parecem ser)… ate entao eh comprovado que o reinado dessa geração eh muito curto com mortes curiosas… da setima geração para frente a historia perde o rumo quanto a vingança com a familia real… porque na guerra dos 100 anos a dinastia dos capetinos (dinastia de felipe o belo) perde o trono para outra familia… logo… se a profecia de JD se cumpriu foi cumprida com algum anonimo na historia… logo nao tem como ser provada…. agora… quanto a 13ª geração… eh uma historia muito curiosa… durante a revolucao francesa reinava Luis XVI (casado com maria antonieta.. o que já é uma maldição a parte)… luis XVI por acaso é um rei de uma dinastia mista com a Capetina (casa de Felipe o belo) e tambem é o 13º monarca da dinastia capetina… e quando esse rei é morto na guilhotina, os livros especializados na revolucao francesa conta que um homem no meio da multidao sobe no palanque onde ocorreu a execução, molha sua mão com sangue contida no balde onde foi depositada a cabeça do rei luis XVI e grita para o publico presente que a maldição havia sido cumprida… agora tire suas conclusões… inclusive existem pinturas deste acontecimento que para mim parece muito plausivel… por fim… alguns escritores acreditam que as familias de Clemente V e Guilherme de Nogaret também foram amaldiçoadas… mas a familia de Bertran nao tem importancia nenhuma na historia e se alguma coisa aconteceu nada foi documentado… e nogaret, acredita-se que venha de uma família cátara… logo fica mais dificil ainda de saber se sua maldição continuou… espero ter ajudado… para tirar mais duvidas sobre esse tema indico a coleção “les roi maudits” de maurice druon e o ultimo livro da trilogia do templo: esquin de floyrac – o fim do templo do nosso tio zé rodrix… beijo!

  19. P.Renato

    Por Deus,Pela Pátria,Por DeMolay

  20. Diamantino.jcf

    Não esquecer que todos os Templários que escaparam fugiram para a cidade portuguesa de Tomar na qual foram protegidos pelo rei D. Dinis e rainha santa Isabel criando assim a sussessora ordem dos pobres cavaleiros de Cristo

  21. Gian

    Manos,
    após a última sessão no capítulo. Um maçom disse que a prisão de Jacques e seus preceptores foi feita mediante uma “eleição”.
    os próprios mestres antigos da ordem resolveram se deixar serem presos,
    para que os mais novos fugissem, para Portugal e espanha.
    interessante não?
    Jacques continuaria a ser nosso mártir, e com mais força pois decidiu “entregar-se” para que a ordem prevalece-se.

  22. Angelica

    O que eu nao encontro em lugar nenhum eh sob qual a acusação prenderam ele, foi heresia mas baseado em que?

Deixe uma resposta para Erick Cancelar resposta