A Mística dos Sons

Os sons sempre foram tomados em consideração pelos místicos de todos os tempos, por se tratarem de manifestações vibratórias que envolvem princípios altamente efetivos para determinadas práticas. Nas línguas antigas as palavras, além de um sentido comum, tinham também um sentido esotérico, isto é, eles tinham um sentido oculto. Uma palavra não era uma aglomeração casual de sons.

Diz a ciência que nos primeiros agrupamentos da raça humana os homens primitivos pronunciavam sons que atribuíram a determinados objetos, nascendo assim uma forma de linguagem falada. Com o passar dos séculos e com a evolução biológica, os seres humanos tornaram-se muito mais inteligentes e então desenvolveram uma forma de linguagem mais complexa, não mais um simples aglomerado de sons, formando-se então as palavras. Numa segunda etapa descobriram que as palavras podiam envolver poderes. Tomemos um exemplo para ilustrar o que está sendo afirmado. Por exemplo, para dar nome à “guerra” os usaram um aglomerado qualquer de sons. Posteriormente, nas civilizações mais evoluídas, a palavra “guerra” passou a ser uma outra que já não era apenas um simples grupo de sons quaisquer, mas sons especiais que ao serem devidamente emitidos produziam vibrações capazes de irritar as pessoas e incitá-las à luta. Por outro lado, para a palavra “amor” havia um outro grupo de sons capaz de induzir vibrações de dedicação de dedicação e carinho, originando um estado psicológico adequado ao amor. Assim, grande número de palavras tinha também um sentido esotérico além do dar nome às coisas.

Agora vale fazer alguns comentários a respeito do alfabeto hebraico. Aquele alfabeto admitido como sagrado, segundo o mito foi doado a Abraão por Deus. Nele há sons que ao se unirem formando palavras podem provocar estados físicos e psíquicos especiais. Existiram muitas outras línguas que também tinham essa propriedade – o “Alfabeto Sagrado, o Vaitã, o Malachin e vários outros – mas já totalmente caídos no esquecimento. O único que perdurou em uso até o presente foi exatamente o hebraico, contudo, através dos anos, ele já sofreu algumas transformações que, em parte, alteraram o seu significado esotérico”.

A perda do sentido esotérico das letras vem fazendo com que atualmente as palavras de todas as línguas estejam voltando a ser como no início, apenas um aglomerado de sons para dar nome às coisas. Apenas resta o conhecimento esotérico sobre aqueles alfabetos guardados pelas Sociedades Iniciáticas.

A história de vários povos, incluindo a dos hebreus, atribui que cada linguagem era sagrada porque lhes foi ensinada por Deus. Para os que admitem que a terra já sofreu a interferência de seres vindos de outros sistemas, então, para eles há a possibilidade de que tais seres hajam deixado uma forma de linguagem que os terráqueos consideraram desde então como sendo uma linguagem sagrada.

O próprio Deus dos Hebreus tinha uma palavra sagrada composta pelas letras Iod He Vau He e que nunca deveria ser pronunciada, a não ser pelo Sumo Sacerdote, no Templo uma vez por ano.

Esotericamente as letras, e com elas as palavras, têm poderes, porém não é somente o “som” da letra que traz o poder, também a maneira como ela é pronunciada, considerando-se a sua duração, intensidade, timbre e altura.

Por encerrar poder resulta a recomendação evangélica de “não usar o nome de Deus…” Posteriormente foi acrescido das palavras “em vão”.

A energia vibratória gerada pelas palavras não tem a mesma intensidade, ela varia de acordo com as letras, timbre, altura, etc. Há palavras de maior, assim como palavras de menor poder. Daí havia palavras de excepcionais poderes, e uma dela em especial que era denominada de “A Palavra Sagrada”. Trata-se de uma palavra capaz de realizar coisas magníficas, tanto ou quanto fenomenais. Trata-se de uma palavra dotada de uma imensa capacidade de creação. Dentro de certos limites, ela é totipotente. Mas, por ser de uso extremamente restrita tornou-se acabou por se tornar desconhecida, e é por isto hoje é denominada de A PALAVRA PERDIDA. Trata-se de uma palavra que já era conhecida no tempo da Atlântida e de outros ciclos de civilizações. Quase todas as chamadas doutrinas secretas procuraram redescobrir a Palavra Perdida, e muitas delas dizem havê-la conseguida. É possível que isto seja verdade, mas afirmamos que, mesmo na hipótese dela haver sido redescoberta os sons precisos inerentes às suas letras não o foram.

Um outro ponto que vale salientar é o poder da visão. Muito poder está ligado à visão, em especial aos olhos. Em época recente muito foi comentado sobre o assassinato de um grupo de pessoas em Los Angeles por seguidos de Charles Manson. Este, durante o período que esteve preso teve acesso a uma obra esotérica, uma obra ocultista que versava sobre o poder da visão. Na cela ele começou a treinar e a desenvolver o poder da visão. Quando saiu do presídio ingressou num movimento Hippie e fundou uma comunidade com vários jovens que foram induzidos a cometer os assassinatos de 18 pessoas, inclusive a atriz Sharon Tate. Aqueles jovens foram induzidos, não somente pelo uso de drogas, como a imprensa quis fazer acreditar, mas especialmente pelo poder terrível que Manson desencadeou neles. Eles estavam plenamente dominados e fascinados num nível muito além da hipnose pelo poder dos olhos de Manson.

Na realidade é difícil se dizer quem teve maior parcela de culpa no referido massacre; se foram os jovens dominados psiquicamente pelo poder esotérico visual de Charles Manson, se o próprio Charles, ou se alguém que haja traído, ou mesmo negligenciado, os juramentos secretos, descuidando-se de um livro que sob forma alguma deveria cair em mãos profanas e, muito menos, criminosas. Não é que muitos profanos não sejam dignos de terem conhecimentos de tal natureza, mas é porque se faz preciso certo nível de preparação para que uma pessoa possa tentar certos processos mágicos. Antes ela deve se submeter a uma certa disciplina ter conhecimento sobre aquilo que irá usar, especialmente sobre os perigos intrínsecos das coisas secretas.

Para alguns, todo e qualquer conhecimento pode ser dado sem necessidade de “provas”, exatamente para as pessoas equilibradas, mas para outros é necessário alguma espécie de teste que possa provar que eles estão à altura daquele tipo de conhecimento.

Algumas Sociedades Secretas e algumas Religiões conservaram alguma coisa daquele conhecimento sublime referente aos sons. Algumas, sob a forma de vocalizações musicadas – hinos sacros – como, por exemplo, na Igreja Católica onde podemos encontrar o Canto Gregoriano e o Cantochão; outras, sob a forma de Mantras ou de entoação de vogais, que despertam nas pessoas condições místicas especiais.

NO PRÍNCIPIO ERA O VERBO
A própria criação se originou da “palavra”. Isto significa que a própria criação foi a conseqüência de uma emissão vibratória do Princípio Incriado. Não é correto pensar que Deus construiu o mundo com as mãos ou com o emprego de quaisquer instrumentos. Não, simplesmente Ele fez vibrar a Sua Essência, o princípio básico passivo e tudo começou a existir, pois tudo é vibração e som é vibração. (Vide o tema ATRIBUTOS DA DIVINDADE).

Outro ponto que merece ser mencionado diz respeito ao nome individual. O nome tem grande significação oculta para a pessoa, pois qualquer nome tem a capacidade de interferir energicamente e se é assim por que então não está sujeito a advirem influências relacionadas? – Certamente, o nome é algo que merece muita atenção por ter um sentido esotérico decisivo.

O nome que uma pessoa recebia no batismo, no passado, era um nome esotérico e conseqüentemente tinha uma função além daquela de denominar a criança. Então era um nome estudado de acordo com o caráter da criança. Pelo nome muita coisa pode ser feita, por isto os egípcios do período faraônico tinham dois nomes, um secreto que ninguém sabia a não ser ele próprio, o pai, e a mãe; e um outro pelo qual era conhecido.

Evidentemente, neste sentido há um manancial enorme de superstições, mas superstições geralmente resultam das interpretações deformadas ou limitadas de algum princípio real ou de uma lei verdadeira, ou de algum fenômeno mal estudado ou mal compreendido. Assim todo o “tabu” relativo aos nomes se baseia em algo real.

Na China antiga havia um nome habitual e um secreto. Na Índia, a cerimônia de denominação, o Nakarama, que ocorre no l0º ou 12º dia de vida, a criança recebe dois nomes. O verdadeiro nome é secreto, assim a sua identidade esotérica permanece oculta e não podendo ser usada pela magia negra, segundo eles.

Até mesmo as cidades antigas como Atenas e Roma, por exemplo, possuíam nomes secretos, o de Roma, por exemplo, era Fora. O poder da palavra também está refletido no mito de inúmeros povos. Embora se trate de mito, mesmo assim, merece certa atenção porque muitos mitos se baseiam em fatos admitidos.

Nos Contos árabes “As Mil e Uma Noites”, Ali Babá abria a gruta dos ladrões com as palavras; “Abre-te Sésamo”. Não estamos afirmando que aquele conto retrate algo que realmente haja acontecido, mas sim fazendo ver que aquela estória, em muitos pontos, se baseia em conhecimentos conhecidos em outras épocas. Evidentemente com o poder dos sons é possível se abrir algo, ou melhor, produzir efeitos materiais somente com os sons das palavras. Em breve surgirão computadores com capacidade de abrir, ou fechar coisas apenas por comando da voz.

Os cultores da Cabala têm muito cuidado com os nomes próprios e dizem mesmo que uma pequena modificação no nome de uma pessoa pode modificar-lhe completamente a vida.

A própria Igreja Católica até bem pouco tempo não via com “bons olhos” o uso no batismo de nomes formados aleatoriamente, dando preferência àqueles já consagrados pelo uso. Para alguns sacerdotes isto se devia apenas à uma merecida preferência pelo nome tradicional para se homenagear um determinado “santo”, mas na realidade a razão é outra. Trata-se de um conhecimento, que por vir de muito distante no tempo já ficou completamente esquecido por muitos ministros de religiões. Isto data da época em que os cristãos ainda não haviam esquecido e abandonado o lado esotérico do Cristianismo.

Não são apenas os humanos que são sensíveis aos sons e que apresentam modificações de comportamento diante da música. Evidentemente certos animais também são sensíveis, não apenas os animais domésticos, mas também os selvagens. Consideremos, como exemplo as ser-pentes. Quem não tem conhecimento a respeito dos “encantadores de serpentes” tão comuns no oriente! As serpentes[1] ficam como que hipnotizadas pelos sons produzidos por uma flauta, e nisto muitas vezes não está ligado a qualquer tipo de trapaça.

Muitos Livros Sagrados trazem citações sobre o efeito dons sons. Na Bíblia está descrito o episódio em que Josué fez ruir as muralhas de Jericó com o toque de trombetas.

Autor: José Laércio do Egito – F.R.C.

Este post tem 30 comentários

  1. Carlos Magno

    Marcelo,

    Excelente a conotação. A “palavra perdida” , como você mencionou, era uma linguagem realmente mágica que depois se perdeu. No entanto, acredita-se ser a mesma que voltou a um plano superior e passando por ajustes resultou no Senzar, unicamente falado pelos iniciados, embora aqui na Terra ainda seja utilizado por adeptos com elementos criptográficos.

    Estou lá aguardando. Grande abraço.

  2. EPU

    muuuuuuito obrigado irmão, tava esperando esse!
    PP

  3. Muitíssimo interessante.
    Espero que tal assunto seja cada vez mais abordado 🙂

  4. Habib

    Realmente, o som emitido pela palavra, enquanto manifestação da VONTADE, possui poderes a serem ainda conhecidos mais profundamente pelo homem.
    Só achei que nosso amigo José viajou quanto aos encantadores de serpentes.
    As serpentes não ficam encantadas pelo cheiro da urina do rato que é aspergida na ponta da flauta?

  5. Tomás.

    Também é interessante falar que muitos usuários de runas. Produziam efeitos apenas verbalizando as palavras de uma determinada sequencia de Runas.
    O própio criador das Runas Wotan(Odin) em uma lenda ”Entou palavras magicas e o fogo apagou as correntes cairão e o tirano morreu” Por isso não só os hebreus mas muitos outros povos usaram e o poder das palavras em suas façanhas.

  6. Lux

    Putz tava indo tão bem…. pena que vacilou com o lance da serpente se hipnotizar com o som =[

    Mas estou apaixonado pelo site,
    os últimos textos sobre o efeito das vibrações sonoras são juntamente com o efeito das cores meu assunto favorito.

  7. Tainã

    DD,sei q ñ tem nada a ver,mas eu achei uns comentários e umas fotos dos debates entre vc,o pastor Farias e uns outros caras sobre os RPGs e Harry Potter.É q ja faz alguns anos,eu ñ vi e nem achei o debate na net,como eu faço pra ver?

    @MDD – Não sei… eu tenho em VHS. Acho que teria de converter pra DVD e depois picar e jogar no youtube. Preciso arrumar um tempo livre pra fazer isso, mas acho que vai demorar…

  8. Vinicius Lira

    Muito bom o post. Música é uma das coisas mais belas que a natureza ja produziu!

  9. kK

    É admirável a clareza com qual este Frater escreve.

  10. ALM

    Caríssimo Tio Marcelo:

    há alguns anos, cientistas da Inglaterra (eu acho) estavam tentanto “recaptar” as ondas sonoras que por algum motivo foram direcionadas a um determinado material. Eles pressupunham que se alguma vibração atinge a matéria, esta então “guardava” sob camadas a informação. Logo, analisaram fragmentos de rochas muito antigas no ensejo de redescobrir um som do passado.

    É possível uma energia que não a informação mecânica de onda sonora, e sim de energia da reverberação sonora no astral (caso dos mantras, palavras mágicas, por exemplo) permanecer em algo material sem se dissipar?

    Caso exista esta “informção sonora”, para “retirá-la e identificá-la” seria necessário “vibrar na mesma frequência” também no astral?

    Amplexos fraternais,

    ALM

  11. Vinicius

    Oi Mdd. Vc está puxando muito sobre esse tema ultimamente…

    Minha pergunta:
    Tem alguma relação com o gosto musical e os chacras que a pessoa tem desenvolvidos? Qual seria essa relação?

    Uma observação:
    Pelo o que eu li, as cobras são meio surdas, e ficam “hipnotizadas’ pela flauta pois ela contém uma substância que chama sua atenção. Se eu não me engano, e urina de algum animal… Tirando isso o texto foi muito bom!!

  12. Miguel

    Falando em ciência ortodoxa, recentemente um grupo de cientistas mundialmente famosos, desenvolveu uma teoria, chamada a teoria M, nessa teoria, que fala sobre o bigbang, e o universo, eles adimitem que ele é construido por cordas, e o que existe é resultado da vibração das cordas, digamos que a materia forma-se como uma sinfonia. Inicialmente a teoria era a teoria das cordas, mas devido a uns erros sobre o numero de dimensoes existentes, adimitiam 10, 9 espaciais e 1 temporal, e isto deu origem a 5 teorias diferentes, foi entao que alguem chegou a conclusao que existiam 11 dimensoes 10 dimensoes espaciais e 1 temporal(junção com a teoria da Supergravidade), e nasceu a teoria M hoje adimitida pelos cientistas como a melhor teoria que explica o universo, ou os multiplos universos visto que ela defende que existe uma infinidade de universos paralelos. Tirem as vossas proprias conclusoes 10 dimensões, cordas e universos paralelos…. onde é que eu já vi isto.
    http://www.youtube.com/watch?v=o9LV9vaGxJQ&eurl=http%3A%2F%2Fwww%2Esaindodamatrix%2Ecom%2Ebr%2Farchives%2F2005%2F11%2Fbbc%5Funiversosparalelos%2Ehtml&feature=player_embedded link do documentario da BBC.

  13. alessandro

    “Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.”
    Apocalipse 2:17.
    Este nome ao qual o texto bíblico refere-se é o Nome que receberemos do nosso Sagrado Anjo Guardião, o “abre-te sésamo” para a Iniciação?

    Iod He Vau He – IHVH, YAVEH, Jeová… esta palavra perdida não seria o próprio nome do Deus dos Hebreus?

  14. Frango

    Bom o post é meu jovem Padawan.

    Interessante saber que os sons despertam tais sentimentos em pessoas. Seria o caso dos esquimós, que usavam uma certa palavra para acalmar suas crianças enquanto elas estavam agitadas? Foi a primeira coisa que me veio a cabeça quando vi o começo do texto.

  15. EPU

    meus posts não aparecem mais : (
    geralmente nem é pergunta é só para agradecer mesmo

    muito obrigado mais uma vez mesmo assim

  16. Alessandro

    Ola Tio MDD!
    Aproveitando que este post é de magia prática, gostaria de compartilhar e tirar uma duvida sobre umas coisas que vem acontecendo comigo. Tenho feito uns exercicio propostos por Franz Bardon já a uns 2 meses: Fico de expectador do meu próprio pensamento, e fico observando o que se processa na minha mente, e depois tento bloqueá-los e fazer com que ele fique proximo do zero absoluto. O que temacontecido, é que de uns dias pra cá, tenho observado que entro em sintonia com pensamentos que não diz respeito nem a mim e nem minha familia e nem ao meu trabalho, por exemplo, captei algo como; “Preciso colocar gasolina com meu cartão de crédito”. Achei estar sonhando, mas não estava, estava muito lucido, isso foi totalmente nitido, como se eu estivesse vivendo isso, mas não tenho cartão de crédito e nem carro.. Achei isso muito estranho, será que penetrei no mundo dos pensamentos e captei algo sem sentido que estava solto ali, e derrepente entrei na mesma frequencia (mto material por sinal, preciso melhorar se for isso) Ou teria me conectado a alguem telepaticamente?
    Gostaria que me respondesse, não importa a resposta, nem que for um ” Voce tá delirando” ou “Voce está totalmente enganado”
    Me coloco no lugar de uma criança, to aqui pra aprender mesmo…
    abraços!
    Logo estarei me filiando a uma Egrégora!

    @MDD – Continua com os exercícios… está indo no caminho certo. Pode ficar tranquilo que você não está delirando, você só conseguiu tangenciar a mente coletiva por um momento.

    1. Jão

      Qual exercio foram esses que você fez ?:

      e onde posso encontrar ?

      Obrigado!

    2. Hounston

      Alessandro isso vive acontecendo comigo,só que comigo é durante o dia dia. .

  17. Déia Tuam

    Valoroso e Vigoroso Verbo! Explendidamente Empregado! Radioso! Benéfico! Oxêêêênti!!
    XD

  18. Alef

    Alessandro (desculpe MDD, sei q aui não é fórum),
    mas queria fazer uma observação. Os exercícios do FB são sequenciais. Não se deve fazer os três juntos (Controle do pensamento, disciplina e domínio- se bem me lmbro), durante um período deve ser feito o primeiro e, só após o domínio deste, se passa aos seguintes. Todos são fundamentais, por mais simples que pareçam. Não vou comentar minha experiência, pois ela está em andamento.
    Recomendo um pouco de pranayama antes. Comigo funcionou que foi uma beleza (dá uma lombra relaxante hehe). Eu uso uma adaptação pessoal do exercício do pilar do meio em seguida. Só então eu passo aos exercícios de Bardon. Cada um, cada um.
    Percebi que método dele só funciona plenamente se for seguido por completo (Espírito/mental, Astral/emocional e físico/corporal). O cara é tão bom que, quanto mais vc estuda outras coisas, mais percebe que ele está certo.
    Sucesso, paz e responsabilidade!

  19. Kevin

    interessante o que o Alessandro falou. As vezes isso também me acontece espontaneamente.

  20. alessandro

    Olá Alef!
    (Sorry Tio MDD por estar usando seu blog como um forum… Mas pode ter certeza, que é para o nosso crescimento.)
    Valeu pelas dicas, ainda estou no primeiro exercicio ainda da primeira fase, que são exatamente estes dois que comentei no post! FB pede pra fazer em uma semana, mas como meu “tempo” é um pouco diferente, por causa do trab, estudos, familia.. etc.. ja tem uns dois meses, e só vou passar para o próximo quando sentir que já estou dominando o anterior. Tenho feito o pranayama, realmente melhora muito… Agora vou adicionar o exercicio da Cruz Cabalistica, do ultimo post aqui do TDC!
    Nem sei se posso disponibilizar meu email para manter contato, mas seria bom trocar experiencias, claro que cada um é cada um, mas como ainda não participo de nenhuma Egrégora, tem muitas coisas que acontecem e não tenho com quem falar, por isso peço auxilio aqui pro TIO MDD!
    Muito obrigado mesmo!
    Sucesso e paz para voce também nessa Senda rumo a Iluminação!

  21. Bernardo

    Alef e Alessandro,

    Tem a parte lá do forum do Teoria da Conspiração neste site aí –

    http://www.daemon.com.br/forum/

    Abre lá um tópico de Experiências pessoais ou então do Franz Bardon para discutir sobre o método que será muito bem vindo, eu acho, já que não sou o moderador 😛 .

    PS: Estou falando isso mais porque vcs ficaram pedindo desculpa por usar o blog como forum e não sei se vcs sabem que tem o forum. De qualquer forma fica o comercial do forum.

  22. Alef

    Você participa de várias egrégoras sim. Uma pequena meditação pode confirmar isso, e vc constatará por si.
    Vamo lá. Se o nosso honorável baloarte super-sayadin XII-mega-mestre Deldebbio permitir, lá vai o meu e-mail. Não só para o Alessandro, mas para quem quiser falar sobe esses assuntos (chingamentos, opiniões, sugestões de leituras e exercícios- não necessariamente nessa ordem).
    [email protected]

    “tudo é permitido” [mas nem tudo convém]

  23. alessandro

    Grande Bernardo!
    Valew pela dica…
    Falei um pouco de minha experiencia, pois não tinha certeza do que estava acontecendo, precisava de uma diretriz pra saber se estava no caminho certo. Acredito que o Tio Marcelo, tenha enxergado isso.
    Mas como o proprio FB diz: ” O maior poder reside no silêncio”.
    Partindo dessa premissa, não sei até que ponto isso pode ser sadio pra mim e para os que teriam acesso à essas informações. Já to cadastrado lá no forum, acredito que fui um dos primeiros, lá temos mais liberdade para debatermos assunto semelhantes a esses, porém fica a grande duvida: Até que ponto?
    Gostaria de um parecer do Tio MDD, até mesmo para usarmos e abusarmos da maneira mais sensata possível do nosso fórum!

  24. Diogo

    As serpentes ficam seguindo o movimento da flauta se preparando para dar o bote,
    elas sao quase surdas. Não acreditem em tudo que voces leem, vcs condenam as religioes mas acreditam cegamente no ocultismo, qual a diferença?
    Quanto ao alessandro e seu pensamento estranho..acredito q isso acontece comigo tb, comigo e acredito que com quase todas as pessoas. É mais ou menos quando nós estamos num estado entre o sono e a vigilia e os pensamentos começam a ficar doidos , quando nós estamos deitados na cama prontos para dormir ai isso acontece, é normal

  25. Alef

    Acho que o MDD não exagerou não.

    Em tempo:
    Eu só acredito no que já comprovei. Ainda assim, nunca esqueço que estamos em Maya.

  26. Kathlen

    Isso foi bastante interessante… estava buscando algo mais psíquico para minhas pesquisas sobre ondas sonoras…O verbo para a criação: energia que vibra!!!!

  27. renata

    Com surgiram os idiomas na ótica ocultista?sera a historia bíblica verdadeira
    Ou uma meia verdade ?

    @MDD – pelamordedeus… a lenda da torre de babel refere-se à Magia, ao Princípio da Escada de Jacob, que é uma verdade, mas que cada cultura interpreta de uma maneira diferente… é o que tenho demonstrado nesse blog ha 3 anos…que todos os sistemas magisticos vieram de um ancestral comum

    Em relação ao nome, o PAPA ( quando se torna um ) escolhe um nome, onde
    Mostra o tipo de coisa que fará e como agira em seu mandato.

    Nas ordens iniciaticas,pelo que sei,em cada grau vc vai recebendo um nome
    Diferente. Essas varias mudanças de nomes ( e conseguentemente de personalidade )é o que faz “ queimar “ ( eliminar ) os karmas ? com isso, vc em uma ordem passará por todas as “ vidas “ e com o estudo e pratica vc combaterá os defeitos, assim atingira a iluminação ( redenção ) em menos tempo que um profano, pois em uma única encarnação será como encarnar varias vezes ?

    @MDD – Nao. seria bom se fosse assim, mas não chega nem perto disso…

Deixe uma resposta para Marcell" Cancelar resposta