A Metamorfose

Texto de Chuang Tzu (*)

Quatro homens entraram em discussão.
Cada qual falou:
«Quem souber
Ter o vazio como cabeça,
A vida como espinha dorsal
E a Morte como cauda,
Este será meu amigo!»
Nisto todos se entreolharam,
Viram que concordaram,
Riram alto
E ficaram amigos.
Depois um caiu doente
E o outro foi visitá-lo.
«Grande é o Criador», dizia o doente,
«Que me fez como sou!»

«Estou tão confuso,
Meu tutano cobre a minha cabeça;
Sobre o meu umbigo
Descanso a minha cabeça;
Meus ombros salientam-se
Além do pescoço;
Minha fronte é uma úlcera
Medindo o céu;
Meu corpo é o caos,
Mas minha mente está em ordem».

Arrastou-se para o poço,
Viu seu reflexo, e declarou:
«Que confusão Que ele fez de mim!»
Seu amigo perguntou-lhe:
«Você está desanimado?»
«Qual nada!
Por que haveria de estar?
Se Ele me separa
E faz um galo
De meu ombro esquerdo,
Eu anunciarei a madrugada.
Se Ele fizer um arco
Do meu ombro direito
Procurarei pato assado.
Se meu assento se transformar em rodas
E se meu espírito vier a ser um cavalo,
Prepararei minha própria carroça
E andarei por aí.

Há um tempo de juntar
E um tempo de separar.
Aquele que entender
Este curso dos acontecimentos
Toma cada novo estado
Em sua devida hora
Sem nenhuma tristeza nem alegria.
Os antigos diziam:
‘O enforcado
Não pode cortar-se a si mesmo’.
Mas no tempo adequado
A Natureza é mais forte
Do que todas as cordas e elos.
Sempre foi assim.
Onde está uma razão
Para desanimar?»

 

(*) Chuang Tzu foi um grande filósofo taoísta do Séc. IV a.C., os textos aqui publicados são fruto de um grande esforço de compilação e meditação de Thomas Merton, um monge católico do Séc. XX d.C. que estudou os textos de Chuang Tzu em várias fontes, nenhuma delas sendo a original, mas traduções da fonte original. Finalmente, coube a Paulo Alceu Lima traduzir a Merton, do inglês para o português, conforme visto no livro “A Via de Chung Tzu” (Ed. Vozes, esgotado)

» Ver todos os posts da coluna Sabedoria do Tao no TdC

 

Este post tem 2 comentários

  1. Leon

    Legal texto, bem confuso no propósito. Mas com finalidade como sempre!
    Parabéns!

  2. João

    “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante!
    Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

    Obrigado Rafael!

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta