A Busca do "Eu", por Alan Moore


Texto poderoso do Alan Moore, traduzido pelo Acid.
Quando cumprimos a vontade de nosso verdadeiro Eu, nós estamos inevitavelmente cumprindo com a vontade do universo. Na magia ambas as coisas são indistinguíveis. Cada alma humana não é, de fato, UMA alma humana: é a alma do universo inteiro. E, enquanto você cumprir a vontade do universo, é impossível fazer qualquer coisa errada.

Muitos dos magos como eu entendem que a tradição mágica ocidental é uma busca do Eu com “E” maiúsculo. Esse conhecimento vem da Grande Obra, do ouro que os alquimistas buscavam, a busca da Vontade, da Alma, a coisa que temos dentro que está por trás do intelecto, do corpo e dos sonhos. Nosso dínamo interior, se preferir assim. Agora, esta é particularmente a coisa mais importante que podemos obter: o conhecimento do verdadeiro Eu.
Assim, parece haver uma quantidade assustadora de pessoas que não apenas têm urgência por ignorar seu Eu, mas que também parecem ter a urgência por obliterarem-se a si próprias. Isto é horrível, mas ao menos vocês podem entender o desejo de simplesmente desaparecer, com essa consciência, porque é muita responsabilidade realmente possuir tal coisa como uma alma, algo tão precioso. O que acontece se a quebra? O que acontece se a perde? Não seria melhor anestesiá-la, acalmá-la, destruí-la, para não viver com a dor de lutar por ela e tentar mantê-la pura. Creio que é por isso que as pessoas mergulham no álcool, nas drogas, na televisão, em qualquer dos vícios que a cultura nos faz engolir, e pode ser vista como uma tentativa deliberada de destruir qualquer conexão entre nós e a responsabilidade de aceitar e possuir um Eu superior, e então ter que mantê-lo.
Tenho estudado a escola da história do pensamento mágico e o ponto em que começou a dar errado. No meu entender, o ponto em que começa a dar errado é com o monoteísmo. Quero dizer, se olhar a história da magia, verá suas origens nas cavernas, verá suas origens no xamanismo, no animismo, na crença de que tudo o que te rodeia, cada árvore, cada rocha, cada animal foi habitado por algum tipo de essência, um tipo de espírito com o qual talvez possamos nos comunicar. E ao centro você tinha um xamã, um visionário, que seria o responsável por canalizar as idéias úteis para a sobrevivência. No momento em que você chega às civilizações clássicas, verá que tudo isto foi formalizado até certo grau. O xamã atuava puramente como um intermediário entre os espíritos e as pessoas. Sua posição na aldeia ou comunidade, imagino, era a de um “encanador espiritual”. Cada pessoa no grupo devia ter seu papel: A melhor pessoa durante uma caçada tornava-se o caçador, a pessoa que era melhor pra falar com os espíritos, talvez porque ele ou ela estivesse um pouco louco, um pouco separado do nosso mundo material normal, eles tornavam-se os xamãs. Eles não seriam mestres de uma arte secreta, mas sim os que simplesmente espalhariam sua informação pela comunidade, porque se acreditava que isto era últil para todo o grupo. Quando vemos o surgimento das culturas clássicas, tudo isso se formalizou para que houvesse panteões de deuses, e cada um destes deuses tinha uma casta de sacerdotes, que até certo ponto atuariam como intermediários, que te instruiriam na adoração a estes deuses. Então, a relação entre os homens e seus deuses, que pode ser vista como a relação entre os humanos e seus “Eus” superiores, não era todavia de um modo direto.
Quando chega o cristianismo, quando chega o monoteísmo, de repente tem uma casta sacerdotal movendo-se entre o adorador e o objeto de adoração. Tem uma casta sacerdotal convertendo-se em uma espécie de gerência intermediária entre a humanidade e a divindade que está se buscando. Já não se tem mais uma relação direta com os deuses. Os sacerdotes não têm necessariamente uma relação com Deus. Eles só têm um livro que fala sobre gente que viveu há muito tempo atrás que teve relação direta com a divindade. E assim está bom: Não é preciso ter visões milagrosas, não é preciso ter deuses falando contigo. Na verdade, se você tem algo disto, provavelmente está louco. No mundo moderno, essas coisas não acontecem; as únicas pessoas as quais se permite falar com os deuses, e de um modo unilateral, são os sacerdotes. E o monoteísmo é, pra mim, uma grande simplificação. Eu quero dizer, a Cabala tem uma grande variedade de deuses, mas acima da escala, da Árvore da Vida, há uma esfera que é o Deus Absoluto, a Mônada. Algo que é indivisível, você sabe. E todos os outros deuses, e, de fato, tudo mais no universo é um tipo de emanação daquele Deus. E isto está bem. Mas, quando você sugere que lá está somente esse único Deus, a uma altura inalcançável acima da humanidade, e que não há nada no meio, você está limitando e simplificando o assunto.
Eu tendo a pensar o paganismo como um tipo de alfabeto, de linguagem. É como se todos os deuses fossem letras dessa linguagem. Elas expressam nuances, sombras de uma espécie de significado ou certa sutileza de idéias, enquanto o monoteísmo é só uma vogal, onde tudo está reduzido a uma simples nota, que quem a emite nem sequer a entende”.

Este post tem 24 comentários

  1. Edu Mad-Hatter

    Documentário deveria ser visto por todos os estudantes. Moore mostra em suas obras como e simples e lindo trazer as obras dos antigos mestres de forma atual e com uma linguagem para não digo a massa, mais torna muito mais acessível a entrada nas escolas de mistério.
    Esperando ansioso por Bumper Book of Magick dele para 2013.

    1. edujanu

      Esse ai e o Waking Life.

  2. Melhor impossível Tenho esse documentário em casa e pelo menos a cada 2 meses assito novamente.

  3. tiagopb

    Grande DD, tudo bom?
    Cara, eu acho que seria válido colocar entre parênteses os comentários do Acid (que no saindodamatrix ele coloca como um comment em determinada parte do texto)… Os comentários que eles faz normalmente são bem colocados e esclarecedores. Apenas uma idéia, nada que invalide de qualquer forma a qualidade do post! 🙂
    Grande e Fraternal Abraço!

  4. Saulo

    Esse doc. é muito doido. Quem não assistiu, vai logo.

  5. Lucas.

    O Sr. Alan Moore é “O Cara”. Há muitos textos/Hq’s na net que merecem ser traduzidos para nossa língua, são simplesmente excelentes por natureza.

  6. waldo

    Lindão esse texto.

  7. Bernardo

    Então essas são as letras, que perdem o significado se o espírito deixa de habitá-las, que se falou na série de cartas Nuvem sobre o Santuário?
    O que as letras representam são os deuses, mas quando elas deixam de representar os deuses, perdem o significado.
    Seria essa a conclusão correta?

  8. raph

    O vídeo é obrigatório pra todos que curtem sites como este aqui, principalmente a parte final ou a partir do momento que ele fala sobre “quando resolveu se declarar um magista”…

  9. samyra

    kd o resto do vídeo?!?!?!
    quero veeeeeerrrrr

  10. samyra

    ok.. já achei! heheh

  11. Leandro"

    Omnia in unum
    SEMPRE

  12. Henrique Mota

    Ótimo texto do Alan Moore. E como todo ótimo texto, não se pode levar muito ao pé da letra.
    Ah, mais uma coisa interessante para compartilhar com vocês: essa semana tive uma insônia terrível, justamente por conta de todos os acontecimentos aqui no RJ. Tentei de todas as formas me emancipar, com o intuito de ajudar no Plano Espiritual, mas não conseguia de jeito algum; fiquei apenas emanando boas vibrações através da oração. No domingo, acabei tomando um passe no Centro Espírita, que me relaxou o suficiente para poder dormir algumas horas, mas foi um sono sem sonhos lúcidos ou qualquer forma de comunicação. De ontem pra hoje, durante o sono, consegui uma comunicação rápida, mas importante. Veio um espírito na forma de uma mulher belíssima (nem tenho palavras para descrevê-la) e me disse o seguinte, não com estas palavras, não me lembro bem delas, mas foi com a seguinte intenção: “Sua intenção é muito nobre, porém você ainda não está preparado para ajudar da maneira a qual foi necessária nestes últimos dias, apesar das orações sempre serem úteis em qualquer circunstância, e de estarmos felizes com o seu progresso moral. Tanto é assim, que você foi obsidiado por um espírito nem de longe tão forte (olha a porrada na cara do orgulho do médium aí, gente! Parênteses por minha conta). No entanto, esteja certo de que você será muito útil daqui a algum tempo, se persistir neste caminho. Apenas atente para a sua Reforma Íntima. A sua insônia nada mais foi do que um reflexo da remoção do lodo grudado em você. O espírito é como a água em um lago; para que se torne pura e cristalina, é necessário revirar o lodo no fundo do lago, e isto causa turbidez na água. Mas saiba que é sempre para um objetivo maior. E ainda há um longo caminho a ser percorrido (mais outra porrada… OUCH!), porém tenho certeza de que um dia será bem-sucedido, pois é o destino de todos. Fique em paz, irmão. E jamais pense novamente que está sozinho, sempre estaremos aqui para ajudá-lo. (é porque eu estava num momento muito triste ultimamente, me sentindo muito solitário, desamparado, por isso essa frase)”
    Eu sou o tipo de pessoa que prefere recusar 10 verdades a ter que aceitar uma mentira, mas confesso que essa comunicação mexeu comigo. Essa comunicação a qual eu tive me deu mais forças para persistir.
    Aí, agora de manhã, leio o Twitter do DD, e ele fala justamente disso; a transformação no Plano Físico foi reflexo do que aconteceu no Plano Espiritual. E fiquei muito feliz com o fato da operação policial no RJ ter sido um sucesso. Espero de coração que esta seja uma primeira página de uma bela e nova história para todos nós.

    1. Thailan Benevides

      Muito interessante o seu sonho Henrique. A mais ou menos um mês atrás eu passei por situação uma parecida.
      logo após participar pela de uma sessão religiosa sobre o efeito do chá ayhuasca,comecei a ficar extremamente ansioso e com insônia sem nenhum motivo aparente.
      As sensações que chá trouxe a tona eu não sabia explicar no momento o que era e nem os seus significados.Mas ao refletir um pouco sobre a experiência algumas sobre a forma que encarava a vida vieram a tona.
      Vale ressaltar que ao longo da minha vida sempre fiz escarnio de qualquer religião e nem acreditava em nada que não esteja relacionado ao mundo físico. Até que percebi que esta minha visão sobre o universo era extramamente limitada ou no mínimo embutidas de preconceitos.
      Mas enfim,o fato é que diferente de você, nada me aconteceu por meio dos plano dos sonhos.Apenas passei a escrever um monte de coisas como se alguém falasse por mim (sendo que na verdade era eu,mas que como por arte dramatica fiz parecer ser uma identidade)
      Devo dizer que hoje estou proucurando sedimentar meus conhecimentos espirituais sem nenhum preconceito e pouco preso a dogmas religiosos.

  13. Eduardo oliveira Rocha

    DD, achei interessante o texto…mas afinal de contas, QUAL É A VONTADE DO VERDADEIRO EU?
    Tipo…o texto fala da vontade do eu, e tal, massa, mas falar que vontade é essa, que é o que importa, ele não fala.
    Tipo, não sou ocultista, e não sei quem é Alan Moore, mas justamente, se ele disse que a vontade do “EU” é o que importa, essa vontade cósmica universal, a qual ao segui-la você estará invariavelmente agindo sempre de forma correta, acho que ficou faltando falar justamente o principal (mesmo porque fiquei curioso).
    Afinal, a vontade do universo é agir de forma correta para atingir o reino dos ceús? Ou essa vontade diz que devo aniquilar totalmente o meu ego para, finalmente atingr a iluminação? Ou, devo me comunicar com guias espirituais para saber qual é a minha vontade… o que é estranho, afinal se a vontade é minha, no mínimo eu deveria saber que vontade é essa.
    Pô DD ,tipo, se você não for responder, e se não for pedir demais, tem como colar um link ou recomendar algum livro que possa me esclarecer que vontade é essa?
    Não me interprete mal…mas, pô, o cara falar que a vontade do EU é isso e aquilo, e você continua lendo a parada e, no final, o cara não diz o que é? Aí é sacanagem…
    @MDD – Descobrir qual a vontade do “EU” é saber quem você é e o que veio fazer aqui no Planeta. E não tem como ser explicada ou ensinada, precisa ser descoberta por voce mesmo e só vale para você. Não tenho como ensinar isso a nenhum de vocês, nem o Alan Moore e nem ninguém. A Verdadeira Vontade dele é diferente da minha que é diferente da sua. Uma das coisas que eu descobri é que os Mapas Astrais são uma boa pista dessa Verdadeira Vontade, mas foi o máximo que eu consegui avançar em “fórmulas” e mesmo assim ainda é algo bem complexo e que nem é reconhecida pela ciência ortodoxa ainda. O restante ainda depende de 99% de lapidação de cada um.

  14. Eduardo oliveira Rocha

    Só tirando sarro…alguém já viu imagens do monge russo Grégory Rasputin?
    Velho…esse cara é a cara dele. Aliás com essa barba ele parece aqueles russos do século XIX, tipo, Tolstoi e Dostoiésvsky.
    Malllzzz…(não espero que DD passe essa)

  15. Original Bat

    Quando ele diz o EU verdadeiro, vale lembrar que ele fala sobre o eu natural, sobre a função natural que temos, e não satisfazer cada vontade do EGO material, q são vontades egoísticas, materialistas, cínicas ou convenientes. Não é pq seu ‘eu’ diz q vc deve ser rico q vc vai passar por cima de todos. Esse não é seu ‘eu’, é seu ego criado pela sociedade.
    O Eu verdadeiro seria o SER fora dos padrões sociais, inclusive fora de desejos materialistas. É o Ser em harmonia com o resto do universo, não apenas com a fabricação mundana que é a sociedade humana. É quando vc busca realizar coisas maiores do que vc mesmo, buscando harmonia com o resto do Universo.
    Ele está certíssimo, o Monoteísmo é uma simplificação tão grande quanto dizer que os povos antigos eram Politeístas. Hoje se entende que eles sejam Monolatrias, um sistema onde se adora os diferentes aspectos de uma mesma fonte divina. E quando se simplifica demais as coisas, Deus acaba virando um slogan, que é o que ele é hoje na boca dos cultos fundamentalistas.

  16. Gabriel (HiroNakamura)

    Estou vendo o documentário todo, e gostei da fala:
    “O único lugar onde Deuses e demônios existem de maneira indiscutível, é na mente humana. Onde são reais em toda a sua grandiosidade e monstruosidade.”

  17. Anderson

    O texto diz exatamente o que se ve refletido no externo hoje. O que vale são os desejos, eternos desejos da mente doida que nem um macado agitado. Incessante, inquieta, os pensamentos a mil. Apenas pelo fato de alguém jogar um papel no chão, a percepção de que a mesma está desconectada de sua consciência, já diz tudo. A senda para o caminho correto é longa, exige trabalho, mas quem o quer fazer? São poucos os que se propoem a tal feito. Felizes o que estão caminhando.

  18. Eduardo oliveira Rocha

    Que estranho jogo esse que nós vivemos…
    Quer dizer que todos nós possuímos um EU, mas nós não sabemos o que é esse EU, que seria o verdadeiro sentido das nossas vidas.
    E qual é a graça de nós não sabermos qual é o nosso EU? Digo, qual foi a intenção do mestre do jogo quando ele nos colocou debatendo aqui, sem orientação, quebrando a cara, etc, tipo, ele sente prazer nisso? Esse é o objetivo do jogo então, descobrir nosso EU? Onde você viu isso? As coisas poderiam ser mais simples, tipo, nós descobriríamos nossa vontade, e faríamos aí o que tem que ser feito. Por exemplo, se isso for verdade, e eu algum dia acreditar nisso, e morrer sem saber o meu EU, morreria muito frustrado.
    DD velho, insisto que indique um livro. Recomendo que coloque na bibliografia.
    Não espero que responda, já que você já respondeu a primeira. É só que, não sei se é só eu, mas isso me incomada muito, acho isso muito importante.

  19. Humberto

    93!
    Um dos textos mais esclarecedores que já li na vida.
    93,93/93

  20. Sergio

    Só por informação: O livro infantil “Bumper Book of magic” foi adiado indefinidamente pelo falecimento de Steve moore que estava escrevendo o livro com o tio Alan.

  21. Vitor HUgo

    Mas uma coisa que ele não responde é: O Mago deve ser Politeísta ou monoteísta?
    E por que na magia cerimonial (na pratica de evocação de espíritos) usa-se o Latim e o Hebraico? A pratica da evocação magica é algo que se derivou da religião Cristã?
    Se eu quiser trabalhar com o Panteão Grego, quem eu devo colocar no triangulo de manifestação para substituir Michael? Os livros não respondem essas coisas…

Deixe uma resposta para Leandro Cancelar resposta